Urubulino, de Chico Anísio:”Brocotó” para Lupi
================================================

OPINIÃO POLÍTICA
Brocotó. Mais um.

Ivan de Carvalho

1. “Eu sou indestrutível”, afirmou há alguns dias o então ministro do Esporte, Orlando Silva, na época, representante do PC do B no ministério. Peça herdada do governo Lula pelo governo Dilma Rousseff. Sendo do PC do B, portanto, marxista-leninista, claro que ele não poderia estar se referindo à sua qualidade de ser espiritual que sobrevive à morte do corpo e permanece vivo, atravessando as eternidades, embora o fato de ele não acreditar nessas coisas não as anula nem abala minimamente. Essas coisas estão se lixando para o que ele pensa.

Mas Orlando Silva estava voando muito mais baixo, apenas declarando que era “indestrutível” como ministro do Esporte, isto é, que não ia sair nem ser retirado do cargo em conseqüência do fogo cerrado das denúncias, que partiam de pessoas ligadas ao partido, das investigações próprias da mídia e do chefe do Ministério Público da União. Ora, no domingo baiano, no Hotel Fiesta, na Pituba, Orlando Silva foi alvo de um desagravo do PC do B, até com reforço do governador do Estado, justamente por causa da constatação de que ele não comprovara sua indestrutibilidade como ministro, que já não é.

2. “Eu sou osso duro de roer”, disse, mais modesto, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, presidente nacional licenciado do PDT, mas o homem que controla, de fato, o partido fundado por Leonel Brizola. Digo que ele foi mais modesto que o comunista Orlando Silva porque está combinado que “indestrutível” tem significado absoluto (não importa se a indestrutibilidade do ex-ministro era putativa), enquanto “osso duro de roer” tem significado relativo. Depende de quão duro é realmente o osso e dos dentes dos roedores, bem como das substâncias corrosivas que eles têm na saliva, ou, se preferirem, nas denúncias que estão sitiando o Ministério do Trabalho e Emprego.

3. Até “roedor amigo”, se, neste contexto, posso chamá-lo assim, já apareceu. O deputado Miro Teixeira, do PDT do Rio de Janeiro e um dos mais experientes e competentes integrantes da Câmara federal, resolveu pedir ao procurador geral da República, Roberto Gurgel, investigações oficiais no Ministério do Trabalho. Ele não colocou diretamente o ministro (sem trocadilho) na mira, mas não o excluiu.

O deputado Miro quer é que o chefe do MP peça ao Supremo Tribunal Federal que determine à Polícia Federal abertura de um inquérito para investigar convênios do ministério que estão sob suspeita. Uma investigação determinada pelo STF tem competência para investigar inclusive o ministro. Miro explica de forma impecável: “Não sei se é ruim ou bom para o ministro, sei que é necessário. O PDT é um partido com muita história e todos estão perplexos com isso tudo que está acontecendo”. Outros parlamentares do PDT também assinarão o pedido ao procurador geral. Pedido idêntico foi feito ontem a Roberto Gurgel pelo PPS, partido de oposição. O ministro Lupi já pediu à PF que investigue. Mas não é a mesma coisa que o STF determinar. “Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”, ensinou José Genoíno.

4. Antes que tenha desfecho esse pedido ao procurador geral, cumpre assinalar que a Controladoria Geral da União, comandada pelo ministro Jorge Hage, que é uma pessoa honrada e competente, já verificara que contratos, convênios, essas coisas, no Ministério do Trabalho e emprego, não estavam sendo analisados devidamente. Traduzindo: a coisa corria frouxa e isso sempre tem causas e consequências. Umas e outras, ruins. O Tribunal de Contas da União identificou “situação crítica” em convênios assinados pelo Ministério do Trabalho com entidades públicas e privadas. Ontem, a Comissão de Ética Pública da Presidência deu prazo de dez dias para o ministro Lupi se explicar e a presidente da República, já botando a cabeleira de molho, chamou o ministro ontem para conversar.

Brocotó – como dizia Urubulino, aquele tétrico personagem de Chico Anísio.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2011
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930