Raupp:”É mais um alerta”

=========================================================

DEU NA REVISTA DIGITAL TERRA MAGAZINE

Após o manifesto antipetista do PMDB se tornar público, com críticas à maneira de governar do PT e da presidente Dilma Rousseff, o maior partido aliado do governo se tornou foco de observação do Palácio do Planalto. Segundo o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), o documento assinado por 45 deputados peemedebistas – quase 60% da bancada do partido na Câmara – não significa uma ruptura com o governo. “É mais um alerta”, disse.

Em conversa com Terra Magazine, o presidente afirmou que a ideia de produzir o manifesto começou em uma reunião na sala da presidência do PMDB, sedida por ele, na tarde de quarta-feira (29), com deputados do PMDB-RS, como Osmar Terra, Alceu Moreira e Darcísio Perondi. Segundo Valdir Raupp, são “inúmeras” as insatisfações do PMDB em relação ao governo mas, com as conversas da presidente com lideranças da base, “isso deve acalmar logo”.

“A insatisfação da bancada começa pelas eleições municipais, porque há um trabalho intenso para neutralizar candidaturas do PMDB em várias cidades do país e as eleições deste ano são muito importantes para quem está visando 2014. Não queremos cargos, isso é secundário para mim e para grande parte do partido. O foco é 2012 e 2014”, enfatizou o peemedebista.

Raupp afirmou ainda que não tem conhecimento de que o vice-presidente Michel Temer apoie o manifesto contra a “hegemonia petista” e explicou que a liderança do partido na Câmara, na voz de Henrique Eduardo Alves (RN), liberou o movimento. “Quando o número de assinaturas ficou expressivo, o melhor a fazer foi liberar mesmo… mesmo que ainda não tenha chegado ao Senado”, explicou.

“Estratégia equivocada”

O apoio de Alves ao manifesto ajudou a municiar ainda mais as críticas de caciques peemedebistas, insatisfeitos com o enfrentamento que o parlamentar tem travado com o governo nos últimos meses. O entedimento de alguns dirigentes é de que a postura adotada pelo líder diante do levante é equivocada e só provocará mais “atrito na base”.

“Henrique está errado de novo. Primeiro, porque está criando um problema com o Michel (Temer). Segundo, como ele quer ter o apoio do PT, que é o dono da vaga (para a presidência da Câmara), espizinhando o partido? A função do líder é conversar com a bancada, ver quais são os questionamentos, as reclamações e levar isso a quem é de direito”, disse um integrante da alta cúpula do PMDB, destacando que, inicialmente, o movimento dos deputados era contra o próprio Henrique Eduardo Alves e que, por isso, seu apoio à bancada provocou estranhamento.

O cacique enfatizou que a estratégia do líder do PMDB na Câmara será mal vista pelo Planalto. “Henrique não pode ser, depois de dez mandatos, inocente em achar que o governo não sabe que ele está apoiando isso. Se o capitão-mor da bancada dele, se o comandante do Henrique, que é o Eduardo Cunha, está à frente desse movimento, obviamente está combinado com o Henrique. Será que ele acha que o Palácio não sabe que esta é uma estratégia de pressão”?

mar
02

O sepultamento do ex-deputado Fernando Sant’Anna será nesta
sexta-feira, às 17 horas no crematório do Cemitério Jardim da Saudade.
Natural de Irará, Fernando morreu no final da tarde desta
quinta-feira, 1 de março, aos 96 anos. Ele era engenheiro e foi um dos
articuladores da campanha “O Petróleo é Nosso”, no governo de Getúlio
Vargas. Sant’anna foi deputado quatro vezes e era presidente de honra
do Partido Popular Socialista (PPS).

A senadora Lídice da Mata afirmou que a Bahia está mais triste com o
falecimento do ex-deputado Fernando Sant’Anna, uma das melhores
referências da minha vida pública. “Ficarei com enorme saudade e
lembranças de nossa amizade e de suas noites de conversas com meu pai.
Choremos a partida do nosso Adorável Comunista baiano, a Bahia perde
uma legenda ética”.

O governador Jaques Wagner decretou luto oficial de três dias pela
morte do deputado constituinte Fernando Sant’anna. Considerado um
comunista histórico, o deputado deixou um legado inestimável na luta
pela redemocratização do país. “Fernando Sant’anna entrou para a
história da Bahia e do Brasil. Ele dedicou o melhor dos seus esforços
para ajudar o Brasil a sair das trevas e entrar definitivamente na era
das liberdades democráticas. A Bahia se entristece com sua morte, mas
se orgulha por tê-lo entre seus filhos”, disse Wagner.

============================

Deu no Twitter do jornalista Claudio Leal:

Dos meus arquivos implacáveis: Maria Olivia Soares no velho MDB anti-ditadura, com Fernando Sant’Anna, Waldir Pires e Chico Pinto.

(Claudio Leal)

==========================================

Do leitor que assina Vangelis, na area de comentarios do Bahia em Pauta, sobre a morte de Fernando Sant’Anna

“Deixa-nos um Grande legado de Ética e Honestidade na vida pública, tão
carente nos dias de hoje.
Sebastião Nery comentava que, quando os debates no congresso estavam
mornos, o Fernando costumava tirar os sapatos para uns cochilos no
plenário, num desses o Toinho Malvadeza tentou surrupiar os sapatos a
fim de gozar com o Fernando, porém, ele estava apenas com os olhos
semi-cerrados e disse: “Toinho, deixe de bobagem voce não é homem dado
a pequenos furtos”.

Apesar de lutarem em campos políticos opostos eram amigos.
Hoje é mais um desses dias no qual a Bahia se apequena cada vez mais”.

(Postado por Vitor Hugo e Maria Olivia Soares )


Zezeu Ribeiro: de volta a Brasilia

===============================================================

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA

O secretário de Planejamento, Zezéu Ribeiro, conforme a Tribuna há muito vem anunciando, deixa mesmo a Secretaria de Planejamento (Seplan) para ceder o espaço ao ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Em contato com a reportagem, Zezéu, que até então preferia se esquivar quando questionado sobre o assunto, resolveu se manifestar e confirmou seu retorno à Câmara Federal, onde reassume o seu mandato de deputado, do qual estava licenciado.

Contudo, deixando entender que não lhe restou alternativa, não hesitou em pontuar que quem perde não é ele, mas sim o governo, pela rotatividade que implementa no comando da pasta. A troca deve ser oficializada somente após o governador Jaques Wagner (PT) retornar da Alemanha, onde integrará a comitiva da presidenta Dilma Rousseff. “Com a vinda de Gabrielli, a Seplan foi colocada como principal opção dele e do governador, e como fui indicado pelo PT, cabe ao PT conversar com o governador sobre a minha saída. Afinal, essa decisão não passa por mim e nem cabe a mim discutir, mas vou de alma lavada.

Sinto por não poder finalizar, capitalizar o que havia sido proposto pelo governo quando assumi a pasta”, disse, confirmando seu retorno a Brasília. Sobre os rumores de que teria sido cotado para assumir uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE), órgão para o qual o governador deverá indicar pelo menos seis novos membros até o fim do seu mandato, o petista foi taxativo: “Deixei claro que não toparia nenhuma outra alternativa.

Ou ficaria na Seplan ou cumpriria minha tarefa em Brasília. Tenho muito o que fazer lá. Fui presidente da Comissão de Desenvolvimento Urbano, coordenador da Bancada do Nordeste e o acúmulo do meu aprendizado na secretaria só vai contribuir para que eu continue ajudando a Bahia e o Brasil”.

Setores da tendência petista Construindo um Novo Brasil (CNB), a que o secretário pertence, também teria se articulado para tentar emplacar Zezéu na Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). O argumento do grupo era de que, apesar de pertencer à mesma corrente, Gabrielli vai para o governo na cota de Wagner. Mas Zezéu voltou a reforçar que recusaria qualquer que fosse a proposta. Por fim, assegurou que, ao menos da sua parte, não existe nenhum tipo de ressentimento, mas sim pesar. “Ressentimento em absoluto, mas sim pesar por não conseguir finalizar um projeto. Afinal, trabalho com princípios e valores, tendo em vista projetos a longo prazo.

“Para mim, essa é a base fundamental da política”, alfinetou, ainda que nas entrelinhas. Mais além, concluiu que o que existe é um sentimento de perda. “De castração, mas acho que o estado perde mais, pois nota-se que a Seplan virou uma secretaria de grande rotatividade. Nada menos que cinco secretários já passaram por lá”. Gabrielli não foi encontrado.

Já a assessoria da Casa Civil não confirma as mudanças, entretanto informou que o anúncio das mudanças deve ser feito pelo governador ainda na primeira quinzena de março. Com a ida de Zezéu para a Câmara, o ex-prefeito de Juazeiro e então deputado Joseph Bandeira (PT) perderá o mandato.

Mais mudanças estão por vir

O mês de março será palco de outras mudanças no governo estadual. Além da Secretaria de Planejamento, cujo nome de José Sérgio Gabrielli é dado como certo, estão confirmadas mudanças na Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz).

O titular Carlos Martins se desincompatibilizará agora em março, conforme manda a lei, em virtude de sua candidatura à Prefeitura de Candeias, cidade na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

Quem também deve deixar sua pasta para ser candidato a prefeito é o secretário de Combate à Pobreza, Carlos Brasileiro, que deverá concorrer à Prefeitura de Senhor do Bonfim, embora ele não confirme a informação. Utiliza do discurso que é o governador quem decidirá.

É ventilada mudança também na pasta de Desenvolvimento Urbano (Sedur), já que o nome do secretário Cícero Monteiro tem sido cotado para a corrida no município de Jacobina.
O chefe da Casa Civil do Estado e articulador político de Jaques Wagner, Rui Costa, por sua vez, preferiu cautela sobre as mudanças.

Ele não confirmou as especulações nem deu pistas das modificações, mas afirmou que “o governador já definiu as modificações e vai escolher o momento certo para anunciar”. Diante das informações de que o secretário do Turismo, Domingos Leonelli, também poderia deixar seu cargo, a reportagem questionou se seria mesmo quatro as secretarias que sofreriam modificações. “Acho que não chega a isso tudo não”, disse Rui Costa, em tom de mistério.

Assim como Rui Costa, o secretário de Relações Institucionais, Cézar Lisboa, preferiu manter a discrição.

“O governador Jaques Wagner, é lógico, já tem uma análise sobre todos as mudanças em seu governo, mas cabe a ele fazer esse anúncio. Nos próximos dias nos reuniremos e esse anúncio certamente será feito”, confirmou o secretário Cézar Lisboa em entrevista recente à Tribuna. (FC)
Publicada: 02/03/2012 00:05| Atualizada: 01/03/2012 23:39

DEU NO UOL

A Polícia Civil do Distrito Federal enviou à Receita Federal indícios de que o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, fez movimentações financeiras suspeitas dentro e fora do país. O dono da empresa Ailanto Marketing e atual presidente do Barcelona, Sandro Rosell, também está envolvido nas negociações suspeitas encontradas nas investigações.

A informação está na reportagem de Leandro Colon e Filipe Coutinho publicada nesta sexta-feira. A íntegra do texto está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha.

A Ailanto é suspeita de desviar recursos do amistoso entre Brasil e Portugal em 2008, custeado pelo governo do Distrito Federal por R$ 9 milhões. A empresa tem ligação com o cartola da CBF.

A Receita não comentou o caso devido ao sigilo fiscal.

OUTRO LADO

Ricardo Teixeira, disse, por meio de sua assessoria, que desconhece as suspeitas de evasão de divisas enviadas pela polícia à Receita Federal e, por isso, não comentaria o caso.

A assessoria de imprensa internacional do Barcelona informou que Sandro Rosell não se manifestará sobre a Ailanto Marketing nem sobre a relação com Teixeira.

Leia mais na Folha desta sexta-feira, que já está nas bancas.

mar
02
Posted on 02-03-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 02-03-2012


==================================================
Regi, hoje, no jornal Correio Amazonense (AM)

======================================================

Opinião Política

Brasas sob as cinzas

Ivan de Carvalho

A complexa crise na segurança pública que a Bahia viveu em fevereiro, até às vésperas do carnaval, com a greve ilegal e com algumas características de motim de policiais militares e bombeiros foi dominada.
Isto não aconteceu de graça. Houve a mobilização da Força Nacional de Segurança Pública e de tropas do Exército, ocupação, pelos grevistas, do prédio principal do complexo de quatro edifícios da Assembléia Legislativa e sítio de todo o conjunto, executado pelo Exército.

Cumpre não esquecer a participação espantosa de um “grupo de elite” da Polícia Federal, que cumpriu alguns mandados de prisão e, logo após a desocupação, escangalhou desnecessariamente 118 portas de três dos prédios do complexo de edifícios do Legislativo, fazendo de resto uma bagunça geral que os grevistas escrupulosamente haviam se empenhado em não fazer.

As fotografias divulgadas na mídia, na ocasião, comprovaram esse vandalismo policial (pelo qual os contribuintes terão de pagar), diferente, mas não absolutamente, de atos de vandalismo praticados por grevistas. Mas não só por eles: para que não haja injustiça, também pela bandidagem, pelo que se poderia chamar de grupos de extermínio à vontade pela ausência da PM e por simples populares chegados a um saque quando surge a oportunidade.

Em síntese: foi um sufoco, inclusive político. E se isso é lembrado aqui, agora, é porque, se a fogueira foi reduzida a cinzas, revelam-se agora brasas sob elas. A intenção destas linhas é a de que ninguém se surpreenda e as medidas que forem julgadas adequadas sejam adotadas antes da vaca ir pro brejo, não para desatolar a bichinha.

Ontem, o jornal Correio da Bahia divulgou que policiais e bombeiros ligados à Aspra – a mesma associação de PMs e bombeiros que deflagrou a greve da primeira quinzena de fevereiro – realizarão uma manifestação em frente à Assembléia Legislativa (zorra, que obsessão!), no CAB. Em nota divulgada na quarta-feira, a Aspra convocou seus associados a exigirem a implantação das Gratificações por Atividade Policial IV e V. A manifestação foi marcada para as 14 horas da próxima terça-feira.

Os grevistas querem ainda que a Assembléia aprove emendas apresentadas pelos deputados coronel Gilberto Santana, do PTN, capitão Tadeu Fernandes e sargento Isidório, ambos do PSB. Aliás, na reunião de instalação da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública, esta semana, os deputados Tadeu Fernandes e Isidório advertiram que na PM há grande insatisfação a respeito do que consideram não atendimento das reivindicações e especialmente com “prisões arbitrárias de policiais”, segundo o deputado capitão Tadeu Fernandes: “Muitos não cometeram nenhum ato de vandalismo. As três maiores associações de PMs não estão satisfeitas com esta atitude e já ameaçam fazer paralisações”. Isidório completou: “Já existe indicativo de parar uma noite. É preciso suspender estas retaliações”.

Olha aí, gente!

http://youtu.be/T-W8sffyALw

Baião Atemporal

Gilberto Gil

No último pau-de-arara de Irará
Um da família Santana viajará

Levará uma semana até chegar
Junto com mais dois ou três outros cabras que estarão lá
No último pau-de-arara de Irará

Se essa viagem comprida fosse um cordel
Seria boa saída acabar no céu

Só que este conto que eu canto é pra lá de zen
Não tem sentido, não serve pra nada e é pra ninguém
Pra ninguém botar defeito e não ter porém

Basta pensar que Irará poderá não ser
Que os paus-de-arara de lá já não têm porquê

Porque os tempos passaram e passarão
Tudo que começa acaba, e outros cabras seguirão
Cruzando o atemporal do tal do baião

=============================
Saudade de Fernando Sant’Anna!

Salve Irará , de luto como a Bahia e o Brasil por esta perda sem tamanho.

BOA NOITE (se possivel for)

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos