Elevador Lacerda:Má gestão ameaça entregar
símbolo público da cidade a negociantes
=======================================
CRÔNICA

Baratas e ratos da Cidade da Bahia

Gilson Nogueira

Um copo com água foi o remédio que uma cliente encontrou para se acalmar depois de nocautear uma barata voadora que acabara de subir no seu ombro no interior de uma loja localizada na Avenida Sete de
Setembro, ontem, no Centro de Salvador.O “rebu” durou pouco, mas, o tempo suficiente para provocar correria do mulherio em pânico, adiamento de compras, boatos fulminantes, como assalto com arma de fogo, e obrigar a jovem senhora a despir-se da blusa que vestia para
ficar, apenas, por poucos minutos, de sutiã, na base do desespero e, posteriormente, alívio, por ter aplicado o cruzado que atirou a barata invasora na calçada, logo pisoteada, com raiva, por um curioso, que trajava camiseta do Esporte Clube Bahia ,e que só foi embora
quando o segurança da loja mandou a galera de enxeridos evacuar o pedaço.

Era horário de pico na área habitada, à noite, por drogados e ladrões, que vivem aterrorizando moradores e transeuntes, a poucos passos do prédio antigo da Secretaria de Segurança Pública, majestosamente situado diante do Jardim ( sujo) da Piedade, onde mendigos e vagabundos imaginam ser hóspedes de hotel ao ar livre, com direito a companhia do Gabinete Português de Leitura, de duas igrejas católicas, e, juntinho, da loteria do mestre Gildo Alfinete, do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, tão maltratado quanto suvaco de aleijado, como diz o povo, e outros imóveis de alto valor e importância.

Ou seja, o Centro de Salvador é o paraíso do abandono e da esculhambação, no salve-se quem puder dos camelôs e consumidores, nos passeios, espremidos, a sugerir folia momesca, entre ratos e baratas. “Imagine o Trio-Elétrico deslizando alegria no asfalto quente e a galera jogada contra as paredes e vitrines”, afirmou a empregada doméstica que presenciou a cena da barata baixo astral e a
consumidora aflita.

“Foi o maior corre-corre, com as mulheres gritando e a coroa enxuta tremendo mais que vara verde. Aliás, depois que ela levantou da cadeira e colocou a blusa deu pra ver seu corpão, o que fez o segurança, que estava também assustado, ficar todo cheio de gentileza,” acrescentou a testemunha do fato inusitado.

O lance, revelado com pitadas de exagero, ou não, lembra trechos de chanchadas cinematográficas assistidas nos antigos cinemas da Baixa dos Sapateiros, nos anos 1950/1960. Mais um episódio hilariante, quase tragicômico, em meio a outros, do mesmo nível, que agitam, para
o bem ou para o mal, aquele trecho de Salvador?
Sim, o Centro da Cidade é o símbolo da decadência da administração urbana de uma das sedes da próxima Copa do Mundo de Futebol. É uma zebra, diria o apostador da Loteca.

Creio eu, tanto no que se refere ao seu patrimônio histórico, quanto no aspecto do comércio, dos negócios, em geral, o Centro da Cidade, nem de leve lembra o período em que as escadas rolantes do Edifício
Fundação Politécnica, em São Pedro, e a da Loja Duas Américas, na Rua Chile, eram atração de peso para rapazes e moças e idosos, homem e mulher, interessados em consumir e paquerar, sem a violência a
interromper-lhes os passos.

Enquanto isso, o Elevador Lacerda vai balançando por falta de cuidado e sendo entregue à iniciativa privada para que dele cuide e não o deixe cair. Um ícone do turismo baiano e, sobretudo, um dos caracteres definidores da nossa identidade, do nosso berço, como primeira capital do Brasil, fora das mãos do poder público. Por essa
a Cidade da Bahia, não esperava.

O estado, como um todo, vai descendo a ladeira. E não é a da Conceição da Praia, outro papo.

Gilson Nogueira é jornalista, colaborador do Bahia em Pauta

set
14


Novais com Temer: não deu para segurar
===================================

Deu no portal Terra

Laryssa Borges

Direto de Brasília

Acompanhado do vice-presidente da República, Michel Temer, o ministro do Turismo, Pedro Novais, entregou na tarde desta quarta-feira sua carta de demissão à presidente Dilma Rousseff. A situação política do ministro havia se deteriorado após suspeitas de que ele teria usado recursos públicos para o pagamento de uma governanta e de um motorista para a família. De acordo com o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), a decisão foi “pessoal” e não significa que o correligionário tenha perdido apoio das bancadas do PMDB no Congresso.

De acordo com o parlamentar, Novais afirmou, ao deixar o cargo, que precisa se defender das acusações de uso irregular de recursos públicos e que não pretende paralisar o Ministério do Turismo às vésperas da Copa do Mundo de 2014 para se dedicar a responder às suspeitas. “Ele vai responder a todas elas (denúncias). Ele tem razão de sobra para responder a todas elas e manifestou mais uma vez essa convicção. Mas ele entende que isso vai demandar aborrecimentos, constrangimentos e tempo e não quer que o Ministério do Turismo seja penalizado ou paralisado em uma hora importante para o Brasil, com Copa do Mundo, Olimpíadas e com o turismo brasileiro”, disse Alves, que participou na vice-presidência da República de reunião que selou o destino político de Novais no primeiro escalão do governo.

“Ele está cumprindo esta importante tarefa por decisão dele, uma decisão pessoal que o seu partido, solidário a ele, acata e respeita. Ele prefere sair em um gesto de agradecemos, reconhecemos e respeitamos”, disse o líder do PMDB, que relembrou, por exemplo, que Novais não teve o nome citado na Operação Voucher, da Polícia Federal – que prendeu 36 suspeitos de fraude convênios do Ministério Turismo por meio de emedas parlamentares.

PMDB deve apresentar nomes para sucessão
Ainda hoje, o PMDB deve apresentar opções para suceder Novais na pasta à presidente Dilma. O partido continuará com o controle do ministério e, conforme explicou Alves, a pedido de Temer, será ofertado mais de um nome de um deputado “para mostrar à presidente Dilma e ao governo que o partido tem vários qualificados”.

Denúncias

A crise começou com a deflagração da Operação Voucher, da Polícia Federal (PF), que prendeu, no início de agosto, 36 suspeitos de envolvimento no desvio de recursos de um convênio firmado entre o Ministério do Turismo e uma ONG sediada no Amapá.

Entre os presos estavam o secretário-executivo da pasta, Frederico Silva da Costa, o secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Colbert Martins da Silva Filho, e um ex-presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

Dias depois, o jornal Correio Braziliense publicou reportagem que afirmava que Novais teria sido alertado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre as irregularidades do ministério 47 dias antes da operação da PF, sem tomar qualquer medida. Novais negou que tivesse recebido qualquer aviso do TCU.

Leia matéria completa sobre o assunto no portal Terra

http://noticias.terra.com.br


Jobson:seis meses de suspensão
======================================

DEU NO UOL/ESPORTES

Dia 6 de março de 2012. Esta é a data que o atacante Jóbson precisará esperar para voltar a jogar futebol. Depois de três adiamentos, a Corte Arbitral do Esporte (CAS) finalmente anunciou a decisão e determinou uma pena de dois anos de suspensão para o atleta, flagrado em exames antidoping no Campeonato Brasileiro de 2009, em partidas contra o Coritiba e o Palmeiras, quando ainda defendia o Botafogo.

Os advogados de Jóbson confirmaram a punição, que começou a vigorar a partir de 6 de setembro de 2010. Como já cumpriu uma parte da suspensão, o jogador ficará longe dos gramados até 6 de março de 2012, portanto, por pouco mais de seis meses.

Vinculado ao Botafogo, o atacante – que se encontra em Conceição do Araguaia, no Pará – foi dispensado pelo Bahia após alguns casos de indisciplina. Sem poder jogar na Série A, Jóbson tinha até assinado um pré-contrato com o Grêmio Barueri para disputa da Série B, mas acabou frustrando o time do interior paulista.

Jóbson foi flagrado no exame antidoping na reta final do Campeonato Brasileiro de 2009, em partidas contra o Coritiba e o Palmeiras, quando ainda jogava pelo Botafogo. O laudo apontou uso de cocaína, mas diante do juiz o atacante admitiu ter usado crack.

