nov
17
Postado em 17-11-2011
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 17-11-2011 23:17


Cigano com Wagner: o retorno do canpeão
=================================
DEU EM A TARDE

Eduardo Martins

Após ser recebido por pouco mais de 200 fãs no Aeroporto Internacional de Salvador, na tarde desta quinta-feira, 17, o campeão dos Pesos-Pesados do UFC, Junior “Cigano” dos Santos, seguiu para a Governadoria do Estado, no Centro Administrativo da Bahia, onde teve um encontro com o governador Jaques Wagner e o vice-governador Otto Alencar.

O clima foi descontraído. Cigano foi recepcionado com carinho pelo líder político, que brincou: “Que soco aquele, hein?”, referindo-se ao golpe que derrubou o mexicano-americano Cain Velasquez com apenas 64 segundos de luta, na madrugada do último domingo, 13.

“Só ouvi o Dórea [treinador de boxe] gritando no corner ‘olha o pombo sem asa!’ [risos]”, respondeu Cigano. “Foi um suingue, um golpe que não tem muita técnica, mas é muito forte, governador”, explicou.

Depois das apresentações, Jaques Wagner revelou que há alguns meses recebeu a visita de representantes do UFC, que queriam informações para a realização de um dos eventos na Bahia. O governador, no entanto, confessou que não teve mais informações sobre o assunto. “Eles estão muito empolgados com o sucesso. O Brasil já virou o segundo mercado deles”, completou Cigano.

Ao lado dos treinadores, Luiz Carlos Dórea e Iuri Carlton, da sua esposa, Vilsana Piccoli, de companheiros de academia, como Everton Lopes, campeão mundial de boxe amador, e do ex-pugilista e atual deputado federal Acelino “Popó” Freitas, Junior dos Santos contou um pouco da sua história e mostrou as dificuldades em ser lutador no Brasil. “Nosso esporte é muito difícil, até melhorou de um tempo para cá, mas sempre teve muito preconceito, diziam que era violento”, disse.

Jaques Wagner mostrou a alegria de ter mais um grande campeão do esporte na Bahia. “Para nós o orgulho é muito grande. Acho que todo esporte é portador da paz, mesmo os de luta, desde que tenham regras a serem respeitadas. Atletas como o Cigano são portadores de sonhos, são espelho para muito jovens que estão por aí”, disse o governador.

Cigano também falou sobre esta responsabilidade. “É bom servir de espelho. Quando uma criança me vir, ela vai pensar ‘posso ser como o Cigano’. Sempre sonhei com esse momento, e agora alcancei”, comentou

Be Sociable, Share!

Comentários

rosane santana on 18 novembro, 2011 at 7:24 #

Reconheçamos:Antônio Carlos Magalhães foi um pioneiro em tudo na política, no populismo, nas jogadas de efeito, no marketing. Aliás, podem apostar, foi professor de Duda, Nizan, Geraldo walter, Patinhas etc e o grande patrocinador da propaganda e publicidade baianas, que hoje encanta o mundo, não tenho dúvida.Se tempo tivesse, desenvolveria um estudo nesse campo. Sem o seu incentivo, sua egolatria, sua vaidade, sua megalomania, hoje tão copiada, a propaganda e a publicidade brasileiras não teriam crescido tanto. Certa ocasião, quando trabalhava em A TARDE, o professor Elsimar Coutinho disse-me, durante uma entrevista, que o mundo não apreciaria a beleza das pirâmides se não fossem os faraós. É mais ou menos isso que acontece com a publicidade e a propaganda baianas. A verdade é que ACM hoje é seguido fielmente pelos moderninhos. Aliás, a escola de incentivo aos esportes e construção de estádios, no Brasil, nasceu com o partido da ditadura, a Arena, no qual ACM foi líder biônico, cuja máxima era: onde o governo não vai bem, um estádio de futebol. Coincidentemente, as empreiteiras responsáveis continuam as mesmas. Triste Brasil!


rosane santana on 18 novembro, 2011 at 7:45 #

Para refletir: como a propaganda e a publicidade baianas atingiram níveis de excelência, num estado tradicionalmente exportador de matéria-prima, sem indústria de terceira geração e sem um mercado consumidor consistente?


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2011
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930