abr
04


Murilo Ferreira:Volta por cima na Vale/
Img E. Monteiro/Exame
======================================================
DEU NO PORTAL TERRA

Murilo Ferreira é o novo presidente da Vale.Conforme antecipado pelo colunista do iG Guilherme Barros, mineradora confirma o executivo à frente da companhia a partir de 22 de maio. Ferreira volta à Vale após embate com Roger Agnelli

Antes da Vale divulgar nota confimando Murilo Ferreira como novo presidente de uma das maiores companhias mineradoras do mundo, Guilherme Barros escreveeu em sua bem informada coluna no IG:
——————————————————————————————————————————–
Executivo com mais de 30 anos na Vale, Murilo Ferreira saiu da mineradora há dois por discordar da estratégia de Roger Agnelli na condução da empresa.

Ferreira era contrário à aquisição da mineradora anglo-suíça Xstrata, sexta maior do mundo. O negócio acabou não se concretizando, mas Ferreira acabou saindo da companhia.

Ferreira ingressou na Vale em 1977 como técnico em economia e finanças. Em 2005, passou a ocupar a diretoria de Participações e Desenvolvimento de Negócios.

No início de 2007, ele passou a presidir a Vale Inco, no Canadá, tendo sido sucedido por Tito Martins.

O novo presidente da Vale é formado em Administração de Empresas pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) de São Paulo e é pós-graduado em Administração de Empresas pela FGV do Rio.

Confira o fato relevante divulgado pela Vale agora há pouco na CVM:

Vale sobre indicação do Diretor Presidente

Rio de Janeiro, 04 de abril de 2011 – A Vale S.A. (Vale) informa que após reunião prévia realizada hoje, os acionistas controladores da Valepar – Litel, Bradespar, BNDESpar, Mitsui e Elétron – comunicaram à Vale a indicação de Murilo Pinto de Oliveira Ferreira para assumir o posto de Diretor Presidente da Vale, a partir de 22 de maio de 2011, após o término do mandato do atual Diretor Presidente, Roger Agnelli. A indicação ainda precisa ser aprovada pelo Conselho de Administração da Vale em reunião a ser convocada e realizada oportunamente.

Murilo Ferreira, 58 anos, é graduado em Administração de Empresas pela FGV-SP, pós-graduado em Administração e Finanças pela FGV-RJ e especialização em M&A pela IMD Business School, Lausanne, Suíça. Com mais de 30 anos de experiência no setor de mineração, Murilo Ferreira ingressou na Vale em 1998 como Diretor da Vale do Rio Doce Alumínio – Aluvale, atuando em diversos cargos executivos até sua saída em 2008, quando atuava como Presidente da Vale Inco (atual Vale Canadá) e Diretor Executivo de Níquel e Comercialização de Metais Base da Vale.

Murilo Ferreira foi indicado pelos acionistas controladores a partir de uma lista tríplice preparada por empresa internacional de seleção de executivos, em conformidade com as normas e o Estatuto da Valepar.

Nesta oportunidade, os acionistas da Valepar reiteram seu reconhecimento ao Roger Agnelli pelo sucesso na condução da Vale nesses últimos anos, contribuindo para que a Vale alcançasse a posição de destaque que desfruta atualmente, no País e no exterior.


Jackson Lago: presença marcante no Maranhão
====================================================

Jackson Kléper Lago (Pedreiras, 1 de novembro de 1934 – São Paulo, 4 de abril de 2011) , que morreu de câncer esta segunda-feira foi um médico e político brasileiro filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Foi governador do estado do Maranhão de 2007 a 2009, quando teve seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Antes disso, havia sido prefeito três vezes de São Luís, capital do Maranhão, onde comandava o combate político da oligarquia representada pela família Sarney.

Nascido em Pedreiras, no interior maranhense, Jackson Lago começou sua trajetória política ainda na década de 1960 , participando de protestos contra a ditadura militar. Ligado ao sindicato dos médicos, foi pioneiro na realização de cirurgia torácica no sistema de saúde pública do Maranhão e lecionou na Faculdade de Medicina do Estado. Em 1979, ao lado de Leonel Brizola, ajudou a fundar o diretório do Partido Democrático Trabalhista-PDT, no qual permaneceu até seu falecimento no fim da tarde de hoje no Incor de São Paulo.

Prefeito de São Luís por três ocasiões (1989-1992, 1997-2000 e 2001-2002, quando foi reeleito), Lago, que conquistou o título de melhor prefeito do Brasil, de acordo com pesquisa do jornal Folha de S. Paulo, considerava a ampliação do número de alunos das escolas públicas e a melhoria da capacitação dos professores suas principais realizações à frente do governo da capital maranhense.

A gestão Lago em São Luís também foi reconhecida por avanços nas áreas de saúde, geração de emprego e renda, segurança pública, participação popular, infra-estrutura, meio-ambiente e cultura.

Lago renunciou ao último mandato de prefeito de São Luís para concorrer ao governo do estado. Contando inicialmente com a preferência de apenas cerca de 20% do eleitorado, Lago surpreendeu todas as pesquisas de opinião e foi eleito no segundo turno com 51,82% dos votos válidos contra 48,18% de Roseana Sarney.

Uma pesquisa do IBOPE contratada pela TV Mirante, indicava que Roseana ganharia o pleito ainda no primeiro turno. Apenas o Instituto Toledo & Associados, contratado pelo jornal O Imparcial, previu a possibilidade de haver um segundo turno no estado.

Durante a campanha, Lago apostou no desgaste político da família Sarney, denunciando fortemente casos de corrupções envolvendo o grupo ligado a esta. Lago fez seu material de campanha com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apesar deste ter declarado apoio público à rival Roseana.

Com apenas cinco meses de governo, em maio de 2007, teve seu nome envolvido na Operação Navalha da Polícia Federal, ocasião em que foi apontado pela PF como beneficiário de vantagem indevida por meio de seus sobrinhos, Alexandre de Maia Lago e Francisco de Paula Lima Júnior, presos durante a operação. Segundo a PF, o então governador teria recebido R$ 240 mil para permitir o pagamento, pela Secretaria de Infra-Estrutura do Estado, de R$ 2,9 milhões de uma obra da Gautama, empresa sediada em Salvador.[5] Em razão disso, é réu em ação penal que corre no Superior Tribunal de Justiça (STF).

Cassação

Após sua eleição colocar um fim aos 40 anos de domínio da dinastia Sarney no estado, Lago foi acusado pela campanha da candidata adversária, já no final de 2007, de cometer irregularidades eleitorais como abuso de poder e compra de votos.

Em 2 de março de 2009, o TSE julgou ação movida pela coligação da candidata derrotada Roseana Sarney e decidiu, em votação apertada, anular os votos de Lago e de seu vice, Luiz Carlos Porto, do Partido Popular Socialista (PPS). Em razão disso, Roseana Sarney passou a ter mais da metade dos votos válidos, fazendo com que o TSE então a declarasse eleita e determinasse que ela tomasse posse. Jackson e Porto continuaram em seus cargos até o fim do julgamento de recursos.

Em 16 de abril de 2009, o TSE confirmou a cassação do mandato de Lago e Porto e ordenou a diplomação da segunda colocada no pleito. Entretanto, Lago se recusou a abandonar o Palácio dos Leões, sede do governo. O movimento de resistência ao novo governo recebeu o nome de “balaiada” (em alusão à revolta que ocorreu no estado entre 1838 e 1841) e recebeu apoio do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, da Via Campesina, do deputado federal Domingos Dutra (PT) e do deputado estadual Valdinar Barros. Após a saída do Palácio dos Leões, Jackson prometeu continuar sua vida política em discurso no diretório estadual do PDT.

A cassação de Jackson Lago rendeu um artigo do músico Zeca Baleiro na revista Istoé com duras críticas à família Sarney. Para o músico, nascido em São Luís no mesmo ano em que José Sarney tomou posse como governador, a medida foi tomada “por meio de manobras politicamente engenhosas e juridicamente questionáveis”. Por outro lado, a cantora Alcione, também maranhense, apoiou publicamente a volta de Roseana Sarney ao governo do estado.[8]

Eleições 2010

Em 2010, Lago se candidatou novamente ao cargo de governador do Maranhão e perdeu. Houve dúvidas em relação à sua candidatura, uma vez que a recém-promulgada Lei da Ficha Limpa proíbe a candidatura de políticos condenados em tribunal colegiado, mas o TRE-MA deferiu por unanimidade a candidatura de Lago.

Família

Lago era casado com a também médica Maria Clay Moreira Lago, com quem tem três filhos. Maria Clay foi secretária de Solidariedade Humana durante o governo de José Reinaldo Tavares, quando do rompimento deste com a família Sarney.

(Com informações do jornal Imparcial, de São Luis do maranhão e do Wilkpedia )

abr
04


Jackson Lago: morre adversário dos Sarney
==============================================
Deu no portal TERRA

Eveline Cunha

Direto de São Luís

Morreu às 17h50 nesta segunda-feira o ex-governador do Maranhão Jackson Kepler Lago (PDT), 76 anos. De acordo com informações do partido, ele estava internado desde quarta-feira na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital do Coração, em São Paulo. O político lutava contra um câncer de próstata desde 2004.

A família de Lago providencia a transferência do corpo de São Paulo para São Luís. Conforme o PDT, as primeiras informações são de que ele será velado na sede do partido.

O político foi eleito governador do Maranhão no pleito de 2006, derrotando a candidata Roseana Sarney. Acusados de abuso de poder econômico e compra de votos na eleição na qual saíram vitoriosos, o governador e seu vice, Luís Carlos Porto, tiveram seus mandatos cassados em março de 2009. Na ocasião, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que a segunda colocada, Roseana, e seu vice, João Alberto de Souza, assumissem o Executivo estadual.

No ano passado, Lago se lançou novamente candidato ao governo. O Ministério Público Eleitoral apresentou um pedido de impugnação ao ex-governador com base na Lei da Ficha Limpa, mas o Tribunal Regional Eleitoral aprovou o registro em agosto. Em setembro, o Tribunal Superior Eleitoral confirmou a candidatura. Lago ficou em terceiro lugar na disputa, que teve Roseana vencedora já no primeiro turno, com 50,08% dos votos. O ex-governador recebeu 19,54% dos votos.

abr
04


=======================================
Gilson: “O Barquinho”, com Marcos Montarroyos, não dá. A edição do vídeo que você sugeriu foi desativada mediante solicitação, avisa o You Tube. Vai “Saco do Céu” (Via Gavea), de Montarroyos, cuja edição está liberada. OK? Não é a mesma coisa, mas acho que não vai decepcionar a você e aos ouvintes da Radio BP, neste fim de tarde de outono quente em Salvador.

(Vitor Hugo Soares)

Duas notas com informações e material de sobra para reflexões, publicadas na Tribuna da Bahia, coluna EM TEMPO, assinada pelo jornalista Alex Ferraz

(VHS)

=====================================================

Uma irresponsabilidade social

Vejo na TV que um casal foi vítima de saidinha bancária dentro do estacionamento do Holding Empresarial, prédio dito sofisticado, na área do Iguatemi (Shopping Center de Salvador). Os bandidos levaram todo o dinheiro e, como acontece com todos nós brasileiros, as vítimas ainda tiveram que agradecer aos céus por não terem sido sequestradas e mortas.

O fato me faz lembrar, mais uma vez, a tremenda insegurança que reina em estacionamentos de shoppings, aeroporto, rodoviária e mesmo naqueles cuja única função é negociar vagas para estacionar carros, como os dois grandes que existem na Baixa dos Sapateiros e servem ao Pelourinho.

No caso desses dois do Pelourinho, são verdadeiras catacumbas de concreto, escuros (não sei por que cargas d’água esses locais jamais são bem iluminados) e não se vê um segurança sequer! Um prato feito para assaltos, sequestros e estupros. Nos outros, incluindo o do aeroporto, no máximo há um ou dois vigias (nem de seguranças podem ser chamados), que, naturalmente, não dão conta sequer de 10% da área. Mais uma vez, clientes de shoppings, aeroporto, rodoviária etc. ficam à mercê de bandidos.

Podem me perguntar: mas, ora, você quer que se coloquem dez, vinte, um exército de seguranças? Sim, quero! Basta olhar em volta, ler as notícias, ter consciência da sociedade brutal em que vivemos e veremos que estamos em guerra, sim senhor.

A nova
família

O padrasto estuprou os seis enteados, todos menores, crianças mesmo. A mãe não percebia nada porque estava na rua…Traficando crack!
Este é o modelo da nova família deste país. Oh, como era diferente no meu tempo…

Leia íntegra da coluna de Alex Ferraz na edição impressa da Tribuna da Bahia


============================================
deu no jornal português Diário de Notícias

Irina Shayk está em alta no mundo da moda. A namorada de Cristiano Ronaldo é a estrela de mais uma campanha publicitária, agora para uma marca espanhola. Como sempre… está deslumbrante.

A modelo é protagonista da campanha publicitária da marca espanhola Xti, ao lado do modelo Arthur Sales. Numa das fotos, Irina Shayk surge com um calção minúsculo e em topless… mas com uma mala da marca a tapar-lhe os seios.
=========================

Te cuida, Gisele!

Confira

(VHS )

========================================
Comentário com alta pontuação no You Tbe:

“Minha mãe tinha ouro na vitrola e eu não me contento com isso. Não vejo muitos motivos para ouvir as rádio, prefiro vir para youtube e procurar coisas boas? como esta. Gente o que há com a cultura brasileira?

Precisamos rever tantas coisas. Saudades e saudades sempre dessa época a que não pertenci.

hj2121 1 ano atrás 7

======================================
Prestem muita atenção na qualidade da produção do programa de Sílvio Santos na época. Podem chamar de brega, mas quando cuidado com o artista e que categoria de Núbia !

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)


======================================================
OPINIÃO POLÍTICA

Dois monstros despertam

Ivan de Carvalho

Dois monstros estão sendo acordados no Brasil.
1. Um é o Dragão da Inflação. O Plano Real, implantado a partir de 1º de julho de 1944, aplicou-lhe um potente sonífero, que conseguiu, sob o governo de Fernando Henrique Cardoso, apesar do monumental erro cometido na política cambial, superar várias crises econômicas internacionais, entre elas – para citar apenas as principais – a crise russa e a crise dos tigres asiáticos.
Durante o governo do PT a inflação permaneceu inerte, em sono profundo para os padrões históricos brasileiros, durante os sete primeiros anos da presidência de Luiz Inácio Lula da Silva. Mas uma nova e grave crise econômica internacional, desencadeada a partir dos Estados Unidos e que atingiu seriamente a Europa, veio somar-se ao ano eleitoral de 2010.
Primeiro veio a crise, que forçou aumento de gastos do governo e expansão do crédito ao consumidor com programas de estímulo à economia, à produção e geração de empregos, tudo combinado com renúncias fiscais com o objetivo de baixar preços para o consumidor.
Essa foi a parte boa das medidas financeiras adotadas pelo governo Lula – a parte voltada para transformar, aqui, o tsunami que devastava, e até certo ponto ainda devasta, os Estados Unidos e vários países europeus, em uma “marolinha”.
Em verdade, “marolinha” não foi, mas uma marola de bom tamanho, derrubando o Produto Interno Bruto para negativo (0,2 por cento abaixo de zero), o que, felizmente, não caracteriza um tsunami.
A parte ruim foi a política econômico-financeira para o ano eleitoral. Ela pode ser produzida numa só palavra, com sua conotação notoriamente negativa: gastança. Vale registrar, em algumas palavras, que a gastança não começou no ano eleitoral, ela vinha se impondo gradualmente com o inchaço da máquina estatal, principalmente no que diz respeito a despesas de pessoal (muita gente entrando, pela porta, pela janela, pelo basculante, pela chaminé, pelo buraco do rato, outro tanto doido para entrar) e despesas dispensáveis de custeio.
É claro que há despesas de custeio indispensáveis, mas, apesar disso, frequentemente dispensadas. É o caso de um posto de saúde ou hospital inaugurado e que funciona a meia capacidade ou nem funciona por falta de medicamentos, gaze, algodão, desinfetantes, material de limpeza, chapas de raio X, substâncias para contraste usadas em vários exames. Uma infinidade de coisas. Quanto às despesas de custeio dispensáveis, nem vou citar exemplos. Qualquer pessoa, servidor público ou não, conhece um monte delas.
Mas à gastança produzida pelo inchaço gradual, rápido e seguro da máquina estatal acrescentou-se, especialmente durante o ano de 2010, um evidente descontrole de gastos (gastar mais do que arrecada, apesar do aumento da arrecadação no ano passado e da previsão de mais aumento este ano) com notório objetivo político-eleitoral. Dilma Roussef não pode dizer, mas uma parte considerável do que passaram a ela foi herança maldita.
2. O outro monstro que dormitava e agora volta a ficar esperto com o “relatório final” da Polícia Federal, requerido pelo ministro do STF Joaquim Barbosa, relator do processo, é o Mensalão. “O Mensalão foi uma farsa. Vamos provar isso”, disse Lula há tempos. Agora a PF afiança que o Mensalão existiu, aconteceu no governo Lula, foi financiado com dinheiro público, beneficiou mais gente do que os 40 que estão sendo processados no STF e não se resumiu a “dinheiro não contabilizado (ilegal, portanto) para campanha eleitoral”, mas também à compra de apoio político e votos no Congresso Nacional.

abr
04
Posted on 04-04-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 04-04-2011


Junião, hoje no Correio Popular (Campinas/SP)

(DEU NO IG (ÚLTIMO SEGUNDO)

Corpos de passageiros do voo 447 da Air France, que caiu sobre o Atlântico há quase dois anos, após decolar do Rio de Janeiro, foram encontrados dentro de uma grande parte da fuselagem localizada no mar no domingo (3). A afirmação foi feita nesta segunda-feira (4) pela ministra francesa dos Transportes, Nathalie Kosciusko-Morizet.

De acordo com Kosciusko-Morizet, os corpos no interior do avião poderiam vir a ser identificados. “É uma parte importante do avião, cercada por destroços. É uma parte que permaneceu praticamente intacta, em uma única peça”, disse a ministra. Segundo ela, essa descoberta “dá aos investigadores esperanças de localizar rapidamente as caixas-pretas do avião”.

O voo AF 447 da Air France, que fazia o trajeto Rio-Paris, desapareceu dos radares na noite de 31 de maio de 2009 (pelo horário brasileiro) com 228 pessoas a bordo. Somente cerca de 50 corpos foram encontrados, pouco após a catástrofe.

Quarta fase de buscas

O secretário-executivo dos Transportes, Thierry Mariani, também afirmou nesta segunda-feira, em entrevista à radio France Info, que corpos foram localizados na área da fuselagem. “Em razão do aspecto sensível, guardamos os detalhes para as famílias das vítimas, que serão informadas com prioridade”, disse Mariani.

A descoberta da fuselagem ocorre pouco após o início da quarta fase de buscas do avião, no dia 25 de março, em uma nova área de 10 mil quilômetros quadrados que não havia sido vasculhada até então. Esta quarta fase de buscas era considerada como a “operação da última chance” para encontrar as caixas-pretas do avião.

“Pudemos identificar nas fotos que foram tiradas por um dos robôs submarinos diferentes elementos do avião, principalmente os motores”, disse Jean-Paul Troadec, diretor do Escritório de Investigação e Análises da França (BEA, na sigla em francês), órgão responsável pelas investigações sobre as causas do acidente. “Na realidade, é a descoberta da fuselagem”, afirmou Troadec. Até então, a única grande peça do avião da Air France localizada tinha sido o leme do Airbus.

No domingo, o BEA havia informado que além dos motores, partes das asas também haviam sido encontradas. Troadec afirmou ainda que como o barco americano Alucia, utilizado atualmente nas buscas, não está equipado para retirar a fuselagem do oceano, uma nova expedição será iniciada nas próximas semanas para resgatar os destroços.

Caixas-pretas

Os investigadores do BEA não têm certeza, no entanto, se as caixas-pretas, caso sejam encontradas, estarão conservadas o suficiente para que os dados técnicos gravados e as conversas dos pilotos possam ser analisadas. “As caixas-pretas estão mergulhadas há quase dois anos. É preciso encontrá-las e que elas estejam em estado de funcionamento. É uma das incertezas da operação”, disse o secretário-executivo dos Transportes.

Os especialistas do BEA afirmam que é indispensável encontrar as caixas-pretas do avião para identificar as causas do acidente. “É importante para as famílias das vítimas e para a aviação civil compreender as causas desse acidente para evitar acidentes semelhantes”, afirmou Mariani.

Até o momento, o BEA afirma que os sensores de velocidade do avião, os chamados tubos Pitot, são um dos elementos que provocaram problemas no avião, mas não a causa do acidente.

  • Arquivos

  • Abril 2011
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    252627282930