abr
29

Deu na coluna de Guilherme Barros, no portal IG

Para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a fusão do PSDB com o DEM deve ser analisada com muita cautela, para que não haja perdas para o próprio partido. O PSDB conta hoje com cerca de mil prefeitos e a fusão com o DEM pode servir de argumento para que uma parcela significativa deles mude de sigla.

“A fusão abre a porta de saída”, afirmou.

FHC disse ainda que entende pefeitamente a posição do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que pediu que a decisão fosse tomada sem pressa.

“Tem de ser muito calculado, não pode ser uma decisão irrefletida”, disse.


Delúbio: quanto vale a barba dele?
=========================================

CRÔNICA/ BARBUDOS

Quanto vale a barba de Delúbio?

Janio Ferreira Soares

Numa rápida consulta ao Google, fica-se sabendo que no Egito Antigo o seu uso era uma forma de status, enquanto na Idade Média os membros da Igreja Cristã eram orientados a raspá-la para se diferenciarem dos judeus e mulçumanos. Já em outras culturas seus portadores carregavam a fama da sabedoria, da excentricidade, da falta de higiene e até, acredite, do aumento da potência sexual.

Existem ainda os que a usam para encobrir um queixo estilo Noel Rosa, ou simplesmente por preguiça de tirá-la. O fato é que, desde o tempo em que os nossos ancestrais descobriram que lascas de pedras afiadas podiam removê-la, a barba está sempre ali, ó, representando uma marca pessoal, ou sendo sumariamente raspada.

Já o bigode – esse estranho adorno que rivaliza em esquisitice com a gravata borboleta – de há muito deixou de ser um simples complemento, aí dependendo do beiço de quem o usa. (Por exemplo: sobre a boca do famoso – pelo menos na Bahia – delegado Magalhães, ele vira uma espécie de homenagem em 3D a nossa gloriosa Claudia Ohana).

Bastante utilizado pelos germânicos e gauleses em suas batalhas – e por sarneys e jucás em seus disfarces -, o bigode também era cultivado por militares da chamada linha dura e por humoristas como Cantinflas, Carlitos e o impagável Zé Bonitinho, o que prova a sua versatilidade. É tanto que Freddy Mercury e o pessoal do Village People fizeram dele um poderoso estandarte do movimento gay.

Para quem ainda não sabe, na Bahia (onde mais poderia ser?) está acontecendo uma grande jogada de marketing de uma empresa de lâminas de barbear, que consiste em pagar uma boa grana para raspar algumas – como diria Odorico Paraguaçu – penugens solidificadas de fisionomistas juramentados. Foi assim com Bell, do Chiclete, e em breve será a vez do governador Wagner. Dizem que o próximo alvo poderá ser Lula. Sugiro Delúbio. É que ele está voltando à ativa e nada mais adequado do que uma cara bem lisa a nos sorrir. Sem falar que pode até pintar um cachê extra do Óleo de Peroba.

Pra maquiagem

Janio Ferreira Soares, cronista, é secretário de Cultura e Turismo de Paulo Afonso, na margem baiana do Vale do São Francisco


=====================================================
BOM DIA!!!


==========================================
OPINIÃO POLÍTICA

Oposição e carrapicho

Ivan de Carvalho

A desidratação causada no Democratas pela dissenção interna e, logo em seguida, saída de parte expressiva de seus quadros para a fundação de um novo partido, o PSD, deflagrou publicamente um debate que, se antes existia, era apenas na forma de uma idéia sobre a qual discretamente se especulava em setores do PSDB e do Democratas.

Agora, esse debate tornou-se notícia insistente. Ontem, o governador paulista Geraldo Alckmin – já no seu segundo mandato de chefe do Executivo paulista, mas carregando também uma derrota em disputa da Presidência da República e outra, dois anos depois, ao disputar o cargo de prefeito de São Paulo – declarou-se favorável ao debate sobre uma fusão de três partidos oposicionistas, o PSDB, o DEM e o PPS.

Ora, para o PSDB isso é muito bom, pois na conjuntura oposicionista atual, tal fusão pouco mais seria do que uma simples absorção do Democratas e do PPS pelo PSDB, notoriamente um partido muito mais importante e detentor de muito mais poder que os outros dois juntos.

Enquanto os tucanos ou uma grande parte deles deseja a fusão, no DEM existem pessimistas que a admitem, quando olham em volta e não conseguem ver alternativa interessante. Mas, pelo menos por enquanto, é majoritária no DEM a idéia de que o partido deve buscar a renovação, fazendo um grande esforço para o recrutamento de novos quadros, e ir à luta.

Esta é a posição, por exemplo, do líder da bancada democrata na Câmara dos Deputados, o baiano ACM Neto. Fusão com o PSDB, nem pensar. Devem sim, estes dois partidos, além do PPS e ainda outras legendas que disponham-se a fazer oposição, formular uma estratégia comum, dentro da qual cada legenda terá função própria e adequada a suas características. O objetivo será comum, a estratégia será unificada e as ações políticas serão convergentes, mas não necessariamente iguais. Cada partido tem as faixas da sociedade e do eleitorado com as quais pode se identificar mais naturalmente.
Em linhas gerais, parece ser isso o que pensa o deputado ACM Neto – bem como o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia – ao rejeitarem liminarmente a idéia de fusão, perdão, absorção pelo PSDB. Aliança é uma coisa, renúncia à identidade própria é outra.

E afinal tudo indica que o PSDB não é capaz de cobrir todos os segmentos sociais e todas as tendências de opinião pública que a oposição pode eventualmente atrair. Nem o PPS tem tal capacidade. Nem o DEM. Mas elas conseguirão cobrir um espectro político maior se mantiverem identidades próprias e – com a licença do deputado Marcos Medrado – unirem forças. Unirem forças no combate político ao governo e na estratégia de atraírem eleitores para o seu lado, o da oposição.

Um inesperado estímulo as oposições, que o líder ACM Neto estima que poderão ter apenas 100 deputados na Câmara federal, acaba de ser dado pelo ex-presidente Lula. Este advertiu o PT para que fique alerta e tenha cuidado, pois “oposição cresce como carrapicho, não precisa nem plantar”. Lembrou que “toda a vida” – exagerou um pouco, nos últimos oito anos e quatro meses ele foi governo e governista – foi oposição e sabe que esta cresce espontaneamente

Pois é. Cresce mesmo, nos regimes democráticos, sempre que está menor do que deveria. Aliás, a presidente Dilma disse na quarta-feira que o governo analisa “diuturnamente e noturnamente” as pressões inflacionárias. E o resultado delas, obviamente.

Ora, em um cenário em que o governo, mal começou, já está insone por causa da inflação, a oposição pode crescer até mais do que carrapicho.

abr
29
Posted on 29-04-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 29-04-2011


======================================
Frank, hoje no jornal Notícia (SC)


=======================================
DEU NO IG

Como já era esperado, os noivos foram à sacada da residência oficial da Rainda Elizabeth para acenar à multidão do lado de fora do Palácio. Princesa Catherine e o Príncipe William deram não apenas um, mas dois beijos.

Ao lado dos noivos a Rainha e o príncipe Philip, Charles e Camilla Parker Bowles, Harry e Pippa Middleton, os pais de Kate, Carole e Michael, e as damas de honra.

Após cinco minutos, abraçados, o casal acenou mais algumas vezes para a multidão e entrou de volta ao Palácio de Buckingham.
==================================================

  • Arquivos

  • Abril 2011
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930