Lamont Library, Harvard University, 2ª biblioteca do mundo
Foto:Rosane Santana
==================================================

ARTIGO

Tábata e Dilma nos Estados Unidos

Rosane Santana

Leio sobre a ida da presidente Dilma RoussefF e alguns ministros aos Estados Unidos. Os jornais dizem que a presidente e sua comitiva farão visitas ao Massachusetts Institute of Techonology e a Harvard University. Estas, as duas melhores universidades do mundo, localizadas na pequenina cidade de Cambridge, na costa leste dos EUA, separadas de Boston – quartel general da intelligentzia daquele país e capital de Massachusetts – pelo Charles River, palco da revolução americana que, ao lado da revolução industrial e da revolução francesa, nos legou a idade moderna, o federalismo, a democracia, os direitos civis, políticos e sociais, entre tantas outras conquistas.

No Brasil, os xiitas de esquerda, a maioria deles sem nunca ter frequentado uma biblioteca ou lido um livro sequer, são, de ouvir dizer em assembleias ou “concílios partidários”, anti-americanistas. Nada contra estes, aliás, gosto de água da fonte, e costumo bebê-la através da leitura de Eric Hobsbwam ou Otávio Ianni, por exemplo, porque o exercício da crítica e da discordância é fundamental para aprimorar a inteligência.

Mas, voltemos ao nosso tema. A ida da presidente Dilma e sua comitiva aos EUA. Posso vê-los circulando nos suntuosos salões da Harvard University, magníficos, e nos laboratórios do MIT, abundância material a serviço da inteligência. Posso vê-los percorrendo os belos jardins dos vários campus da Harvard University, lotados de jovens de nacionalidades diversas, espalhados por quase toda a pequenina Cambridge, onde se fala mais de 50 línguas. Suas bibliotecas como a Lamont, a segunda do mundo, com seus mais de 14 milhões de livros, onde se pode ler de James Joyce a Jorge Amado, o qual a Bahia petista relegou ao esquecimento (vide o tema do Carnaval), salve a inteligência! As livrarias gigantescas lotadas de gente ávida por conhecimento, matéria-prima mais valiosa na era da revolução digital. As centenas de gênios por metro quadrado, jovens de várias nacionalidades, predominantemente chineses, coreanos e japoneses, mas também brasileiros, entre os quais estará brevemente a nossa Tábata Amaral de Pontes.

Penso em Tábata, a jovem brasileira de 18 anos, egressa da escola pública de São Paulo, filha de uma vendedora de flores e um cobrador de ônibus, gênio de matemática, física, química e astronomia que venceu diversas olimpíadas, inclusive em Harvard, e que, em breve, estará circulando naquela universidade, provavelmente, para nunca mais voltar. Sim, para nunca mais voltar. Porque aqui, enquanto Tábata, não obstante suas conquistas extraordinárias, sobretudo para alguém de classe média baixa, continua ignorada pelos potentados da república e pela mídia de uma maneira geral, lá brilhará como estrela nos circuitos acadêmicos (o que não é pouco, diga-se) e será disputada no país da ciência, da tecnologia e da inovação.

Então me pergunto: o que a presidente Dilma RoussefF e sua comitiva farão no MIT e em Harvard? O que é mesmo o Universidade sem Fronteiras? Desculpe a ignorância, mas se o país entende a falta de cérebros como um dos gargalos para o salto em direção ao primeiro mundo, porque trata os gênios como Tábata, com tanto desprezo e indiferença? Por que ela, que diz poder ajudar o país a encontrar saídas para o ensino público, não é sequer ouvida pela presidente e o ministro da Educação, num país onde há enorme carência de professores exatamente nas áreas onde Tábata é expert? Por que ela não está na comitiva de Dilma Rousseff? Que tipo de intercâmbio é esse?

Cá pra nós, tenho a impressão que está gente está a passear na bela primavera do hemisfério norte.

Rosane Santana, jornalistas, mestre em Historia pela UFBA, estudou em Harvard durante dois anos.

Be Sociable, Share!

Comentários

Mariana Soares on 8 Abril, 2012 at 22:31 #

Bravo Rosane! Enquanto este país, seus dirigentes e as pessoas em geral ignorarem o maravilhoso feito de Tabata, não vamos a lugar algum. É por isso que corremos o risco de Tabata ir e não mais voltar. Triste Brasil! Maravilhosa Tabata!


Marcia Dourado on 9 Abril, 2012 at 9:10 #

Parbéns Rosane!
Enquanto a preciosa Tábata nos escapa, o País venera, contempla e premia os de sempre: estrelas do futebol, da moda e das novelas. “Menos, Brasil! Menos!


Olivia on 9 Abril, 2012 at 10:51 #

Valeu, Rosane. Bem lembrado e bem escrito.


Claudio on 10 Abril, 2012 at 12:44 #

Rosane,

É o país que, enquanto o presidente lançava o programa “Um computador por aluno”, os estudantes iam para escola de pau-de-arara, como vi em Caetés, Pernambuco, em 2010. Mas, como disse Darcy Ribeiro, no leito de morte, ao poeta Thiago de Mello… “Thiago, não desiste, porra! Um dia o Brasil vai dar certo!”.
Abração.


rosane santana on 10 Abril, 2012 at 18:22 #

Cláudio, meu querido, Darcy não viveu para ver os novos donos do poder. Vide a matéria postada neste blog sobre a história do metrô de Salvador. E não esqueço jamais: “A esperança é a contemporização com o impossível” (Clarice Lispector, “A Paixão Segundo GH).


Regina Marinho on 21 Abril, 2012 at 6:26 #

Rosane, primeiro está sendo muito bom te reencontrar, fico feliz por isto, e maia feliz ainda por estes textos. Muito muito bons. Que bom, viva viva. Bj


Rafael Martins on 28 junho, 2012 at 14:34 #

Só recentemente fiquei a par do assunto ” Tabata “. Ela é sensacional, diferenciada dos outros de sua idade. Gostei Rosane quando voce se pergunta PORQUE ELA NÃO ESTA NA COMITIVA… Esses politicos não tem jeito mesmo.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Abril 2012
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30