set
14

======================================

OPINIÃO POLÍTICA
Finanças indiscretas

Ivan de Carvalho

O ministro do Turismo, Pedro Novais, contra cuja pasta pesam acusações sérias, algumas com gênese de administrações anteriores, tem se revelado um especialista em gastar o dinheiro alheio – dos contribuintes – com despesas pessoais que a lei não lhe permite pagar com outra fonte que não seja o suor do próprio rosto. Se é que um ministro que fica refestelado em um gabinete com ar refrigerado, do qual só sai em automóvel oficial com ar condicionado e nunca foi recebido em audiência pela presidente Dilma Rousseff (o que eventualmente podia levá-lo a suar frio) pode produzir algum suor do próprio rosto.

Talvez seja esta provável impossibilidade que o haja obrigado a pagar a governanta Doralice Bento de Souza como “secretária parlamentar”, com o dinheiro da Câmara dos Deputados, no período de 2003 a 2010, durante o qual exerceu o mandato de deputado federal, segundo reportagem agora publicada pela Folha de S. Paulo.

Mas o ministro já tinha treino. Quando estava no exercício do mandato, aconteceu uma festa (pode ter sido uma festa de arromba, mas a prudência e a idade de Pedro Novais sugerem cautela nesse tipo de especulação) em um motel e provavelmente ninguém teria noticiado o fato, coisa da esfera privada, se não se houvesse descoberto que o então deputado misturou a citada esfera com a esfera pública, ao requerer que a Câmara dos Deputados pagasse a festança no motel com a verba indenizatória que a lei (votada por ele e seus colegas congressistas) lhe dá direito para cobrir despesas decorrentes do exercício do mandato.

Em um motel, deputado, é possível fazer-se bastante exercício, mas dificilmente alguém poderá mover uma pena em função de mandato popular que haja recebido dos eleitores. Quando a imprensa botou nas ruas a notícia da festa, o já então ministro do Turismo resolveu devolver à Câmara o dinheiro que pedira e com o qual liquidara a fatura da festa. Quanta honestidade!

Mas não está sozinho no ramo de finanças indiscretas o ministro Pedro Novais. Quem não se lembra de José Adalberto Vieira da Silva? Na verdade, quase ninguém se lembra. Mas se escrevo que é o cara dos dólares na cueca, aí todos se lembram, melhor, ninguém esqueceu. Flagrado em São Paulo com R$ 200 mil na sacola e “mais de 100 mil dólares dentro da cueca”, o cearense era assessor de José Nobre Guimarães, líder do PT na Assembléia Legislativa do Ceará, membro do diretório nacional do partido e hoje deputado federal. No site do PT no Ceará dizia que Nobre era o coordenador da campanha de Lula em 2002 no Estado, por indicação do candidato.

Nobre declarou à imprensa que não tinha a menor da razão que teria levado seu assessor a por mais de 100 mil dólares na cueca (sem falar nos 200 mil reais da sacola), do mesmo modo que não sabia o que seu assessor estava fazendo em São Paulo. Em tempo: Nobre é irmão de José Genoíno, na época deputado federal por São Paulo e presidente nacional do PT.
Mas ainda no ramo das finanças indiscretas – em nosso país, vasto como um oceano – temos a registrar a celebra Dança do Mensalão, maravilhosamente criada pela ex-deputada (ela perdeu, gente) Ângela Guadgnin para comemorar a absolvição do deputado João Magno, acusado de mensaleiro, no autodefensivo plenário da Câmara.

Tem mais, muito mais, é claro. Voltaremos ao assunto. Hoje encerramos com Alberto Fraga, que esteve sob fogo porque era deputado federal pelo DEM do Distrito Federal, e mesmo licenciado para ser secretário de Transportes de Brasília quem pagava a sua faxineira era a Câmara dos Deputados. Ele deixou a conta de sua faxineira para o seu suplente, Osório Adriano, também do DEM-DF. Interessante é que ele afirmou na época em que foi descoberto o escândalo que não via problema em pagar empregada doméstica com verba do gabinete. Atualmente Fraga está sem mandato legislativo.

Sinceramente, eu também não vejo problema em dizer que o que ele fez é uma pouca vergonha.

Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • setembro 2011
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930