maio
21

=============================================

OPINIÃO POLÍTICA

Obama e Palocci

Ivan de Carvalho

Enquanto percorria alguns sítios da Internet para me informar do desastroso discurso do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre a concordância que quer de Israel para que retorne “às fronteiras de 1967” como base para a criação de um estado palestino, em certo momento deparei com uma futrica, dessas que nem no Oriente Médio surgem, mas somente no meio político brasileiro.

A futrica dizia que o escândalo detonado por matéria do jornal Folha de S. Paulo sobre o crescimento admirável do patrimônio de Antonio Palocci, durante os quatro anos em que o petista foi deputado federal e ex-ministro da Fazenda, deixara felizes diversos e importantes correligionários seus, animados com o presumido constrangimento ou enfraquecimento político do atual ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República.

A futrica chegava ao detalhe de dizer, assim como se isso nada tivesse a ver com o resto da história, que o ex-chefe da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, a pessoa mais influente no PT depois de Lula (ainda segundo a futrica), tem andado muito sorridente.

Ora, isso não deve ser verdade, pois Palocci e Dirceu são correligionários, ambos petistas históricos e de elite (elite petista, que isso fique bem claro, pois aqui não se intenta qualquer futrica) e foram colegas de ministério no governo Lula. Na verdade, enquanto ambos estiveram no governo, eram os dois ministros mais influentes e importantes, Dirceu dando as cartas no setor político e Palocci na economia. Depois os dois deixaram o governo, cada qual por seus próprios motivos, que não menciono por desnecessidade, pois a nação bem os conhece, mas não se tem notícia de que hajam brigado.

Além disso, a ânsia nacional pela futrica pode ter levado a um erro de observação ou de interpretação. É que o ex-ministro José Dirceu, para se esconder dentro do Brasil dos olhares indesejados do regime militar, fez uma cirurgia plástica que lhe deu uma fisionomia sorridente, mesmo quando nenhum dente está aparente. Ele é sorridente, não está andando sorridente por aí.

Mas, encerrando esta digressão, passando da pequena à grande política e voltando ao assunto lá do começo, Obama conseguiu eliminar Osama, mas – por métodos totalmente distintos e com intenções opostas, obviamente – fez o trabalho do inimigo vencido. Pois se Obama quer fomentar o desentendimento no Oriente Médio, excluindo as já quase nulas possibilidades de paz entre Israel e os palestinos, com suas organizações apoiadas por alguns Estados belicosos, a exemplo da Síria e do Irã, ele está conseguindo. Osama ficaria entusiasmado com isso.

Israel não admite, em nenhuma hipótese, um acordo pelo qual tenha de voltar às fronteiras anteriores ao conflito árabe-israelense de 1967, conhecido como “a Guerra dos Seis Dias”. Isso implicaria, em primeiro e mais importante lugar, entregar Jerusalém oriental (a antiga Jerusalém). Isso Israel não faz. Até Jesus deu-se ao trabalho de avisar (ao traçar um quadro de guerra sem paz ali, no Final dos Tempos, que “Jerusalém será a pedra pesada”, vale dizer, aquela que não se conseguirá remover para chegar à paz).

Israel, que declara Jerusalém sua capital “eterna e indivisível”, também insiste em “fronteiras seguras”, o que implica em preservar assentamentos judeus na Cisjordânia (que biblicamente eram Judéia e Samaria) e acertar a situação nas colinas do Golan, estratégicas em relação a um eventual ataque da agressiva (até hoje) Síria.
O discurso de Obama alterou o quadro de um modo que deixou Israel sem alternativa – tem que dizer não. E isso é o avesso de qualquer acordo.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 21 Maio, 2011 at 11:42 #

Caro Ivan de Carvalho

Esse teu leitor, e de Helio Fernandes, terá motivos para sorrir enquanto o dourado do malte enfeita o copo baixo.

Veja o que ele, Helio Fernandes, expressou hoje na Tribuna da Imprensa:

—————————————————

sábado, 21 de maio de 2011 | 05:10

Dirceu assusta, domina, controla o PT. Estão convencidos que o ex-chefe da Casa Civil é o autor das revelações sobre o atual e poderoso ocupante do cargo.

Helio Fernandes

Não há qualquer dúvida: o partido do governo vive em função não de Lula e Dilma, e sim de José Dirceu. Este resolveu abrir o jogo e utilizar todo o Poder que acumulou. Várias fontes confirmaram que o “vazamento” das informações sobre o aumento do patrimônio de Palocci, surgiu dos subterrâneos de José Dirceu.

Diante dessa quase certeza, a interrogação ou o que se chamou a partir do inquérito falsificado sobre a morte do Presidente Kennedy: “A pergunta que não quer calar”.

Sobre a questão Palocci, como a destruição já foi feita, e confirmada esta revelação exclusiva, o que pretendem saber: Dirceu irá parar por aí? Ou continuará com as divulgações? É evidente (e isso já analisei exaustivamente) que, seja quem for o informante, Palocci nao pode ter ganho apenas 8 milhões e “investido” esses 8 milhões na compra de 2 imóveis.

***

PS – É claro, lógico e evidente que Dirceu tem objetivos claros, depois que se convenceu de que será ABSOLVIDO pelo Supremo. Dessa forma quer manter seu espaço no partido.

PS2 – A primeira jogada foi a USURPAÇÃO, vá lá, o domínio do PT, que começou com a substituição do presidente José Eduardo Dutra. Dirceu queria ser o presidente ele mesmo, tinha número para isso.

PS3 – Foram tantos os apelos, que “deixou o espaço vazio”, colocando Rui Falcão no lugar. Acreditavam que Dirceu estava “saciado”. Nossa Senhora, que analistas desarvorados. Dona Dilma não sabe o que fazer.

PS4 – Só ela?

————————————————-

Tim Tim !!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos