=================================================
Chico toca para Erasmo, O Tremendão, que ” Olha”, com Roberto, O Brasinha, na boca da noite do BP.

BOA NOITE!!!

(Gilson Nogueira)

maio
16
Posted on 16-05-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 16-05-2011

DEU NO IG

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido de liberdade feito pela defesa do italiano Cesare Battisti. Em decisão proferida nesta segunda-feira, o magistrado diz que o caso, “em breve”, será analisado pelo plenário da Corte, não havendo a necessidade de se conceder a soltura do ex-ativista imediatamente.

Battisti está preso desde 2007. Ele foi condenado à prisão perpétua na Itália, seu país natal, por quatro assassinatos que ocorreram no final dos anos 1970, quando ele era integrante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC).

A defesa de Battisti fez o pedido de sua liberdade logo após o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, enviar parecer ao STF dizendo que o ato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se negou a extraditar o italiano, foi legal.

Na sexta-feira o pedido foi enviado para o ministro Joaquim Barbosa, uma vez que Mendes, relator do caso, estava em viagem oficial nos Estados Unidos. Como o retorno estava marcado para domingo, Barbosa preferiu esperar a volta do colega a ter que decidir em seu lugar.

Após o despacho desta tarde, Mendes deve levar o processo de Battisti para a apreciação do plenário na próxima semana.


=============================================
PODE ENTRAR
Walter Queiroz

A casa escancarada, a lua ali
Meu cachorro nunca morde
Meu quintal tem saputi
Tem um roseiral crescendo lindo
Quem for louco ou for poeta
Pode entrar, seja benvindo
Aqui passa o bonde da Lapinha
Passa a filha da rainha
Passa um disco voador
Às vezes ele gira, pára e pisca
Como quem quase se arrisca
A parar pra conversar
Mas não me sinto só, tenho um vizinho
Que é um bêbado velhinho
Que acredita no destino
Ele mora em cima do arvoredo
Ele tem muitos brinquedos
Ele sempre foi menino
Agora se vocês me dão licença
Eu vou ver um passarinhoQue me chama no quintal
Depois eu vou deitar para sonhar
E dançar com a cigana
Que eu perdi no carnaval
==============================================
Agora, se vocês do BP me dão licença, vou ouvir o passarinha que toda tarde, a esta hora, pousa e canta na janeja do meu apartamento em Salvador.
Podem acreditar.

BOA TARDE!!!

Ah, vou ouvir também Waltinho na Radio Metrópole, de Mario Kertesz, no espaço Deixa o Coração Mandar. Uma rara maravilha da Salvador deste de 2011.

(Vitor Hugo Soares)

DEU NO PORTAL MSN

Uma juíza de Nova York negou nesta segunda-feira um pedido de fiança para o diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), o francês Dominique Strauss-Kahn, preso desde o sábado sob a acusação de agressão sexual, cárcere privado e tentativa de estupro.

Em uma audiência na cidade americana, a juíza Melissa Jackson decidiu que ele deverá permanecer preso para evitar que saia do país e não participe do julgamento.

As acusações foram feitas por uma camareira de 32 anos do hotel onde Strauss-Kahn estava hospedado, perto de Times Square.

Os advogados de defesa do francês se disseram decepcionados com a recusa da juíza de aceitar a fiança, apesar de terem oferecido US$ 1 milhão em dinheiro vivo e a entrega de todos os documentos de viagem do diretor do FMI.

‘Essa batalha só começou’, disse Benjamin Brafman, criminalista americano contratado por Strauss-Kahn para chefiar sua equipe de defesa. Brafman já representou várias celebridades com sucesso, inclusive os rappers P. Diddy e Jay-Z.

‘Não acreditamos que ele tenha a intenção de deixar o país. Sua intenção é limpar seu nome e restabelecer sua reputação.’

O francês deve ser ouvido novamente em um tribunal em quatro dias. De acordo com o jornal francês Le Figaro, ele pode pegar até 70 anos e três meses de prisão.

Primeira classe

O diretor do FMI, que é casado e tem 62 anos, foi preso no sábado à tarde, quando já estava sentado na primeira classe de um avião da Air France prestes a decolar para Paris.

Até sua prisão, ele era considerado um possível candidato à Presidência da França pelo Partido Socialista, nas eleições do ano que vem. Pesquisas de opinião lhe davam uma boa chance de derrotar o presidente Nicolas Sarkozy.

Segundo a polícia, a camareira identificou formalmente o francês em uma sessão de reconhecimento.

Ele passou por exames no domingo, em que peritos buscaram lesões que indicassem uma possível luta com a camareira e traços de DNA da suposta vítima.

Leia matéria ´completa sobre o tema no portal MSN

(Com informações do site BBB Brasil)

Caitité:população nas ruas contra lixo radiativo/imgBrumado Notícias

=============================================

DEU NO PORTAL CAITITÉ

A população do município de Caetité protestou, ontem (15), contra o transporte de lixo radioativo para as Indústrias Nucleares do Brasil (INB). Mais de três mil pessoas formaram uma barreira humana na estrada e impediram que 13 carretas tivessem acesso à cidade, mesmo com a presença da Polícia Federal, que escoltava o comboio. Os moradores pediam posicionamento do prefeito Zé Barreira (PSB), que recebeu vaias quando discursava no local. Inicialmente, ele afirmou que não sabia da chegada da carga e, em seguida, alegou que a INB tinha a autorização do Ibama para transportá-la. Enquanto a situação não é resolvida, os caminhões estão estacionados no pátio do Batalhão de Polícia Militar de Guanambi, para onde foram desviados.

maio
16

Miltinho com Zelito Abreu (copo na mão):luta e boemia

Amanhã, terça-feira, 17, completa uma semana da partida de Miltinho Carvalho. A pedido de seus muitos amigos e camaradas de lutas democráticas e boemia na Bahia – quase todos só souberam de sua morte dias depois da cremação do corpo – Bahia em Pauta reproduz o texto de tributo a este baiano que fez história, publicada semana passada. (VHS)

===============================================
Morreu na terça-feira, 10, Milton Carvalho Silva, o Miltinho, como quase todos os seus amigos e camaradas o chamavam. 82 anos de idade e uma larga história de resistência política e de grandes combates baianos, nacionais e internacionais.

Partiu assim um camarada dos melhores, ser de bem com a vida até ser vencido pela insidiosa leucemia que o levou esta semana sem permitir nem avisar a tantos amigos (como este editor do BP), que gostavam dele, bebiam literalmente suas lições e o admiravam.

Militante da vida e das melhores causas sociais e políticas, dentro e fora da Bahia e do país. Mas, igualmente, um ser humano raríssimo. Miltinho reunia, em uma figura, seriedade, coragem moral e bom humor, associados a uma invejável bagagem cultural.

Sobrevivente da clandestinidade e das torturas nos quarteis, mas igualmente um boêmio imbatível, amigo leal e sempre generoso.

Magnífico contador de casos (políticos ou não, pois conhecia como poucos Salvador e a Bahia expostas à luz do dia ou escondidas debaixo dos lençóis).

Os almoços-reuniões periódicos dos quais Miltinho participava, ao lado de antigo companheiros – Othon Jambeiro, José Gorender, Walter Lessa, Guerrinha, Zelito Abreu e tantos outros, nas mesas especialmente reservadas por Antonio Moreira no restaurante Porto Moreira – eram de encher os olhos, corações e mentes dos participantes e de quem rondava por perto. Pena quem não viu nem conheceu Miltinho, pois ele era um dos pedaços dos melhores da Bahia.

Triste Bahia, mais triste ainda sem a sua presença.

(Vitor Hugo Soares)
=====================================================
A jornalista Maria Olivia Soares, colaboradora do Bahia em Pauta, conversou com o prefessor da UFBA, Othon Jambeiro, que recebeu a notícia do grande amigo Miltinho da vida inteira, quando dirigia seu carro na estrada BR-324 a caminho do interior do estado. Da conversa resultou o texto com resumido perfil de Milton Carvalho, que BP publica a seguir:

O que posso falar de Miltinho, a partir do que Othon Jambeiro contou da estrada:

Milton Carvalho, carinhosamente chamado de Miltinho, nasceu em Paripiranga – ele sempre brincava dizendo ser natural de Parispiranga .
Mesmo sendo um cidadão do mundo, que viveu em Moscou, Praga e Bratislava, não escondia sua grande paixão pela histórica Itapicurú , antiga cidade balneária do sertão da Bahia, fonte de saber, cultura e traquinagens eróticas inesquecíveis da infância, como confessava aos amigos, não raro com visível ar de saudades.

Morreu nesta terça-feira, dia 10 de maio. Seu corpo foi cremado. A seu pedido, o mar vai receber suas cinzas

Miltinho foi aluno de Engenharia da Escola Politecnica da UFBA, mas nunca se formou devido a militancia constante e as “tarefas” que o PCB lhe impunha e ele sempre cumpriu sem queixas, a não ser a partir do momento em que descobriu todo terror e barbárie imposto por Stalin.

Foi presidente da União dos Estudantes da Bahia – UEB, integrante da UNE e representante da entidade na União Internacional dos Estudantes – UIE, período em que viveu em Praga .

Militante do PCB por longo período, trabalhou na Petrobras, com o golpe de 64 perdeu emprego, foi preso, muito torturado – a ponto de precisar ficar retido no Hospital do Exército com pneumonia braba, devido torturas na água.

Solto, exilou-se em Paris, onde conviveu com os exiliados nas articulações da resistência democrática à ditadura no Brasil, especialmente ao lado de Waldir Pires e Miguel Arraes. Miltinho trabalhou na Argelia com Miguel Arraes, e foi auxiliar e orientador destacado no governo baiano de Waldir, na área de transportes.

Voltou ao Brasil, mas já não militava mais no PC. Acompanhou de perto a volta da democracia, apoiando pessoas em que acreditava, independentemente de filiação partidária e ideológica.

Homem de enorme fibra moral, grande cultura, leitor voraz, Miltinho morreu desencantado. Estava escrevendo sobre Stalin, sua maior decepção. A cada dia se abatia e sofria mais “com as descobertas sobre este tirano”.

Muitas histórias cercam sua vida de militante e boêmio. Uma que os colegas de Engenharia contam, a do desaparecimento do busto do ex-governador e ex-chanceler Juracy Magalhães, da Escola Politécnica, que ficou escondido por mais de 20 anos…

Grande Miltinho, um pedaço de história baiana que se vai, deixando saudades para sempre.

====================================

COMENTÁRIO

Inácio Gomes
inaciogomes@atarde.com.br
187.90.65.36 12/05/2011 às 21:47

Após assistir na TV noticiario a respeito de um ucraniano que , aos 91 anos de idade, foi condenado na Alemnaha a cinco anos de prisão pela assassinato de judeus em campo de extermino li a noticia divulgada por Maria Olivia, Othon Jambeiro e Vitor, destacados jornalistas e motivo de orgulho para aqueles como eu os conheceu na luta contra a ditadura ontem e, hoje, pelo competente jornalismo investigativo e de analise politica me entristesse pecreber que na Alemanha, 66 anos depois do termino da guerra ainda se condena criminoso politico, assassino ou não.

No Brasil, o texto dos três jornalistas fazendo justiça a Milton não mereceu um comentarlio de qualquer dos esquerdistas do passado principalmente dos que estão o poder hoje. Apesar de tudo valeu a luta.

Inácio Gomes

( Pedaços de lembranças de Maria Olívia Soares, Othon Jambeiro e Vitor Hugo Soares) .

Anne Sinclar e Dominique:”meu marido é inicente”

=========================================
O diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Dominique Strauss-Kahn, aceitou ser submetido a uma perícia após ser acusado de agressão sexual, cárcere privado e tentativa de estupro de uma camareira de um hotel de Nova York.

O objetivo das autoridades é verificar se há lesões que indiquem que houve luta ou traços de DNA da suposta vítima no corpo de Strauss-Kahn. Sua primeira aparição perante o tribunal deveria ter acontecido no domingo, mas foi adiada para esta segunda-feira para permitir que os exames médicos e científicos fossem realizados.

O diretor-gerente do FMI, que é casado e tem 62 anos, foi preso no sábado à tarde, quando já estava sentado na primeira classe de um avião da Air France prestes a decolar para Paris. Ele vinha sendo considerado como um possível candidato à Presidência da França pelo Partido Socialista.

Acusação

Um porta-voz da polícia de Nova York, Paul Browne, disse à BBC que as acusações foram feitas por uma mulher de 32 anos de origem africana que trabalha como camareira no hotel Sofitel, perto de Times Square, onde o chefe do FMI estava hospedado.

Ela disse que o hóspede saiu nu do banheiro enquanto ela limpava a suíte de luxo do hotel, que custa US$ 3 mil por noite. “Recebemos uma denúncia de que uma camareira em um hotel no centro de Manhattan tinha sido abusada sexualmente pelo ocupante de uma suíte de luxo naquele hotel, e que este indivíduo tinha fugido”, Browne disse à BBC. “A camareira disse ter sido atacada violentamente, trancada no quarto e abusada sexualmente”, disse ele.

Esposa

A esposa de Strauss-Kahn, a proeminente jornalista francesa Anne Sinclair, disse acreditar que seu marido é inocente. “Eu não acredito por um segundo sequer nas acusações levantadas contra meu marido”, ela disse em um comunicado.

Na França, alguns viram a prisão como uma humilhação nacional, enquanto outros sugerem que pode se tratar de um complô criado por seus opositores políticos.

Leia reportagem completa sobre o caso no IG

www.ig.com.br


=====================================================

OPINIÃO POLÍTICA

PMDB ameaça projeto de Kassab

Ivan de Carvalho

O PMDB está complicando o projeto político do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que deixou o DEM e acaba de criar o Partido Social Democrático (PSD), instrumento que pretende usar para eleger seu sucessor, em 2012, à prefeitura paulistana e eleger a si mesmo governador de São Paulo em 2014.

Não é que o PMDB não goste de Kassab ou esteja momentaneamente aborrecido com ele. O partido – que chegou ao auge de seu poder da segunda metade da década de 80 até o fracasso do Plano Cruzado, já em meados do mandato presidencial de José Sarney (que deveria ser o mandato de Tancredo Neves, se não viesse a Roda Viva e levasse o destino prá lá) – percebeu afinal, com clareza, que corre risco de morte.

Esta percepção tornou-se realmente clara ante os resultados das eleições de 2010 – principalmente para a Câmara dos Deputados e para os governos estaduais – e está sendo profundamente analisada pela cúpula do partido e nos setores intermediários. Presumo que as bases municipais não ignorem o problema, mas, até onde se nota, ainda não ocorre um debate sério nem mobilização alguma nesse nível.

Nos altos escalões, e nos intermediários, sim. O PMDB está discutindo seu destino, tentando, com as imensas dificuldades de um partido multifacetado em idéias e interesses, costurar uma estratégia de sobrevivência e recuperação. Olha para o DEM, ex-PFL, e exorciza a idéia de que “eu sou você, amanhã”. Mas para realizar exorcismos são necessárias uma fé e uma determinação inquebrantáveis – duas características que o PMDB não tem revelado há mais de 15 anos, pelo menos.

Mas, e o projeto de Kassab, o que tem com o PMDB? Muito. O PMDB, em 2008, apoiou Kassab para prefeito e Kassab esperava ter o PMDB apoiando o candidato do PSD a prefeito nas eleições de 2010. E apoiando ele próprio, Kassab, se Deus quisesse e o PMDB tivesse força para se descolar do PT e do governo federal, nas eleições para governador em 2014.

Mas nas articulações de uma estratégia de reconstrução, o PMDB parece estar considerando seriamente a idéia de que “time que não disputa campeonato não faz torcida”. Daí que já anunciou, certamente com mais de um objetivo, dois possíveis nomes para presidente da República em 2014 – o do vice-presidente da República, Michel Temer e o do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

E em São Paulo? Em São Paulo, o homem que controlava a máquina do partido há décadas, o ex-prefeito de Campinas, ex-senador e ex-governador Orestes Quércia, sempre na oposição ao petismo, morreu. Deixou um vazio. A direção do PMDB trata de preencher esse vazio voltada para o futuro próximo. Daí que Michel Temer convidou o muito bem votado e popular deputado Gabriel Chalita, que já foi do PSDB antes de mudar para o PSB, para ingressar no PMDB e ser candidato a prefeito. Chalita topou e já no PMDB, lançado candidato, mesmo sob risco de perder o mandato parlamentar, para o qual parece estar se lixando.

Mas o PMDB não parou aí. Foi buscar também no PSB (este partido está em evidente maré vazante em São Paulo) o empresário Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, para entrar no PMDB e ser candidato a governador em 2014 (a não ser que haja algum problema com Chalita, caso em que Skaf já concorrerá logo a prefeito em 2012). Skaf foi o candidato do PSB a governador paulista no ano passado. Com Chalita e Skaf, Kassab não pode pensar no PMDB como aliado. Nem o PT. Isto no primeiro turno, claro, porque o segundo turno, se não é outra eleição, é, pelo menos, outra história.

maio
16
Posted on 16-05-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 16-05-2011


=================================================
Clayton,no jornal O Povo (CE)

  • Arquivos