dez
14
Posted on 14-12-2011
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-12-2011

DEU NO BLOG DO NOBLAT

PSDB pensa melhor e se cala sobre livro que ataca Serra

Esta manhã, um tucano de vasta e colorida plumagem me contou que o PSDB sairia, hoje, em defesa do ex-governador José Serra, alvo do livro “A Privataria Tucana” escrito pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr.

A bancada de deputados federais do partido se reuniria no fim da tarde para soltar uma nota a respeito. O líder do partido na Câmara faria um discurso. E em São Paulo, o PSDB anunciaria a entrada na Justiça de uma série de pedidos de processos contra o autor do livro.

Há pouco, um membro da Executiva Nacional do PSDB confirmou que, de fato, era o que estava previsto.

Nada aconteceu. Nadinha.

Até agora só se conhece duas avaliações sobre o livro feitas de público por tucanos de primeira linha. “É um lixo”, decretou Serra. “É uma literatura menor”, disse o senador Aécio Neves (MG).

À TV Record, Aécio disse ainda: “Quem quiser ler que leia

dez
14


========================================
Artista: Nelson Sargento
Música: Agoniza mas não morre
Álbum: Sonho de um Sambista
Ano: 1979

BOA NOITE!!!

(VHS)

dez
14


Barbalho:de volta para reforçar PMDB no Congresso
======================================================

DEU NA REVISTA DIGITAL TERRA MAGAZINE

Dayanne Sousa
Marina Dias

Uma reunião de líderes do PMDB com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, na tarde de terça-feira (13), em Brasília, ajudou a definir o futuro de Jader Barbalho (PMDB-PA). Sua posse foi liberada no Senado Federal após o voto de minerva de Peluso.

O grupo era formado pelo presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO) e pelos senadores Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RR), além do líder peemedebista na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN). “Conversamos com o ministro em uma visita de cortesia, mas aproveitamos para dizer que acreditávamos na Justiça e que esperávamos um desfecho no caso de Jader”, explicou Raupp.

O julgamento estava parado e empatado em cinco votos a cinco desde novembro do ano passado. Insatisfeitos com a demora, líderes do partido decidiram conversar com Peluso – que já havia se manifestado favorável à posse de Jader – sobre a possibilidade de pautar o caso ainda nesta quarta-feira (14), antes mesmo da posse da nova ministra do STF, Rosa Maria Weber.

Após a cobrança dos líderes do PMDB, Peluso levou a plenário o novo pedido do advogado de Jader Barbalho. Usando um recurso previsto no regimento interno do Supremo, a defesa pediu que o presidente desempatasse.

A demora para uma decisão definitiva no caso Jader, que irritou o PMDB, é explicada em parte pelo pedido de licença do ministro Joaquim Barbosa. Relator do caso, ele se afastou por problemas de saúde. Por conta disso, o partido tratou diretamente com Peluso. Barbosa era contrário à posse de Jader Barbalho e chegou a acusar o político de ameaçá-lo depois de ter recebido uma carta cobrando um encerramento para o caso.

O momento favorável para o pedido da defesa é visto pelo advogado José Eduardo Alckmin como “o que precisava ser feito”. “O resultado impediu que se promovesse algo esdrúxulo”, opina. Isso porque estava na pauta do Supremo desta quarta (14) um recurso que daria posse a outro ficha-suja que disputou a mesma vaga de Jader no Senado. Trata-se de Paulo Rocha (PT-PA), terceiro lugar na eleição e também barrado. “O vencedor da eleição seria afastado e o perdedor poderia ser aprovado”, pondera Alckmin. “Era isso que (integrantes do PMDB) foram mostrar a Peluso”.

Satisfação de Jader

O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), disse que conversou com Jader Barbalho e que ele está “muito contente” em poder assumir uma cadeira no Senado. “Conversei com Jader e, como diz aquele velho ditado: a Justiça tarda mas não falha”, afirmou Raupp.

dez
14


No senado Nelson Sargento e Lídice dialogam
=============================================================
Dois projetos de lei em benefício de compositores foram tema de audiência da senadora Lídice da Mata (PSB-BA) com o sambista Nelson Sargento nesta quarta-feira (14). Uma das propostas garante aos compositores o seguro-desemprego (PLS 211/2010), enquanto a outra reconhece o exercício da atividade de músico como profissão artística (PLS 563/2009).

Lídice entende que o Brasil precisa proteger melhor os compositores que, em suas palavras, “garantem alegria e identidade cultural ao país”. Na justificação do PLS 211/2010, da ex-senadora Marisa Serrano, consta estimativa apresentada pelo Ministério da Cultura segundo a qual de 80% a 85% dos artistas e técnicos em espetáculos de diversões em atividade no país estariam em situação de desemprego, “configurando uma taxa absolutamente anormal”.

Em seu relatório apresentado ao PLS 211/2010 na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) afirma ainda que “a informalidade é amplamente predominante no mercado de trabalho, de modo que a grande maior parte desses trabalhadores jamais reúne as condições estabelecidas por lei para obtenção do seguro-desemprego”.

Para Lídice da Mata, a melhor forma de remediar essa realidade é concedendo o seguro-desemprego especial:

– Em uma audiência pública da CE ficou clara a necessidade de protegermos o talento e a mão-de-obra da área da cultura – disse, após a reunião com Nelson Sargento, de 87 anos.

O PLS 211/2010, que recebeu parecer favorável na CE, agora será relatado pela senadora Ana Amélia (PP-RS) na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde terá decisão

(Informações da Redação / Agência Senado )

dez
14


Antonio Risério: “O problema
atual de Salvador somos nós”

========================================================

OPINIÃO

Primavera baiana

Antonio Risério

Embora o meu sentimento seja de urgência, quero conversar com calma, que o assunto é sério: Salvador. Numa de suas peças de teatro, Shakespeare faz a pergunta fundamental: “O que é a cidade, a não ser as pessoas?”. E me lembro disso porque nesta semana um amigo me disse, em tom de quase desencanto: “Nosso maior problema, em Salvador, é que não sabemos nos ver como cidadãos”. Está certo. E, neste sentido, o maior problema atual de Salvador somos nós mesmos.

A cara de Salvador não pode ser a da “grand vendeuse”, a da balconista-mor Ivete Sangalo, em pose autoritária, dizendo a frase imbecil: “Quem tem força, tem preço”. Em Salvador, hoje, devemos dizer coisa bem diferente: precisamos levantar a cabeça, recuperar a disposição, buscar o entusiasmo, nos mobilizar para dizer, alto e bom som, que não aceitamos o que estão fazendo com a nossa cidade.

Chega de passividade. Se o que está acontecendo com Salvador (avacalhação e destruição da cidade) estivesse acontecendo em Porto Alegre, Curitiba ou São Paulo, não tenham dúvida: gaúchos, curitibanos e paulistanos teriam subido nas tamancas e saltado na goela da prefeitura.

E nós, não vamos fazer nada? Felizmente, parece que sim, que é possível. As pessoas começam a protestar aqui e ali. Exemplo disso, entre outros, foi o artigo que Fredie Didier Jr. publicou neste jornal, no domingo passado. “Salvador não passa por um bom momento histórico”, escreveu Didier. “Não falo da crise em sua monumentalidade: Pelourinho abandonado, metrô inacabado, ruas sujas. Embora grave, este tipo de problema é de solução mais fácil. Não me refiro, igualmente, à violência que nos assola. A violência impressiona, mas não destoa do que acontece em outras metrópoles. Falo de outra espécie de crise, mais profunda e de efeitos mais deletérios. Salvador está em crise existencial”.

A cidade apequenou-se, conclui Didier. Para, então, incitar: “Temos de retomar a nossa caminhada e refundar a cidade. Dar início a uma espécie de Renascença baiana”. Mais: “Salvador merece que façamos tudo isso por ela e a gente merece voltar a sentir orgulho da nossa cidade”. Perfeito. Já um outro amigo meu, apropriando-se da expressão hoje em voga para falar das grandes transformações que rolam no mundo árabe, me apareceu com uma frase ótima: “Precisamos promover alguma espécie de primavera baiana”. Sim, acho que está mais do que na hora de começar isso. É claro que não se trata de nenhuma comparação com o Oriente Médio.

O que queremos é dar um jeito na cidade. Salvador sofre, hoje, com uma coincidência infeliz: uma desprefeitura que mescla estupidez e incompetência e um governo estadual omisso diante dos problemas da cidade (e, como me diz ainda um outro amigo: “Menos com menos só dá mais na abstração matemática; na vida real, menos com menos dá menos ainda”). Mas não estamos condenados a assistir a isso sem dizer ou fazer nada. Em nome de nossas melhores tradições contestadoras, estamos na obrigação de nos mobilizar. Podemos, sim, promover uma primavera baiana.

Basta querer. Somar as nossas vozes nessa direção. Na mídia tradicional e na internet. Em blogs, no facebook, no twitter. Vamos bater na mesa e dizer que cidade nós queremos. Salvador, hoje, não é somente uma cidade abandonada, que está sendo progressivamente destruída. Mais que isso: é uma cidade humilhada. E não temos razão alguma – existencial, cultural, política ou histórica – para engolir esta humilhação. A hora é de aglutinar protestos isolados, manifestações soltas, vozes pontuais. Ou nos aproximamos e batemos na mesa, para reverter a situação atual e escorraçar a estupidez e a inércia, ou a cidade vai naufragar de vez. É hora de Salvador voltar a ser ativa, altiva e criativa – como já foi em outros momentos.

Em nossa história, temos diversos exemplos de enfrentamento e superação de reveses e crises. Não é agora que vamos nos comportar frouxamente, como se esta cidade fosse uma cadela trêmula, com o rabo entre as pernas – e não o lugar onde teve início a aventura civilizacional brasileira.

Antonio Risério, Escritor, Antropólogo. O texto foi publicado originalmente no jornal A Tarde. E-mail: ariserio@terra.com.br

DEU NO JORNAL PORTUGUÊS PÚBLICO:

O Santos qualificou-se nesta quarta-feira para a final do Mundial de clubes, que está a decorrer no Japão, ao derrotar o Kashiwa Reysol por 3-1.

A formação brasileira fica agora à espera do outro finalista, que será decidido na próxima quinta-feira entre o Al-Saad, do Qatar, e o Barcelona, campeão em 2009, mas o jogo parece ser apenas uma formalidade para os catalães e para o tão esperado duelo entre Neymar e Leo Messi.

Foi Neymar quem inaugurou o marcador logo aos 19 minutos, com um excelente remate de fora da área e, aos 24′, Borges seguiu o exemplo, fazendo o 2-0.

A formação japonesa, que foi campeã depois de ter estado na segunda divisão , ainda reduziu para 2-1, por Sakai aos 54′, mas o jogador do FC Porto Danilo repôs a diferença no marcador aos 63′.

A final disputa-se no próximo domingo, em Yokohama, às 10h30, hora de Lisboa.


Christie’s: leilão surpreendente em NY/Público/Reuters
============================================================

A atriz Elizabeth Taylor, que uma vez disse que a mulher só precisava de diamantes para ser feliz, tinha uma coleção única de diamantes, pérolas, esmeraldas, rubis e safiras; anéis, brincos, colares, broches e tiaras. A Christie’s levou a coleção à praça na terça-feira em Nova Iorque e, tudo junto, estava avaliada em mais de 30 milhões de dólares (21,2 milhões de euros) mas no leilão rendeu 116 milhões de dólares (87,6 milhões de euros), estabelecendo um recorde. Nunca nenhuma coleção tinha atingido um valor tão alto.

Elizabeth Taylor pode ter trocado várias vezes de marido, casa e carros mas nunca de jóias. A coleção foi aumentando ao longo dos anos e em nenhuma estreia de um filme, cerimónia, festa de caridade, entrega de prémios, aniversários ou até mesmo nos seus oito casamentos, a atriz apareceu sem um conjunto de jóias, na maior parte das vezes bem vistosas. Quase todas as peças leiloadas superaram em muito os valores previamente estimados.

A grande estrela do leilão foi o colar do século XVI conhecido como “La Peregrina” e que foi arrematado por 11,8 milhões de dólares (8,9 milhões de euros). O colar decorado com rubis, diamantes e pérolas perfeitamente simétricas tinha um preço inicial de 2 milhões de dólares (1,5 milhões de euros).

Apontado como uma das peças mais cobiçadas do leilão, o anel de diamantes com um aro em platina de 33 quilates, avaliado em 2,5 milhões de euros, oferecido em 1968 por Richard Burton a Elizabeth Taylor, foi vendido por 8,8 milhões de dólares (6,6 milhões de euros).

O anel que Richard Burton, apelidado de o grande amor da vida da atriz, com quem se casou duas vezes, comprou num leilão em 1968, pertenceu inicialmente a Maria I de Inglaterra e depois às rainhas espanholas Margarita e Isabel. Segundo a leiloeira, o licitador da peça é um coleccionador privado asiático.

O diamante Taj Mahal, também oferecido por Richard Burton quando Elizabeth Taylor fez 40 anos, foi comprado por 8,8 milhões de dólares (6,6 milhões de euros), um recorde para uma jóia indiana.

O primeiro lote a ser leiloado foi uma pulseira de ouro com pedras preciosas que foi à praça por 35 milhões de dólares (26 milhões de euros) e foi arrematada por 270 milhões de dólares, aproximadamente 204 milhões de euros, dando desde logo um indicativo muito positivo para o leilão.

Minutos depois, um colar de marfim e ouro superou em mais de 100 vezes o valor inicial estimado de 1500 dólares (1132 euros) ao ser comprado por 314,5 mil dólares (237,5 mil euros). Uma pulseira de diamantes oferecida por Michael Jackson, amigo próximo da Taylor, foi leiloada por 600 mil dólares (453 mil euros), quando o preço inicial estimado era de 30 mil dólares (22,6 mil euros).

Ainda o leilão não ia a meio quando vários recordes já tinham sido batidos, incluindo o da coleção completa, que pertencia à coleccçao da Duquesa de Windsor, leiloada em Genova em 1987 por 50 milhões de dólares (37,7 milhões de euros). O anterior recorde de uma só jóia vendida em leilão pertencia às Pérolas de Baroda, arrematadas em 2007 por 7,1 milhões de dólares (5,4 milhões de euros).

Marc Porter, da Christie’s, disse à BBC que o leilão “foi um dos mais extraordinários de sempre”, definindo-o como uma “prova de amor mundial a Elizabeth Taylor”, que não foi esquecida durante todo o leilão que contou com várias ovações.

Elizabeth Taylor, que morreu em Março deste ano aos 79 anos, já tinha expressado em vida que quando morresse desejava que os seus preciosos acessórios fossem leiloados. No seu livro de 2002, intitulado “My Love Affair With Jewellery”, onde fala sobre a sua paixão por jóias, a atriz escreve que nunca olhou para as suas jóias como troféus. “Estou aqui para tomar conta delas e amá-las. Quando eu morrer e elas forem leiloadas, espero que quem as compre lhes dê uma boa casa.”

Antes do leilão desta terça-feira em Nova Iorque, as jóias foram expostas em Moscou, Londres, Los Angeles, Dubai, Genebra, Paris e Hong Kong.

O leilão continua esta quarta-feira com a coleção de roupa de alta-costura da atriz, onde estão incluídos os dois vestidos do casamento com Burton, assim como vários vestidos Pucci, Versace e Christian Dior, especialmente criados para Elizabeth Taylor.

(Deu no PÚBLICO, de PORTUGAL)

DA-LHE, SANTOS!!!

bom dia!!!

(VHS)

dez
14
Posted on 14-12-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 14-12-2011


===============================================
Aroeira, hoje, no Jornal do Sul

dez
14


Neymar festeja golaço no Japão/IG
===========================================================

O Santos não fez uma grande partida, mas teve uma atuação convincente no primeiro tempo para construir o resultado e vencer o Kashiwa Reysol por 3 a 1 nesta quarta-feira, no estádio de Toyota, pela semifinal do Mundial de Clubes da Fifa, no Japão. O caminho da vitória foi aberto por Neymar, que marcou um golaço após deixar o marcador no chão e finalizar de pé esquerdo no ângulo.

Borges também no primeiro e Danilo cobrança falta marcaram os outros gols. O gol da equipe japonesa foi marcado pelo lateral-direito Sakai, que recebeu uma proposta oficial do Santos, mas não foi liberado pela diretoria do Kashiwa.

Horas antes do jogo, os atletas santistas ficaram apavorados com um rápido terremoto de 4,9 graus de magnitude e a 39 km de Nagoaya. O tremor durou cerca de um minuto e foi registrado também em Toyota.

Após vencer o duelo contra o Kashiwa Reysol, o Santos espera o vencedor de Barcelona e Al-Sadd, do Qatar, que jogam às 8h30 da manhã desta quinta-feira (horário de Brasília), em Yokohama. A decisão do Mundial de Clubes acontece no próximo domingo também no palco da final da Copa do Mundo de 2002, conquistada pela seleção brasileira.

Leia mais sobre o jogo no portal IG

  • Arquivos

  • dezembro 2011
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031