Sanches (centro), Brito e Ivana: Fora do PMDB
==================================================

DEU NO IG (ULTIMO SEGUNDO)

O PMDB da Bahia expulsou nesta segunda-feira (5) três deputados estaduais do partido, sob a justificativa de descumprimento de orientação da sigla em votação na Assembleia Legislativa. Na semana passada, contrariando orientação do partido, os então peemedebistas Alan Sanches, Ivana Bastos e Timóteo Brito votaram a favor de projeto de Wagner que alterou regras do plano de saúde do funcionalismo estadual.

Apesar de integrar a base do governo Dilma Rousseff (PT) no Congresso, o PMDB faz oposição ao governador petista Jaques Wagner na Bahia.

Em nota, o PMDB baiano afirmou que os deputados “não atenderam a vontade soberana das urnas designada pelos baianos ao PMDB, de se opor à administração estadual em benefício do interesse público”. A sigla na Bahia é comandada pela ala de Geddel Vieira Lima, que concorreu ao governo contra Wagner e hoje é um dos vice-presidentes da Caixa Econômica Federal.

O provável destino dos três deputados estaduais é o PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Embora ainda não tenham admitido em público a mudança, os três assinaram o manifesto em favor da criação da nova sigla. Os deputados não foram localizados pela reportagem nesta segunda-feira (5).

O registro do PSD na Bahia ainda não saiu porque o TRE-BA (Tribunal Regional Eleitoral da Bahia) pediu a revisão das listas de assinaturas colhidas em 313 dos 417 municípios baianos.

O presidente do PSD na Bahia é o vice-governador do Estado, Otto Alencar, que integrava o PP. A expectativa da cúpula do partido na Bahia é que a nova sigla atraia a seus quadros 11 deputados estaduais, a maioria de siglas oposicionistas como PMDB e DEM. Se confirmada, a bancada será a segunda do Legislativo baiano, atrás apenas da petista (14 deputados)

set
05
Posted on 05-09-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 05-09-2011

deu no UOL
=============================================
O ex-jogador Sócrates teve que ser internado novamente em São Paulo na manhã desta segunda-feira. O motivo, segundo informou a mulher Kátia Bagnarelli, é um novo sangramento. Esta é a segunda crise de cirrose hepática que o ex-jogador sofre nos últimos dez dias.

Sócrates está na UTI do Hospital Albert Einstein em estado grave. Sua mulher, que está bem abatida, afirmou que os médicos estão tentando estancar o sangramento e pediu orações para o ex-jogador. Segundo ela, o problema foi, novamente, estomacal e os médicos lutam para salvar a vida do ex-jogador.

Assim que deixou o hospital há dez dias, Sócrates confirmou que havia sofrido uma crise de cirrose hepática e que “estava pronto para uma nova vida”. O ex-jogador confirmou também que a cirrose hepática era provocada por alcoolismo. “Estou pronto para me curar, tive uma chance de renascer e vou conseguir”.

Na primeira vez em que esteve internado no Einstein, Sócrates permaneceu na UTI durante uma semana. Os médicos instalaram uma espécie de cateter para estancar a hemorragia entre o pescoço e o fígado.

Leia sobre reinternação de Sócrates no UOL
http://mail.uol.com.br

Licitra:”dignidade da grande tradição italiana”

================================================

Salvatore Licitra Recital Tokyo 2005 part 09 of 10
Eugene Kohn conducting Tokyo Symphony Orchestra

=================================================

Salvatore Licitra, um tenor de ópera tido como um herdeiro artístico do falecido Luciano Pavarotti, morreu nesta segunda-feira devido a ferimentos na cabeça sofridos durante um acidente de moto no mês passado. O anuncio foi feito em declaração publicada no site do tenor, segundo noticia o jornal português Público em sua edição online.

O italiano de 43 anos caiu e bateu com a cabeça quando perdeu o controlo da sua mota scooter na noite de 27 de Agosto, perto da cidade siciliana de Ragusa. Licitra foi levado de helicóptero para um hospital em Catania, onde a sua condição foi descrita como muito grave.

“Salvatore Licitra não sobreviveu”, disse o comunicado. “Os médicos declararam morte cerebral.”

A família concordou que os órgãos fossem transplantados.

O tenor estreou em 1998, mas só alcançou o estrelato em 2002, quando entrou no lugar de Pavarotti na “Tosca” de Puccini, na Ópera Metropolitana de Nova York. O New York Times elogiou Licitra pela sua “dignidade da grande tradição italiana”.


=============================================
Gilberto Gil – Rhythms Of Bahia (2006)

BOA TARDE!!!

(VHS)


Mauricio Trindade

==============================================

Na coluna Holofote, assinada pelo jornalista Otávio Cabral, a revista Veja publica na edição desta semana:

Isso é que é Big Brother

O deputado baiano Maurício Trindade acaba de apresentar um projeto para instituir o que seguramente poderá ser definido como o maior reality show de todos os tempos. Trindade deseja tornar lei no país “a monitoração eletrônica em todos os ambientes da administração pública direta e indireta e autarquias da federação”.

Ministros, presidentes ou diretores de agências reguladoras e todo o conglomerado estatal no país seriam acompanhados em tempo real, em áudio e vídeo. Só o gabinete de Dilma Rousseff ficaria de fora.

Ainda de acordo com o projeto, Dilma poderia, por exemplo, assistir a cada passo de Pedro Novais no Turismo, ou acompanhar as reuniões de Mário Negromonte com a bancada do PP nas Cidades. O projeto não tem a menor chance de passar na Câmara, evidentemente, mas que o material seria didático, isso seria.

set
05
Posted on 05-09-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 05-09-2011

DEU NA FOLHA.COM/UOL

ALAN GRIPP
EDITOR-ADJUNTO DE PODER (UOL)

O ministro-chefe da CGU (Controladoria-Geral da União), Jorge Hage, defendeu em entrevista à TV Folha a adoção da Lei da Ficha Limpa na nomeação de servidores condenados pela Justiça.

“Deveríamos exigir a Ficha Limpa para qualquer cargo público”, disse Hage. Pela primeira vez, um integrante do primeiro escalão defende o mecanismo para aumentar o rigor em nomeações.

Para Hage, seria um avanço aplicar a Ficha Limpa no preenchimento dos cerca de 21 mil cargos comissionados -nomeados sem concurso.

Essas vagas despertam o apetite dos partidos e estão na origem de atritos entre o Planalto e a base aliada.

Sancionada em 2010, após projeto de iniciativa popular, a Ficha Limpa prevê que políticos condenados em julgamentos feitos por mais de um juiz sejam impedidos de disputar cargos em eleições.

Sua aplicação, porém, é incerta. Ao julgar um recurso, o Supremo Tribunal Federal entendeu que a lei não teria validade no pleito de 2010, apenas em 2012.

Além disso, o tribunal não analisou se a lei é constitucional ou não. Deve fazê-lo apenas no ano que vem.

Para estender a Ficha Limpa à administração pública, é preciso aprovar projeto de lei com maioria simples no Congresso. Há duas propostas em tramitação na Câmara, dos deputados Paulo Bornhausen (DEM-SC) e Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR).

Especialistas no tema corrupção defendem outras ideias para coibir desvios de verba. Como a Folha revelou ontem, estudo da FGV (Fundação Getulio Vargas) calcula perdas de R$ 6 bilhões ao ano nos cofres federais.

Leia íntegra da matéria sobre Filcha Limpa no serviço público na Folha.com

set
05


Rose de Freitas (com Marcos Maia ao fundo):
“Bispa” do novo clero no Congresso

DEU NO IG

O jeito Dilma Rousseff de se relacionar com o Congresso criou uma nova classe na Câmara dos Deputados e no Senado. Trata-se de uma espécie de novo clero que começa a se destacar e causar problemas a lideranças políticas mais tradicionais, que se desvalorizaram nos últimos meses.

“A Dilma despersonalizou e desmitificou interlocutores que só falavam por si e pelos outros sem ouvi-los”, afirma a deputada Rose de Freitas (PMDB-ES). Atual primeira vice-presidente da Casa, ela se tornou uma das expoentes desse novo clero.

