Mãe Stela
============================================================
ARTIGO/Divindades

INTUIÇÃO E REVELAÇÃO

Maria Stella de Azevedo Santos

Este é um artigo que possui objetivo esclarecedor. Tentarei tornar compreensível um assunto que surge todo princípio de ano. A imprensa faz reportagens e as pessoas indagam uma das outras ou perguntam a si mesmas sobre o orixá que influenciará o novo ano que surge. Fazem isso na tentativa de adivinhar o que é preciso ser DIVINADO.

Adivinhar é fazer conjecturas sobre um tema usando a intuição, o que todo ser humano pode fazer. Divinar, todavia, é entrar em comunicação com o sagrado, através de rituais guiados por sacerdotes. É claro que todo ser vivo, por possuir uma parcela divina, é capaz de se conectar com os deuses. Mas a utilização de oráculos, os quais fornecem informações mais precisas sobre o destino da comunidade, requer uma preparação especial e um estilo de vida que propicia à intuição, inerente a todos, apresentar-se de maneira muita mais clara. A intuição se transforma aqui em revelação: quando os véus que encobrem os mistérios são retirados pelos deuses, a fim de que nossa jornada aconteça de uma maneira orientada e, assim, possamos cumprir a tarefa que nos foi legada com o mínimo de percalços possível, o que torna a vida bem mais leve.

Os leitores acostumados com os artigos que escrevo poderão estranhar a formalidade deste texto. É que “há tempo para tudo”: para contar anedotas, falar poesias, refletir sobre a vida… Esse tema pede seriedade! Faço isso porque creio ser a imprensa o meio ideal para esclarecer assuntos, que só não são melhor comentados por falta de oportunidade e conhecimento. Tendo agora essa oportunidade que me é dada pelo jornal A TARDE não quero desperdiçá-la. Mesmo tendo eu a consciência de que nada se modifica de um dia para o outro, aproveitarei o momento para tentar fazer com que a população melhor compreenda as respostas do oráculo trazido pelos africanos para o Brasil, esperando que as sementes aqui jogadas possam um dia florescer e dar bons frutos.

A pergunta correta não é qual o orixá que rege o ano, e sim qual o orixá que rege o ano para aquelas pessoas que cultuam estas divindades e estão vinculadas à comunidade em que o Jogo de Búzios foi utilizado. Se isso não for bem esclarecido e, consequentemente, bem compreendido, parece que todos os sacerdotes erram em suas respostas, uma vez que uma Iyalorixá diz que o orixá do ano é Iyemanjá, enquanto outra diz que é Oxum, ou um Babalorixá diz que é Oxossi. Mesmo correndo o risco de o texto ficar enfadonho, insistirei em alguns pontos, a fim de elucidá-los melhor. No nosso Terreiro, o Ilê Axé Opo Afonjá, o regente do ano 2012 é Xangô. A referida divindade, que se revelou no Jogo feito por mim, não está comandando o mundo inteiro, nem mesmo o Brasil ou a Bahia. Ela é o guia das pessoas que, de uma maneira ou outra (mais profunda – como é o caso dos iniciados; ou mais superficial – os devotos que freqüentam a “Casa”), estão vinculadas a mim enquanto Iyalorixá, ou ao Terreiro em questão.

O leitor, diante dessa explicação, poderá ficar confuso e sentir necessidade de perguntar: “E eu, que não cultuo orixá e não tenho relação com o Candomblé, não serei orientado nem protegido por nenhuma divindade?”. A resposta é: Claro que sim! Por aquela que você cultua ou acredita. Um católico, ou um protestante, será guiado pelos ensinamentos de Jesus; um budista, pelas sábias orientações de Buda… Outra pergunta ainda poderá surgir: “E quanto às pessoas que não são religiosas, elas ficarão a toa?”. Não, é claro que não. Essas serão guiadas e orientadas pela natureza, que é a presença concreta do Deus abstrato. Seus instintos, protegidos por suas cabeças e corações, conduzirão suas vidas de modo que seus passos sigam sempre na direção correta.

Que Xangô – divindade da eloqüência, da estratégia, do fogo que produz o movimento necessário a todo tipo de prosperidade – possa receber, de meus filhos espirituais, cultos suficientes para que fortalecido possa torná-los cada vez mais fortes para enfrentar as intempéries que todo ano traz consigo. Obrigado Ano Velho pelas experiências passadas para Ano Novo.

Maria Stella de Azevedo Santos é Iyalorixá do Ilê Axé Opô Afonjá. O texto foi publicado originalmente no jornal A Tarde (Balaio de Ideias: Que orixá rege o ano?

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retornou na manhã de hoje ao Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, para ser submetido à segunda sessão de radioterapia no combate a um câncer na laringe, diagnosticado em outubro. Lula entrou no hospital às 10h30, pela garagem, sem a companhia da esposa, Marisa Letícia.

A assessoria de imprensa do Instituto Lula divulgou conteúdo de mensagem enviada à presidente da Argentina, Cristina Kirchner, submetida ontem a uma operação para remover um tumor da tireoide. “Eu recebi com muita alegria a notícia de que tudo correu bem na sua cirurgia”, escreveu Lula. “E tenho certeza de que estamos juntos e que, em breve, vamos nos reencontrar, ambos com saúde.”

Em São Paulo, Lula passa pela primeira sessão de radioterapia contra o câncer

O ciclo de radioterapia, que se estenderá por seis a sete semanas, teve início na manhã de ontem (4), quando o ex-presidente permaneceu por cerca de seis horas no Sírio-Libanês. Cada sessão dura apenas 20 minutos, mas a equipe médica preferiu deixar o paciente em repouso ontem para observar os efeitos colaterais da radioterapia. A expectativa é de que o ex-presidente retorne ao seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP) no início da tarde.

A equipe responsável pelo tratamento é comandada por João Luís Fernandes, coordenador do Serviço de Radioterapia do Sírio-Libanês. Lula só deve sofrer efeitos colaterais da radiação a partir da terceira ou quarta semana de tratamento. As reações mais comuns são mucosite, vermelhidão, escamação e inchaço na região do tratamento. Com dificuldade para engolir, alguns pacientes emagrecem e passam a ser alimentados por meio de sonda. O ex-presidente tem sido acompanhado por dentistas e fonoaudiólogos para evitar o agravamento de possíveis efeitos colaterais do tratamento. No fim do ano passado, Lula passou por três etapas de quimioterapia.

No hospital, o ex-presidente recebeu ontem a visita do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), e assistiu a trechos do jogo entre Corinthians e Santos da Paraíba pela Copa São Paulo. À noite, a assessoria de imprensa do Instituto Lula divulgou conteúdo de mensagem enviada à presidente da Argentina, Cristina Kirchner, submetida ontem a uma operação para remover um tumor da tireoide. “Eu recebi com muita alegria a notícia de que tudo correu bem na sua cirurgia”, escreveu Lula. “E tenho certeza de que estamos juntos e que, em breve, vamos nos reencontrar, ambos com saúde.”

jan
05
Posted on 05-01-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-01-2012


================================================
Paixão, hoje, na Gazeta do Povo (PR)


======================================================
Mulheres sauditas autorizadas a vender roupa interior
Publicado hoje às 11:44As mulheres vão poder começar a exercer esta profissão na Arábia Saudita, algo que até aqui era apenas permitido a homens.
As mulheres foram autorizadas a partir desta quinta-feira a vender roupa interior na Arábia Saudita, uma tarefa que até agora era apenas aberta aos homens, os únicos que poderiam estar atrás do balcão nas cerca de 7300 lojas do género existentes neste país.

A decisão do rei Abdallah poderá dar origem à criação de mais de 40 mil postos de trabalho para as mulheres sauditas, sendo que 28 mil mulheres já disseram estar interessadas na profissão, segundo número do ministério saudita do Trabalho.

Há mais de um ano foi lançada na Internet uma campanha de apelo ao boicote das lojas de lingerie que agora deu frutos, isto depois há três anos os líderes religiosos sauditas mais conservados se terem oposto a esta medida.

Apesar de terem conseguido chegar à profissão de vendedoras de roupa interior, as mulheres continuam sem poder experimentar lingerie nestas lojas, uma vez que não ainda não é permitida a existência de provadores para as mulheres.

(Com informações do portal português TSF)


==========================================================

OPINIÃO POLÍTICA

A reforma voluntária

Ivan de Carvalho
Está para começar – acreditam e para isto se movimentam os meios políticos – a reforma ministerial voluntária que a presidente Dilma Rousseff decidiu fazer neste início de ano. A outra, a reforma ministerial involuntária, ela já fez ao longo do ano passado e é desejável que não precise, não surjam motivos que a obriguem a lançar uma segunda etapa dessa zorra em 2012.
Quanto à reforma voluntária, que se propôs a fazer e que, inclusive, além de ajustes na administração, atende a necessidades governistas do ano eleitoral, o que há de absolutamente certo é que o ministro da Educação, Fernando Haddad, deixará o cargo para disputar pelo PT a prefeitura de São Paulo. Por enquanto, não tem votos, salvo os de cabresto do PT, de filiados e simpatizantes de carteirinha, que os petistas otimistas calculam chegarem, em fim (não agora, claro) de campanha, a cerca de 30 por cento.
A esperança do PT é que entrando firmes na campanha, Lula, Dilma e Marta Suplicy e o marketing, além de Aloizio Mercadante, Haddad consiga vencer uma oposição que está se desentendendo. O senador Eduardo Suplicy quer disputar e anda lutando pela realização de uma prévia, mas todo o comando do partido está escorraçando a idéia de prévias, em outras épocas petistas tão respeitada. O PSDB tem quatro aspirantes declarados à prefeitura e um candidato-fantasma, José Serra, ao qual todos os tucanos e até os pessedistas (do PSD de Kassab) rendem antecipadamente todas as suas homenagens. Mas Serra é uma assombração na sucessão municipal paulistana, não diz se quer ou não quer, ninguém sabe, parece que nem ele mesmo.
E é uma decisão realmente muito difícil para ele, pelas implicações que tem, tanto em caso de êxito eleitoral quanto de fracasso. E a omissão, a não-candidatura, também é problemática, líder precisa ter coragem e não deixar o seu partido sem rumo. Em verdade, o mais simples e talvez melhor eleitoralmente seria o PSDB vestir-se de um pouco de humildade e apoiar para prefeito o atual vice-governador Afif Domingos, co-fundador do PSD. Serra ficaria feliz, mas o governador tucano Geraldo Alckmin não está disposto a apoiar Afif. Estão, portanto, tucanos e pessedistas numa situação complicada e o PMDB está sendo pressionado pelo PT (inclusive por Lula) para desistir de lançar o deputado Chalita a prefeito. Até o momento, o PMDB está resistindo, mas quem bota a mão no fogo? E há ainda o pepista Celso Russomano, que já está repudiando Paulo Maluf, de seu partido, enquanto o PT faz discretos acenos à antes maldita figura.
Volto à reforma do ministério. Sai Haddad da Educação e o ex-senador e atual ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, também paulista, será deslocado para o Ministério da Educação. A primeira questão espinhosa (desculpem o termo) é justamente a escolha do ministro da Ciência e Tecnologia.
Ciro Gomes, do PSB, que antes de começar o governo, avisou que não se interessava por esse ministério, mas só pelo da Saúde, ficou sem nenhum e agora consta que aceitaria o da Ciência e Tecnologia mesmo. Mas o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, que tem suas precauções em relação a Ciro (ambos aspiram à presidência da República) já toma providências: se a entrada de Ciro na equipe significar a saída do ministro da Integração Nacional, o socialista Fernando Bezerra, Campos veta. Bezerra é de Pernambuco, indicação de Campos.
O Planalto talvez se esforçasse para por Ciro no Ministério da Ciência e Tecnologia (ou algum outro, quem sabe?) se ele se comprometesse a não criar problemas na sucessão presidencial, mas tal compromisso, para Ciro, seria uma espécie de proposta indecente. Ele, se puder, vai criar problema para o PT, sim.
Para incrementar essa novela do Ministério da Ciência e Tecnologia: comenta-se que Dilma tem preferência por um nome técnico. Aí a bancada do PT paulista trabalha pelo deputado Newton Lima (PT-SP). E o senador Walter Pinheiro (do PT da Bahia), trabalha por si mesmo, tentando contornar as pedras amontoadas no caminho. Na ausência de prova material, pericial ou testemunhal indestrutível, supostamente trabalha.

  • Arquivos

  • Janeiro 2012
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031