O repórter baiano Eliano Jorge, da equipe de Bob Fernandes no Terra Magazine, olha para além das meras aparências, e faz jornalismo de verdade na matéria de análise sobre eleição de Dilma Rousseff publicada em TM, que Bahia em Pauta reproduz. Confira.

(Vitor Hugo Soares)

======================================================

ELIANO JORGE

Direto de São Paulo

Pessoas descontentes com a eleição da petista Dilma Rousseff atribuíram aos eleitores da região Nordeste peso decisivo no resultado do segundo turno, neste domingo (31). Porém, os nordestinos apenas aumentaram a vantagem que a futura presidente obteve no resto do País. Considerando apenas Norte, Centro-Oeste, Sul e Sudeste, ela somou 1.873.507 votos a mais do que o tucano José Serra.

E, antes que novos discursos discriminatórios – canalizados contra o Nordeste na internet – se direcionem a outro alvo fácil, o Norte, vale destacar que Dilma também ganharia a eleição sem o saldo positivo de 1.033.802 votos com que os nortistas lhe agraciaram.

O Sudeste, idealizado pelos críticos de nordestinos e nortistas como bastião do PSDB, deu à petista 1.630.614 eleitores a mais do que seu adversário. Esta quantidade supera em 839.695 votos a soma das vantagens que Serra teve no Sul, 656.485, e no Centro-Oeste, 134.434.

Embora o candidato tucano tenha acumulado 1.846.036 votos a mais do que Dilma em São Paulo, ele perdeu no segundo e no terceiro maiores colégios eleitorais do País, Minas Gerais e Rio de Janeiro, respectivamente com saldo negativo de 1.797.831 e 1.710.186.

Leia mais eleições:

http://terramagazine.terra.com.br

Be Sociable, Share!

Comentários

Marco Lino on 1 novembro, 2010 at 21:13 #

Quando li a reportagem no portal Terra, torci para que fosse postada aqui. Essa informação é caríssima. Satisfeito.


danilo on 2 novembro, 2010 at 0:04 #

afinal o que este tal de Eliano Jorge quer provar?

não adianta “tergiversar”, sêo Eliano. tem de ser “assertivo” e não há como negar que temos um país dividido e fim de papo.

e isso é péssimo para a unidade nacional. basta olhar o mapa do Brasil com os resultados da eleição e constataremos, sim, que os estados mais avançados na questão da saúde pública, IDH, estrutura, estradas, educação, instrução deram vitória a Serra.

vai negar isso?????

comparar Santa Catarina com Maranhão é covardia. ou Paraná com Pernambuco? São Paulo com Piauí?

o mais chato é que se o cara fizer esta comparação os fanáticos lullopetistas logo tacham o analista de preconceituoso como se não fosse verdadeira as diferenças regionais.

daí fica a perguntinha incômoda e deveras escrotinha:

será que os lullopetistas manterão ao longo de décadas a miséria nordestina e o sub desenvolvimento desta região como moeda eleitoral para alavancar votos pros cumpanhêros vermelhinhos?


Jader Martins on 2 novembro, 2010 at 8:53 #

Danilo , estes seus comentários delicados irritam profundamente os facistas como eu (rs,rs,rs). Em guarda rapaz !!!!


marco lino on 2 novembro, 2010 at 9:47 #

Danilo

O problema não está no repórter, mas nos números. Sim, eles dizem que a terrorista seria eleita sem os votos dos alienados do Norte e Nordeste.

Ou seja, os miseráveis do Sul e Sudeste mais os bóias-frias do Centro-Oeste seriam mais que suficientes para derrotar o estadista, o messias indeciso.

PS: Perder uma eleição para Tarso Genro, Eduardo Campos, Ciro Gomes, Wagner, vá lá. Mas perder para um poste búlgaro que nunca tinha sido candidata a nada… é uma escrotidão digna do antigo Maciel, não?

Só o Serra perderia para a Dilma (royalties para o Poeta).


luiz alfredo motta fontana on 2 novembro, 2010 at 9:48 #

Caso a onça não tivesse cabeça…

Ou a águia nascesse sem bico…

Incrível a criatividade

Monstruoso o desprezo à lógica

Nem o nordeste é estrangeiro

Nem o sul, ou o sudeste, pertencem ao paraíso…

Fosse o país algo abaixo da Bahia e o comportamento dos políticos em campanha seria outro, o que vale para os resultados

Mas como a moda é mula-sem-cabeça…

Aqui em sentido contrário, Fernando de Barros e Silva

Deu na Folha de São Paulo:

_______________________________

O recado do Nordeste

SÃO PAULO – Não foi uma vitória acachapante, como havia sido desenhada. Não foi, tampouco, uma vitória apertada, como ainda acreditavam alguns tucanos na véspera. Dilma Rousseff ganhou com folga, com 12 milhões de votos de vantagem. O Congresso terá composição mais governista do que o atual. Mas há uma oposição visível no país. Só os tucanos governarão oito Estados, entre eles São Paulo e Minas. Não houve, afinal, massacre.
Não houve, vírgula. A compreensão do famoso “recado das urnas” (com a licença do clichê) passa pela consideração do que aconteceu no Nordeste, onde Dilma obteve vitória esmagadora sobre José Serra.
Lá, a petista ultrapassou os 70% dos votos -uma vantagem de 41 pontos sobre o tucano, a quem derrotou em todos os Estados da região. Em números, isso representa 10,7 milhões de votos a mais que do que Serra só no Nordeste. É quase toda a diferença obtida no país.
O resultado discrepa muito do que se passou em outras praças. No Sudeste, por exemplo, Dilma teve 52%, e Serra, 48%. Sabia-se que Minas tinha importância estratégica e peso simbólico. Mas o serrismo exagera e distorce a realidade quando canaliza para o Estado de Aécio Neves o grosso da sua insatisfação.
Serra deve ter razões para espicaçar Aécio; Aécio deve ter ainda mais razões para não mover montanhas por Serra -mas as razões do fiasco tucano vão muito além do café com leite que azedou na xícara.
Dilma derrotou Serra por 58% a 42% no segundo maior colégio eleitoral do país. Mas, mesmo que o tucano tivesse batido Dilma com 80% dos votos em Minas, ainda assim a petista teria vencido a eleição.
Foi o Nordeste que fez a diferença. A votação de Dilma na região foi inferior à obtida por Lula em 2006 (77%), mas superior a que teve em 2002 (61%). Ela exprime, talvez, o novo protagonismo e a autoestima de um pedaço do país que historicamente serviu de cartão postal das nossas piores iniquidades sociais.

______________________________

Viva o jacaré sem asas


Graça Azevedo on 2 novembro, 2010 at 11:18 #

Sr. Danilo
Perguntar não ofende: quem criou a miséria do Nordeste foi o PT? e depois usou esta miséria para eleger o Lula e a Dilma?
Só queria entender…


danilo on 2 novembro, 2010 at 11:32 #

pois é, Marco Lino. como se Lulla não tivesse desrespeitado TODAS as leis e as regras e todas clásulas e paragráfos em sua completude da legislação eleitoral.

como se não colocasse TODA a máquina do estado – ministérios, estatais, mensalões, mensalinhos, fisiologismo descarado com ex-arqui-inimigos, e tudo isso e muito mais como NUNCA se viu na história desse país, para eleger Dillma.

como se Lulla não estivesse em campanha com Dillma há mais de 2 anos ininterruptos, em comícios, pallanques, pallavras e obras.

mas aí eu olho, mais uma vez, o mapa do Brasil com o resultado do segundo turno e lá está:

RS – deu Serra,
SC – Serra
Paraná – Serra
SP – Serra
Go e MS [agrobusiness] – Serra

e aí vem o cumpanhêro Elliano com sua anállise enviesada e diz que Dillma papou a eleição de norte a sul feito um Saddam redivivo e de saias.

é o mesmo que dizer o seguinte:

Vitória da Conquista deu vitória a Serra, mas se formos analisar a periferia da grande Conquista veremos que Dillma ganhou na periferia. e assim, portanto, baseando-se na “tática elliana”, não foi Serra que ganbhou em Conquista e sim Dillma.

ps: vcs se enganam ao pensar queo sou Serrista ou tucano. negativo. votei em Lídice Senadora, votei em Álvaro Guimarães, mas votei em Geddel e em Grampinho. meu voto é frankenstein. e é muito bom provocar vocês lullo-petistas.

Chico Viva Fidel Buarque dizia que era gostoso provocar o regime militar. e nos dias de hoje é muito bacana também provocar o lullopetismo.

e como diz o atual “sambista brega” e ex-cantor de protesto defensor da ditadura cubana, o Brasil da era Lulla não fala fino com Washington, não fala grosso nem com Bolívia e Paraguai, mas vai pra cama com Fidel, Ahmadinejad e ditadores africanos.


danilo on 2 novembro, 2010 at 12:08 #

Gracinha lindinha:

é claro que não foi o PT que iinventou o aproveitamento da miséria e do atraso político do nordeste brasileiro como curral eleitoral em benefício próprio.

aqui nos debates deste glorioso blog não tem nenhum menino amarelo para desconhecer a história deste país.

a gente sabe que o curral eleitoral nordestino e manutenção da miséria e da falta de esclarecimento político é invenção já secular das oligarquias regionais.

mas não há como negar que o PT se aproveita disto com maestria para se beneficiar também. vide as alianças PT-Sarney-Collor-Renan, e similares regionais de menor expressão do tipo Otto Alerncar, João Leão, Félix Mendonça, Roberto Muniz etc etc.

e pelo visto o PT não vai querer alterar esta situação, pois o lullopetismo sabe que o progresso acarreta em população esclarecida e menos manipulável.

vc acredita mesmo que o PT vai romper com os métodos de Sarney, Collor?


marco lino on 2 novembro, 2010 at 12:18 #

Danilo, quem está com tese é vc. O cidadão falou de números, e eles dizem que caso o Brasil fosse somente as regiões Sul e Sudeste a Dilma teria sido eleita.

Mais: se fosse acrescentada a região Centro-Oeste, ainda assim o irmão Serra não teria sido eleito. Norte e Nordeste só aumentaram a dor dos progressistas do Opus Dei.

O recorte do repórter foi regional, e não estadual como vc marotamente está colocando (Minas e Rio são “periferia” do Sudeste? Ha!Ha!Ha!)

Se a participação do Lula na campanha feriu alguma lei, logo caberia (ou cabe?) algum processo, não? Acho que a presença de Lula foi importante para contrapor a campanha dos jornalões, Veja e Globo (sem contar com as igrejas).

Serra esteve em campanha, meu caro, desde que foi ministro da Saúde. Aliás, o próprio diz que “se preparou a vida toda para ser presidente”. Pode? Preparou-se a vida toda e chegou ao final da vida despreparado. Patético!

Aliás, Serra mandou recado para Aécio e Alckmin: será candidato em 2014… Os adversários agradecem!

Votou em Geddel e em Grampinho? Nenhuma novidade. Estranho foi vc ter votado em Lídice. Mas valeu. Um voto a menos para o espancador de estudantes e invasor de universidade (se é que seu segundo voto não foi dele).

O luto continua. Abs

PS: um eleitor de Geddel falar em “curral eleitoral” só pode estar de sacanagem, não? Viva o progresso!


danilo on 2 novembro, 2010 at 13:03 #

se vale a tese, ops, “recorte elianno cumpanhêro”, por que, então, não vale a “tese estadual daniliana”?

vai dizer q estou errado na minha observação? vai querer me censurar?

ou será que já está em curso a “versão única” dos fatos bem ao gosto e à ordem do Ministério da Verdade Oficial, do camarada Franklin Martins?

ps 1: mando lembranças ao Sarney e ao Collor.

ps 2: Opus Dei? kkkk. odeio religião. pior ainda os fundementalismos crentes de tipos como Walter Pinheiro, Zé Allencar e Edir Macedo…

ps 3: se queres saber, tomei porrada da policia política de Cesar Borges e ACM em maio de 2001. e um ano depois estes mesmos personagens já estavam do lado de Lulla.

o Malvadeza, inclusive, nos primeiros anos do mandato de Lulla, integrava o núcleo duro do poder e era unha e carne com Zé Mensallão Dirceu.

ou não era? lembra que Lulla, Dirceu Mensallão e a cúpula [nacional] do PT queriam Cesar Borges pra prefeito de Salvador nas eleições municipais de 2004?

estarei errado? vai censurar?


Graça Azevedo on 2 novembro, 2010 at 13:03 #

Não sou nem gracinha, nem lindinha. Sou uma leitora e eventual colaboradora do blog. Conheço o nível dos seus participantes, SENHOR. Discordo ou concordo, sempre com respeito.
Mais uma pergunta: o seu voto na velha oligarquia ajuda a diminuir as diferenças regionais?


danilo on 2 novembro, 2010 at 13:40 #

mas quem disse q voto na oligarquia?
votar em Lidice e em Álvaro Gomes é votar na oligarquia? só se for nesta nova oligarquia sindical que aí está fortalecida.

votar em Geddel é quase como votar em Lulla, afinal foi ministro do governo do PT. votar em Grampinho é pirracinha mesmo. mas pensando bem, o velho Grampão Malvadeza fez parte do núcleo duro do governo Lulla. inclusive apoiou Greenhalgh como candidato a presidente da Câmara dos Deputados. [quem venceu foi Severino Cavalcanti, outro impoluto representante da oligarquia nordestííína q apóia Lulla.

não cerceie meu voto, senhora Graça. neste Brasil de hoje não existe um cidadão sequer q não esteja sendo contraditório em suas convicções políticas.

virou geléia geral.

e o que acho engraçado e que tento mostrar a vocês com minhas provocações e q ESTAMOS TODOS NÓS lambuzados de óleo sujo.

entrementes, voçês lullopetistas se acham os únicos limpinhos da parada, e no entanto suas roupas estão todas borradas também.

quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra…


Jader Martins on 2 novembro, 2010 at 13:52 #

Senhora Graça ,
não dê ouvido as acusaçõe anarcodireitista do jovem Danilo . Ele é assim mesmo . Detona com todos ; Chico Buarque , Boff , Niemeyer e outros que sempre pensaram e lutaram por justiça neste país . Ele só se revela quando afirma :” é q ESTAMOS TODOS NÓS lambuzados de óleo sujo”. Eu o provoco de vez em quando , para ele poder soltar toda sua raiva e furia , do contrário , cortaria seus próprios pulsos . !!!


danilo on 2 novembro, 2010 at 14:00 #

Jáder; sua opinião não valle. é café com leite. é claro q vc está do lado de chico burguês zona sul buarque, e concomitantemente [opss], do lado dos ditadores cubanos.

Jáder é o pitbull hidrófobo do lullopetismo. hehehe


Marco Lino on 2 novembro, 2010 at 16:00 #

Quem quer te “censurar”, Danilo? O período eleitoral acabou e vc continua com a paranóia de censura, ditadura, etc?

Outra coisa: vc pensa, como Heloísa Helena, que o presidente pode “governar com o povo”, sem o Congresso? Ou acha, como a Marina, que o presidente pode governar “com os melhores”, independente de partidos? Se pensa assim, parabéns pela pureza, pela ingenuidade.

Mas se sabe que o governo, seja lá de quem for, necessita dos votos do Congresso até para aprovar o orçamento anual, e mesmo assim continua com essa ladainha que não pode fazer composições, então vc não liga muito para o que fala. Faz humor – respeito, o bom humor faz bem.

Wagner foi pífio administrativamente, mas brilhante politicamente. Quase liquidou as bestas.

PS: Tomar cassetetada e depois votar… é gostar mesmo galera do coturno – depois diz que está com medo da ditadura…

PS2: Posso estar enganado, mas não lembro do PFL-DEM fazendo parte do “núcleo duro” do governo Lula.

PS3: Seu “recorte estadual” valerá se vc incluir os estados que marotamente escondeu.

Abs


danilo on 2 novembro, 2010 at 18:50 #

1. jamais votei em César, o Borges. este era paquerado por Wagareza Cabelo de Q-Bôa para compor a chapa petista na Bahia em 2010.

2. não falei que o PFL-DEM foi parte do núcleo duro do início do governo Lulla. disse e confirmo, e há farta documentação da época que prova, sim, que o MALVADEZA ACM era parte do núcleo duro petista ao lado de Lulla, Zé Dirceu, petistas de alto coturno e Marcio Thomas Bastos. reuniam-se quase diariamente. ACM até ajudou [e MUITO] o governo Lulla a aprovar a Reforma da Previdência.

e, sim, o candidato à prefeito de Salvador em 2004, da preferência deste núcleo duro do governo Lulla era César Borges.

e isto já estava sacramentado, mas aí veio aquele fatídico jantar na casa de Zé Mensalão Dirceu, em Brasília, com a presença de Lulla, ACM, César Borges, Roseana e o velho Sarney.

a imprensa [golpista] foi lá e flagrou a galera reunida, fotografou o regabofe e este episódio até entrou para o folclore político brasileiro.

meu caro Marco Lino, voce pode até discordar ideologicamente de mim, mas JAMAIS pode negar q sou bem informado e um sujeito politizado e de excelente memória.

diante da minha presença voce nunca vai reescrever a História ao seu bel prazer lulopetista, ok?


Jader Martins on 2 novembro, 2010 at 19:41 #

Marco Lino ,
O Danilo só não lhe revelou uma coisa : alem de bem informado e um sujeito politizado (rs,rs,rs ) e de excelente memória , é tambem onisciente .


danilo on 2 novembro, 2010 at 19:56 #

sim, Jáder. eu sou o melhorzinho da parada, sim. ou vai negar os fatos por mim relatados acima?

diz aí então quem é politizado? é Gerônimo Axé D´Oxum e Margareth Menezes que babavam LITERALMENTE os eggs [ovos] de ACM Malvadeza e agora são petistas de carteirinha?

sim, eu sou onisciente, eu sou a mosca na sua sopa, eu sou raulseixas e não sou o burguesão buarque reacionário de esquerda.

eu nasci há dez mil anos atrás, eu vi Hitler botar fogo no Reichstag na Alemanha, eu vi Mussolini caminhar sobre Bolonha, eu vi Lulla mandando o povo plantar mandioca em Carinhanha, eu sou astrólogo, eu sou astrólogo, eu sou astrólogo e conheço a história do princípio ao fim.


Marco Lino on 2 novembro, 2010 at 20:16 #

Reescrever a história, eu?! Nunca gostei de arquivo, meu caro. Aliás, se vc gosta mesmo de “escrever” a história deve cultivar o hábito de ir aos arquivos ou ler bons historiadores. Acho difícil, pois sei que a moçada que pensa como vc gosta mesmo é de Mainardi, Azevedo, Magnoli e outros “pensadores” que a pobre pós-modernidade brasileira pariu.

Sobre a eleição de 2004, ACM estava tão ligado ao Lula que, assim que voltou ao Congresso, o primeiro gesto de Borges foi pedir a CPI do Caso Waldomiro. Mas a questão não é esta. O problema é o da verdade factual: ACM NUNCA integrou o governo Lula. Não seria problema nenhum, para a governabilidade, se tivesse participado. Lula, pelo pouco que sei, deixou de participar de eleições em Salvador para não ter problemas no Congresso com o grupo carlista – que então tinha um número razoável de deputados e os três senadores. Até onde sei, o interesse de Lula pelo grande líder dos conservadores baianos era esse.

Mas, cá entre nós, pouquíssimas são as diferenças entre ACM, Sarney e Renan – e os dois últimos, sim, participaram do governo.

Entretanto, o que acho primário é um “analista político” defender que um presidente eleito renuncie, como Quadros, por não ter uma maioria para governar. Não pode dialogar, negociar, nem almoçar com as outras representações. Só com os “homens bons”. Como se todos ali não representassem a sociedade. Haja paciência.

Mas, voltando ao problema inicial, vc chegou a olhar os percentuais no “politizado” RS? Saudações

PS: Pois é, Martins, o glorioso Danilo sabe o que se passa na cabeça alheia. Errou feio em tudo o que disse de mim.
Abs


Graça Azevedo on 2 novembro, 2010 at 20:20 #

Quanta coisa prá entender… primeiro era o voto em Álvaro Guimarães (e eu fiquei sem saber quem era!) depois Álvaro Gomes (ai, soube quem era)
Depois “vocês” escrito com Ç…
E por fim o escriba me taxa de lulopetista! Não sou! De querer cercear o seu voto! Nunca! Tranquilo, senhor. A única coisa que perguntei foi sobre a “fundação” da miséria no nordeste. FIM.


danilo on 2 novembro, 2010 at 21:51 #

Marco Lino. sêo arrazoado “tergiversa” e não é “assertivo”. deixe de guéri guéri q vc sabe muito bem dos encontros secretos entre Zé Dirceu e ACM.

enquanto vivo e forte ACM impunha a Lulla uma distância regulamentar da Bahia e o apedeuta obedecia silenciosamente.

e quem vc lacha digno de leitura? emir sader? marilena chauí? mino carta? nassif? sócrates, o craque dotô? delfim netto? paulo henrique amorim? fala sério…

ora ora. senhôra Graça. quem admira um presidente literato como Lulla não tem o direito de criticar um erro de digitação… hehehe


Marco Lino on 2 novembro, 2010 at 21:58 #

Idiota sou eu, Danilo, que ainda te levo a sério.


danilo on 2 novembro, 2010 at 22:02 #

senhôra Graça:

respondi, sim, quem inventou a “fundação” da miséria no nordeste. a senhôra q não soube ler ou “tergiversou” a leitura daquilo que escrevi. rss

em suas cartas o padre Antonio Vieira já falava sobre os descalabros, as ladroagens e tudo que acontecia no Brasil Colônia – coincidentemente com o poder sediado no nordeste brasileiro.

inclusive, textualmente, pelas bandas lá do Maranhão. que aliás continua com quase a mesma situação depois de mais 400 e lasca anos.

e o dono do Maranhão é o principal esteio de Lulla na tal “governabilidade”.

e o PT aprendeu direitinho a cartilha da oligarquia nordestina – antes era dentadura e cesta básica, agora cartão magnético do bolsa família,

mas quando será que o PT vai por em prática aquele sua bela proposta dos tempos da sua fundação de romper com as práticas de curral eleitoral?

a senhôra Graça, por um acaso, saberá responder?


Graça Azevedo on 3 novembro, 2010 at 7:03 #

A vida me ensinou, de modo bem duro, a não perder tempo com o que não vale a pena. Ontem fugi dos meus princípios. E, mais uma vez, perdi meu tempo!!!
Já passei da fase dos clichês, das provocações dos que necessitam da polêmica como forma de afirmação pessoal e do infantilismo. Vou fazer, em dezembro, 40 anos de formada em Ciências Sociais. Numa época em que o vestibular não se resumia a marcar com X
as respostas certas. Tempo em que se lia e muito. As citações de autores consagrados não me deslumbram! Isso era obrigatório ler para o vestibular!
Prometo a mim mesma e aos leitores do blog continuar com o meu comportamento de sempre.


Marco Lino on 3 novembro, 2010 at 7:23 #

Ou seja: depois de tanto rabo-de-arraia, meia-lua e salto mortal o cidadão voltou ao ponto inicial que os números da reportagem negaram: os beneficiários nordestinos do Bolsa Família elegeram Dilma!

– Os votos do SUDESTE e SUL foram SUFICIENTES para eleger a candidata poste;

– as oligarquias nordestinas não são mantidas pelo Bolsa Família, mas por pessoas “politizadas” como VOCÊ que votam nellas (nos Geddel, ACM, e Sarney da vida);

– enquanto pessoas “politizadas” como VOCÊ continuarem votando nelles, qualquer governo que entre (de esquerda, direita, do norte, sul, céu ou inferno) dependerá do voto delles no Congresso;

– a diferença de votos no “politizado” RS foi de 0,9%, ou seja, menos de um ponto percentual (e o governador eleito foi um “petralha”). Em São Paulo girou em torno de 4% (e só não foi maior porque há uma ralé nordestina que insiste em permanecer lá).

E, como dizia dom Raulzito, fim de papo!


Graça Azevedo on 3 novembro, 2010 at 8:45 #

Marco
Pois é! Assim de simples (como diz uma amiga minha)


roberto on 3 novembro, 2010 at 10:49 #

hehehe simplles assim. estrebuchem, esperneim, reclamem, mas a verdade não está apenas do llado de voces.


Jader Martins on 3 novembro, 2010 at 11:23 #

O Danilo , resolveu utilizar o pseudonimo artistico de Roberto. O DNA do Roberto é o mesmo dele. Precisava de apoio e inventou este heteronimo. É o Fernado Pessoa bahiano.


Graça Azevedo on 3 novembro, 2010 at 12:43 #

Jader
Não faça isso com Fernando Pessoa!!! rsrs


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2010
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    2930