Aracy e Rosa :a arte do encontro
=====================================================
Deu no Blog de Luis Nassiff

DE  SÃO PAULO
Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa, viúva do escritor João Guimarães Rosa (1908-1967), morreu na manhã de hoje de causas naturais, em São Paulo.

Ela tinha 102 anos e sofria do Mal de Alzheimer. Segundo a família, o corpo será velado hoje às 17h.
Aracy e Rosa se conheceram em Hamburgo, Alemanha, às vésperas da Segunda Guerra, quando ambos trabalhavam no consulado brasileiro na cidade.

Encarregada da seção de vistos, Aracy ajudou dezenas de famílias judias a fugirem da Alemanha.
O papel de Aracy foi reconhecido com uma placa em seu nome no Jardim dos Justos, no Museu do Holocausto de Jerusalém. É homenageada ainda no Museu do Holocausto em Washington.
Aracy ficou imortalizada na literatura brasiliera com a dedicatória que Guimarães Rosa dedicou a ela no livro “Grande Sertão: Veredas” (1956): “A Aracy, minha mulher, Ara, pertence este livro”.

Ela deixa quatro netos e oito bisnetos.

Be Sociable, Share!

Comentários

regina rousseau on 17 Maio, 2011 at 22:41 #

ODE A ARACY
in memorian de Aracy Carvalho Guimarães Rosa

Olhe bem para os olhos da bela mulher do retrato.
É a coragem de uma mulher que salvou vidas.
É chamada de O anjo de Hamburgo.
Realmente é uma bela mulher!
Tão bela que recebeu uma carta de amor…
do seu amor Guimarães Rosa.

Mas não fico a sombra desse amor,
tinha luz própria… como o sol,
seus raios demoraram alguns anos para brilhar.
Mas enfim brilham e conquistam seu lugar na história.
Mas num país que esquece seus heróis,
Ela é mais uma heroína dos sem memória.

Um sorriso intermitente…
seus olhos negros e vivos enxergavam através das pessoas
e se fixavam em um ponto distante.
Mulher corajosa, determinada e inteligente
ela foi no passado, mas acima de tudo, discreta.
Tão discreta que poucos conhecem a sua história fascinante:

enfrentou e driblou três ditaduras,
salvou centenas de judeus dos campos de dor,
escondeu Vandré, cantor e compositor
quando ele era procurado pelo ditador.
Enfrentou preconceitos para viver ao lado do escritor,
seu amor.
E aos cento e dois anos repousou nos braços do Criador,
seu amor.

Regina Rousseau


Gracinha on 18 Maio, 2011 at 2:26 #

Belissima homenagem de Regina Rousseau… pelo pouco q conheci da vida de Aracy ela orgulha a todas nós mulheres.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Março 2011
    S T Q Q S S D
    « fev   abr »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031