====================================================
BOA NOITE!!!

nov
17

=====================================================

DEU NO COMUNIQUE-SE (Portal especializado em notícias de bastidores da imprensa)

Da Redação

A TV Alterosa, afiliada do SBT em Minas Gerais, conseguiu um furo que pode afastar temporariamente o advogado Ércio Quaresma, que defende o goleiro Bruno Fernandes, da profissão. Na última semana, a emissora mineira exibiu um vídeo em que mostra o advogado fumando crack em uma favela mineira.

Ao descobrir a existência do vídeo, o advogado de outros cinco acusados pela morte de Eliza Samudio, resolveu conceder entrevista ao jornal O Dia e ao programa TV Verdade, da afiliada do SBT, e confirmou o vício em crack, mas disse que passa por tratamento.

Com a repercussão do caso, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais (OAB-MG), Luís Cláudio Chaves, determinou a abertura de um processo disciplinar contra o advogado. Segundo Chaves, o processo pede que seja avaliada uma suspensão preventiva, o que afastaria liminarmente o advogado de Bruno do exercício da profissão.

Já o presidente em exercício da Comissão de Ética da OAB, Fábio Henri, disse que a suspensão de Quaresma é “inevitável”. Henri assina, nesta quarta-feira (17/11), um parecer pedindo a suspensão do advogado por 60 dias. “A comissão é obrigada a atuar como mais celeridade e rigor, porque tem uma repercussão muito negativa”, disse Henri.

Segundo ele, as imagens são claras. “Há materialidade e a suspensão é inevitável”, afirmou.

No vídeo é possível ver que houve uma confusão sobre o valor pago pela droga, mas um dos traficantes se acalma ao saber que se trata do  advogado de Bruno, Ércio Quaresma.


========================================================
Felicidades, Laura!

(Regina )

Messi: a vibração do craque

DEU NO TERRA

=================================================
No jogo que marcou o retorno de Ronaldinho, a Seleção Brasileira foi derrotada por 1 a 0 pela Argentina, em Doha, no Catar. No último lance da partida, brilhou a estrela de Lionel Messi, que arrancou em contra-ataque veloz, levou a marcação do Brasil e desempatou um jogo que se encaminhava para 0 a 0.

O Brasil, que tinha três vitórias e ainda sequer havia levado um gol com Mano Menezes, perde também invencibilidade de cinco jogos contra a Argentina. A última derrota havia sido em 8 de junho de 2005, pelas Eliminatórias: 3 a 1 para os argentinos em Buenos Aires.

Depois de um primeiro tempo bastante aberto, em que as duas seleções acertaram finalizações na trave, Brasil e Argentina fizeram partida de poucas oportunidades na etapa final. A Seleção de Mano caiu após três alterações (Douglas, André e Jucilei entraram) e prevaleceu o talento de Lionel Messi para desequilibrar no último lance.

Ronaldinho não jogava pela Seleção desde abril de 2008 e teve as companhias dos talentosos Neymar e Robinho, além de Elias, mais solto, vindo de trás. Na primeira etapa, a peça ofensiva funcionou bem e o Brasil atacou com naturalidade, diferentemente do segundo tempo. Ronaldinho foi até sacado por Mano aos 25min do segundo tempo.

Primeiro tempo aberto no Catar

Brasil e Argentina realizaram um primeiro tempo bastante aberto e cheio de alternativas em Doha. Com boa movimentação e toque de bola rápido, a Seleção Brasileira atingiu a proposta que Mano Menezes imaginava, embora não tenha tirado o zero do placar. O treinador, porém, só se desesperou com o excesso de passes e poucas finalizações ao redor da área argentina.

Mais cautelosa, mas esperta no contra-ataque, a Argentina foi a primeira a atingir o alvo. Com 5min, o incansável Zanetti desceu pela direita, cortou a marcação e chutou para defesa de Victor, bastante acionado no primeiro tempo. Pouco depois, a resposta brasileira por pouco não terminou em gol: Daniel Alves recolheu bola na entrada da área, tabelou e a acertou o travessão.

Jogando solto, Neymar apareceu livre na esquerda, logo depois, e criou situação de perigo. O santista levou um marcador e tocou para trás – ao tentar desviar, um defensor argentino quase marcou contra. Em cima da Argentina, o Brasil voltou a ameaçar aos 22min: Ronaldinho pegou reobte de escanteio e bateu de calcanhar, mas Romero defendeu.

Na última parte, a Argentina se mandou ao ataque e criou duas das melhores situações de gol. Higuaín, após escanteio, exigiu grande defesa de Victor, que por pouco não foi vazado aos 38min. Messi fintou a marcação e, da entrada da área, bateu de esquerda. A bola chegou a tocar no travessão.

Gol de craque

Para a etapa final, brasileiros e argentinos preservaram a ambição ofensiva, mas tiveram mais dificuldades em encontrar espaços para finalizar. A marcação no meio-campo também ficou mais dura e Mascherano, por exemplo, cometeu faltas suficientes para tirar a Seleção de Mano Menezes do sério.

Neymar chegou em dois bons contra-ataques, mas foi apanhado em impedimento no primeiro e errou passe que podia ser bom para Robinho no segundo. De fora da área, Daniel Alves bateu e assustou Romero mais uma vez. Assim, criando pouco, o Brasil tentou duas alterações para os 15 minutos finais: Douglas e André entraram nos lugares de Ronaldinho e Neymar.

As trocas, porém, foram insuficientes. O Brasil foi murchando, não criou chances de gol e ainda viu a Argentina marcar no último lance da partida aos 47min. Lionel Messi, em lance mágico, recuperou bola perdida por Douglas, arrancou da ponta direita, levou toda a marcação e bateu de esquerda, no cantinho de Victor, que nada pode fazer. Foi a primeira derrota com Mano Menezes.

nov
17
Posted on 17-11-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 17-11-2010


======================================================
Um samba feito de encomenda para esta tarde de festa no BP pelo aniversário de Laura, fundadora e uma das figuras mais queridas deste site blog. Aliás, foi ela quem postou pela primeira vez este expressivo samba de Seu Jorge no Bahia em Pauta. Podem festejar também, torcidas do Bahia e do Vitória!

(VHS)

nov
17

=======================================
OPINIÃO POLÍTICA

Liberdade, ainda que tardia

Ivan de Carvalho

A liberdade de imprensa obteve ontem uma vitória indiscutível, ainda que atrasada. Como na oração latina Libertas quae será tamen, retirada de Virgilio pelos Inconfidentes para a bandeira da república que imaginavam fundar e afinal tornando-se a marca profunda da bandeira de Minas Gerais, estado natal da presidente eleita Dilma Rousseff.

A vitória, ainda que tardia, da liberdade, no caso, a de imprensa, veio ontem com a decisão do Superior Tribunal Militar, por dez votos contra um, desautorizando decisão do presidente do STM, ministro Carlos Alberto Soares, que recusara o acesso do jornal Folha de S. Paulo ao processo que levou à prisão – nos tempos do regime militar e da insurgência armada – de Dilma Rousseff.

O ministro Soares, mesmo diante de mandado de segurança impetrado no STM pelo jornal, negou-se reiteradamente a permitir o acesso ao processo que trancara no cofre da presidência da corte, sob a alegação de que queria evitar que se fizesse “uso político do caso”.

Ora, a Folha queria exatamente levar a seus leitores, antes das eleições presidenciais de 3 e de 31 de outubro, as informações que considerasse importantes no processo, exatamente para que, eventualmente, isso pudesse ser um dos elementos de decisão dos eleitores quanto ao voto que dariam ou não para presidente da República – e, mais especificamente, claro, em relação a Dilma Rousseff.

Não teve jeito. O presidente do STM não cedeu e o tribunal não julgou o mandado antes do primeiro turno. A votação foi suspensa duas vezes. A última, em outubro, antes do dia 31 (dia do segundo turno), mas nesta segunda votação no STM já havia se imiscuído no caso a Advocacia Geral da União (que até então não entrara e resolveu pedir para entrar no processo) e fez um pedido de vistas na sessão de julgamento, quando este estava no escore de dois votos contra dois.
O pedido de vistas, é claro, empurrou o julgamento do mandado de segurança para depois da realização do segundo turno, objetivo evidente da AGU, que coincidia com o objetivo principal do presidente do STM.

Na nova sessão de julgamento, ontem, um dos ministros que votaram pelo indeferimento do mandado de segurança da Folha mudou de posição e votou a favor. Só votou contra o acesso do jornal o relator do processo, Marcos Torres, alegando que tal acesso iria invadir a intimidade e a privacidade da presidente eleita. A ministra Maria Elizabeth Rocha, que assessorou Dilma na Casa Civil, votou pela publicidade do processo, mas fez a ressalva de que todo e qualquer relato de tortura deveria ser mantido sob sigilo, para se preservar a intimidade dos envolvidos. O argumento também foi rejeitado pelo tribunal. “Não existe liberdade de imprensa pela metade”, disse o ministro Artur Vidigal de Oliveira.

O jornal reclamara, no mandado de segurança, seu direito de acessar os autos do processo, evidentemente já encerrado. Na votação de ontem, um dos argumentos bastante usados foi o de que se trata de um “processo histórico”, de modo que o veto ao acesso do jornal e conseqüente publicação configurava censura, ferindo a liberdade de imprensa e, portanto, a Constituição (em suas cláusulas pétreas, entre as quais está a liberdade de expressão).

Em teoria, só a Folha se beneficia da decisão, podendo ter acesso ao processo, pois só este jornal litigou e venceu no STM. Mas se é um “processo histórico” e se impedir o acesso é censura e agride a liberdade de imprensa, difícil é imaginar que a teoria, na prática, não seja diferente. E se “não existe liberdade de imprensa pela metade” no sentido de poder divulgar uma coisa e outra não, também não deve prevalecer a idéia de que – parafraseando George Orwell em Animal Farm (A Revolução dos Bichos) – os veículos de comunicação são livres, mas uns são mais livres do que outros. Uns, livres “com acesso” e outros, livres, “sem acesso”.

Já que liberou para um, o STM deve liberar para todos. E afinal teremos um pouco mais de conhecimento, ainda que tardio, no sentido de que não será da candidata, mas já da presidente eleita e brevemente empossada.

nov
17
Posted on 17-11-2010
Filed Under (Charges) by vitor on 17-11-2010


==========================================
Humberto, hoje no Jornal do Commercio (PE)

nov
17
Posted on 17-11-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 17-11-2010

DEU NO COMUNIQUE-SE

(Portal especializado em notícias de bastidores da imprensa)

Da Redação

Dezenas de telespectadores do SBT enviaram cartas e e-mails para Silvio Santos oferecendo ajuda financeira ao SBT. As mensagens começaram a chegar no último final de semana. Os telespectadores perguntam como poderiam ajudar o empresário, que está com uma dívida de R$ 2,5 bilhões, fruto de um empréstimo para sanar o rombo do banco PanAmericano. Para segurar o pagamento, Silviou colocou a emissora e outras empresas de seu grupo como garantia do empréstimo.

“Silvio, gostaria de saber como posso ajudar você e o SBT”, diz o trecho de uma das cartas, informa a coluna Ooops, do jornalista Ricardo Feltrin. Segundo pessoas próximas a Silvio, as mensagens fizeram o empresário marejar os olhos de emoção.

“Peço que mandem uma conta do Grupo SS para que eu possa depositar um pouquinho das minhas economias para ajudar o Silvio que tanto tem ajudado o povo sofrido. (Assinado Jorge)”, diz outra mensagem.

Um internauta, com o mesmo argumento, afirma que o empresário já ajudou muitas pessoas, por isso gostaria de colaborar. “Silvio você é o cara. Já ajudou muita gente e agora é nossa vez de ajudar.” (Adriano, via hotmail).

Outro telespectador perguntou qual era a melhor forma de ajudar o empresário, comprando um carnê do Baú ou um bilhete da Tele Sena.
O rombo do banco, do qual Silvio é o principal acionista, está sendo investigado. O empresário não descarta a possibilidade de ter sido vítima de um golpe da administração do banco, mas aguarda o resultado das investigações.

Bruce e Mônica: antes da tragérdia

=====================================================

DEU NO IG

O americano Bruce Beresford-Redman, que foi produtor das séries “Survivor” e “Pimp My Ride”, foi preso nesta terça-feira na Califórnia acusado de ter matado sua mulher, a brasileira Mônica Burgos.

Nesta quarta-feira, o produtor, que diz ser inocente, deve comparecer a um tribunal em Los Angeles.

A prisão ocorre sete meses depois de o corpo de Mônica ter sido encontrado no esgoto de um resort em Cancún, no México, onde o casal estava hospedado. Foi o marido quem denunciou seu desaparecimento à polícia.

O corpo de Mônica apresentava marcas no pescoço e na cabeça. Segundo médicos legistas, ela sofreu um forte golpe na cabeça que provocou um traumatismo craniano.

Em abril, o marido de Mônica chegou a ser detido por um dia. Depois da libertação, as autoridades mexicanas solicitaram que ele permanecesse no país durante as investigações.

Porém, ele retornou aos Estados Unidos para “ficar com os filhos e para assuntos familiares e pessoais”, segundo declarou seu advogado. As autoridades mexicanas querem que o produtor volte ao país para ser julgado em uma Corte local, mas o advogado já indicou que seu cliente planeja lutar contra a extradição.

Segundo a agência Associated Press, o casal teria tido brigas constantes durante a estadia em Cancún. As irmãs de Mônica contaram que a viagem seria uma tentativa de reconciliação após a brasileira ter descoberto um caso extraconjugal do marido e pedido a separação.

Ainda segundo a AP, a polícia encontrou sangue na cama e na sacada do quarto em que o casal se hospedou. Mônica e Bruce estavam no resort junto com os filhos de cinco e três anos, cuja guarda temporária foi concedida aos avós paternos.

( Com informações das agências EFE e AP )

nov
17

<================================================
O TEMPO

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Mário Quintana

=========================================
Laura em Camden Town(Londres): beleza pura

============================================
A canção e a poesia são para Laura Dourado Cardoso Tonhá  neste 17 de novembro, dia de seu aniversário. Sem muito a acrescentar, pois a música de Caetano e o poema de Quintana já dizem quase tudo simbolicamente sobre esta figura que encanta a todos por onde passa: Em Londres, Nova Iorque ou Salvador.

Falta registrar que sem a iniciativa, além do o toque criativo e inteligente desta incrível publicitária chamada Laura, este site blog não existiria. Isso merece reconhecimento . E deve ser comemorado. Sempre.
Parabéns ! Você não imagina o quanto lhe querem bem e admiram todos os que fazem este BP, a começar por seu editor.
Seja feliz, hoje e sempre, Laurita.

(Vitor Hugo Soares, tia Ila, tia Márcia e todos os que fazem o Bahia em Pauta)

  • Arquivos

  • novembro 2010
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930