Edvaldo Brito: o nome do PTB?

===========================================
OPINIÃO POLÍTICA

Novas ocupações à vista

Ivan de Carvalho

Depois que o PC do B entrou de sola (com um L só) no processo sucessório municipal, anunciando formalmente a candidatura a prefeita de Salvador da deputada Alice Portugal nas eleições do ano que vem, já começam outros a ensaiar a mesma estratégia comunista de “ocupar espaços”, vazios pela ostensiva indefinição e notória confusão que reinam na grande maioria das legendas.

Assim é que veio a público o presidente estadual do PDT, Alexandre Brust, informar ou confirmar que é estratégia nacional de seu partido lançar candidatos a prefeito em todos os municípios que tenham 200 mil habitantes ou mais. Na Bahia, são os casos de Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista. E o presidente do PDT disse ao site Política Livre, ontem, que os candidatos já estão até escolhidos.

Em Salvador, o deputado federal Marcos Medrado, cuja base eleitoral esteve sempre situada na capital e, principalmente nos anos menos recuados, encolheu sensivelmente, concentrando-se mais na região do subúrbio ferroviário, onde reside e para o qual esteve sempre mais voltado.

O problema com Medrado é que ele, em outras eleições, cultivava o costume de colocar-se como uma hipótese de candidatura a prefeito ou até mesmo declarar-se candidato, para depois retirar-se, passando a dar apoio a outra candidatura e disputando mais um mandato parlamentar.

Agora, no entanto, que as eleições gerais e municipais não mais coincidem, passa a ser crível que Marcos Medrado dispute a prefeitura, sem chance de vitória, mas com garantia de razoável visibilidade nessa campanha majoritária, o que poderá facilitar-lhe a reeleição para deputado federal dois anos depois.

Um risco que Medrado poderia correr, caso proceda dessa forma, seria o de obter na eleição para prefeito (falo no singular, porque imagino que ele não consiga ir além do primeiro turno) um resultado tão pífio que mais o atrapalhe do que o ajude na eleição parlamentar de 2014. Imagino que o presidente Brust, para anunciar Medrado como candidato a prefeito, esteja ciente da disposição inabalável deste de encarar tanto os bônus quanto os ônus embutidos na disputa de êxito impossível pela sucessão do prefeito João Henrique.

Revelando ainda que o candidato pedetista em Vitória da Conquista será o ex-reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Abel Rebouças (olha aí a bandeira da Educação que o PDT não larga, gente), o presidente Alexandre Brust lança a idéia mais surpreendente – em Feira de Santana, o nome que o PDT quer disputando a prefeitura é o do senador e ex-governador João Durval, que também já foi, lá, vereador, presidente da Câmara Municipal e prefeito interino, sendo, depois de governador, prefeito eleito de Feira de Santana, em 1966, já ex-governador da Bahia.

Mas talvez seja isto apenas um sonho de Brust. João Durval está muito bem no Senado, com seis anos de mandato pela frente e acaba de completar, no dia 8, bem vividos 82 anos.

Ah, no domingo, dirigentes, parlamentares e outros representantes do PTB de 17 estados têm um encontro, no Hotel Fiesta, em Salvador. Vêm comemorar os 66 anos de fundação do PTB – não o atual, claro, mas aquele que Getúlio Vargas fundou, do qual o atual diz ser uma continuação. Pode ser que o clima festivo estimule os petebistas a fazerem um lançamento formal da candidatura do vice-prefeito e ex-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito, à sucessão de João Henrique. Brito, pessoalmente, já se colocou como aspirante.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos