Com um prefeito mal avaliado e cheia de problemas, a capital baiana perde para Fortaleza o posto de cidade mais visitada por turistas. Foto: André Fernandes/Carta Capital

=============================================
Direto de seu posto privilegiado de observação no litoral norte de Salvador, o blogueiro baiano Chico Bruno acerta na mosca de novo. Desta vez ao comentar direto de sua varanda a devastadora reportagem da revista Carta Capital sobre o desastre administrativo na capital baiana, comandado impunemente pelo prefeito sem projeto e sem rumo, João Henrique de Barradas Carneiro.Confira.
(Vitor Hugo Soares)

=====================================================Direto da Varanda: Chico Bruno

A João Henrique, o ônus e os bônus

A reportagem “Acorda, Salvador!”, assinada por Cynara Menezes, na edição desta semana na Carta Capital acabou demonstrando que uma ação indevida repetida muitas vezes vira verdade.
Até o momento em que estas linhas começam a ser escritas, 90 leitores comentaram a reportagem da Cynara.

A maioria concorda que o principal culpado pelas mazelas é o prefeito de Salvador João Henrique (ex-PDT, ex-PMDB e hoje PP), mas como o uso do cachimbo deixa a boca torta, uma boa parcela dos comentaristas dedica uma parte de culpa ao governador da Bahia Jaques Wagner (PT), premida pelos muitos anos em que o falecido ACM, indevidamente, se imiscua na administração da cidade.

Pelo raciocínio, incutido por ACM através da mídia, as capitais não deveriam eleger prefeitos, pois deveriam ser administradas pelos governadores dos estados.

Muitos comentários chamam a atenção por que espelha a distorção criada pelos anos de carlismo no poder. Escolhido aleatoriamente um retrata a situação.

“A reportagem aborda de forma maniqueísta os problemas da cidade, “bate” no prefeito e “poupa” o governador Wagner (o que vai vender a barba) que, por sinal abandonou o Pelourinho e só anda de helicóptero, coisa que nem o ACM ousou fazer”.

Ora bolas!

A cidade do Salvador tem um prefeito reeleito. Portanto a João Henrique cabem os bônus e os ônus da administração.
Por inércia e má vontade de gestão ele carrega mais ônus do que bônus.

Tome-se como exemplo Feira de Santana, a segunda maior cidade da Bahia, que em oito anos foi completamente revitalizada pelo prefeito José Ronaldo com recursos próprios e financiamentos internacionais.
O prefeito João Henrique não encontrou uma cidade dos sonhos dos soteropolitanos, mas recebeu uma cidade arrumada das mãos de Antônio Imbassahy.

Infelizmente, não se tocou que a partir da posse passou a ser o gestor da terceira maior cidade do país e continuou a cultuar todos os tiques do Parlamento.

Resumo da ópera.

Os problemas de Salvador são da alçada do prefeito João Henrique, não é justo querer dividir o caos instalado com quem governa o estado.
Vale lembrar, que o tempo de ACM agora faz parte da história

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Abril 2011
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930