nov
03
Postado em 03-11-2010
Arquivado em (Artigos, Eventuais) por vitor em 03-11-2010 14:51

=======================================================================

 

Não adianta jogar fumaça no ar, que o blogueiro baiano Chico Bruno enxerga longe mesmo assim. Ele Mais: tem lunetas potentes no observatório privilegiado do litoral norte de Salvador, com janelas abertas para Atlântico, e bom colírio para limpar os olhos no meio da poluição jornalística que privilegia versões a fatos. Valoriza mais o adjetivo que o substantivo Confira no texto que o blog Chico Bruno – Politica & Cia Ltda publica nesta quarta-feira e Bahia em Pauta reproduz.

(Vitor Hugo Soares)

=======================================================================

Direto da Varanda: Chico Bruno

O governo é o mesmo, o que muda é o perfil

As manchetes de alguns dos principais jornais do país exalam versões e não fatos. Eis alguns exemplos:

O Globo: PMDB desafia PT e diz que não cederá ‘um milímetro’.

O Estado de S.Paulo: Mal-estar com PMDB faz Dilma pôr Temer na equipe de transição.

Correio Braziliense: PMDB joga duro e Dilma escala Temer.

Valor Econômico: PMDB já influencia as decisões da transição.

Estado de Minas: Transição terá Temer após pressão do PMDB.

Pelo visto, a imprensa aposta em uma temporada “Tom e Jerry” entre o PT e o PMDB, já agora na transição entre o governo que termina e o que começa.

Além disso, a imprensa começa a fomentar a ingerência de Lula no governo Dilma e como se dará a sucessão de 2014.

É incrível, mas o discurso inaugural da presidenta eleita e, muito menos, suas entrevistas aos telejornais conseguem falar mais alto do que as versões de uma possível temporada “Tom e Jerry”.

Ora bolas, qual o problema da futura presidenta em auscultar o presidente Lula. Não vejo demérito nenhum na atitude.

Afinal, Dilma foi à candidata escolhida por Lula para sucedê-lo. Em muitos momentos o presidente passou por cima de tudo e de todos para elegê-la.

Portanto é natural que os dois conversem sobre o futuro governo que será por razões óbvias de continuidade.

As mudanças serão de perfil.

Lula é extrovertido. Dilma é introvertida.

Lula é craque no improviso. Dilma não gosta de improvisar, prefere montar seu discurso.

Lula fala por metáforas para saciar o gosto de cada platéia. Dilma é mais direta e franca.

O estilo Dilma é o pão, pão, queijo, queijo.

Dilma demonstrou em sua primeira coletiva que não gosta de ficar repisando em assunto vencido e que não tolera perguntas dúbias.

Um bom exemplo do estilo Dilma é a sua resposta direta, curta e grossa sobre o apedrejamento da iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani.

A presidenta eleita classificou como “uma coisa muito bárbara”.

– Eu sou radicalmente contra o apedrejamento. Entendo que é uma coisa muito bárbara.

Ao dizer que “a continuidade é da política, não das pessoas”, o presidente Lula confirma a tese que do “rei morto, rei posto”.

Lula convive há quase oito anos com Dilma, sendo que de 2005 para cá diariamente.

Portanto, é muito importante prestar atenção ao que ela diz de primeira e não gosta de ficar repetindo.

Ao contrário de Lula, Dilma não gosta de alimentar versões, prefere cortá-las pela raiz.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 3 novembro, 2010 at 17:25 #

O governo é o mesmo

Com certeza o é

No que diz respeito à economia

Certamente encontrarão um novo Meirelles, executivos treinados pelo sistema, e sobretudo fidélissimos, é que não faltam.

Por outro lado, atores vocacionados para a árdua tarefa fingir coodernar a economia, na pasta da economia, também são costumeiros. Talvez Palocci ainda cause algum constrangimento querendo o papel de volta, mas caso Dilma tenha um mínimo de juízo não aceitará esse ruído.

O resto é a tal governabilidade, e nisto Renan, Jucá, Sarney, e assemelhados são imbatíveis.

Por último, vem o tal do estilo, uma benesse aqui, uma ousadia ali, discursos nostálgicos acolá, abraços em Fidel, caras e bocas com Sarkozy, e o cansativo suportar de humores bolivarianos nas vizinhanças. Afinal todos cearam no esquecido Foro São Paulo.

De novidade, o passeio sonâmbulo de figuras como Mercadante, entoando desafinada canção: “você viu minha influência por aí?”

Tem razão o Chico na sua varanda, já no bar o gelo ao menos será renovado.

Tim Tim.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2010
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930