————————————————————–
O mambo baiano, com sabor de afoxé, do poeta do “Broco do Jacu”, Waltinho Queiroz, para dar um toque de talento na avenida e no Pelourinho nesta noite da abertura oficial do carnaval de Salvador!
(Gilson Nogueira)
——————————————————-
Em Tempo: Assim é demais , grande Gilson!!!
BOA NOITE!!!

(VHS)

mar
03
Posted on 03-03-2011
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-03-2011

Aracy Guimarães Rosa, morreu hoje aos 102 anos// Texto publicado em 2007, no Saibahistoria.blogsp?ot.com, do Professor Adinalzir, do Rio de Janeiro. Sugerido ao BP pela jornalista Maria Olívia.

=====================================================

Uma certa Aracy (viúva de Guimarães Rosa)


Eles se conheceram em Hamburgo, na Alemanha, às vésperas da Segunda Guerra Mundial. Ele, menino pobre, viu na carreira diplomática uma maneira de conhecer o mundo. Em 1934, prestou o concurso para o Itamaraty e foi ser cônsul adjunto na Alemanha. Ela, paranaense, foi morar com uma tia na Alemanha, após a sua separação matrimonial. Por dominar o idioma alemão, o inglês e o francês, fácil lhe foi conseguir uma nomeação para o consulado brasileiro em Hamburgo. Acabou sendo encarregada da seção de vistos.

No ano de 1938, entrou em vigor, no Brasil, a célebre circular secreta 1.127, que restringia a entrada de judeus no país. É aí que se revela o coração humanitário de Aracy. Ela resolveu ignorar a circular que proibia a concessão de vistos a judeus. Por sua conta e risco, à revelia das ordens do Itamaraty, continuou a preparar os processos de vistos a judeus. Como despachava com o cônsul geral, ela colocava os vistos entre a papelada para as assinaturas.

Quantas vidas terá salvo das garras nazistas? Quantos descendentes de judeus andarão pelo nosso país, na atualidade, desconhecedores de que devem sua vida a essa extraordinária mulher?

Cônsul adjunto à época, seu futuro segundo marido, João Guimarães Rosa, não era responsável pelos vistos. Mas sabia o que ela fazia e a apoiava. Em Israel, no Museu do Holocausto, há uma placa em homenagem a essa excepcional brasileira. Fica no bosque que tem o nome de Jardim dos justos entre as nações. O nome dela consta da relação de 18 diplomatas que ajudaram a salvar judeus, durante a Segunda Guerra. Aracy de Carvalho Guimarães Rosa é a única mulher. Mas seu denodo, sua coragem não pararam aí.

Na vigência do infausto AI 5, já no Brasil, numa reunião de intelectuais e artistas, ela soube que um compositor era procurado pela ditadura militar. Naquele ano de 1968, ela deu abrigo durante dois meses ao cantor e compositor que conseguiu, sem ser molestado, fugir para país vizinho. Ela o escondeu no escritório de seu apartamento. Aquele mesmo local onde seu marido, João Guimarães Rosa, escrevera tanta história de coronel e jagunço. Durante todos aqueles dias, o abrigado observava, da janela, a movimentação frenética do exército no quartel do Forte de Copacabana.

Reservada, Aracy enviuvou em 1967 e jamais voltou a se casar. Recusou-se a viver da glória de ter sido a mulher de um dos maiores escritores de todos os tempos. Em verdade, ela tem suas próprias realizações para celebrar.

Hoje, aos 99 anos, pouco se recorda desse passado, cheio de coragem, aventura, determinação, romance, literatura e solidariedade. Vive com o filho Eduardo Tess e a nora, Beatriz em São Paulo, na rua Dr Melo Alves, por coincidência, bem perto de onde outro anjo rebelde viveu: Elis Regina.

Por ironia do destino, quem tem tanto para contar, não lembra mais de nada: sua memória foi se apagando com o tempo. O mais grave, porém, é que a memória nacional parece ter esquecido dela. Seu nome foi pouco lembrado no ano passado quando se comemorou ou 50 anos da publicação de Grande Sertão: Veredas, a obra-prima de Guimarães Rosa. Que afinal, foi dedicado a ela.

Mas a sua história, os seus feitos merecem ser lidos por todos, ensinados nas escolas. Nossas crianças, os cidadãos do Brasil necessitam de tais modelos para os dias que vivemos. Seu marido a imortalizou em sua obra Grande sertão: veredas. Ao publicar a obra, não a dedicou a ela, doou a ela seu livro mais importante. Aracy desafiou o nazismo, o estado novo de Getúlio Vargas e a ditadura militar dos anos 60.

Uma mulher que merece nossas homenagens. Uma brasileira de valor. Uma verdadeira cidadã do mundo.


Aracy e Rosa :a arte do encontro
=====================================================
Deu no Blog de Luis Nassiff

DE  SÃO PAULO
Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa, viúva do escritor João Guimarães Rosa (1908-1967), morreu na manhã de hoje de causas naturais, em São Paulo.

Ela tinha 102 anos e sofria do Mal de Alzheimer. Segundo a família, o corpo será velado hoje às 17h.
Aracy e Rosa se conheceram em Hamburgo, Alemanha, às vésperas da Segunda Guerra, quando ambos trabalhavam no consulado brasileiro na cidade.

Encarregada da seção de vistos, Aracy ajudou dezenas de famílias judias a fugirem da Alemanha.
O papel de Aracy foi reconhecido com uma placa em seu nome no Jardim dos Justos, no Museu do Holocausto de Jerusalém. É homenageada ainda no Museu do Holocausto em Washington.
Aracy ficou imortalizada na literatura brasiliera com a dedicatória que Guimarães Rosa dedicou a ela no livro “Grande Sertão: Veredas” (1956): “A Aracy, minha mulher, Ara, pertence este livro”.

Ela deixa quatro netos e oito bisnetos.


DEU NO IG

No ano, o PIB brasileiro (soma de todas as riquezas do país) teve expansão de 7,5%, na comparação com 2009, informou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “[O crescimento] de 7,5% é muito, mas é um momento excepcional por causa da crise, já estamos agora num patamar de 5% a 5,5%”, acrescentou Mantega.Segundo o ministro, com este resultado, o Brasil já é a sétima economia do mundo.

Segundo o ministro, o resultado de 2010 coloca o Brasil entre os cinco países que mais cresceram no período, ficando atrás da China, da Índia, da Argentina e da Turquia. “Se considerarmos o PIB a preços de paridade e poder de compra, em conta ainda não oficial, a ser feita pelo FMI [Fundo Monetário Internacional] ou pelo Banco Mundial, atingimos um PIB de R$ 3,6 trilhões, o que nos coloca em sétimo lugar, superando a França e o Reino Unido”, disse, em entrevista coletiva para comentar os números divulgados pelo IBGE.

O crescimento anual, segundo o instituto, deve-se à baixa base de comparação no ano anterior, quando o PIB registrou queda de 0,6%, influenciado pelos efeitos da crise financeira internacional.

O IBGE destacou que a formação bruta capital fixo cresceu 21,8%; o consumo das famílias, 7%; e o do governo, 3,3%. De acordo com o instituto, o PIB da indústria teve expansão de 10,1%, e o setor foi o ramo da economia que mais cresceu no ano passado. O PIB agrícola registrou elevação de 6,5% e o de serviços, de 5,4%

O Produto Interno Bruto representa o total de riquezas produzidas no país e é usado para dimensionar o tamanho da economia nacional. Para calcular o PIB, o IBGE utiliza os resultados de pesquisas do próprio instituto ao longo do ano, em áreas como agricultura, indústria, construção civil e transporte.

LEIA MAIS NO IG

http://economia.ig.com.br/brasil


=================================================
Viva o Trio Elétrico de Dodô & Osmar 60 anos
Que me perdoem a Família Macedo, principalmente os meus amigos André e Armandinho Macedo, filhos ilustres do maior artista da Bahia, Osmar Macedo, que integrou a dupla com Dodô e juntos inventaram o Trio Elétrico, mas este resgate cultural da musicalidade mais importante da Bahia não poderia estar integralmente de fora do You Tube.

Há anos que eu venho tentando fazer isso; publicar o áudio, pelo menos, da maioria das músicas de Dodô & Osmar sem puder, mas hoje eu comecei este projeto solitário, para que todos da geração que veio depois da minha saibam e ouçam como nasceu o verdadeiro Carnaval da Bahia, aquele carnaval que jamais sairá das cabeças e cucas bacanas dos baianos e de quem teve a honra e o privilégio de ter estado lá, curtindo atrás do trio elétrico; e como já dizia Caetano Veloso, só não vai quem já morreu…!

Para quem não sabe, este ano o Carnaval da Bahia fez oficialmente 60 anos de existência com Trio Elétrico!
Espero que curtam bastante e divulguem estas jóias inesquecíveis!

Das Minas Gerais, da Embaixada da Bahia em Belo Horizonte,

Carlos Henrique Mascarenhas Pires
www.irregular.com.br

==========================================

BOA TARDE, FOLIÕES OU NÃO, QUE UM FREVO COMO ESTE DE MORAES MOREIRA É PARA FAZER PULAR E CANTAR O MUNDO INTEIRO.
PARABÉNS CARLOS HENRIQUE, PELO SEU NOTÁVEL TRABALHO DE RESGATE DESTA MARAVILHA DO CARNAVAL DA BAHIA.

(VHS)

mar
03
Posted on 03-03-2011
Filed Under (Grazzi, Newsletter) by vitor on 03-03-2011


Mosquito trangênico para atacar Aedis Aegipt
=====================================================
GRAZZI BRITO

Direto de Juazeiro(BA)
Pesquisadores da Biofábrica Moscamed estão produzindo em laboratório e soltando uma versão transgênica do mosquito em bairros e distritos da cidade. O Programa de Controle Genético do Mosquito Aedes Aegypti busca um novo método para a erradicação do inseto transmissor da Dengue. O programa é fruto de um convênio entre a Moscamed e a Universidade de São Paulo (USP).

O inseto geneticamente modificado foi criado por cientistas ingleses para controlar as populações naturais do mosquito causador da dengue e já foi usado em outros países no controle da doença. Aqui no Brasil, a experiência está sendo realizada em Juazeiro, o Programa foi aprovado pela CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança).

A coordenação do convênio é constituída pela Dra. Margareth Capurro, pesquisadora da USP, e pelo Diretor Presidente da Moscamed, Aldo Malavasi. “A integração dos técnicos da Moscamed com os pesquisadores e estudantes da Universidade de São Paulo será uma associação de grande valia para novas tecnologias no controle de mosquitos”, ressalta Malavasi.

Os cientistas envolvidos misturam material genético de outro mosquito, a conhecida moscas-das-frutas, ao do Aedes aegypti. O bicho geneticamente modificado gera filhotes que não chegam à fase adulta, a transformação faz com que os novos insetos produzam uma proteína que causa sua morte ainda no estágio larval.

Em laboratório, os embriões são produzidos e identificados. Por diferença de tamanho em relação às fêmeas, os machos são isolados antes da fase adulta, quando serão liberados no ambiente. Soltos, concorrerão para procriarem com as fêmeas, o que, em longo prazo, deve reduzir a população local dos insetos.

Instalada em Juazeiro desde 2005, a Moscamed é uma organização social que desenvolve experimentos para o controle, a redução e a erradicação de pragas, principalmente as incidentes nas atividades agropecuárias, por isso sua instalação no Vale do São Francisco. E vem inovando em sua área de atuação. O Projeto de controle genético do mosquito da dengue tem como parceiros o Ministério da Saúde, a Secretaria da Saúde da Bahia e Prefeitura Municipal de Juazeiro.

Grazzi Brito é jornalista, mora em Juazeiro, na margem baiana do vale do Rio São Francisco


=====================================================
OPINIÃO POLÍTICA

A ovelha negra

Ivan de Carvalho

A rebelião ou revolução na Líbia vem tomando um caráter diferente e muito mais perigoso que nos demais países árabes, destacadamente a Tunísia e o Egito, onde mobilizações populares conseguiram levar forçar a queda ou renúncia de dois presidentes que governavam com poderes de ditadores há décadas.

Nos países árabes onde esses movimentos surgiram com mais força, tudo pareceu uma espécie de festa cívica, ainda que com resultados políticos decisivos. As grandes manifestações na Praça Tahrir, no Cairo, foram o mais notório exemplo disso.

Mas na Tunísia e no Egito havia estrutura estatal e da sociedade suficientes para assumir o poder imediatamente após a queda de seus presidentes-ditadores. E havia exércitos organizados, que não se desintegraram e também não massacraram os rebeldes e muito menos a população em geral. Exemplo mais evidente disso é que no Egito o Exército, por seu comando, assumiu ostensivamente o poder, em cujo núcleo incluiu também o presidente da Corte Suprema.

Agora, tanto no Egito quanto na Tunísia, os novos tutores desses países prometem se manter no poder apenas durante um período de transição, que terminará com eleições próximas e a posse dos eleitos para exercerem o poder dentro de parâmetros democráticos. Na teoria, e tendo em consideração as circunstâncias, trata-se de um plano perfeitamente aceitável tanto para a democracia em termos mundiais quanto para os povos do Egito e da Tunísia.

Vários outros países, a exemplo de Bahrein, Iêmen, Argélia, Marrocos, Jordânia e mesmo a extremamente estratégica Arábia Saudita responderam a manifestações populares mais ou menos amplas (modestíssimas em alguns casos, como na Arábia Saudita e na Jordânia) com promessas de reformas políticas e econômicas, o que parece ter aquietado, ao menos momentaneamente, uma grande parte (não todos) dos manifestantes.

Mas havia que se apresentar a ovelha negra e a ovelha negra é a Líbia. Ontem, a secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, disse que o governo americano teme que a Líbia mergulhe no caos e se torne, como a Somália, um “refúgio” para a Al-Qaeda. Um refúgio, aí, significa não somente um lugar para terroristas da organização de Bin Laden se esconderem, mas um país-base, como antes foi o Afeganistão dos Talebãs. Apenas, tendo em vista as lições do passado recente, uma base menos ostensiva.

Hillary tem razão. E têm razão todos os que vêm advertindo para a hipótese de que a situação na Líbia acabe levando a uma guerra civil entre oponentes severamente espatifados, o que naturalmente pode gerar a situação de caos a que se referiu a secretária de Estado dos EUA. Na Tunísia e no Egito, as manifestações contra o regime foram pacíficas e inicialmente apenas combatidas moderadamente por forças policiais. O Exército, nos dois países, se conteve e, na sequência, até forçou a saída dos dois ditadores.

Na Líbia, porque houve reação violenta do regime de Gaddafi (há uma dez maneiras supostamente corretas de escrever este nome em idiomas não árabes) contra as manifestações e porque os instrumentos de comunicação e expressão foram quase totalmente suprimidos, grupos armados rebeldes logo apareceram. No momento, pedem socorro na forma de um ataque aéreo estrangeiro a forças de Gaddafi. Mas a Rússia e a China, que têm o direito de veto no Conselho de Segurança da ONU, são contra qualquer tipo de ação militar.

E preparam assim, os dois lados dentro do país, e a geopolítica das potências, os elementos necessários ao pior cenário. Ali, na Líbia, a ovelha negra da “primavera árabe” está tentando botar o rebanho a perder.

E com boas chances de êxito.

mar
03
Posted on 03-03-2011
Filed Under (Charges) by vitor on 03-03-2011


=========================================================
M. Aurélio , no jornal Zero Hora(RS)

Deu no jornal A TARDE

Um confronto entre agentes da Polícia Civil de Salvador resultou na paralisação da corporação na quarta-feira, 2, à noite. Tudo começou quando policiais de duas delegacias especializadas trocaram tiros na Avenida Paulo VI, próximo à padaria e delicatessen Super Pão, na Pituba. O agente da Furtos e Roubos Valmir Borges Gomes, 54 anos, conhecido como “Nosso Amigo”, morreu no confronto.

Segundo a corregedora da Polícia Civil Iracema Silva, um jovem de 19 anos foi abordado por Valmir e outros dois homens, que também seriam policiais, ao tentar comprar lança-perfume. Os policiais exigiram dinheiro para não prendê-lo. Apavorado, o rapaz entrou em contato com os pais, que o mandaram pedir ajuda à Corregedoria de Polícia. Lá, ele foi encaminhado para a Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes, nos Barris.

Ao saberem do caso de extorsão, os agentes da DTE decidiram ir ao local marcado para o pagamento a fim de flagrar os colegas cometendo o crime. Um deles seguiu com a vítima no Clio JQW-7824, de Feira de Santana, da mãe do rapaz. Outra equipe deu apoio num carro oficial.

Quando o rapaz chegou ao local combinado, na Pituba, Valmir e seus comparsas perceberam que ele estava acompanhado por policiais. Então o grupo que tentou extorquir o rapaz começou a atirar. Houve revide e o agente da Furtos e Roubos foi baleado. Ele foi levado para o Hospital Geral do Estado, mas não resistiu aos ferimentos.

A morte do agente Valmir Gomes gerou um grande protesto em frente à Corregedoria da Polícia Civil na quarta, à noite. Brandindo escopetas e outras armas de grosso calibre e aos gritos de “assassino!”, mais de 30 policiais ameaçaram parar as atividades durante o Carnaval por causa da morte do colega.

Mais informações na edição impressa de A TARDE


=================================
Lambada Da Delícia
Gerônimo

Já é carnaval cidade
acorda pra ver bis

A chuva passou cidade,
o sol vem aí

Brincar de menina, fazendo menino
É mar de verão, é lua de dia, oh cidade louca!!!

Já é carnaval cidade

—————————————–
BOA NOITE!!! FELIZ CARNAVAL, CIDADE!

(VHS)

  • Arquivos

  • Março 2011
    S T Q Q S S D
    « fev   abr »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031