Por conta disso, ela já se movimenta para alçar voos mais altos. Rose é apontada como nome alternativo do partido à presidência da Câmara em 2013. Em princípio, o PT fez um acordo para apoiar o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), que tem 11 mandatos na Casa.

Recentemente, Rose e Eduardo Alves bateram de frente por causa dos problemas enfrentados por Pedro Novais no Ministério do Turismo. Também deputado, Novais foi indicado ao posto por Alves, mas nunca teve o aval completo da bancada.

Com Rose à frente, peemedebistas insatisfeitos defenderam a saída imediata de Novais da pasta após a deflagração da Operação Voucher, da Polícia Federal. Isso enfureceu o líder do PMDB, que resolveu tratar do assunto publicamente e com críticas diretas à deputada capixaba. “Quem demite é só a presidenta Dilma”, disse.

Esse não foi o único momento em que Alves se viu fragilizado com a bancada que lidera. A indicação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a relatoria do Código de Processo Civil causou protestos por parte de um grupo de deputados.

Nesse caso, acabou se destacando como representante do “novo clero” o deputado Danilo Forte (PMDB-CE). Ele questionou a indicação de Cunha. Disse que o nome deveria ter sido discutido na bancada. Resultado: Cunha foi pressionado e desistiu da relatoria.

“O que acontece é que esse governo não mistura ação administrativa com ação política”, diz Forte. “É preciso se adaptar ao estilo da Dilma. São novos tempos”, completa o deputado. Ele integra um grupo de deputados em primeiro mandato chamado “novos do PMDB”.

No PMDB, além dos “novos”, outro grupo independente é “os jovens”. São deputados com menos de 40 anos que têm como líder informal Renan Filho (PMDB-AL), filho do senador Renan Calheiros (AL). “A gente não é contra ninguém. Só quis um espaço para ser ouvido”, diz o jovem. “Não fizemos algo programado, articulado, de propósito”.

Leia íntegra da reportagem sobre “novo clero” no Congresso no IG
http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/


=================================================
“BAHIA REDENTOR”: GILSON (NOGUEIRA) MIGUÉ, AUTOR, COM A ALMA BAIANA E TRICOLOR ABARROTADA DE ARTE E ALEGRIA.

DA-LHE, BAHÊEEEA, AVANTE ESQUADRÃO!!!

(VHS)


Marta: olha ela aí de novo, gente!
================================================

deu na Folha.com/UOL

A senadora Marta Suplicy (PT) disse ter ficado “contente” com a pesquisa Datafolha em que lidera a disputa pela Prefeitura de São Paulo em 2012.

Marta procurou demonstrar naturalidade diante dos cenários em que aparece com índices que variam de 29% a 31% e seu principal oponentes no PT, o ministro Fernando Haddad (Educação) não sai de 2%.

“Eu nunca saí [da liderança]. Eu sempre tive 30% e ele sempre teve 2%”, afirmou na manhã desta segunda-feira, ao chegar a um seminário sobre regiões metropolitanas organizado por ela na Universidade Mackenzie.

Marta rejeitou a avaliação de que seu desempenho se deva a recall de sua gestão e das outra eleições que disputou. “Não é uma questão de recall, e sim de obras realizadas na cidade.”

Ela evitou polemizar sobre a preferência do ex-presidente Lula pela candidatura de Haddad. “Comigo ele [Lula] nunca falou. Ele fala de outras formas, mas nunca falou diretamente: ‘Olha, Marta, eu não quero que você seja candidata'”, disse a ex-prefeita.

Marta afirmou que nunca esteve em “conflito” com Lula, de quem disse ser amiga antes mesmo da fundação do PT. “É uma característica do Lula sempre analisar o cenário e dizer o que acha melhor. Às vezes deu certo e às vezes não deu”, disse.

Ela voltou a negar que pretenda desistir de sua pré-candidatura e afirmou que as eventuais ausências nas caravanas que o PT promove nos bairros se justificam por compromissos pessoais.

Leia mais sobre a pesquisa Detafolha na Folha.com

set
05
Posted on 05-09-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 05-09-2011


============================================
Pelicano, hoje, no jornal BOM DIA(SP)

  • Arquivos

  • setembro 2011
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    2627282930