out
30
Postado em 30-10-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 30-10-2010 21:27

DEU NO FOLHA.COM (PODER)

FERNANDO RODRIGUES
DE BRASÍLIA

Dilma Rousseff (PT) chega ao dia da eleição com 55% dos votos válidos, segundo pesquisa Datafolha realizada ontem e hoje. Está dez pontos à frente de José Serra (PSDB), que pontuou 45%. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais.

O Datafolha entrevistou 6.554 pessoas neste sábado, um número maior do que o de outras sondagens recentes. A pesquisa foi encomendada pela Folha e pela Rede Globo e está registrada no TSE sob o número 37903/2010.

Se confirmar nas urnas o resultado do Datafolha, Dilma será eleita a 40ª presidente do Brasil. A corrida eleitoral tem se mantido estável nos últimos 15 dias, com os dois candidatos variando apenas dentro da margem de erro do levantamento.

Na última quinta-feira, Dilma tinha 56% e oscilou negativamente um ponto. Serra estava com 44% e deslizou um ponto para cima. Do ponto de vista estatístico, é impossível afirmar se houve ou não variação no período.

Quando se consideram os votos totais, Dilma tem 51% contra 41% de Serra. Ambos oscilaram positivamente um ponto cada de quinta-feira até ontem. O percentual de indecisos continua em 4%. E há também 4% de eleitores decididos a votar em branco, nulo ou nenhum.

A campanha de segundo turno agora em outubro mostrou uma recuperação de Dilma em todos os segmentos analisados ontem pelo Datafolha, com exceção de dois grupos: os eleitores da região Sul e os do interior do país.

No Sul, a petista começou o mês com 43% contra 48% de seu adversário tucano. Ontem, Dilma estava com 42% e ainda perdia para Serra, que pontuou 50%.

Entre os eleitores do interior, a candidata do PT ficou no mesmo lugar. Começou outubro com 50% e ontem tinha o mesmo percentual. Mesmo assim, está sete pontos à frente de Serra (43%).

A arrancada mais significativa de Dilma se deu nas regiões metropolitanas (de 44% para 52% neste mês) e no Sudeste (de 41% para 48%). O Sudeste concentra 45% dos eleitores do país. Serra, que é paulista e fez sua carreira política na região, tem 44%, o mesmo percentual do início do mês.

No Nordeste (25% dos eleitores brasileiros), a petista manteve neste mês sua liderança sobre o tucano. No início de outubro, tinha 62%. Ontem, segundo o Datafolha, Dilma estava com 63% e uma frente de 33 pontos sobre Serra, cuja pontuação na região foi de 30%.

O principal reduto do tucano é o Sul. Mas ele avançou pouco durante o mês, de 48% para 50%. Dilma, cuja carreira se deu no Rio Grande do Sul, não conseguiu se recuperar entre os sulistas _16% do eleitorado.

Nas regiões Norte e Centro-Oeste, os dos candidatos a presidente começaram o mês empatados tecnicamente: Serra com 46% e Dilma com 44%. Ao longo da campanha, a curva se inverteu. Ontem, a petista estava com 50% e o tucano com 42%.

A pesquisa Datafolha confirma a força de Dilma entre os eleitores com renda familiar de até dois salários mínimos (44% do total do país). A petista tem 56% nesse segmento contra 36% de Serra.

Be Sociable, Share!

Comentários

rosane santana on 31 outubro, 2010 at 6:40 #

DEU NO POLITICA&CIA

A abstenção é quem vai decidir a eleição

Amanhã é o dia decisivo da eleição presidencial. Até que enfim, pois não aguento mais ouvir o estridente som dos carros de propaganda eleitoral.

Dirão alguns, mas isso acontece somente uma vez a cada quatro anos.

Não desta vez, pois a campanha foi antecipada em dois anos pelo presidente Lula.

Tudo bem que amanhã se vai exercer pela segunda vez em um mês a soberania popular por meio do voto.

Mas, tem muita gente que se picou para não exercer a tal soberania da população.

O Litoral Norte baiano, por exemplo, está topado de gente. Os donos de hotéis, pousadas, bares e restaurantes riem pelos quatro cantos da boca.

Um pica-pau me ligou de Arraial d’Ajuda, que fica no Litoral Sul baiano.

Segundo ele, a localidade está tomada de turistas de primeira viagem desde ontem.

Isso demonstra que a perspectiva de crescimento da abstenção no pleito de amanhã será fato.

Se antes o crescimento da abstenção era uma incógnita, agora se desenha quase uma certeza.

Só resta saber qual será o tamanho.

Nos estados do Nordeste a abstenção no primeiro turno foi maior que em nível nacional e os nordestinos andam fazendo turismo pela região, principalmente por que a distância entre as capitais é pequena. De Recife a Natal ou de Salvador a Aracaju, por exemplo, se gasta de automóvel três horas.

Além disso, sem a disputa das vagas proporcionais, o eleitorado das pequenas e médias cidades ficará órfão dos cabos eleitorais, haja vista que não existe mobilização para essa etapa da eleição.

Os turistas com quem conversamos cantam a mesma pedra. Seus votos não farão falta aos candidatos a presidente.

Além disso, outro fator de desmobilização é a diferença que as pesquisas dão para a candidata de Lula.

Alguns turistas, em função das pesquisas divulgadas, acham que a eleição está decidida e por isso trocaram a votação pelo lazer.

A abstenção prejudica os dois candidatos.

Essa conversa que prejudica mais Serra que Dilma é furada.

Afinal, a nova classe C brasileira é quem atualmente mais se desloca pelo país nos feriados prolongados incentivado pelo governo a conhecer o Brasil.

Essa classe que emergiu com o crédito fácil, não se importa muito com as conseqüências do voto nos próximos quatro anos, mais uma razão para viajar.

Portanto, depois de percorrer boa parte do Litoral Norte posso arriscar:

A abstenção é quem vai decidir a eleição.


rosane santana on 31 outubro, 2010 at 6:43 #

DEU NO COTURNO NOTURNO

# O tracking do PSDB está dando 50% x 50%, mostrando um rigoroso empate técnico.
# Pesquisa de campo do PSDB, divulgada hoje, está dando 52% Serra x 48% Dilma (Veritá).
# Os institutos erraram feio no primeiro turno, não mudaram a sua metodologia e, desta forma, tendem a errar mais feio ainda no segundo turno.
# O nível de abstenção deverá aumentar de 18% no primeiro turno para mais de 20%, pois há eleições de segundo turno para governadores para apenas 15% do eleitorado.
# Em 2006, havia segundo turno de governador para 40% do eleitorado, incluindo estados como Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul.
# Esta abstenção expressiva, que deverá ultrapassar 30 milhões de votos, vai estar concentrada em estados do Nordeste, especialmente, pois não houve debandada de eleitores para viajar nos principais colégios eleitorais da oposição.
# Em qualquer pesquisa, desta forma, pode ser tirado no mínimo 3% da candidata petista, em função da abstenção.
# Nitidamente, há um esforço da imprensa, que pautou todo o seu noticiário eleitoral em cima de pesquisas, de reafirmar a credibilidade dos institutos. Especialmente a Rede Globo, que depende do Ibope para validar as suas audiências. Especialmente a Folha de São Paulo, que é dona do Datafolha.
# Os institutos, amanhã, darão a boca de urna dentro da margem de erro, mantendo a vitória de Dilma Rousseff.
# Existe, sem dúvida alguma, uma tendência ascendente da candidatura de José Serra, sendo que nenhuma pesquisa “pegou” os efeitos do debate da Rede Globo, onde o tucano saiu amplamente vitorioso


rosane santana on 31 outubro, 2010 at 6:48 #

DEU NO BLOG DE JAMILDO

Marqueteiro do Recife diz que Dilma perde as eleições neste domingo

POSTADO ÀS 15:39 EM 29 DE Outubro DE 2010

O publicitário Marcelo Teixeira, da empresa Makplan e que já trabalhou para tucanos e petistas pelo Brasil, analisou os últimos números da pesquisa Datafolha e diz que Dilma pode até ganhar as eleições, mas que as chances maiores de vitória são do candidato tucano José Serra. Quando todo mundo dizia que Dilma levaria no primeiro turno, em entrevista exclusiva ao Blog de Jamildo, analisando os mesmos dados do Datafolha, ele antecipou que haveria segundo turno. Reveja aqui.

“Lula não conseguiu fazer a candidatura dela decolar. Ela é ruim de palanque e mesmo com o apoio quase totalitário não deslanchou nas urnas”, declara.

O marqueteiro vê muita semelhança do atual cenário com os números do primeiro turno, quando a candidata oficial tinha 50% dos votos, segundo as pesquisas mais confiáveis, mas não obteve nas urnas os 50% dos votos, mesmo com o apoio de um amplo leque de políticos da situação.

“Serra tem todas as chances de vencer as eleições porque Dilma, mesmo com a popularidade de Lula, mesmo com toda a capilaridade de sua campanha no primeiro turno, não conseguiu subir nada e está com os mesmos 50% do primeiro turno. Em São Paulo, por exemplo, ela tinha três candidatos a governador pedindo votos para ela”, observa.

O analista político cita que Serra tem chances enormes de mudar o placar porque, no Sudeste, por exemplo, existem cerca de 7% dos indecisos.

Numa comparação rápida, o marqueteiro cita que a votação da petista gira em torno dos 62% no Nordeste e que Lula teve 77% nas pesquisas.

A sua tese principal, assim, é que só São Paulo pode tirar os votos de vantagem de Dilma no Nordeste. Isto pode até ajudar a explicar a preocupação do presidente Lula de encerrar a campanha da petista no Recife, na data de hoje. “Desde Franco Montoro, passando por Covas e depois os tucanos mais novos, eles nunca tiveram menos de 60% contra Lula. E Dilma não é Lula”, frisa.

Apontado como um dos principais colégios eleitorais, Minas Gerais, na avaliação do observador da cena política nacional, dará vitória ao tucano. “Ela está 4% ainda na frente, mas vai perder lá. O mineiro não vota no PT. Agora não vai ter cabo eleitoral como no primeiro turno. O eleitor vai vair para votar em um, no outro, ou branco ou nulo. A abstenção será enorme e Dilma não é Lula, ela é pesada”.

Na sua avaliação, um dos fatores que deve prejudicar Dilma com muita intensidade são as abstenções. Ele diz que isto pode reduzir a sua esperada votação no Nordeste para até 60% do que está previsto. “Em um universo de 36 milhões de eleitores, no segundo turno, Lula e Alckmim tiveram apenas 25 milhões de eleitores. Cerca de 11 milhões de eleitores deixaram de comparecer. E olha que era gente que segurava bandeirinha e era Lula desde sempre. Só que Dilma não é Lula e a votação de votos em disputa pode cair para 20 milhões de votos no Nordeste”, observa.


luiz alfredo motta fontana on 31 outubro, 2010 at 6:51 #

Da mesa do bar

Uma verdade:

O bar amanhecerá na oposição

Dilma e Serra, um casal simbólico, que prova o quanto a democracia brasileira precisa evoluir

Nesta eleição só tem um perdedor certo, o povo brasileiro

Uma necessidade :

Preservar as instituições

Nunca tantos, de tão pouca estatura, ocuparam, ao mesmo tempo, os gabinetes institucionais

Como explicar a pobreza, de espírito e conteúdo, que reina, por exemplo, no STF?

Como explicar o vazio de idéias que permeia os partidos?

Mesmo assim, o bar lembra, o mais humilde dos vereadores, do mais distante município, tem mais representatividade do qualquer servidor público nomeado, ou concursado, incluindo-se os que detém e exercem poder em quaisquer dos três poderes.

Dilma ou Serra, lamenta-se!

Já surpreender-se, só para os que não perceberam o quanto, nos anos de ditatura, foram ceifados nomes e idéias.

Tim Tim!


Entulho on 31 outubro, 2010 at 11:30 #

Calma Rosane, calma! Que ardor, que verve, que alegria serrana! Pressão 12/8 é preciso, viver também! Meu Deus!


Carlos Volney on 31 outubro, 2010 at 16:47 #

Com a isenção de quem votou em Marina no primeiro turno e nulo neste segundo, fico com pena dessa senhora Rosane. Se fosse analista política ficaria difícil arrumar emprego. Ta bom, Dilma vai perder porque seus eleitores foram para a praia ou fazer turismo. Todos os institutos de pesquisa estão errados ou comprados pelo PT. Só o conhecidíssimo Veritá está certo. Cuidado com o enfarte quando começarem a ser divulgados os resultados. Aliás, esse blog tem de tudo. Além da seriedade, competência e brilhantismo de Vitor Hugo e de outros que aqui opinam e escrevem, encontramos também o hilário como o comentário acima. Haja facciosismo….


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos