João Ubaldo: baiano porreta
faz 70 domingo(23) na ilha
======================================

CRÔNICA/ UM PORRETA

NEM TODO JOÃO É UBALDO

Janio Ferreira Soares

Todo mundo tem um João em sua vida. Eu mesmo fui amigo de um com oitenta e tantos anos de gabolice que atendia pela alcunha de Vaqueiro, cujo perfil transitava entre Clint Eastwood e Charles Bukowiski. Do eterno caubói carregava o estilo de quem entra sem pressa no saloon, acotovela-se no balcão e vira várias doses de whisky com o mesmo prazer que eu tive ao tomar minha primeira fratelli numa lanchonete da Carlos Gomes. Do escritor levava o jeitão do velho safado que pisca para as dançarinas do mesmo recinto e as arrastava para uma banheira cheia de espuma e possibilidades. Pena ter partido sem realizar seu sonho maluco de dar um grau em Dilma, “rodopiando num forró pé-de-serra pra ela perder a autoridade e o juízo”. Grande figura.

Na Bahia, celeiro natural de cores e nomes, abundam joões. Tem o de sobrenome Gilberto, mestre em acordes e influências; tem o rei da confusão, de Gil; tem o Valentão, de Caymmi; têm os que carregam a pecha de Ninguém, Bobo e Sem-Braço; e, por esses dias, têm dois que estão passando por momentos distintos.

Um anda despertando a ira dos soteropolitanos e periga tornar-se unanimidade no quesito “sinônimos desaforados terminados em ado” (odiado, execrado, abominado…). Trata-se do prefeito João Henrique, que está deixando Salvador virar algo nunca dantes imaginado. Já o outro pode ser descrito por predicados bem diferentes dos dirigidos ao alcaide, embora com as mesmas harmonias verbais. João Ubaldo (admirado, venerado, festejado…), craque maior na arte de transformar caracteres em obras-primas, estará completando 70 anos neste domingo, 23 de janeiro, data que, torço, vire feriado municipal no restante da Ilha de Itaparica, posto que, no bar de Espanha e adjacências já o é de há muito.

De Paulo Afonso, cidade onde sargento Getúlio veio buscar um preso em um de seus melhores livros, este locutor se inclui no coro dos contentes e faz votos para que o farol da Ilha continue guiando e protegendo os passos do seu filho mais porreta toda vez que ele sair pra bater pernas pelas ruas do Leblon.

Janio Ferreira Soares, cronista, é secretário de Cultura e Turismo da cidade de Paulo Afondo, do lado baiano do Rio São Francisco, com vista para Alagoas e Pernambuco.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2011
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31