DEU NO IG

A Polícia Federal já liberou todos os 17 suspeitos que tiveram a prisão temporária decretada por suspeita de desvio de verba no convênio firmado entre o Ministério do Turismo e o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) para capacitação de pessoas no Amapá. Segundo a assessoria da PF, a liberação deles foi concedida depois de prestados os depoimentos.

Os outros 19 suspeitos com prisão preventiva, levados ontem à Superintendência da PF em Macapá, continuam detidos. Entre eles, estão o secretário-executivo do ministério, Frederico Silva da Costa –segundo homem na hierarquia da pasta–; o secretário nacional de Desenvolvimento de Programas de Turismo, Colbert Martins da Silva Filho, e o ex-presidente da Embratur, Mário Moysés.

Ontem a PF prendeu 35 pessoas e, nesta quarta-feira, mais uma foi detida –a polícia não informou a identidade desta última. Os últimos dois mandados de prisão ainda não foram cumpridos. A operação batizada de Voucher teve apoio do Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas da União.

O diretor-executivo da Polícia Federal, Paulo de Tarso Teixeira, afirmou que o esquema de corrupção que envolvia o Ministério do Turismo e a associação sem fins lucrativos Ibrasi (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável) desviou cerca de R$ 3 milhões dos R$ 4,45 milhões destinados para o convênio que teria a finalidade de prestar serviços de capacitação aos servidores da pasta.

“A estimativa é de que um terço [do valor do convênio] teria sido aplicado. O restante teria sido desviado, mas isso só vai ser comprovado após a análise que será feita”, afirmou Teixeira durante entrevista coletiva na sede da Polícia Federal em Brasília.

De acordo com o diretor, “existem provas robustas” de que servidores e empresários seriam os beneficiados pelo desvio dos recursos públicos. “O que a gente sabe é que o dinheiro chegou às mãos deles através deste esquema [que usaria empresas de fachada].”

A operação foi realizada nos Estados de São Paulo, Amapá e no Distrito Federal. Conforme a a PF, os suspeitos utilizavam empresas de fachada para desviar recursos públicos destinados ao convênio firmado em 2009 entre o ministério e o Ibrasi para capacitação de cerca de 1.900 funcionários públicos.

As investigações corriam desde abril e devem prosseguir ainda por mais 15 a 30 dias. Na casa de um dos suspeitos, em São Paulo, também sede do Ibrasi, a polícia apreendeu R$ 610 mil em espécie.

A Controladoria-Geral da União (CGU) afirmou em nota divulgada nesta quarta-feira (10) que já determinou a instauração de um processo para apurar as possíveis irregularidades. O órgão recomendou também a suspensão, pelo prazo de 60 dias, de pagamentos a convênios na


===========================================

DICA DE MARIA OLÍVIA NO BP

O documentário Filhos de João, O Adorável Mundo Novo Baiano, de Henrique Dantas, em cartaz há três semanas em Salvador, será exibido hoje, em sessão especial, às 19horas, no Cine Cena Unijorge, no Shopping Itaigara, como parte da campanha em favor do crítico de cinema e professor baiano André Setaro. O valor do ingresso é de R$ 10.

Do total, 60% da renda será doada a André Setaro. Ao final da sessão, o crítico e professor vai fazer o comentário do filme, que conta a história do grupo Novos Baianos. A intenção dos organizadores é que o projeto, que está sendo chamado ‘Cine Club Setaro’, seja realizado semanalmente no local. Para que essa idéia siga em frente, é fundamental a presença de todos. Aproveito esse espaço do Bahia em Pauta, para o convite geral.

Passando por séria crise financeira e de saúde, André Setaro veio a público, através das redes sociais, no último dia 4, solicitar a ajuda dos amigos. Vamos lá, participe, a noite vai ser boa.

Maria Olivia Soares é jornalista, colaboradora do BP

ago
10


===================================================
Clipe da música “A luz de Tiêta” interpretada por Caetano Veloso e Gal Costa com qualidade digital – MF Mídia Center.

SALVE JORGE, ETERNAMENTE !!!

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

DEU NO IG

A explosão registrada nesta quarta-feira em uma refinaria da Petrobras na Argentina, que provocou a morte de um funcionário, não afetou as operações da planta, disse a empresa em comunicado, apesar de informações contrárias de uma autoridade local argentina.

“As operações industriais não foram afetadas ou envolvidas pelo incidente, que já foi controlado”, disse a Petrobras.

A empresa informou também, pela assessoria de imprensa da sua sede, no Rio de Janeiro, que até o momento só confirma o registro de uma morte e de um funcionário ferido.

Na Argentina, no entanto, um funcionário local havia dito a uma agência estatal que após o acidente foi ordenado o fechamento da planta por questões de segurança.

