Osmar Sepulveda: professor que deixa saudades

==========================================

Foi sepultado na tarde desta segunda-feira, no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador, o economista e um dos mestres referenciais da Faculdade de Economia da UFBA nas últimas três décadas, Osmar Sepúlveda. Com 72 anos de idade, Sepúlveda faleceu domingo, em São Paulo, onde fazia tratamento de um câncer abdominal.

O sepultamento às 16 horas teve, além dos familiares, a presença de amigos, professores, ex-alunos e servidores da Universidade Federal da Bahia e de secretarias e órgãos de planejamento e economia do Estado da Bahia, nos quais Osmar Sepúlveda teve participação sempre destacada e brilnante. Era igualmente competente e culto analista de economia e da política na imprensa baiana. Ultimamente era colaborador da Radio Metrópole.

Natural de Serrinha, a cidade do sertão baiano sempre foi uma das suas maiores paixões e era ele um dos principais organizadores e incentivadores do encontro que os serrinhenses realizavam todos os anos na capital. Era apaixonado também pelo Esporte Clube Bahia, o Tricolor de Aço. “Osmar foi um querido amigo meu. Trabalhamos juntos desde 1970, na AGPO e na Fundação de Planejamento CPE e depois na Secretaria Estadual de Planejamento. Culto, sério, trabalhador, idealista, Sepúlveda foi um dos meus melhores amigos, embora não tivéssemos muitos contatos pessoais”. disse comovido o âncora da Radio Metropole e ex-prefeito de Salvador, Mário Kertész ao dar a notícia da morte de Sepúlveda.

Osmar Sepúlveda graduou-se na Faculdade de Economia da UFBA, onde foi um dos mestres mais destacado e reconhecidos ao longo de décadas. Aposentou-se aos 70 anos, mas ainda mantinha forte liderança no Núcleo de Estudos de Conjuntura, programa de pós-graduação da FCE. Ele era membro do Conselho Regional de Economia e um dos mais atuantes e reconhecidos economistas da Bahia e do País.

Bahia em Pauta registra com grande pesar a partida do professor Osmar Sepúlveda, ao lado de quem este editor do BP teve a honra de atuar no reitorado do professor Heonir Rocha na Universidade Federal da Bahia. Saudades e honras para o mestre Sepúlveda.

(Vitor Hugo Soares) .

Telma e Silvia: Tempo quente na
Corte mais antiga da América Latina
<

=====================================================
DEU NA REVISTA DIGITAL TERRA MAGAZINE

Flávio Costa

Especial para Terra Magazine

Um bate-boca entre a presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Telma Britto, e sua antecessora no cargo, a desembargadora Silvia Zarif, revela que a crise da corte mais antiga das Américas está longe de chegar ao fim. Adversárias políticas, as duas discutiram em sessão plenária realizada no último dia 18 de maio. Faltou comedimento e sobraram acusações mútuas. Terra Magazine teve acesso ao áudio da sessão.

Mas, antes, um pouco de história. O TJ-BA esmerou-se em protagonizar vexames nos últimos anos. Órgão de controle externo do Judiciário, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) proibiu que os desembargadores baianos promovessem festas regadas a bebidas alcoólicas nos gabinetes (2007); proibiu a compra de tapetes persas para a sede da corte (2008); e afastou de suas funções o desembargador Rubem Dário Peregrino Cunha (2009), suspeito de ter suas sentenças negociadas pelo filho. Meses antes, durante a Operação Janus, o Ministério Público baiano desvendou um outro esquema de negociatas de decisões judiciais.

Em dezembro de 2009 foi realizada eleição da mesa diretora do TJ-BA. A então presidente Silvia Zarif apoiou incondicionalmente a colega Lícia Laranjeira para sucedê-la e, assim, barrar as pretensões de Telma Britto, à época corregedora-geral. Silvia agia a contragosto do desembargador Carlos Alberto Dultra Cintra. Amigo do governador Jaques Wagner (PT), Cintra tornou-se o homem mais influente da Justiça baiana desde que liderou, em 2002, uma revolta contra o controle exercido pelo ex-senador Antonio Carlos Magalhães (1927-2007) sobre o TJ-BA.

Os esforços de Silvia Zarif foram em vão, pois Telma Britto justificou seu favoritismo e foi eleita presidente. De adversárias, as duas passaram a inimigas acaloradas. E intensificou-se uma disputa subterrânea nos bastidores do TJ-BA, um dos piores do Brasil em termos de andamento processual. A título de exemplo, vale lembrar o escândalo (mais um!) dos supersalários dos servidores. Silvia afirmou ao CNJ, em resposta oficial, que não havia critérios objetivos para a concessão das gratificações que geravam salários de até R$ 52 mil a membros de diretorias administrativas do TJ-BA; ao assumir a presidência, Telma afirmou justamente o contrário.

“Governo paralelo no TJ”

Voltemos ao dia 18, uma tarde de quarta-feira. A sessão plenária versa sobre assuntos administrativos. O último tema a ser tratado é a divisão judiciária da Bahia. Silvia pede a palavra e bate de primeira ao argüir que a proposta de reforma apresentada por Telma não havia sido enviada à Comissão de Reforma, por ela presidida, o que denotaria uma perseguição perpetrada pela presidente.

Ao retomar o microfone, Telma acusa Silvia de tentar promover “um governo paralelo” na Comissão de Reforma. E arremata, com rispidez:

– Eu nunca vim aqui para dizer o que encontrei da gestão de vossa excelência. Nunca vim. E posso vir e vossa excelência sabe disso. Então fique vossa excelência no seu limite que eu fico no meu.

Faíscas de Telma atingiram a imprensa local:
– …Se eu não mandei à Comissão foi porque a Comissão não tomou iniciativa. E a ela competia tomar iniciativa. Vossa Excelência não fez isso. Quanto à desativação (de comarcas), Vossa Excelência preferiu plantar notícia na Muito (revista dominical do jornal A Tarde).

No final de sua catilinária, a presidente desfiou suas qualidades:
– Não sou imbecil, não sou idiota, não sou massa de manobra, vossa excelência não fará de mim o que quer. Fique no seu lugar que eu fico no meu. Prosseguindo…

Mas Silvia não a deixou prosseguir. Segue diálogo:
Silvia – Excelência, vossa excelência me ofendeu e eu preciso responder.
Telma – (exaltada) Eu ofendi vossa excelência? Eu ofendi vossa excelência?
Silvia – Vossa excelência me concede a palavra?
Telma – Não! Vossa Excelência vai poder dizer a mim o que quiser fora daqui. Mas se Vossa Excelência vai baixar o nível, eu não vou…
Silvia – Não, vossa excelência, eu não vou baixar o nível, Vossa Excelência não me concedeu a palavra, eu deixo que o Tribunal julgue…
Telma – Vossa Excelência tem a palavra, vossa excelência tem a palavra.

Silvia – Desembargadora Telma, vossa excelência tem toda a liberdade de trazer aqui aos membros do tribunal e à sociedade baiana, os desmandos que vossa excelência encontrou na minha administração…

Por fim, Silvia também ameaçou tirar pastas das gavetas:
– (…) Eu também tenho pastas e pastas e pastas sobre desmandos também encontrados nas administrações do Tribunal de Justiça. Agora por questões éticas eu não vou apontar desembargadores, porque eu tomei providências que me eram pertinentes na época como presidente do Tribunal de Justiça para corrigir eventuais irregularidades (…)

– Sem resposta. Prossigo – concluiu Telma.

As desembargadoras guardaram as ameaças ao serem questionadas sobre as acusações feitas em plenário. Procuradas para comentar o tiroteio, “Vossas Excelências” se recusaram a falar. Em sua defesa, a presidente Telma Britto afirmou, por meio da assessoria de imprensa, “que a discussão não era de interesse público”.

Leia mais no Terra Magazine
http://rss.terra.com.br

DEU NO PORTAL TERRA

Lindomar Assis
Direto de Salvador

O presidente do Bahia, Marcelo Guimarães Filho, afirma que irá entrar com representação na Confederação Brasileira de Futebol (CBF), contra o árbitro paulista Cleber Wellington Abade. A decisão foi tomada após o empate por 3 a 3 contra o Flamengo, no domingo.

De acordo com o presidente do clube, o Bahia foi prejudicado na partida, porque o árbitro deixou de marcar um pênalti em Ávine ao ser puxado por Galhardo, quando a equipe tricolor vencia o jogo por 1 a 0.

“Não ganhamos hoje (domingo) porque jogamos contra 12! Mas estamos no caminho. Vamos dar muito trabalho esse ano aqui em Pituaçu”, afirmou Marcelo Guimarães via Twitter, e ainda disse que irá mandar, inclusive, a gravação do jogo para a CBF, a fim de ter mais uma prova contra o árbitro.

“Não dá para não falar: a arbitragem hoje (domingo) foi desastrosa. Não digo o que tenho vontade para não ser punido, mas foi demais”, protestou o presidente.

Em relação às novas contratações, Guimarães afirmou que pretende trazer mais jogadores de nome no cenário do futebol brasileiro, para reforçar o elenco tricolor. “Vou continuar tentando dar qualidade. Acredito nisso: Série A é qualidade, inteligência”, concluiu.

O Bahia volta a campo pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro no próximo domingo, diante do Grêmio, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, às 16h (de Brasília).


=================================================
BOM DIA, COM B DE BOLERO, COM B DE BAHIA, O TIME, E B DE BENDITA DUPLA DE COMPOSITORES, ANTONIO CARLOS E JOCAFI.

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira )

=================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Perdas e ganhos

Ivan de Carvalho

Até o momento, aparentemente existem – numa visão apressada – três ganhadores no caso Palocci. Mas é um hábito saudável afirmar que as aparências enganam. Nem sempre, mas muito frequentemente.

O primeiro ganhador dispensaria apresentação. É o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda. Ele ganhou dinheiro. Multiplicou 20 vezes seu patrimônio, segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, graças a consultorias que deu por intermédio de sua empresa Projeto. Mas olha aí as aparências enganando. Ele já havia ganho o dinheiro antes de surgir o Caso Palocci. Quando o caso surgiu, ele começou a perder. Não dinheiro, mas prestígio. Hoje anda no fio da navalha. Não é um ganhador no Caso Palocci, mas um perdedor. Mudou de lado. E deve continuar perdedor (de prestígio), mesmo que não perca o cargo.

No Congresso ele está “blindado” e, ali, do pouco que tenta fazer, a oposição nada consegue. A mídia, às vezes cheia de dedos, por motivos óbvios, outras vezes com as cautelas recomendáveis, ainda mais em se tratando de um caso desse porte, continua tentando descobrir e esmiuçar os fatos.

Mas o Ministério Público Federal talvez seja o principal elemento da equação, neste momento. O procurador geral da República, Roberto Gurgel, pediu explicações ao ministro e deu um prazo de 15 dias, mas a resposta já lhe chegou. Sem detalhes, sob alegação de cláusulas de confidencialidade nos contratos da Projeto com seus clientes. Gurgel agora tem que decidir o que fazer – inicia uma investigação ou nada.
No Distrito Federal, porém, o MPF já iniciou formalmente uma investigação civil, que pode ser arquivada, tornar-se uma ação civil pública por improbidade administrativa ou dar origem a um inquérito civil que pode também resultar numa ação por improbidade.

Outro aparente ganhador, evidentemente, é o PMDB. Com aquele arranca-rabo do Código Florestal – incluída a absurda conversa entre o ministro Palocci e o vice-presidente da República, Michel Temer, ex-presidente do PMDB – e a questão da CPI de Palocci no Senado, onde os sete senadores peemedebistas rebeldes se dispunham a assinar o requerimento, o PMDB ganhou espetacularmente uma importante queda-de-braço com o governo e o PT.

De patinho feio que se tornara na ótica e no tratamento que recebia do governo e do PT, transmutou-se em cisne da base aliada. Mas esta pode ser uma aparência enganosa – o PMDB prestigiado não se desliga do governo e, se assim for, continuará definhando por apendicite.

Como o PFL definhou por apendicite, ao tornar-se um apêndice do PSDB. “Time que não disputa campeonato não faz torcida”, vale repetir a observação que ouvi de um atilado peemedebista.
Bem, pode-se apontar um terceiro ganhador, o ex-presidente Lula, que conseguiu demonstrar ou aparentar (opte o leitor) sua imprescindidibilidade ao governo Dilma e ao PT.
Palocci mudou para perdedor. O PMDB pode mudar. Lula só mudaria se a demonstração de força e habilidade que deu – sem a menor preocupação de discrição, esse pode ter sido o erro – para salvar a presidente a magoar e levá-la, no correr do tempo, a confrontá-lo. Parece improvável, mas, como já se disse, as aparências às vezes enganam.

maio
30
Posted on 30-05-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 30-05-2011


========================================
J. Bosco, hoje no jornal O Liberal (PA

trong>deu no MSN

================================================
Daniela Mercury é mãe pela terceira vez! De acordo com o colunista Ancelmo Gois, do jornal “O Globo”, a cantora baiana acabou de adotar uma menina de dois anos em um orfanato na Paraíba.

O nome da nova filha de Daniela ainda não foi revelado, mas se sabe que ela não pretende parar por aí e já está na fila da adoção novamente por causa de outra menina, do mesmo orfanato.

A cantora já é mãe de Gabriel e Giovanna, mas certamente não vê a hora de ver sua família crescer ainda mais.

  • Arquivos