mar
02
Postado em 02-03-2012
Arquivado em (Artigos) por vitor em 02-03-2012 11:28

O sepultamento do ex-deputado Fernando Sant’Anna será nesta
sexta-feira, às 17 horas no crematório do Cemitério Jardim da Saudade.
Natural de Irará, Fernando morreu no final da tarde desta
quinta-feira, 1 de março, aos 96 anos. Ele era engenheiro e foi um dos
articuladores da campanha “O Petróleo é Nosso”, no governo de Getúlio
Vargas. Sant’anna foi deputado quatro vezes e era presidente de honra
do Partido Popular Socialista (PPS).

A senadora Lídice da Mata afirmou que a Bahia está mais triste com o
falecimento do ex-deputado Fernando Sant’Anna, uma das melhores
referências da minha vida pública. “Ficarei com enorme saudade e
lembranças de nossa amizade e de suas noites de conversas com meu pai.
Choremos a partida do nosso Adorável Comunista baiano, a Bahia perde
uma legenda ética”.

O governador Jaques Wagner decretou luto oficial de três dias pela
morte do deputado constituinte Fernando Sant’anna. Considerado um
comunista histórico, o deputado deixou um legado inestimável na luta
pela redemocratização do país. “Fernando Sant’anna entrou para a
história da Bahia e do Brasil. Ele dedicou o melhor dos seus esforços
para ajudar o Brasil a sair das trevas e entrar definitivamente na era
das liberdades democráticas. A Bahia se entristece com sua morte, mas
se orgulha por tê-lo entre seus filhos”, disse Wagner.

============================

Deu no Twitter do jornalista Claudio Leal:

Dos meus arquivos implacáveis: Maria Olivia Soares no velho MDB anti-ditadura, com Fernando Sant’Anna, Waldir Pires e Chico Pinto.

(Claudio Leal)

==========================================

Do leitor que assina Vangelis, na area de comentarios do Bahia em Pauta, sobre a morte de Fernando Sant’Anna

“Deixa-nos um Grande legado de Ética e Honestidade na vida pública, tão
carente nos dias de hoje.
Sebastião Nery comentava que, quando os debates no congresso estavam
mornos, o Fernando costumava tirar os sapatos para uns cochilos no
plenário, num desses o Toinho Malvadeza tentou surrupiar os sapatos a
fim de gozar com o Fernando, porém, ele estava apenas com os olhos
semi-cerrados e disse: “Toinho, deixe de bobagem voce não é homem dado
a pequenos furtos”.

Apesar de lutarem em campos políticos opostos eram amigos.
Hoje é mais um desses dias no qual a Bahia se apequena cada vez mais”.

(Postado por Vitor Hugo e Maria Olivia Soares )

Be Sociable, Share!

Comentários

Augusto Guia on 2 Março, 2012 at 14:39 #

Fala o negro, fala o branco, fala o mulato, fala a Bahia. Assim o íntegro Fernando Santana iniciava seus discursos nos comícios. Perde a Bahia, perde o Brasil.


gilson on 2 Março, 2012 at 19:39 #

Menino, beirando conversa de gente grande, tive o privilégio de conhecer esse grande homem, amigo do meu saudoso pai, que o admirava e fazia questao de propagar seu caráter. Encantavam-me, naquela idade, as palavras do meu velho resaltando as qualidades desse sertanejo de Irará, irmao de Vicente, criador de bode, tao grande qunato ele. E, assim, cresci, orgulhoso, observando o trilhar luminoso desse guerreiro da democracia a defender o Brasil. Vai-se mais uma estrela humana para ocupar, no firmamento, ao lado dos grandes espíritos,um lugar de honra.
Fernando Sant’Anna, exemplo de honradez,de dignidade, como meu pai, merece um capítulo especial na História da Bahia. Mais que isso: Um hino.


vangelis on 2 Março, 2012 at 22:14 #

Gilson, aí está o hino in memoriam ao Fernando…

Bidu Sayão – Bachiana nº 5

http://www.youtube.com/watch?v=bLZD0XplYrI&feature=related


Carlos Volney on 2 Março, 2012 at 23:16 #

Tenho uma dedicatória escrita por Fernando Santana, no livro de sua biografia autorizada, escrita por Antonio Risério, onde ele diz simplesmente: “Volney, obrigado. Fernando”. Assim, sem assinatura.
Hoje por volta de 13:00 horas passei lá e silenciosamente beijei sua face. Foi-se, e para um agnóstico como eu, definitivamente. Era um amigo – sim, tive o privilégio de sua intimidade. Era também um ídolo, confesso, inclusive por ver nele a qualidade rara, escassa hoje, do homem público que jamais negocia a dignidade em nome de nada, muito menos da tal governabilidade tão em voga.
Fernando Santana passou por tudo e sai da vida, como saiu da política, absolutamente imaculado.
Fico daqui a ver os pronunciamentos de gente que faz na vida pública rigorosamente o inverso dele. E fico a imaginar a irôinca risada que ele daria agora se pudesse contemnplá-los.
Para quem lhe conheceu você é eterno e imortal, GRANDE FERNANDO.


Graça Azevedo on 2 Março, 2012 at 23:28 #

Meu amigo Volney disse tudo que eu poderia dizer. Covarde, não consegui ir ao Cemitério Jardim da Saudade. Ai está meu filho assassinado aos 35 anos. A dor, neste momento, ainda é maior que a homenagem que eu gostaria de haver prestado ao querido Fernando Santana


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos