==================================================
Jazz de Tom Sol Maior da Música Brasileira para o anoitecer do BP com Hermeto e Milito!!!

(Gilson Nogueira)


Corpo de Lago em cortejo pelas ruas de São Luis
===============================================

Deu no site de Chico Bruno

Direto da Varanda: Chico Bruno

Sarney desrespeita a morte de Lago

A nota de pesar divulgada pelo senador José Sarney (PMDB-AP) sobre a morte do ex-prefeito de São Luiz e ex-governador do Maranhão Jackson Lago (PDT-MA), precisa ser lida e relida para que não paire nenhuma dúvida sobre o seu teor de estarrecer.

Quem imagina que já viu tudo na vida precisa ler a maldita nota, para ter a certeza que o octogenário Sarney sempre surpreende.

A nota de Sarney é de um cinismo impar.

Todo maranhense sabe o quão Sarney perseguiu Lago nos três mandatos como prefeito de São Luiz e depois como governador.

Sarney nunca deu trégua a Lago.

O império de comunicação do clã Sarney perseguiu as administrações de Lago sem dó nem piedade em seus três mandatos como prefeito de São Luís em 1989 a 1992, 1997 a 2000 e 2001 a 2002.

O senador pelo Amapá não perdoava a hegemonia de Lago em São Luiz, cidade que nunca se rendeu ao clã de Sarney, e fez de tudo para usurpar o mandato de governador de Lago, quando este derrotou sua filha Roseana, que contava com o apoio do então presidente Lula.

Infelizmente para o Maranhão, em 2009, Sarney conseguiu no tapetão do TSE usurpar o mandato legítimo, conquistado nas urnas, por Jackson Lago.

Esse fato macabro acelerou a doença de Lago, conforme escreveu em seu Twitter o jornalista Palmério Dória.

“Jackson Lago começou a morrer no dia que cinco juízes do TSE lhe tiraram um mandato legítimo, cassado pelas togas amestradas de Sarney na Justiça Eleitoral”.

Na nota de Sarney afirma que Jackson foi uma “figura expressiva que dominou a política maranhense durante quase meio século”.

Uma descarada inversão de papeis, pois é do conhecimento nacional que a maior oligarquia brasileira está encravada no Maranhão.

É o clã de José Sarney, que domina o Maranhão há quase meio século.

Resumo da ópera.

Sarney debocha da inteligência nacional ao querer transformar Jackson Lago como face de sua moeda: a oligarquia.

Jackson nunca foi um oligarca, ao contrário foi um excepcional opositor da maior oligarquia do país: a família Sarney.

A nota de Sarney é um desrespeito ao passado político de Jackson Lago. É um despautério.

abr
05
Posted on 05-04-2011
Filed Under (Newsletter) by vitor on 05-04-2011


Berlusconi:  “página vergonhosa”
=============================================
deu no jornal PÚBLICO (Portugal)

O processo começa quarta-feira, 6, em Milão, mas a defesa já começou a atuar hoje em Roma. A direita italiana aprovou uma moção para evitar que o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, seja julgado em Milão por prostituição de menores e abuso de poder.
Berlusconi não estará presente no arranque do processo em Milão

“Assistimos a uma nova página verdadeiramente vergonhosa”, denunciou Dario Franceschini, líder da principal formação de centro-esquerda, o Partido Democrático, depois da votação desta terça-feira da Câmara dos Deputados.

Os deputados aprovaram (por 12 votos) um documento em que se pede ao Tribunal Constitucional que intervenha para “resolver um conflito de atribuições” no caso Ruby, nome artístico da dançarina exótica a quem o chefe de Governo é acusado de ter pago por sexo quando ela tinha 17 anos.

Em causa não está a acusação de prostituição de menores, mas a de abuso de poder: a maioria argumenta que Berlusconi está inocente, pois quando telefonou à polícia pedindo a libertação da marroquina (detida por suspeita de roubo) o fez acreditando que ela era sobrinha de Hosni Mubarak e com a única intenção de evitar um embaraço diplomático.

Como decidiu agir enquanto primeiro-ministro, a direita sustenta que deve ser julgado num tribunal de ministros, instância especial que reúne caso a caso, e não pelo tribunal de Milão que decidiu acusar Berlusconi.

O julgamento começará assim mesmo: o tribunal (e muitos juristas italianos) considera ter legitimidade para decidir sobre as duas acusações. Mas quando o Tribunal Constitucional finalmente analisar a moção – o que, segundo a imprensa italiana acontecerá em Setembro ou Outubro – isso poderá significar o princípio do fim deste processo. Caso considere a moção admissível, o Tribunal Constitucional deverá demorar dois meses até agendar a sua discussão e outros dois a decidir, o que adia uma decisão final para Fevereiro de 2012.

No cenário de decisão de enviar o caso para um tribunal de ministros, todos os atos que a procuradoria de Milão tiver acumulado serão anulados, incluindo as 20 mil páginas da instrução e as audiências de testemunhas que até lá tiverem lugar. Além disso, o Parlamento tem de aprovar o julgamento do chefe de Governo por um tribunal de ministros. Para Berlusconi, evitá-lo é então apenas uma questão de garantir que mantém a maioria, o que até agora conseguiu, apesar da deserção do ex-aliado Gianfranco Fini.

Esta terça-feira, por exemplo, não faltou um único deputado da maioria ou ministro com assento na Câmara. Franceschini comentou que “os bancos no Governo estavam cheios”, lamentando que “um ministro dos Negócios Estrangeiros, em plena crise internacional, passe os dias a votar a favor do chefe do Governo”. A bancada reservada aos ministros estava tão cheia que dois não tiveram lugar, sentando-se com os restantes deputados.

Há mais: a reforma da Justiça lançada o mês passado pelo ministro Angelino Alfano deverá incluir mudanças sobre as escutas, que poderão passar a contar só como ferramenta de investigação e deixar de servir de prova em tribunal, o que na prática condenaria ao fracasso o trabalho da acusação, já que a marroquina Karima El Mahroug desmente ter tido sexo com Berlusconi e não se espera que as dezenas de jovens que terão participado nas festas organizadas em Arcore, nos arredores de Milão, confirmem seja o que for em tribunal.

Deu no jornal O IMPARCIAL, de São Luis do Maranhão

Clodoaldo Corrêa

A Rua dos Afogados, onde fica a sede do Partido Democrata Trabalhista (PDT), já está interditada para receber o grande fluxo de pessoas que devem ir se despedir do ex-governador Jackson Lago, talecido no fim da tarde de ontem (4) no INCOR de São Paulo, vítimado por um câncer de próstata.

A previsão é que o corpo chegue à sede do partido às 16h, pois chega em São Luís às 14h45 em um voo da TAM.

Na noite de segunda, foi realizada uma reunião para definir o esquema de segurança e logística para o velório. Na manhã desta terça-feira, os pedetistas colocaram uma faixa preta na fachada da sede para simbolizar o luto da legenda no Estado.

O corpo vai percorrer as ruas de São Luís em um carro do Corpo de Bombeiros antes de chegar ao PDT. Para evitar tumulto, as pessoas vão entrar pela porta principal do partido, circular próximo ao caixão e sair por outra porta rapidamente para facilitar o acesso do maior número de pessoas que quiserem se despedir de Jackson lago.

O Palácio Henrique de La Rocque foi oferecido pela governadora Roseana Sarney e a Assembleia Legislativa pelo presidente Arnaldo Melo para o velório. Porém, a família alegou que um dos últimos desejos do ex-governador foi que fosse velado na sede do partido.

O enterro será nesta quarta-feira, às 10h, no cemitério Parque da Saudade, localizado no bairro do Vinhais.

Deu no VALOR

Alexandre Inacio

A cada ano que passa os portos das regiões Norte e Nordeste do país ampliam sua participação na exportação brasileira de grãos. Dados do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (Mdic) mostram que os três principais canais de escoamento nas duas regiões – Itacoatiara (AM), Santarém (PA) e Salvador (BA) – já representam 10% de todo o volume de soja e milho exportados pelo país. Há 15 anos, os embarques dos produtos por essas saídas sequer apareciam nas estatísticas.

Com a maior relevância dos portos do Norte e Nordeste, cai a cada ano o peso que os três grandes portos do Sul e Sudeste – Santos (SP), Paranaguá (PR) e Rio Grande (RS) – têm para as exportações de soja e milho.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento, 85% de todo o volume de soja e milho exportado pelo país em 1996 passaram por um dos três portos localizados mais ao sul. Ao fim do ano passado, de toda a soja e milho que saíram do Brasil, “apenas” 67% passaram por Santos, Paranaguá e Rio Grande.

E ao que tudo indica, a tendência é que os portos instalados ao norte do país ganhem mais importância em detrimento dos demais. “Esse processo de migração é irreversível e não tem mais volta, entre outros motivos porque há um esgotamento da infraestrutura do Sul e Sudeste”, afirma Mauro Osaki, pesquisador do Centro de Pesquisas Avançadas em Economia Aplicada (Cepea). Segundo o pesquisador, existe uma grande dificuldade em expandir o tamanho do calado dos portos, bem como a área destinada ao cais dos portos.

Um item importante que explica, em parte, essa migração são os custos do frete. Um exemplo: o transporte da soja originada em Campo Novo dos Parecis (MT) até Paranaguá ou Santos custa, respectivamente, R$ 212 e R$ 218 por tonelada. Já para o transporte até Porto Velho (RO), onde a soja segue de barcaça até Itacoatiara, o frete é de R$ 115 por tonelada.

(Informações de VALOR reproduzidas também no site de Chico Bruno: http://www.chicobruno.com.br/ )

abr
05


Pacificação no Rio: modelo para EUA?/ImgDN
===========================================
A estratégia de policiamento comunitário nas favelas dominadas pelo tráfico de droga no Rio de Janeiro está sendo avaliada por autoridades norte-americanas, que já demonstram interesse em importar o modelo de pacificação.A informação ocupa uma das chamadas principais do jornal português Diário de Notícias esta tyerça-feira.

“Nós fizemos uma tentativa, mas não encontrávamos vontade política e sabedoria de como fazer. Os polícias no Rio transformaram-se em embaixadores das comunidades num prazo de tempo muito curto, o que é incrível”, afirmou Rick Hite, um dos consultores americanos, segundo a matéria do DN.

Hite é um dos especialistas em segurança dos Estados Unidos convidado para fazer intercâmbio com os agentes das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) e as Delegacias de Dedicação Integral ao Cidadão no Rio de Janeiro.

O coronel do Departamento de Polícia da cidade de Baltimore, nordeste dos EUA, trabalha em programas de prevenção de formação de gangues e declarou aos jornalistas, na segunda-feira, que a polícia no Rio de Janeiro está “no caminho certo”.

Para ele, estas unidades pacificadoras podem ser aplicadas a comunidades norte-americanas dominadas por gangues.

Ainda segundo o DN, um dos mais tradicionais e lidos diários de Lisboa, assim como Hite, Jim Isenberg, instrutor que trabalha em programas de policiamento comunitário e de capacitação de lideranças da polícia em Nova Iorque, destacou este modelo como uma “excelente oportunidade de aprender com o Rio e trocar experiências”.

Leia reportagem completa sobre o assunto no DN (edição online):
http://www.dn.pt/inicio/globo

abr
05
Posted on 05-04-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 05-04-2011


==============================================
Frank, hoje no jornal Notícia (SC)

abr
05


Verdes governistas?: “talvez sim, talvez não”
====================================================

OPINIÃO POLÍTICA

A oposição e as eleições

Ivan de Carvalho

Em que pese sua fraqueza parlamentar, além das perdas ainda previstas ou possíveis, os cinco partidos de oposição ao governo estadual com representação na Assembléia Legislativa iniciaram articulações, que talvez ainda esteja longe da fase conclusiva, para traçar uma estratégia comum de ação política, talvez a única maneira de não se perderem totalmente em atitudes e posições dispersas e inúteis.

Os cinco partidos de oposição com representação na Assembléia Legislativa são o PMDB, o Democratas, o PSDB, o PR e o PRP. A soma das bancadas estaduais desses partidos não é muito significativa, ainda mais quando se considera que em algumas dessas legendas, a exemplo do PMDB e DEM, há deputados predispostos a deixarem esses partidos e migrarem para o PSD, a ser criado e que na Bahia tem como liderança principal o vice-governador Otto Alencar.

Isso significaria, caso a migração se concretize, que esses migrantes passariam a ser formalmente governistas, eles que, por enquanto, são governistas informais – não fazem oposição ao governo, até adotam atitude simpática e somente votariam a favor se seus respectivos partidos, pelas direções estaduais, fechassem questão em relação a determinada matéria sob apreciação da Assembléia Legislativa. Neste caso, desobedecer criaria o risco de perda do mandato por infidelidade partidária.

Mas se o aglomerado de partidos oposicionistas é fraco na Assembléia (onde tem frequentemente um certo reforço do chamado “bloco independente” formado por dois pequenos partidos, PTN e PSC) e suas bases municipais foram extremamente enfraquecidas pela onda adesista que se instalou na Bahia a partir da vitória do Jaques Wagner em 2006 e se consolidou com força total com a reeleição do governador nas eleições de 2010.

No entanto, as oposições, que também sofrem da escassez de lideranças populares importantes (têm, mas raras), dispõem de um trunfo muito relevante em campanhas eleitorais – tempo farto na propaganda eleitoral “gratuita” de televisão e rádio. Esse tempo é calculado pelo número de deputados federais que cada partido elegeu. Ora, o PMDB saiu do último pleito como o segundo maior partido da Câmara dos Deputados, superado apenas (e pela primeira vez) pelo PT. O PSDB e o DEM elegeram as terceira e quarta maiores bancadas e o PR, embora com bem mais modéstia, elegeu uma bancada bastante expressiva. A do PRP é pequena.

No caso da Bahia, se acontecer de os cinco partidos oposicionistas (repetindo, PMDB, DEM, PSDB, PR e PRP) se coligarem para eleições majoritárias, tempo de propaganda não faltará para a campanha eletrônica, restando saber se os candidatos serão bons, se o governismo estará em dificuldades e se as campanhas oposicionistas serão bem feitas.

Para completar o quadro, restaria considerar que rumo tomariam os partidos que formam o bloco PTN-PSC (o PTN participa, com a Secretaria Municipal de Educação, da administração do prefeito João Henrique, do PP, em Salvador). Há ainda o PPS.

O líder (ou chefe) do partido, Roberto Freire, tinha um forte preconceito (ou conceito) contra o grupo carlista na Bahia. Mas a morte levou ACM e a seu filho Luís Eduardo Magalhães, o outro filho de ACM, ex-senador Antonio Carlos Magalhães Júnior, voltou a dedicar-se exclusivamente a suas atividades empresariais, o sobrinho de ACM, deputado federal Paulo Magalhães, mesmo ainda no DEM, está pronto a saltar para o na Bahia governista PSD de Otto Alencar.

Será que só por causa do deputado ACM Neto o preconceito (ou conceito) persistiria? E, se sim, qual seria a alternativa? Para completar, na oposição, mas em faixa própria, está ainda o Psol e, talvez sim, talvez não, o PV.

Em tempo: o que se abordou foi apenas um dos muitos aspectos que envolvem a questão das oposições e das eleições na Bahia.


===========================================
BOA NOITE!!!

(VHS)

  • Arquivos

  • Abril 2011
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930