Após recurso, a pena acabou sendo reduzida para seis meses e o atacante cumpriu a punição. A Agência Mundial Antidoping (Wada) não concordou com a decisão de redução do STJD e recorreu ao CAS, que manteve a suspensão de dois anos ao atleta, porém, contando a partir de 6 de setembro de 2010, não importando quanto tempo de pena Jóbson já cumpriu, de acordo com o regulamento da CAS.
Veja mais


===================================
PARABÉNS, ONDE ELA ESTIVER.

Olha aí, Regina. Leitores do Bahia em Pauta aguarda tradução da letra (inglês-português. OK?).

BOA TARDE!!!

(VHS)


===================================
Estão abertas as inscrições para a segunda edição do Congresso Baiano de Direito Municipal, marcado para acontecer em Salvador no periodo de 21, 22 e 23 de Setembro, com o tema “O Direito Municipal em Debate. Novos paradigmas”. As inscrições já estão abertas para o evento promovido pela Associação Baiana dos Auditores Municipais-ABAM

Mais de uma dezena de palestrantes irão falar e debater nos três dias do evento sobre temas cruciais e de grande atualidade no terreno da gestão pública. “Gestão Pública Responsável”, por exemplo, é um dos temas previstos para o dia 23, tendo como palestrante Antonio Dourado Vasconcelos, diretor da CAM-Coordenadoria de Assistência aos Municípios do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia.Entre os palestrantes estão Claudio dos Passos Souza, Dilza Ramos Rodrigues e Edvaldo Brito, entre outros.

O local será o auditório do Hotel Golden Tulip, no bairro do Rio Vermelho. As inscrições já estão abertas. Mais informações no site www.direitosmunicipaisbaianos.com.br ou pelos telefones (71) 3243-0877 – 3243-0156

set
14
Posted on 14-09-2011
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-09-2011


=================================

Deu na coluna de Mônica Bérgamo, na Folha de

S. Paulo

PARABÉNS

Dom Paulo Evaristo Arns chega hoje aos 90 anos. Ele dispensou cerimônias públicas de celebração da data. Vai confraternizar com amigos na chácara em que vive, em Taboão da Serra. E, no dia 1º de outubro, deve aparecer no convento de São Francisco, no largo de mesmo nome, para abençoar quem estiver na praça para festejá-lo.

set
14
Posted on 14-09-2011
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-09-2011

DEU NO ESTADÃO

Em uma conversa na manhã desta quarta-feira, 14, envolvendo o ministro do Turismo, Pedro Novais, e as lideranças do PMDB, ficou decidido que o PMDB não mantém mais apoio à permanência de Novais na pasta, e que o ministro entrega nesta quarta a carta de demissão à presidente Dilma Rousseff.

Desde que assumiu a pasta, em janeiro, Novais virou foco constante de denúncias. Na última, publicada nesta quarta pelo jornal Folha de São Paulo, o Planalto soube que o ministro usa um servidor da Câmara, Adão dos Santos Pereira, como motorista particular da mulher dele, a aposentada do serviço público Maria Helena de Melo.

Adão servia no gabinete de Novais, quando ele era deputado federal pelo PMDB do Maranhão. Quando deixou o cargo para assumir o Turismo, o motorista foi transferido, em um jogo cruzado de favores políticos e fisiológicos comum no Congresso, para o gabinete do deputado Francisco Escórcio (PMDB-MA) – Novais e Escórcio são aliados incondicionais do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Nesta terça-feira, 13, reportagem da Folha de S.Paulo mostrou que o ministro teria usado dinheiro da Câmara para pagar o salário da governanta de seu apartamento em Brasília. Em nota da assessoria, o ministro afirmou que ela era lotada no seu gabinete de deputado até dezembro de 2010. Seu trabalho era dar “apoio administrativo ao deputado e aos outros funcionários”, afirmou.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou que poderão ser investigadas as suspeitas e que o episódio, por se tratar de suposto caso de improbidade, não é protegido pelo foro privilegiado. “Eu vi apenas a notícia divulgada na imprensa, mas isso vai se somar a toda aquela série de procedimentos que já se encontram no Ministério Público”, afirmou.

set
14
Posted on 14-09-2011
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-09-2011


=================================
Simanca, hoje no jornal A Tarde (BA)

======================================

OPINIÃO POLÍTICA
Finanças indiscretas

Ivan de Carvalho

O ministro do Turismo, Pedro Novais, contra cuja pasta pesam acusações sérias, algumas com gênese de administrações anteriores, tem se revelado um especialista em gastar o dinheiro alheio – dos contribuintes – com despesas pessoais que a lei não lhe permite pagar com outra fonte que não seja o suor do próprio rosto. Se é que um ministro que fica refestelado em um gabinete com ar refrigerado, do qual só sai em automóvel oficial com ar condicionado e nunca foi recebido em audiência pela presidente Dilma Rousseff (o que eventualmente podia levá-lo a suar frio) pode produzir algum suor do próprio rosto.

Talvez seja esta provável impossibilidade que o haja obrigado a pagar a governanta Doralice Bento de Souza como “secretária parlamentar”, com o dinheiro da Câmara dos Deputados, no período de 2003 a 2010, durante o qual exerceu o mandato de deputado federal, segundo reportagem agora publicada pela Folha de S. Paulo.

Mas o ministro já tinha treino. Quando estava no exercício do mandato, aconteceu uma festa (pode ter sido uma festa de arromba, mas a prudência e a idade de Pedro Novais sugerem cautela nesse tipo de especulação) em um motel e provavelmente ninguém teria noticiado o fato, coisa da esfera privada, se não se houvesse descoberto que o então deputado misturou a citada esfera com a esfera pública, ao requerer que a Câmara dos Deputados pagasse a festança no motel com a verba indenizatória que a lei (votada por ele e seus colegas congressistas) lhe dá direito para cobrir despesas decorrentes do exercício do mandato.

Em um motel, deputado, é possível fazer-se bastante exercício, mas dificilmente alguém poderá mover uma pena em função de mandato popular que haja recebido dos eleitores. Quando a imprensa botou nas ruas a notícia da festa, o já então ministro do Turismo resolveu devolver à Câmara o dinheiro que pedira e com o qual liquidara a fatura da festa. Quanta honestidade!

Mas não está sozinho no ramo de finanças indiscretas o ministro Pedro Novais. Quem não se lembra de José Adalberto Vieira da Silva? Na verdade, quase ninguém se lembra. Mas se escrevo que é o cara dos dólares na cueca, aí todos se lembram, melhor, ninguém esqueceu. Flagrado em São Paulo com R$ 200 mil na sacola e “mais de 100 mil dólares dentro da cueca”, o cearense era assessor de José Nobre Guimarães, líder do PT na Assembléia Legislativa do Ceará, membro do diretório nacional do partido e hoje deputado federal. No site do PT no Ceará dizia que Nobre era o coordenador da campanha de Lula em 2002 no Estado, por indicação do candidato.

Nobre declarou à imprensa que não tinha a menor da razão que teria levado seu assessor a por mais de 100 mil dólares na cueca (sem falar nos 200 mil reais da sacola), do mesmo modo que não sabia o que seu assessor estava fazendo em São Paulo. Em tempo: Nobre é irmão de José Genoíno, na época deputado federal por São Paulo e presidente nacional do PT.
Mas ainda no ramo das finanças indiscretas – em nosso país, vasto como um oceano – temos a registrar a celebra Dança do Mensalão, maravilhosamente criada pela ex-deputada (ela perdeu, gente) Ângela Guadgnin para comemorar a absolvição do deputado João Magno, acusado de mensaleiro, no autodefensivo plenário da Câmara.

Tem mais, muito mais, é claro. Voltaremos ao assunto. Hoje encerramos com Alberto Fraga, que esteve sob fogo porque era deputado federal pelo DEM do Distrito Federal, e mesmo licenciado para ser secretário de Transportes de Brasília quem pagava a sua faxineira era a Câmara dos Deputados. Ele deixou a conta de sua faxineira para o seu suplente, Osório Adriano, também do DEM-DF. Interessante é que ele afirmou na época em que foi descoberto o escândalo que não via problema em pagar empregada doméstica com verba do gabinete. Atualmente Fraga está sem mandato legislativo.

Sinceramente, eu também não vejo problema em dizer que o que ele fez é uma pouca vergonha.

set
14
Posted on 14-09-2011
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-09-2011


=====================================
Malaika, por Miriam Makeba e Harry Belafonte.
Música do álbum An Evening with Belafonte/Makeba, 1965
Imagens do artista queniano Musa Khaly, retiradas do site africanoriginalart.com (por guilherme dagda)

BOA NOITE!!!

(vhs)

  • Arquivos

  • setembro 2011
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930