ago
03
Postado em 03-08-2011
Arquivado em (Artigos) por vitor em 03-08-2011 17:40

Sobe para o palco principal de opinião do Bahia em Pauta – pela qualidade da escrita e pelo conteúdo da análise – o texto postado mais cedo pela leitora Rosane Santana na área de comentários deste site blog, a propósito do artigo do colunista político Ivan de Carvalho sobre o vai não vai da CPI dos Transportes no Congresso.

Uma honra para o BP ter uma profissional do quilate de Rosane como leitora, colabora e amiga. Leia e confira.

(Vitor Hugo Soares, editor)

============================================

Lula e Bastos:fogo apagado no Mensalão

====================================================

GENTE HIPÓCRITA

Rosane Santana

Êta, “gente hipócrita”, parafraseando Gil. À época do Mensalão, em 2005, os bombeiros Ciro Gomes (esse bacana que disse que o papel de sua mulher, Patrícia Pilar, em sua campanha à presidência, era na cama) e Aécio Neves (esse moderninho que bate em mulher) atuaram para colocar debaixo do tapete as denúnicias de compra de votos no Congresso, com apoio de FHC.

Afinal, há fortes indícios, observados pela leitura de documentos, como atas do Legislativo brasileiro, de que isso é tradição no parlamento desta República, desde o século XIX, quando ainda éramos Monarquia.

E o vício atinge, indiscriminadamente, todos os partidos, com raras exceções. Trazer à tona a verdade sobre o “Mensalão”, a antiga Mala Preta, seria uma atitude política Kamikase. Daí, o conluio para proteger Lula, evitando-lhe o impeachment. O próprio FHC, através de LEM (Luis Eduardo Magalhães) comprou votos para sua reeleição.Tratava-se, então, de sobrevivência política, inclusive pro Aécio, cujo amigo Eduardo Azeredo exportou, a partir de Minas, a técnica deste tipo de toma-lá-dá-cá.

Esperto, Lula chamou às pressas, ao Palácio do Planalto, o mais esperto ainda Márcio Thomaz Bastos, para apagar as labaredas acesas pelo inteligente e PREPOTENTE José Dirceu. Bastos transformou tudo em “caixa dois” para salvar a pele do presidente, oferecendo um álibi perfeito para uma oposição também em pânico. Há, inclusive , jornalistas “investigativos”, no Brasil, que dizem que mensalão é fantasia, nunca existiu. Pessoalmente, já ouvi isso de um que pensa ser o dono da bola.

Agora, o ataque é ao Executivo, atinge a burocracia da administração direta e indireta, onde Dilma tenta fazer uma faxina.

Então, a CPI vem fácil, como forma de pressão do Legislativo. A intenção, no fundo é amealhar mais benefícios, mais concessões, beneficiando políticos corruptos, incapazes, gananciosos e inescrupulosos que, como diz Cazuza, “transformam o país inteiro num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro”.

Rosane Santana é jornalista e mestre em História pela Universidade Federal da Bahia

Be Sociable, Share!

Comentários

Marco Lino on 4 agosto, 2011 at 10:16 #

Perfeito. Parabéns!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos