=====================================
BOM DIA!!! FELIZ ANO NOVO PARA TODOS!!!

(VHS)

Be Sociable, Share!

Comentários

Graça Azevedo on 31 dezembro, 2010 at 11:30 #

Vitor Hugo
Que 2011 seja o ano de “a wonderful world”! Peço-lhe que transmita os meus votos à equipe do bahiaempauta, em especial a Margarida.
Grande abraço


luiz alfredo motta fontana on 31 dezembro, 2010 at 11:52 #

Caro Vitor

Nesta passagem de década

em qualquer balanço feito

restará, entre as boas surpresas

o teu olhar fraterno

Grato!!!

Tim Tim!

fontana


Mariana Soares on 31 dezembro, 2010 at 16:39 #

A você, meu irmão, Poeta Fontana, Gal e a todos que fazem do Bahia em Pauta este lugar singular de debate livre de idéias, opiniões e sentimentos, desejo um 2011 com muitas alegrias, saúde, sonhos realizados e, sobretudo, pleno de muiitooo amor, que é o verdadeiro combustível para nossas vidas!
Vida longa ao Bahia em Pauta e a todos vocês!
Abraços a todos! Tim Tim!
Mariana


Carlos Volney on 31 dezembro, 2010 at 18:34 #

Permito-me uma intromissão, conquanto saiba do pequeno valor dela pela pequena qualificação de seu autor.
Vitor Hugo, você é um verdadeiro oásis nesse deserto, para dizer o mínimo, a que se reduziu a imprensa brasileira. Sim, pois até pelo maniqueísmo explícito ela vem pecando. Eis que, quando tudo parece perdido, quando já pensamos em “jogar a toalha”, surge esse verdadeiro bálsamo a aliviar nossas dores que é o BAHIA EM PAUTA. Vida longa a você, caro mestre e ao BH. Ou, pelo menos mais 2011 anos de vida.


Gilson Nogueira on 31 dezembro, 2010 at 20:44 #

Vítor Hugo,amigo, grande timoneiro do BP, como um dos seus marujos, nesse barco baianoda comunicação global, desejo a você e aos seus familiares um oceano de alegria, repleto de êxitos, sob as bençãos de Deus! Um forte abraço


regina on 31 dezembro, 2010 at 21:34 #

Amar
1960 – ANTOLOGIA POÉTICA
Carlos Drummond de Andrade

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar,desamar, amar?
Sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Nota: Com e atravéz do amor o mundo será wonderful!!!!!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • dezembro 2010
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    2728293031