O porta-voz do governo francês pediu «prudência» e respeito pela «presunção de inocência» depois de o director-geral do Fundo Monetário Internacional ter sido acusado de agressão sexual e tentativa de violação nos Estados Unidos.

«O governo francês respeita dois princípios simples: o de um processo judicial em curso sob autoridade da justiça norte-americana, segundo as modalidades do direito norte-americano e o respeito da presunção de inocência», declarou Françoi Baroin, que também é ministro do Orçamento, à cadeia France 2.

François Baroin, primeiro membro do governo francês a reagir à tempestade da acusação de Strauss-Kahn (conhecido como DSK), afirmou que Paris «não irá mais longe em comentários sobre este caso» a curto prazo.

De resto, os partidos reagiram sem demora, com a direita mais agressiva e o PS francês mais cauteloso.

A líder do Partido Socialista francês, Martine Audry, mostrou-se «estupefata» com a a acusação do diretor do FMI

Escute áudio do portal português de notícias TSF, sobre o caso:
http://www.tsf.pt/paginainicial/AudioeVideo.aspx?content_id=1852709

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos