out
03
Posted on 03-10-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 03-10-2011


Andréa Bandeira em concerto
===================================
DEU NO BLOG DE TOM TAVARES ( MAESTRO E PROFESSOR DA ESCOLA DE MÚSICA DA UFBA )

MAIS UMA TRABALHADORA EM MÚSICA

ASSALTADA NA “BAHIA DE TODOS NÓS”

Assalto a mão armada.

Levaram carro, celular, carteira e documentos

da flautista Andréa Bandeira.

Parece que a frase que caracterizou o Rio

já vale para o nosso estado:

TÁ DOMINADO!

(Tom Tavares)


Dr Ralph morreu sem saber do prêmio

==========================================

DEU NO IG ( ÚLTIMO SEGUNDO)

Em uma cerimônia que se iniciou às 11h30 em Estocolmo (6h30 no horário de Brasília), a Fundação Nobel deu início ao anúncio de seus premiados em 2011 com o prêmio Nobel de Medicina ou Fisiologia. O prêmio foi dividido entre o americano Bruce A. Beutler, Jules A. Hoffmann, de Luxemburgo, e Ralph M. Steinman, do Canadá.

Mas o anúncio foi feito antes do comitê do prêmio saber de uma notícia triste: Steinman, que chefiava o Centro de Imunologia e Doenças Imunes da Universidade Rockfeller, em Nova York, faleceu aos 68 anos de câncer pancreático na última sexta-feira (30). Ele teria direito a metade do prêmio, de 1,5 milhões de dólares (cerca de 2,8 milhões de reais).

O Instituto Karolinska, responsável pelo Nobel, anunciou que precisará se reunir e resolver essa questão. Pelas regras, o Nobel não pode ser dado postumamente, a não ser que o laureado faleça entre o anúncio do prêmio e sua entrega, que tipicamente acontece dois meses depois. Também de acordo com as regras, Steinman teria morrido sem saber que ganharia um dos maiores prêmios da ciência mundial.

O secretário do Comitê Nobel para Medicina, Göran Hansson, declarou que é “muito cedo” para dizer o que acontecerá e lamentou a morte de Steinman. “Estudaremos as consequências práticas que isto terá durante os próximos dias junto com a Fundação Nobel”, afirmou Hansson.

Os trabalhos de Beutler e Hoffman e de Steinman ganharam o Nobel por ter trazido novas compreensões sobre o funcionamento do sistema de defesa do corpo humano. “Os premiados do Nobel deste ano revolucionaram nossa compreensão do sistema imunológico ao descobrir as principais chaves de sua ativação”, afirmou o Karolinska, em comunicado.

Beutler e Hoffmann descobriram proteínas no corpo que reconhecem microorganismos invasores e ativam seu sistema de defesa, enquanto Steinman descobriu as células dendríticas e sua capacidade única de ativar e regular as fases finais da resposta imunológica, quando o organismo “se livra” de seus invasores.


=========================================
Uma obra prima do aniversariante Zé Ramalho para começar bem a segunda-feira no BP.

BOM DIA!!!

out
03
Posted on 03-10-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 03-10-2011


===========================
Benett, hoje, na Gazeta do Povo (PR)

DEU NO CORREIO

Antes de cair no sono no próximo sábado (15), os baianos terão que adiantar os relógios em uma hora. Assim como as regiões Sul, Sudoeste e no Centro-oeste do Brasil, a Bahia (estado da região Nordeste, que segue em seu horário normal) retorna para o horário de verão após decisão do governo. A adesão foi tomada depois do resultado de um levantamento solicitado pelo governador Jaques Wagner, sobre o nascer do sol no período do chamado ‘horário de verão’.

“Peço desculpas para quem discorda da decisão, mas ela foi tomada depois de muita consulta e muita consciência”, disse Wagner em entrevista ao programa Balanço Geral da TV Itapoan.

Agora, a Bahia é o único estado do Nordete a seguir o horário da capital Brasília, depois de 8 anos. “Não é um sacrifício tão violento esses 35 minutos de diferença. Perde meia hora quando acorda, mas ganha meia hora no final do dia”, justifica o governador sobre a luminosidade do dia.

Empresários do estado já haviam manifestado o desejo de que o horário de verão voltasse ao estado e chegaram a divulgar uma pesquisa apontando os benefícios que tal medida traria para a economia e a rotina dos baianos. O documento, organizado por representantes de 20 entidades, foi entregue ao governador Jaques Wagner.

A pesquisa foi feita com 800 pessoas de Salvador e Região Metropolitana. Os dados mostram que 49% dos entrevistados acreditam que o horário de Verão pouco influenciaria na rotina. Além disso, 68% das pessoas associaram o maior tempo de claridade à possibilidade de lazer. Outros 57% avaliaram positivamente o alinhamento dos horários bancários e atividades de turismo com as outras regiões.

O horário de verão vai até o dia 26 de fevereiro de 2012.

Pedido

Ontem, o Sindicato dos Rodoviários enviou carta ao governador Jaques Wagner se posicionando contra a implantação do horário de Verão. Os argumentos foram que os trabalhadores que chegam às 3h no trabalho seriam penalizados e que a insegurança é grande nas ruas de Salvador.

O presidente da Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap-BA), Renato Tourinho, rebateu. Ele lembrou que quem acorda às 3h da manhã, ou às 2h se a Bahia entrar no horário de Verão, continuará acordando no escuro.

Ele destaca que uma pesquisa feita em Lauro de Freitas mostrou que os índices de criminalidade são maiores à noite. “O baiano tem que deixar esta discussão pequena de que vai acordar mais cedo. Vamos é gerar mais emprego e produtividade com o horário de Verão”.

Histórico

Quem decide – O horário de Verão é implantado por decreto do presidente da República, fundamentado em informações do Ministério de Minas e Energia, que toma por base estudos do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Início – A história do horário de Verão começou na década de 30, através de Getúlio Vargas. Nos 35 anos seguintes, a medida vigorou nove vezes: em 1932, de 1949 a 1952, em 1963 e de 1965 a 1967

Sarney- Depois de anos esquecida, a medida voltou em 1985 por decreto de José Sarney e não deixou de ser adotada

Bahia – O estado adotou o horário no governo João Durval em 85. Até 2003, só ficou de fora em 88 e 90

Saída – A Bahia deixou o horário em 2003, na era de Paulo Souto. Ele fez uma pesquisa que revelou que 57% da população era contra o horário


==================================


OPINIÃO POLÍTICA

As marchas e o CNJ

Ivan de Carvalho

Está prevista para esta quarta-feira, dia 5, uma decisão do Supremo Tribunal Federal sobre os poderes do Conselho Nacional de Justiça. Está prevista para o dia 12, feriado dedicado à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, mais uma rodada da Marcha contra a Corrupção.

A decisão que o STF está sendo chamado a tomar, ao julgar ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pela Associação dos Magistrados Brasileiros – na qual a entidade pretende obter uma interpretação constitucional restritiva do poder de fiscalização, disciplina e aplicação de penalidades do CNJ – tem elementos que a tornam essencial para avançar em direção ao bom funcionamento do Poder Judiciário, que a sociedade mantém em seu próprio benefício e não, evidentemente, das pessoas que o integram.

O julgamento da Adin ajuizada pela AMB deveria ter ocorrido na semana passada, mas não entrou na pauta do STF porque uma entrevista da ministra do Superior Tribunal de Justiça e corregedora do Conselho Nacional de Justiça, a baiana Eliana Calmon, concedida à Associação Paulista de Jornais, elevou a temperatura no CNJ, no STF, na AMB e na sociedade ao grau de ebulição.

O Supremo preferiu não julgar com a temperatura tão alta e também buscou tempo para que fosse articulado um acordo entre seus ministros – alguns dos quais tinham ou têm posições diferentes dos outros sobre o assunto. A corajosa e certeira entrevista da ministra Eliana Calmon provocou um incômodo enorme em setores do Judiciário e uma solidariedade muito grande a ela na sociedade. Os bons juízes – que são a grande maioria – devem, no entanto, se sentir bem. A corregedora os está defendendo, bem como a integridade do Poder Judiciário, a solidez deste Poder na sociedade.

Para a corregedora do CNJ, a imagem do Judiciário, hoje, “é a pior possível” e, naturalmente, entre vários fatores que contribuem para isto existe um “gravíssimo problema de bandidos infiltrados, escondidos atrás da toga”. Na mesma entrevista, mas em outro contexto, ela também se referiu a resistências à atuação do CNJ. “Sabe que dia eu vou inspecionar São Paulo? No dia em que o sargento Garcia prender o Zorro. É um Tribunal de Justiça fechado, refratário a qualquer ação do CNJ e o presidente do Supremo Tribunal Federal é paulista”. O presidente do STF é o ministro Cezar Peluso.

Caso a decisão do STF não preserve a integridade do CNJ, retirando-lhe parte dos poderes que lhe foram concedidos (explícita ou implicitamente) pelo Congresso Nacional na emenda constitucional de reforma do Judiciário, o caso não deve ser dado como encerrado. O senador Demóstenes Torres apresentou proposta de emenda constitucional que torna explícitos na Constituição “esses poderes que o Congresso teve a intenção de dar ao CNJ” ao criá-lo pela emenda de reforma do Judiciário.

Bem, como uma parte do caso do CNJ envolve o combate à corrupção no âmbito do Judiciário, o movimento nacional contra a corrupção poderá, se quiser – mas certamente se trata de iniciativa importante para o movimento – incluir já nas marchas programadas para o dia 12 o apoio à ação do CNJ e à emenda do senador Torres.

  • Arquivos

  • outubro 2011
    S T Q Q S S D
    « set   nov »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31