O subsecretário de Gestão Ambiental de Bahía Blanca, Eduardo Conghos, disse à agência estatal Telam que depois do acidente “se ordenou o fechamento, uma vez que não estavam asseguradas as condições de segurança para que a planta possa seguir operando”.

A informação foi confirmada à Reuters na Argentina por uma autoridade local.

A refinaria, que fica na cidade de Bahía Blanca, tem uma produção de 4.850 metros cúbicos ou 31 mil barris por dia (bpd).

A unidade está instalada no principal polo petroquímico da Argentina.


========================================

Hoje, quarta-feira, 10 de agosto, dia em que o escritor baiano Jorge Amado faria 99 anos, vai ser divulgada a programação da celebração do centenário do escritor em 2012. O filme “Capitães da Areia”, realizado pela sua neta Cecília Amado é um deles.

Pode ver mais no site oficial do filme http://www.capitaesdaareia.com.br/

(Deu no jornal PÚBLICO, de Lisboa )

ago
10
Posted on 10-08-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 10-08-2011

============================================

Deu na revista digital Terra Magazine

Sandy e Amy

José Pedro Goulart

De Porto Alegre (RS)

Voltei. O que, você nem percebeu que eu havia saído? Pois é, estive no resguardo, certo estão os ursos que hibernam. Por mim o inverno podia ser cancelado. Enquanto estive fora daqui muita chuva rolou por debaixo da ponte; a Amy Winehouse morreu, a Sandy ressuscitou.

As personalidades quanto mais esquisitas ficam ainda mais atraentes. No caso da Amy havia talento envolvido. Houve choro porque ela morreu jovem e houve resmungos porque ela não se cuidou; tomou todas, cavou a própria cova. Ao mesmo tempo a rapaziada colocou bebida na calçada da casa dela como tributo, uma ironia; mais ou menos como atirar anestésicos na calçada do Michael Jackson.

Cada país com sua devassa. No Brasil, temos a Sandy. Ela é da mesma profissão da Amy, e assim como Amy, fez propaganda de cerveja, mas ao contrário da inglesa, que engolia, Sandy cuspia – achava a bebida muito amarga. E ainda agora disse que é possível ter prazer anal, disse isso na Playboy, revista que como se sabe não traz músicas para tocar no violão, (acho que a Sandy não sabia disso).

Amy, cá estivesse entre os vivos, riria da polêmica dizendo: “Deve ser possível ter prazer anal, eu nunca soube porque prazer anal de bêbado não tem dono”. Mas Amy se foi. Ficaram o Júnior, a Sandy, o Chitãozinho e o único favorecido nisso tudo: o marido da Sandy. Todos boquiabertos com a declaração da ex-namoradinha do Brasil, afinal a ideia da devassa era pra ser só de mentirinha.

Das coisas difíceis da vida, uma das mais é ser coerente. Atração e reprovação andam lado a lado. Acho que é por isso que os fãs da Amy depositaram garrafas de bebida na calçada dela, sinal de respeito. Reconheceram na cantora uma espécie de “licença artística de trocar os pés pelas mãos, viver uma vida intensa e breve, ao contrário dos caretas e suas existências longevas e ordinárias”.

No final da vida, Amy Winehouse vinha produzindo sucessivas imagens onde aparecia cambaleante e insegura, exibindo um olhar amedrontado. Aparentemente tentando se segurar naquilo que a fez subir num palco pela primeira vez, a sintonia entre alma e corpo, e o manifesto através da musica. Um artista é um trapezista sem rede de proteção.

Espio por uma fresta da minha caverna e imagino que a Sandy desconfia disso, e talvez sinta que sem rede de proteção não dá. Mas seria legal que ao menos ela tivesse “o tipo de prazer que disse ser possível” – qualquer prazer é saúde.
a>

ago
10
Posted on 10-08-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 10-08-2011


==========================================
Simanca, hoje, no jornal A Tarde(BA)

===============================================

OPINIÃO POLÍTICA

Solidariedade a Colbert é geral

Ivan de Carvalho

Operação Voucher, da Polícia Federal, desencadeada ontem. Foram 19 mandados de prisão preventiva, 19 de prisão temporária e sete de busca e apreensão. R$ 610 mil foram apreendidos e possivelmente documentos e objetos (computadores). A PF conseguiu por as mãos – não algemas, que gostaria, mas cuja imposição abusiva o Supremo Tribunal Federal proibiu uns tempos atrás – em 33 pessoas.

Uma pessoa pelo menos, afirmava-se ontem intensa e abertamente entre todos que a conhecem, no Congresso Nacional, na Assembléia Legislativa da Bahia e na cidade de Feira de Santana, não deveria estar entre os que foram presos, nem entre os suspeitos – o ex-deputado estadual e federal Colbert Martins Filho, do PMDB.

Em Feira de Santana, terra e base política de Colbert, a estupefação e a incredulidade inicial ante a prisão passou rapidamente à solidariedade e à indignação. A suspeita de corrupção contra ele foi por todos, inclusive por aliados e adversários políticos, vista como absurda, inconcebível, diante do comportamento dele durante toda a sua vida, privada e pública, como, a título de confirmação antecipada, pela exemplar conduta ética de seu pai, o ex-prefeito de Feira de Santana e ex-deputado federal Colbert Martins.

Na Assembléia Legislativa, todos os deputados que compareceram à sessão de ontem (dos mais variados partidos representados na Casa) assinaram “moção de desagravo” lida da tribuna pelo deputado Targino Machado, líder do bloco PSC-PTN. Entre os signatários, o deputado Zé Neto, do PT e líder do governo. Targino disse da tribuna que pela honestidade de Colbert põe “as duas mãos no fogo, sem medo de queimá-las”.

No Congresso, vários parlamentares se solidarizaram com Colbert Martins Filho e repudiaram a suspeita que lhe tenta impor a Polícia Federal. Um dos que se pronunciaram em sua defesa foi o deputado Sérgio Carneiro, do PT e como Colbert e Zé Neto, com base política e história pessoal em Feira de Santana.

Na verdade, uma leitura atenta do noticiário a respeito da Operação Voucher, no que diz respeito à suposta participação de Colbert Martins Filho, mostra que neste ponto a Polícia Federal perpetra uma palhaçada. O convênio suspeito vem desde 2009, três parcelas já haviam sido pagas, as prestações de contas feitas, nenhuma dúvida levantada sobre elas.

E então, com parecer favorável do setor jurídico do Ministério do Turismo, cai na mesa de Colbert, secretário nacional de Programas e Desenvolvimento do Turismo, o processo de pagamento da quarta e última parcela do convênio. Ele, no cargo havia menos de duas semanas, olha a papelada, que nada aponta de errado ou duvidoso, pelo contrário – e assina. Dali, o papel teria de ir ainda à mesa do ministro para receber a assinatura deste.

Ética e juridicamente, não há dúvida de que Colbert vai sair desta como um inocente injustiçado. Isto, a meu ver, cria para ele a obrigação de, como cidadão, processar a União por danos morais, infringidos a ele como indivíduo e à sua imagem pública de político, vital para pleitear mandatos eletivos, como tem feito.

O convênio suspeito, repito, vem de 2009. Vem do tempo em que no cargo hoje ocupado pelo ministro Pedro Novais, do PMDB, estava a hoje senadora Marta Suplicy, do PT. Que teve como chefe de gabinete e secretário executivo Mário Augusto Lopes Moisés, também preso ontem, juntamente com o secretário executivo atual, Frederico da Costa.
]
Marta estava ontem muito ocupada em defender seu homem de confiança no Ministério do Turismo, Mário Moisés. E muito zangada por causa da Operação Voucher, que não deve ajudá-la a chegar novamente à prefeitura de São Paulo. Mas qual a razão que impede a Polícia Federal de solicitar a ela uma “audiência” para tomar seu depoimento sobre o caso?

Por menos que tenha a dizer, terá muito mais, sem dúvida, que Colbert Martins. Mas a senadora, segundo declarou, já disse, às ministras Gleisi Hoffmann e Ideli Salvatti, o que tinha a dizer. A PF e o povo que adivinhem

ago
10


=========================================
BUENAS NOCHES!!!

ago
10
Posted on 10-08-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 10-08-2011

Geddel: contra “rolo compressor”

=============================================

deu no Blog Presidente 40/Folha

Por Vera Magalhães

O vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, Geddel Vieira Lima (PMDB), recorreu ao caso do ex-diretor do FMI Dominique Strauss-Khan, que foi preso e acusado de abuso sexual contra uma camareira, para criticar as prisões em massa promovidas nesta terça-feira na Operação Voucher da Polícia Federal. Um dos presos é o ex-deputado Colbert Martins, que desde março foi nomeado secretário nacional de Turismo na cota do PMDB, por indicação de Geddel. “Espero que o Brasil já esteja num patamar civilizatório em que se diga exatamente do que as pessoas estão sendo acusadas. O que não pode é ficar essa coisa de rolo compressor, com prisões em massa e sem que se saiba exatamente do que cada um é acusado”, disse Geddel ao blog. Ele afirmou que Martins é um político sério e que assinou a liberação da última parcela de um convênio firmado em 2009, em relação ao qual havia pareceres favoráveis das áreas técnica e jurídica do Ministério. “O que ele deveria fazer? Promover uma auditoria antes de assinar cada convênio?”, questionou. O ex-ministro de Lula disse que não se sabe ao certo de que as pessoas afastadas de seus cargos na chamada “faxina” de ministérios como os do Tranportes são acusadas. “Foram afastadas 28 pessoas do Dnit. Será que alguém sabe de que cada uma delas exatamente é acusada? De fazer aditivos em contratos?”, questionou.

  • Arquivos