nov
26
Posted on 26-11-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 26-11-2010

Obama: cotovelada na boca/SOL

=====================================================================

O Presidente dos Estados Unidos teve de ser suturado com 12 pontos no lábio depois de ter levado uma cotovelada quando praticava o seu esporte favorito, o basquetebol.

Obama jogava uma partida de basquete com amigos e família em Fort McNair, perto de Washington DC, quanto foi atingido na boca com uma cotovelada.

O Presidente recebeu 12 pontos e foi submetido a anestesia local. Mais tarde, foi visto por jornalistas na Casa Branca com um saco de gelo aplicado sobre a boca.

O chefe de Estado gozava um raro momento de lazer durante o período de férias de Ação de Graças quando o acidente aconteceu.

Obama joga basquetebol desde a adolescência, quando o seu sonho era ser um atleta profissional.

( Informações do jornal SOL, de Portugal, com agências )

nov
26

O PT pressiona a presidente eleita, Dilma Rousseff, para tentar reaver ministérios cedidos a partidos aliados no governo Lula. Os principais alvos são Saúde e Cidades, hoje nas mãos de PMDB e PP, respectivamente.

A ofensiva também inclui pastas de menor orçamento como a da Cultura, cuja indicação cabia ao PV, além de cargos federais de segundo e terceiro escalão nos Estados.

“É uma ação de reintegração de posse”, resume a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), cotada para a Secretaria de Políticas para as Mulheres.

O ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) disse que as siglas aliadas serão respeitadas nas negociações, mas criticou a pressa por novos anúncios.

“Quem não estiver calmo tem que ficar, porque o tempo é da presidente eleita. Nenhum partido é dono de ministério”, avisou.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, coordena um mapeamento de cargos para organizar os pedidos petistas em cada Estado. “Ou para ter ao menos uma noção do tamanho do pepino”, brincou.

Ontem, representantes de diversas correntes do PT discutiram o tema em Guarulhos, na Grande São Paulo, em reunião fechada com a presença do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil).

Sem mandato a partir de fevereiro, Ideli defendeu abertamente a retirada do Ministério das Cidades do PP, que se manteve neutro na eleição presidencial. “Politicamente, não faz sentido mantê-los ali. Não é compatível com o compromisso na campanha”, disse.

Ela também pressiona por cargos em Santa Catarina cedidos a alas de PMDB e PP que apoiaram José Serra (PSDB) na eleição.

Anunciada como um seminário sobre conjuntura política, a reunião de ontem atraiu outros petistas sem destino certo em 2011, como o deputado José Genoino (SP), que não se reelegeu, e a ex-ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial).

Genoino pregou que os petistas evitem brigas internas ao negociar espaço no governo. “O PT aprendeu na prática que dividido a gente se ferra”, afirmou.

(Com informações do UOL )

nov
26

DEU NO IG

Uma troca de tiros ocorreu por volta de 16h30 da tarde desta sexta-feira (26), entre militares do Exército e supostos traficantes que estão no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro.

De acordo com o chefe da seção de comunicação do Comando Militar do Leste, Coronel Ênio Zanan, a troca de tiros foi breve e ocorreu com um grupo pequeno de militares.

“Estamos fazendo uma operação de isolamento e cerco no Complexo e ocupamos, até agora, 39 pontos estratégicos. Essa troca de tiros ocorreu quando criminosos atiraram contra militares que estavam em dois desses pontos”, afirmou ao iG.

Ainda de acordo com o oficial, não houve feridos.

Mais cedo, em uma coletiva de imprensa, o comandante do Comando Militar do Leste, general Adriano Pereira Júnior, já adiantava que poderia ocorrer um confronto.

” A proposta é fazermos segurança de perímetro, dando à população tranqüilidade de se deslocar. Eles estão usando armas, para serem usadas se necessário. É uma força de militares bastante experientes e bem orientados. Se tiver de haver confronto, estaremos prontos.”

Os militares do Exército começaram a chegar ao Complexo do Alemão por volta das 15h desta sexta-feira (25). Eles foram cedidos pelo Ministério da Defesa para auxiliar no combate à onda de ataques na cidade.


====================================================================
O Dia Em Que o Morro Descer e Não For Carnaval

Wilson das Neves

O dia em que o morro descer e não for carnaval
ninguém vai ficar pra assistir o desfile final
na entrada rajada de fogos pra quem nunca viu
vai ser de escopeta, metralha, granada e fuzil
(é a guerra civil)
No dia em que o morro descer e não for carnaval
não vai nem dar tempo de ter o ensaio geral
e cada uma ala da escola será uma quadrilha
a evolução já vai ser de guerrilha
e a alegoria um tremendo arsenal
o tema do enredo vai ser a cidade partida
no dia em que o couro comer na avenida
se o morro descer e não for carnaval
O povo virá de cortiço, alagado e favela
mostrando a miséria sobre a passarela
sem a fantasia que sai no jornal
vai ser uma única escola, uma só bateria
quem vai ser jurado? Ninguém gostaria
que desfile assim não vai ter nada igual
Não tem órgão oficial, nem governo, nem Liga
nem autoridade que compre essa briga
ninguém sabe a força desse pessoal
melhor é o Poder devolver à esse povo a alegria
senão todo mundo vai sambar no dia
em que o morro descer e não for carnaval.

======================================================================

BOM DIA !!!

(Gilson Nogueira)

nov
26
Posted on 26-11-2010
Filed Under (Charges) by vitor on 26-11-2010

===========================================

Amarildo, hoje na Gazeta (ES)

nov
26

Saul Quadros, OAB: aliviado

================================================================

OPINIÃO POLÍTICA

O Conselho Estadual de Comunicação

Ivan de Carvalho

Uma sessão especial na Assembléia Legislativa, na tarde de ontem (25), debateu o anteprojeto que o Poder Executivo deverá mandar à Assembléia Legislativa, propondo a criação de um Conselho Estadual de Comunicação, “vinculado à Assessoria Geral de Comunicação Social da Casa Civil do Estado da Bahia”. É, portanto, um órgão do Estado, não da sociedade. O Conselho, segundo o anteprojeto, tem “caráter consultivo e deliberativo sobre sua finalidade de formular a Política Estadual de Comunicação Social”, observadas as Constituições estadual e federal, “reconhecida a comunicação social como um serviço público e um direito humano e fundamental”.

A sessão especial foi convocado a requerimento do deputado Gaban, democrata e ex-presidente da Assembléia Legislativa, preocupado em abrir o debate sobre o assunto, uma vez que está nele envolvida a liberdade de expressão, mais especificamente a liberdade de imprensa. Um dos convidados que participaram da sessão, o presidente da OAB, secção da Bahia, Saul Quadros, disse, em breve pronunciamento, que, numa leitura rápida, não via inconstitucionalidade ou censura à imprensa no anteprojeto.

Quadros pareceu aliviado por não ter identificado na proposta problemas como os de lei similar (não igual) que está levando a mídia privada do Ceará a sentir-se sob pressão e censura. O próprio deputado Gaban, que presidiu a sessão especial, também avaliou como aceitável o anteprojeto, desde que sejam corrigidas “algumas falhas”. Serão corrigidas se o Executivo quiser, dado que a bancada governista será ampla maioria no ano que vem, quando o projeto vai tramitar.
Eu diria que, em verdade, é como se aqui na Bahia houvessem retirado o bode da sala – daí o alívio, pela comparação com o caso do Ceará.

Mas o projeto do governo baiano, embora feito com bem mais cuidados, tem problemas graves, sim. E são vários. Em alguns casos, sequer parecem problemas – mas algumas de suas normas, quando levadas à prática continuada, vão seguramente criar distorções.
Pode-se até imaginar que isto não aconteça no atual governo, tendo-se em conta as convicções não só “republicanas” como democráticas do governador (pois dele, em última análise, vai depender o que fará o Conselho e o que não fará). Mas o mandato do governador Wagner não é eterno. E depois? E depois de depois?

Vamos, no entanto, evitar o detalhamento, que não caberia neste espaço de uma só vez. Tomemos apenas como exemplos de riscos maiores dois pontos:

1. A proposta prevê que o Conselho terá 25 membros. Sete deles serão representantes de órgãos estaduais. Mais um das universidades públicas com atuação na Bahia. Dos 17 restantes, aí nas contas do deputado Gaban, a imprensa tradicional (empresas de jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão e a “entidade profissional de classe”, juntas, têm apenas quatro representantes. Se essa entidade é o sindicato dos jornalistas, parece – salvo exame mais detido da proposta – que não está sendo aberto espaço sequer à Associação Bahiana de Imprensa. Mas há uma plêiade de representantes de outros setores.

2. O outro ponto “quente” é o inciso VII do artigo 2º, que dá ao Conselho a função de “receber e reencaminhar denúncias sobre abusos e violações de direitos humanos nos veículos de comunicação do Estado da Bahia, aos órgãos competentes, para adoção de providências nos seus respectivos âmbitos de atuação”. É o jabuti em cima da árvore. Ora, tem o Ministério Público, tem a polícia, tem a vítima dando noticia criminis, tem os advogados, tem a Defensoria Pública, tem os códigos Penal e Civil, tem o Poder Judiciário.

  • Arquivos

  • novembro 2010
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930