Paulo Coelho e o editor Hejazi: censurados

======================================================
OPINIÃO POLÍTICA

Brasil, Irã e Paulo Coelho

Ivan de Carvalho

“Eu, sinceramente, espero que o governo brasileiro se pronuncie a respeito”, assinalou em seu blog o escritor Paulo Coelho. Ele recebeu um email enviado por seu editor no Irã, Arash Hejazi, informando sobre a decisão do Ministério da Cultura e Orientação Islâmica do Irã de proibir a publicação de qualquer de seus livros no país.
Os livros do mundialmente mais lido escritor brasileiro – 300 milhões de exemplares em 150 países – têm sido vendidos no Irã desde 1998. Paulo Coelho disse em seu blog contar com o governo brasileiro para resolver o problema, afirma considerar “um mal-entendido”, o que, considerando-se o regime do Irã e os precedentes na área literária, quase certamente não é. As autoridades iranianas certamente avaliaram atentamente o assunto antes de comunicarem sua decisão.
“Espero que o Itamaraty e a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, não se omitam em relação a essa medida arbitrária, pois, caso contrário, estarão assinando embaixo”, disse o escritor, que também observou, com ironia, que até as edições piratas de seus livros foram proibidas e ele não sabe como o governo iraniano vai “fiscalizar isso”.
A hipótese de mal-entendido, levantada por Paulo Coelho, apenas tenta deixar a porta aberta para uma eventual mudança da posição iraniana, mas não é verossímel. Na visão cultural e doutrinária das autoridades islâmicas que detêm o poder no Irã, a proibição é absolutamente lógica. Afinal, o escritor é um mago e costuma por a magia, em sua acepção ampla, como tema de seus livros. E a autoridade islâmica iraniana não admite nada que possa diferir (eu não disse contrariar) de sua interpretação do Corão.
Um ensaio de iniciativa do governo brasileiro em defesa da liberdade de publicação dos livros de Paulo Coelho no Irã já foi feito. A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, informada do problema na manhã de ontem, disse que iria telefonar até o fim do dia ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. A ministra declarou que “qualquer tipo de censura é abominável. Precisamos saber como o governo pode se manifestar”.
Uma declaração muito lúcida, mostrando que ela entende que está inserida no contexto do caso, como ministra da Cultura, mas não é a autoridade adequada para dar uma posição oficial do país. Assim como um esperado protesto da Academia Brasileira de Letras, da qual Paulo Coelho é membro, também não resolveria a questão de um posicionamento oficial do Estado brasileiro. Este só pode acontecer por intermédio da presidente Dilma Rousseff ou de ação formal do Itamaraty, em nome do governo.
Dilma Rousseff já qualificou de “bárbara” e “medieval” a pena de morte por apedrejamento, que o Irã ia aplicar contra uma mulher, Sakineh Ashtiani. O apedrejamento, que não é uma pena “medieval” (na qual tinham preferência a fogueira e outras formas de matar condenados), mas da Antiguidade, foi sustado em relação a Sakineh, por adultério, mas ela ainda pode ser enforcada, por suposta participação em homicídio.
Paulo Coelho, que diz já ter vendido mais de 6 milhões de livros no Irã, aceitou a sugestão de seu editor iraniano de disponibilizar seus livros na Internet para download. Em 2005, seu livro El Zahir já havia sido proibido no Irã, que também proibiu, há tempo, um livro de Dan Brown e outro de Gabriel Garcia Marques.
Dá quase para apostar que, com interferência ou não do governo brasileiro, Paulo Coelho está definitivamente fora do mercado iraniano, ressalvadas as edições piratas e a Internet.

Be Sociable, Share!

Comentários

Marco Lino on 11 Janeiro, 2011 at 20:42 #

“Tá rebocado meu cumpadi
Como os donos do mundo piraram
Eles já são carrascos e vítimas do próprio mecanismo que criaram!” Raul Seixas

Os EUA, país “guardião das liberdades no mundo” (especialmente onde há petróleo), censuram o Wikileaks e caçam seu fundador para julgá-lo em terra yankee. Pena de morte para Assange? Se for, certamente não será por apedrejamento (coisa de medievo), mas o rapaz será morto sentado confortavelmente numa cadeira. A civilização ocidental é chic!

O governo Lula tentou, através do anarco-comuno-terrorista Franklin Martins (homem oriundo da imprensa, sacaram?), até o final emplacar um projeto que acabava com a liberdade de expressão no nosso querido Brasil. Dilma, a ex-terrorista, com um bom senso estranhíssimo, emperrou o projeto.

A Rede Globo demitiu alguns de seus bons jornalistas porque questionaram a parcialidade da emissora nas eleições de 2006 (ganhou inimigos na “blogosfera” e fortaleceu a rival).

A Justiça Militar censurou o Estadão, que demitiu (não renovou o contrato – hehehe) de uma colunista que nutria simpatia pelo governo (federal, jamais confundam com o de São Paulo).

A Folha (o jornal do futuro, imaginem) clamou na Justiça para tirar do ar um site que a criticava.

O pobre do Heródoto Barbeiro acreditou na “modernidade tucana” de São Paulo e teve a petulância de questionar os valores dos pedágios paulistas (hahahahahaha). O pobre foi convidado a conhecer o Hades.

Um militar baiano foi preso após escrever um livro e conceder entrevista à Tribuna da Bahia.

Por fim, o glorioso Irã, país de tantas glórias e um dos berços da civilização, tem o atrevimento de censurar os livros de Paulo, o Coelho…

Meu amigo, os donos do mundo piraram!!!


danilo on 12 Janeiro, 2011 at 10:25 #

é, Marco Lino, eu sempre disse q tú é um fundamentalista juramentado. mas aqui pra nós, censurar livro é mesmo o fim da picada.

posso até imaginar você nos anos 70 – se é q viveu naquela época; aliás nem mesmo sei se voce vive consoante com os tempos de hoje – você nos anos setenta retado da vida e culpando o governo porque proibiram a música Apesar de Você, cujo autor é aquele sambista burguesão acomodado que mora no Alto Leblon.


Marco Lino on 12 Janeiro, 2011 at 11:12 #

Estava internado, Danilo? Não esqueça o medicamento…

Não é demais dizer que não apoio censura a livro algum, não? Mesmo sendo os livros do mago brasileiro.

Aliás, Paulo, o Coelho, como mago,não seria queimado na IM. Garapa pura. Mago paraguaio.

Abs


Demóstenes Teixeira on 12 Janeiro, 2011 at 11:42 #

Esse “cheque” é com “X”….


vitor on 12 Janeiro, 2011 at 12:10 #

Demóstenes

Erro do editor apontado no BP (crasso, por sinal) já está corrigido no título do artigo de ontem de Ivan, colega e admiração comum, que eu sei ha muito tempo.

Agradeço a forma gentil da correção feita pelo sempre atento e dos mais bem informados profissionais do jornalismo da terrinha, além de um dos melhores textos que conheço (aí nacionalmente falando).

Para falar a verdade, além da falha apontada foi muito bom saber que você também navega pelo mar do Bahia em Pauta.Imagino que Ivan de Carvaljho é o santo responsával pelo milagre, mas devo confessar que isso alegra muito este editor.

Mande mais correções e -quando quiser – notícias do precioso caderno de apontamentos do sempre bem informado e atento jornalista de sempre. CHEGA MAIS !

Obrigado e grande abraço

(Vitor Hugo Soares, editor do BP)


danilo on 12 Janeiro, 2011 at 13:19 #

sim, Marco Lino, estou internado no Sanatório Geral. aquele mesmo Sanatório Geral da música do seu mago do Alto Leblon.

fujo da vigilância da minha enfermeira particular Lavínia Vlasak, subo no muro e vejo Sarney e Lullla abraçados em São Bernardo do Campo, vejo os paralelepídeos arrepiados, vejo a nossa pátria mãe tão distraída sem perceber que está subtraída em tenebrosas transações.

tudo bem, eu sei que vai passar. meus medicamentos estão em ordem. mas tem muito maluco do lado de fora. e se o pessoal daqui te ver eles também vão te internar…


Marco Lino on 12 Janeiro, 2011 at 14:07 #

hehehehe

Tenho um medo retado de tomar esses medicamentos, dizem que viciam.

Dizem que boa parte desses pós-modernos termina, como o Nietzsche, desenvolvendo algum tipo de esquizofrenia.

Minha escola é outra, sou filho do Iluminismo e a ele continuo preso. A razão e a generosidade, creio, devem nortear o humano.

Parece que o filho de Sérgio Buarque tb não abandonou a estrada. Que bom.

Navegar contra a correnteza é trabalhoso. Mas às vezes dá uma ponta de orgulho não ser levado na manada…

Segue, para vc matar saudade do Chico, Yolanda. Aliás, Buarque e Milanes:

http://www.youtube.com/watch?v=aNzL2KEgPlI


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2011
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31