mar
20
Postado em 20-03-2011
Arquivado em (Artigos) por vitor em 20-03-2011 12:28

================================================================

CRÔNICA DO DOMINGO/ MULHERES

DIA DA MULHER

Regina Soares

Direto de San Francisco (CA-EUA)

Para mim, se tiver de fazer uma comparação entre mulher e outro animal, teria que ser a borboleta. Do momento em que quebram a casca do ovo e a devoram, desde que devoram também a folha que abrigava o ovo, lagartas mudam de pele diversas vezes rumo à fase adulta, algumas espécies trocam de pele um sem-fim de vezes até que adotem a versão que um dia ressecará e se transformará em crisálida.

Essa metamorfose tem muito que ver com o desdobramento da mulher nas suas fazes de desenvolvimento. Experimentam, ousam, alternam, desafiam, permitem-se e assim vão crescendo vida afora, acumulando vivência até compor a pele que melhor lhes abriga. Por exemplo, a pessoa pode ser poeta, mãe, amante, viajante, doida, calada, lutadora, ombro, profissional, pode gostar de tudo isso e colher um pedacinho de cada pele e, por fim, compor um mosaico bem bonito para a derradeira, aquela que a acompanhará até a grande metamorfose.

Fico imaginando em que momentos se moldaram essas asas fortes que ajudaram a romper o casulo e nos presentearam com presença tão… rubra. Em que momento nasceu a borboleta?

Gosto de pensar que podemos nascer muitas vezes, a cada aprendizado, cada passagem, cada avanço ou cada queda. Somos outras todos os dias. Eu mesma já nasci tanto: quando declarei minha independência; quando me apaixonei, cada vez e sempre; quando meus filhos nasceram, e se libertaram; quando joguei pro alto – nossa, nasci tanto aí; quando dei um basta; quando desisti e quando despertei e ousei. Então imagino que assim também seja com a borboleta que nasce sempre que descobre, sente, vibra, voa.

Tudo bem, entendo que há que se escolher uma data, porque é preciso ter festa. Mas, na verdade, a todo momento, todo dia, quero crer que essa borboleta traz em suas asas esse brilho todo porque soube compor bem sua pele, construiu uma crisálida boa, toda de sorriso vermelho, e se alimentou do melhor que lhe tocou. Juntou tudo, costurou bem bonito, enroscou-se nesse tanto de sentimento bom e um dia, quando se espichou, viu que tinha em si o vermelho mais vivo e que nunca passaria despercebida. E aproveitando-se disso, que tinha nascido borboleta e que todos a notariam, saiu por aí espalhando sementes boas, porque é isso que borboleta faz.

Gosto de vê-la crescer, cada dia mais assanhada, cheia de mundo pra voar e conquistar. E é tão bonito pensar que ela nasceu assim, espichando as asas que ela mesma ajudou a fazer enquanto tinha outras formas.

Um feliz dia para todas!!!!!Regina Soares é advogada, especializada em eleições nos Estados Unidos. Mora em Belmont, na área da Baia de San Francisco, de onde colabora com o BP sempre plugada na sua Baia de Todos os Santos.

Be Sociable, Share!

Comentários

Graça Azevedo on 20 Março, 2011 at 17:32 #

Lindo!


Mariana Soares on 21 Março, 2011 at 11:28 #

Ontem fiz um comentário aqui e não sei qual o motivo de não tê-lo publicado!!!???
De todas as maneiras, volto a fazê-lo, para parabenizar você, Regina, por tão belo, significativo e vibrante texto!
Você é, sem dúvida, uma belíssima borboleta, que nasce e renasce todos os dias e não importa quão boa ou dura tenha sido a experiência e vivencia anterior, segue você espalhando cores, luz e bom humor e, principalemnte, voando cada vez mais alto.


Olivia on 22 Março, 2011 at 11:43 #

É disso que o ser humano tá precisando, valeu!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Março 2011
    S T Q Q S S D
    « fev   abr »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031