Dilma em Salvador: mais dinheiro
para obra que não entra nos trilhos
=================================
DEU NO CORREIO

Gilvan Reis

A presidente Dilma Rousseff anunciou na tarde desta sexta-feira (18), em Salvador, investimentos de R$ 1,6 bilhão para as obras de mobilidade urbana na capital baiana. A verba será destinada para a construção da Linha 2 do metrô, entre o Aeroporto e a Rótula do Abacaxi. No evento, que ocorreu no auditório do Bahia Othon Palace, em Ondina, Dilma Rousseff afirmou que as obras constituem um passo decisivo para o desenvolvimento do país.

“O Brasil tem de investir nas suas cidades. A mobilidade urbana é um prioridade do nosso governo. Nas cidades com mais de um milhão de habitantes, o metrô é uma das principais alternativas. Em Salvador, com este investimento, teremos um trânsito mais rápido entre a estação da Bonocô até o Aeroporto. E esse é um trabalho que precisa ser feito em parceira com o Município, com o Estado e com a iniciativa privada “, declarou Dilma.

A presidente destacou também que o emprego desses recursos e a manutenção das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) funcionam como uma das maiores blindagens contra a crise econômica internacional. Em todo Brasil, serão investidos R$ 30 bilhões em obras relacionadas à mobilidade urbana. Salvador é a quarta cidade que tem o lançamento do metrô.

Dilma aproveitou para garantir que o governo federal continuará criando e ampliando os programas sociais. “Ontem lançamos o Viver Sem Limites, que é mais uma etapa na inclusão social e um dos maiores programas de apoio e de sustentação das pessoas com deficiência. Acredito que temos de perseguir um país que tenha qualidade de vida para a população brasileira. E, por isso, a mobilidade deve estar na nossa pauta”, reforçou.

Além de empresários e de autoridades políticas, o governador Jacques Wagner também estava presente no encontro. Na sua intervenção, Wagner pontuou a obra da Nova Arena Fonte Nova como um das principais realizações da gestão. “A equipe de trabalhadores foi ampliada em 50%. Aumentamos o número de gruas e de fábricas produzindo pré-moldados para o estádio porque estamos nos preparando para a Copa das Confederações em 2013 e vamos sediar os principais jogos da Copa do Mundo”.

Agenda
Cumprindo a agenda oficial, a presidente Dilma Rousseff participará amanhã, sábado (19), junto com outros chefes de Estado do encerramento do Encontro Iberoamericano do Ano Internacional dos Afrodescendentes (Afro XXI). O evento acontecerá às 10h no Palácio Rio Branco e será transmitido pelo site do Afro XXI.

Depois desta atividade, Dilma visitará o Museu Nacional da Cultura Afrobrasileira (Muncab), na Rua Chile. Às 18h, a presidenta e o governador assistirão ao show de encerramento do Afro XXI, no Pelourinho.

Leia mais sobre a visita da presidente Dilma na edição impressa do Correio

Be Sociable, Share!

Comentários

rosane santana on 19 novembro, 2011 at 1:17 #

Tinha 25 anos, 1986, quando o então prefeito Mário Kertész tomou posse e, depois de algum tempo, em 1988, anunciou com o apoio do amigo Prisco Viana, que virou ministro da Habitação e Bem Estar Social, a construção de um metrô. Kértesz visitou Paris e outras cidades europeias à época, se não me falha a memória, para definir o tipo de metrô mais adequado à capital baiana. A solução pareceu mágica: bonde sobre trilhos (se eu estiver errada que me corrijam, por favor!). Desta época, sobraram os corredores exclusivos e pilastras gigantescas fincadas pela cidade, além de viadutos. Mas, “o bonde não veio, o riso não veio, não veio a utopia”. E o dinheiro, o gato comeu. Mário Kértesz deixou a prefeitura com uma dívida monstruosa, que deu muito o que falar. Chegou Fernando José, que matava a cobra e mostrava o pau, mas nada do bonde chegar, verdadeiro Godot este bonde. Depois veio Lídice, que nada fez, obviamente, asfixiada, dizem, por boicote patrocinado por Antônio Carlos Magalhães – que nunca deu moleza aos adversários – sem condições, naturalmente, de colocar o bonde nos trilhos, numa época em que até a coleta de lixo ficou prejudicada. E o povo esparando o tal bonde (o tal Godot). Chegou Imbassahy, afilhado de ACM, prometendo o metrô. Iniciou-se o projeto e, apostava-se, então, que com apoio de ACM, verdadeiro Sassá Mutema baiano, o metrô iria se tornar realidade. Mais dinheiro, muito desvio apontado pelo TCU e nenhuma satisfação até que tudo foi para o esquecimento. Nelson Pellegrino, eterno candidato à prefeitura de Salvador, fez campanha prometendo o bonde/metrô. Perdeu. O PT incorporou-se à gestão de João Henrique prometendo o bonde/metrô, que não andou, apesar da chegada apoteótica dos vagões coreanos, com o apoio do “galego de olho azul”, o amigo do peito de Lula. Jaques Wagner não demonstrou prestígio para botar o metrô nos trilhos, apesar de Salvador ter dado a Lula a vitória mais expressiva entre as capitais brasileiras. Com um espírito obreiro a la ACM, do jeito que as empreiteiras gostam, o excelentíssimo sr. governador já propôs um novo bonde/metrô na Paralela, antes mesmo que o nosso projeto de um quarto de século (completei 50 este ano) chegasse ao fim. E o dinheiro? O TCU tem as respostas. Mas, ainda assim, nova dinheirama vem chegando, como sempre, às vésperas das eleições municipais.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2011
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930