=======================================
ADIOS, MANOLO!

BUENAS NOCHES

(VHS)

============================================

O cantor e ator espanhol Manolo Otero, uma das vozes românticas de maior sucesso nos países latinos nas décadas de 70 e 80, morreu às 15h25 de ontem (1º), em São Paulo. As informações foram divulgadas nesta quinta (2) por um representante do artista.A notícia da morte do cantor espanhol foi dada com destaque também na edição desta noite do Jornal Nacional, da Rede Globo.

Otero faleceu no Hospital das Clínicas, onde estava internado desde o dia 30 de maio para tratar um câncer de fígado, descoberto há três meses. Segundo o hospital, ele tinha 63 anos.

O corpo do artista foi cremado às 13h desta quinta, no Crematório de Santos.

“Fomos pegos de surpresa, ninguém esperava por isso”, disse Evandro Segato, que representava o artista no Brasil. Otero morava numa chácara em Indaiatuba com sua mulher e produtora, a brasileira Celeste Ferreira.
Segundo Segato, o cantor perdeu em dezembro sua mãe. Em seguida viajou à Espanha para resolver assuntos familiares. Quando retornou ao Brasil, descobriu a doença em estágio avançado.

Trajetória

Manolo Otero começou a estudar canto aos 14 anos com sua madrinha, que era professora de piano e diretora do coral da filarmônica de Madri.

Estudou filosofia e letras na Universidade de Madri e gravou seu primeiro disco em 1975, “Todo el tiempo del mundo”. O álbum foi um sucesso de vendas em países latinos, incluindo o Brasil.

Em 1973, casou-se com a atriz e cantora María José Cantudo, com quem teve um filho, Manolo Otero Júnior. O casal se divorciou em 1979.

Ele foi intérprete de canções como “Vuelvo a ti”, “Bella mujer” e “Qué he de hacer para olvidarte”. Também cantou versões de “Champagne” e “Quizás, quizás, quizás”.

Seu último show no Brasil foi em São Paulo, no ano passado. Em 2010 também se apresentou nos Estados Unidos, Colômbia, Venezuela e Bolívia. “O projeto dele para este ano era se concentrar em apresentações no Brasil, para não precisar viajar”, disse Segato.
Em abril de 2010, Manolo Otero foi entrevistado no “Programa do Jô”.

(Com informações do G! )
.


=============================================

O multimilionário Mitt Romney anunciou, esta quinta-feira, que vai candidatar-se à presidente dos EUA. Ao justificar há pouco o lançamento da candidatura, o ex-governador do Massachusetts – um dos maiores redutos eleitorais dos democratas nos Estados Unidos – sublinhou que «Barack Obama desapontou a América».

( Informações de última hora do portal português TSF)


=============================================
Milton Nascimento original, “Ponta De Areia”. This record is off the nostalgic album, Ultimo Trem (1980).

Vai para a jornalista baiana Rosane Santana, que por dois dias alegrou a casa do Bahia em Pauta em Salvador, com inteligência de boas conversas regadas a feijoada e doses generosas de cerveja e vinho.

Hoje ela retorna para Caravelas, banhada lindamente pelas águas do Atlântico , atracada com seu lindo casario colonial de uma das mais antigas cidades do País entre outras belezas, como Ponta de Areia, ponto final da antiga ferrovia que ligava Minas à a Bahia , inapiradora de uma das mais belas canções de Milton.

Em Caravelas, os jovens aguardam Rosane carentes de educação e cultura. A turma do BP já planeja sua próxima viagem. Destino: Caravelas, com direito ao mar de Ponta de Areia, naturalmente.

(Vitor Hugo Soares)

“Cleopatra”: romance começou nas filmagens

DEU NO JORNAL PORTUGUÊS “PÚBLICO”

Martin Scorsese planeja realizar um filme sobre a história de amor de Elizabeth Taylor e Richard Burton. Segundo o o site americano Deadline, a Paramount negocia os direitos de adaptação do livro “Furious Love”, de Sam Kashner e Nancy Schoenberger, para cinema.

Uma fonte da Paramount confirmou que o estúdio está prestes a finalizar o acordo com os autores da obra e que Scorsese é o realizador pretendido. A produção do projeto ficará a cargo de Julie Yorn, Gary Foster e Russ Krasnoff da produtora Krasnoff Foster Prods.

Elizabeth Taylor e Richard Burton começaram o seu romance nas rodagens de “Cleópatra”, onde as suas personagens viviam uma tórrida história de amor, embora cada um fosse casado. Um escândalo que atraiu imediatamente a atenção da imprensa, que nunca mais os largou.

Os dois acabariam com os seus respectivos casamentos e começaram então uma relação assumida que durou 15 anos. Casaram em 1964 e divorciaram-se dez anos depois, em 1974. Mas o amor era ao mesmo tempo tão forte e conflituoso que os dois voltaram a casar em 1975 e divorciaram-se, mais uma vez, em 1976.

Juntos, Burton e Taylor apareceram em 11 filmes, entre eles “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?”, onde a atriz venceu um Oscar.

O filme terá como base o livro “Furious Love”, editado no ano passado e que revela várias cartas de amor de Burton para Taylor. A Paramount chegou também a acordo com os herdeiros de Burton e com a sua viúva, Sally Hay Burton, para consultarem a biblioteca do ator.

Os estúdios estão agora em conversações com os herdeiros de Elizabeth Taylor, que morreu em Março, com o mesmo objetivo de aceder aos documentos e à biblioteca pessoal da atriz da era de ouro de Hollywood.

O Deadline destaca que Scorsese é um apaixonado da época de ouro de Hollywood e por isso é o realizador mais indicado para o projecto. O realizador está agora finalizando as rodagens do filme “Hugo Cabret”, que conta no elenco com Johnny Depp, Sacha Baron Cohen e Ben Kingsley, estando também a preparar um filme sobre Frank Sinatra.

Para este novo filme ainda não são conhecidos os nomes do protagonista, embora o site avance que a Paramount quer Natalie Portman (“Cisne Negro”) para o papel principal e David Seidler (“O Discurso do Rei”) para roteirista. Ambos foram vencedores dos Oscares da edição deste ano.


===============================================

OPINIÃO POLÍTICA

Blindagem de Palocci se dilui

Ivan de Carvalho

O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Antonio Palocci, ganhou muito bem depois de deixar o cargo de ministro da Fazenda do governo Lula. Ganhou bem como deputado federal e melhor ainda como dono da empresa de consultoria Projeto, por ele criada.
A empresa faturou especialmente bem – R$ 10 milhões – no curto período em que ele coordenou, embora sem nomeação publicada no Diário Oficial para a função, mas com todos os poderes e meios que foram considerados adequados – a equipe de transição do governo Lula para o governo Dilma Rousseff, com futuro poderoso garantido e conhecido.
Mas depois que o jornal Folha de S. Paulo publicou reportagem, demonstrando que, durante quatro anos de deputado federal e dono da Projeto, multiplicou por 20 seu patrimônio, o ministro passou a perder. Em um esforço grande para evitar que sua situação se torne insustentável, o governo e o comando do PT, ex-presidente Lula à frente, têm feito tudo para “blindá-lo”. O problema é que, como já assinalei neste espaço, estão surgindo furos na blindagem. E à medida que o tempo passa, como o patrimônio do blindado, os furos da blindagem rapidamente se multiplicam.
O procurador geral da República, Roberto Gurgel, depois de alguma resistência, acabou pedindo explicações ao ministro sobre o aumento do seu patrimônio e os negócios de consultoria da projeto. Com as explicações, Gurgel vai decidir o que fazer. Está numa delicada situação ética, visto que seu mandato está próximo do fim e a presidente Dilma pode indicá-lo para permanecer no cargo mais um mandato – ou não. Já a representação do Ministério Público Federal no Distrito Federal abriu uma investigação civil formal sobre os negócios da Projeto, a empresa de Palocci. Esta iniciativa do MPF no Distrito Federal é um rombo notável na blindagem.
Outro rombo aconteceu ontem. Depois que o comando parlamentar do governo fizera o que de normal e de esquisito o que podia, foram abortadas várias tentativas de convocar o ministro para falar em comissões técnicas da Câmara e do Senado. Também a cúpula do governo, do PMDB, do PT e o próprio ex-presidente Lula conseguiram evitar que os “rebeldes” do PMDB no Senado criassem o risco de criação de uma CPI do Palocci na Casa. Dos sete rebeldes, só dois assinaram, por enquanto, o requerimento – Jarbas Vasconcelos e Roberto Requião.
Aí veio a patuscada de ontem. A oposição conseguiu convocar a Comissão de Agricultura da Câmara e realizar reunião, da qual petistas souberam, mas se mantiveram ausentes (numa atitude considerada cooperativa, para infernizar Palocci). E nesta reunião ficou decidida a convocação do ministro-chefe da Casa Civil para explicar na comissão a evolução do seu patrimônio. Mas…
Mas o presidente da Câmara, Marco Maia, do PT, decidiu que seria ele a decidir se a convocação decidida pela comissão tem validade ou não. O comando parlamentar governista na Câmara alega que a convocação foi um golpe da oposição. Alega-se qualquer coisa.
E, enquanto isso, a quebra do sigilo do caseiro Francenildo ronda, como um fantasma, a blindagem ministerial em busca de uma fresta pela qual possa infiltrar-se no caso. Paulo Nogueira, ex-diretor de revistas das Organizações Globo, escreveu dois artigos.
No primeiro, publicado no dia 17 e que comentei neste espaço, tornou-se a primeira pessoa que estava dentro das Organizações Globo a afirmar que foi o ministro Palocci que “fez chegar” (à alta direção do grupo) as informações sobre a poupança de Francenildo Costa, que teve seu sigilo quebrado na Caixa Econômica Federal.
No segundo, publicado ontem, estranha a quase nula reação da mídia tradicional à revelação que ele fez. Aliás, a CEF praticamente confirma, alegando, em recurso de sentença de primeira instância que a condenou a pagar R$ 500 mil ao caseiro Francenildo por danos morais, que apenas transferiu o sigilo ao gabinete do ministro da Fazenda (Palocci), ao qual a CEF era subordinada, e que a quebra do sigilo ocorreu a partir do gabinete. É voz geral no meio político que as informações sobre a caderneta de Francenildo chegaram à direção das Organizações Globo por intermédio da Assessoria de Comunicação do Ministério da Fazenda.

jun
02

O governador do Rio, Sérgio Cabral, está reunido desde as 8 horas da manhã deste sábado com assessores no Palácio Guanabara, para fazer um diagnóstico do confronto entre bombeiros e as forças do Batalhão de Choque e do Bope após a invasão do quartel-general da corporação, na noite de ontem. Cabral montou um gabinete de crise para avaliar a situação.

Participam da reunião os secretários de Segurança (José Mariano Beltrame), Sérgio Ruy (Planejamento), Wilson Carlos (Governo), Regis Fitchner (Casa Civil), além da procuradora-geral do Estado, Lúcia Leia, e do vice-governador Luiz Fernando Pezão. Chegou há pouco ao local também o comandante-geral da Polícia Militar, Mario Sérgio Duarte.

O comandante-geral dos bombeiros do Estado, coronel Pedro Machado, saiu há pouco do Palácio Guanabara sem falar com os jornalistas que aguardam no local. Ele afirmou somente que todas as informações serão passadas pelo governador. O governo do Estado não confirmou a informação da possível exoneração do coronel.

Pelo menos 11 onibus já saíram de dentro do quartel-general dos bombeiros com militares. Eles estão sendo conduzidos para o Batalhão de Choque da Policia Militar do Rio.

O Barathão de Choque e o Bope entraram no quartel dos bombeiros por volta das 6h30 da manhã. Foram ouvidos tiros e bombas. Também houve queixas sobre a liberação de gás de pimental. Pelo menos cinco crianças ficaram feridas na ação. Pelas primeiras informações, alguns bombeiros também estavam armados.

Bombeiros que tomaram quartel se entregam
Protesto de bombeiros toma centro do Rio de Janeiro
Vários bombeiros também apresentaram ferimentos, mas evitaram ser atendidos no hospital Souza Aguiar, que fica a poucos metros do local, para não serem presos. Até agora, não há um número oficial de feridos. “A gente ganha pouco, não temos condições de trabalho e ainda tomamos tiro, porrada e bomba. Isso é uma vergonha nesse governo”, disse o bombeiro-militar Marcelo Aguiar Silva, na Praça da República. Ele foi um dos bombeiros que tiveram pequenas escoriações. Apesr dos ferimentos, ele preferiu entrar em um carro particular, para ser socorrido por meios próprios.

A invasão do quartel dos bombeiros foi liderada ontem por cerca de 2 mil manifestantes. Eles foram surpreendidos pela ação realizada nesta manhã, pois tinham montado barricadas no local, mas o Bope e o Batalhão de Choque entraram pela lateral do quartel.

Mais informações no IG

www.ig.com.br

jun
02
Posted on 02-06-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 02-06-2011

==========================================
Frank, hoje no jornal Notícia (SC)

  • Arquivos

  • junho 2011
    S T Q Q S S D
    « maio   jul »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    27282930