Apartamento de U$ 4 milhões em nome da mulher
é garantia da fiança para soltar Strauss-Kahn

==============================================

O ex-diretor-geral do FMI, Dominique Strauss-Kahn, foi libertado sob caução e acusado formalmente por um grande júri do estado de Nova Iorque de tentativa de violação a uma empregada de hotel. O anuncio partiu do Ministério Público, divulgado pela agência AFP e já virou manchete dos principais jornas da França e dos Estados Unidos, em suas edições online.

O juiz Michael Obus acedeu a que o acusado aguarde pelo julgamento em liberdade em Nova Iorque, mediante o pagamento de uma fiança no valor de um milhão de dólares. Como garantia, o apartamento que a sua mulher, Anne Sinclair (escritora e jornalista francesa), comprou naquela cidade, por quatro milhões de dólares. Strauss-Kahn entregou ainda os seus passaportes francês e da ONU, e ficará sob vigilância eletrônica.

O representante do procurador de Nova Iorque anunciou ainda, durante a audiência de tribunal em que os advogados de Strauss-Kahn solicitaram mais uma vez que fosse libertado sob fiança, que o grande júri decidiu, com um dia antes do prazo previsto, que havia provas suficientes para avançar com uma acusação contra Strauss-Kahn.

DSK (a sigla pela qual Strauss-Kahn é conhecido em França) encontrava-se preso no centro prisional de Rikers Island, Nova Iorque, depois de ver negado o primeiro pedido para aguardar julgamento em liberdade sob fiança.

Na primeira audiência perante o tribunal penal de Nova Iorque, na segunda-feira, a assistente do procurador, Artie McConnell terá dito, segundo escreve o diário “Le Monde”, que o dossier de acusação não é apenas constituído pelo depoimento da queixosa: “Neste caso, existem provas contra o acusado”.

DSK decidiu pedir a demissão do cargo de diretor-geral do FMI num comunicado enviado ao FMI. Uma decisão que, segundo disseram familiares de DSK à Reuters, foi tomada por iniciativa do próprio economista francês, à parte da pressão exercida nos últimos dias, sobretudo, por dirigentes europeus.

( Informações do jornal português Diário de Notícias)

Corrigir


================================================
Celebrando o aniversário de Mariana , neste 19 de maio de 2011, vem de Psris a sugestão músical da colaboradora Regina Soares para começar o dia no Bahia em Pauta.

Ajudou também na escolha a simpática e típica parisiense que trabalha na recepção do hotel em Saint Germain de Prés. Além da famosa igreja, um dos cartões postais da cidade, lá pulsa o coração do Quartier Latin, das Escolas da Sorbonne , que fizeram de Saint-Germain um lugar de excelência da vida intelectual e cultural parisiense. Frequentaram os seus cafés e bares nomes como Boris Vian, Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Juliette Gréco, Miles Davis, Jean-Luc Godard, François Truffaut, Jacques Prévert, Alberto Giacometti e tantos outros filósofos, escritores, atores e músicos.

Segundo a moça do hotel, “esta canção de Gainsbourg e Birkin é a cara da França e de Paris”. Regina aprovou. Confira.

( VHS)

maio
19


==================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Investigando o apagão

Ivan de Carvalho

O Ministério Público Federal acolheu o pedido de investigação encaminhado pelo deputado federal Antonio Imbassahy, presidente da seção baiana do PSDB, e determinou a instauração de inquérito civil para apurar as causas e fixar as responsabilidades no caso do apagão que, na noite do dia 3 e madrugada do dia 4 de fevereiro atingiu, por várias horas, com um restabelecimento progressivo da energia elétrica, oito Estados do Nordeste – Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí.

Como se recorda, na ocasião soube-se (sem que isso impedisse os desmentidos e as desconversas de sempre) que a presidente da República, Dilma Rousseff, foi avisada do desastre e telefonou para o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão – que a sono solto dormia, naturalmente sonhando com cordeirinhos pulando a cerca para dentro do seu quintal – para saber melhor do que se tratava e determinar que fizesse alguma coisa, já que até ali, fala-se, roncava.

A partir daí começaram a surgir hipóteses sobre as causas do incidente, predominando as hipóteses negativas, nenhuma, entretanto, mais negativa do que o próprio incidente. Negou-se inicialmente a hipótese de queda na geração de energia. Nem pensar. Toda a energia que devia ser gerada continuou sendo gerada normalmente.

Negou-se em seguida e sem demora que não ocorreu qualquer acidente com a rede de transmissão. Isso é uma coisa importante, pois esses apagões repentinos quase sempre são explicados com uma acusação às linhas de transmissão, ou melhor, aos raios que as partem. Um raio cai numa linha de transmissão, sempre o alvo prioritário (ou numa subestação, alvo alternativo) e pronto. Também foi descartada, como se fosse ou como sendo uma espécie de bobagem, a hipótese de que o apagão poderia ter sido provocado por um ataque cibernético, algum vírus da escuridão infiltrado nos computadores da Chesf.

Também vale registrar que no Brasil ainda não surgiu, como nos Estados Unidos, a hipótese não oficial, mas sobre a qual pesquisadores especializados – os ufólogos – insistem de que apagões podem ser provocados por naves alienígenas. Há o famoso caso do apagão que, há anos, atingiu praticamente toda a costa leste dos Estados Unidos durante duas horas e deixou o país estupefato.

Até hoje o incidente não foi satisfatoriamente explicado pelo governo, mas os testemunhos de que luzes estranhas ou naves iluminadas foram vistas sobrevoando as cataratas do Niágara (um das fontes cruciais de energia elétrica, principalmente na época em que o fato ocorreu) foram muito convincentes. As autoridades americanas, no entanto, negam, mas isto seria mesmo previsível, pois elas (como a de quase todos os países) negam tudo que se refira à presença de ETs na Terra.

Bem, o governo, por intermédio do diretor de Operações da Chesf, Mozart Bandeira Arnaud, deu como causa do apagão no Nordeste uma falha no sistema de controle e proteção do circuito eletrônico da subestação Luiz Gonzaga, em Jatobá, um município pernambucano. Note-se: uma coisa bem miudinha. Aliás, duas: a autoridade que fornece a explicação e a causa do apagão.

Creio que existe excelente justificação para o deputado Imbassahy, ex-presidente da Eletrobrás, pedir a investigação e para o Ministério Público Federal iniciá-la, em um esforço que talvez ajude os cidadãos a saírem das trevas a respeito das causas, imediatas e mediatas, desse apagão.

Mas, ah, se foi disco voador (ou se acontecer algum apagão em que seja algum UFO a causa) nem o MPF vai revelar. Arquiva-se o inquérito, por “absoluta falta de provas”.

maio
19
Posted on 19-05-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 19-05-2011

DEU NO IG

O francês Dominique Strauss-Kahn renunciou na noite de ontem (18) ao cargo de diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, mas reafirmou que é inocente da acusação de agressão sexual contra a camareira de um hotel de Nova York.

“É com infinita tristeza que hoje me sinto obrigado a apresentar ao Conselho Administrativo minha renúncia ao posto de diretor-gerente do FMI”, disse Strauss-Kahn em um comunicado.

“Quero dizer que nego, com a maior firmeza possível, todas as acusações que me fizeram”, destacou Strauss-Kahn, que está detido na prisão de Rikers Island, em Nova York, a espera da decisão de um Grande Júri se será julgado ou não.

A decisão ocorre na véspera da apresentação de um novo pedido de liberdade sob fiança para Strauss-Kahn, em uma audiência marcada para esta quinta-feira, quando seus advogados vão oferecer condições extremas para garantir sua vigilância, como uma tornozeleira eletrônica.

Strauss-Kahn também renunciou na quarta-feira a seu direito de extradição, para reforçar a tentativa de obter liberdade sob fiança. “Voluntariamente, renuncio a todos os trâmites de extradição, de qualquer tipo e caráter”, escreveu Strauss-Kahn em uma declaração difundida no jornal New York Times.

Uma juíza de Nova York negou a Strauss-Kahn na segunda-feira a liberdade sob fiança, alegando que havia risco de fuga e que Estados Unidos e França não possuem acordos de extradição.

A suposta vítima, uma camareira, testemunhou nesta quarta-feira a um Grande Júri sobre o ataque do sábado passado. Segundo ela, a agressão sexual aconteceu quando entrou no quarto de Strauss-Kahn no luxuoso hotel Sofitel. A defesa de Strauss-Kahn deve alegar que a camareira consentiu com a relação sexual.

maio
19
Posted on 19-05-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 19-05-2011


============================================
Clayton , no jornal O POVO (CE)


==============================================

A canção para começar o dia no Bahia em Pauta vai para Mariana, madrinha e conselheira deste site blog, que hoje festeja aniversário em Paris. Isso, em si, já é felicidade, mas ela merece muito mais. E muito mais ( a começar por muitos aniversários como este) é o que os que fazem o BP desejam para ela. O resto já foi dito por Regina em sua crônica de ontem. E muito bem.
PARABÉNS, MARIANA!

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos