===============================================================
Ladeiras

Ederaldo Gentil

É pau é pedra
É pedra é pau
cascalho subindo degrau

Do pilar do pelourinho
Da palma do gravatá
Dos contentes do mirante
Dos perdões do calabar

Do carmo da carmosina
Saberes da conceição
Da linha da independência
Romeiros do taboão

Do limoeiro do genipapeiro
Do pepino da jaqueira
Da lama do monturo
Dos galés da gameleira

Poeira do Canto da Cruz
Da capelinha do pau da bandeira

É pau é pedra
É pedra é pau
cascalho subindo degrau

Da favela do Queimadinho
Do alto do ferrão
Candeal do sobradinho
Do mato-grosso da coméia

Da praça do bom juá
Do arco das sete portas
De pracatu paquetá
Das hortas das laranjeiras

Baronesa do boqueirão
Ártigos da liberdade
Desterro da solidão
Do bogum do bonoco
Da montanha de nazaré
Nanã do aquidabã
Do alt
o do candoblé, vai!

=================================

Obrigado, mestre Ederaldo, por incluir no seu samba a minha querida ladeira do Genipapeiro (onde morei belos anos de juventude). Tantas vezes a subi com destino a Saude (territorio livre e alegre de grandes sambistas e boemios) e Nazare. Outras tantas a desci para pegar “o caminho da rua” (como dizia dona Jandira) , via Baixa dos Sapateiros.

Saudades, poeta da Bahia!!!

(Vitor Hugo Soares )

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos