out
28
Postado em 28-10-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 28-10-2010 15:35

Deu no BALAIO DO KOTSCHO (blog editado pelo jornalista Ricardo Kotscho)

Só faltava ele! Pois ao abrir a capa (alguns preferem chamar de home page) do portal Estadão.com, a 72 horas das eleições presidenciais, tomo um susto ao ler a manchete: “Papa condena aborto e pede a bispos que orientem politicamente fíéis”.

Diz a nota que “em reunião em Roma na manhã desta quinta-feira, 28, o papa Bento XVI conclamou um grupo de bispos brasileiros a orientar politicamente fiéis católicos. Sem citar especificamente as eleições de domingo, o Papa reforçou a posição da Igreja a respeito do aborto e recomendou a defesa de símbolos religiosos em ambientes públicos”.

Além de condenar o aborto, como se alguém pudesse ser a favor do aborto, embora muitos defendam a sua descriminilização, o papa também cobrou o ensino religoso nas escolas públicas e defendeu a luta pela manutenção dos símbolos religosos, citando o monumento do Cristo Redentor no Rio, como se eles estivessem ameaçados.

O Brasil é um Estado laico e mantem relações diplomáticas com o Estado do Vaticano. Com que direito Sua Santidade vem meter o bedelho em questões internas de um país às vésperas das eleições presidenciais? Já não basta o papel impróprio e deprimente exercido por alguns dos seus bispos que, com esta falsa questão do aborto, transformaram seus altares em palanques contra uma candidatura e a favor de outra, distribuindo panfletos políticos em lugar de homilias?

Depois de ser explorado até a exaustão pelos bispos teefepeanos, telepastores dos dízimos e, principalmente, pela mídia, o assunto já tinha até saído de pauta, tão rapidamente quanto entrou, porque as últimas pesquisas mostraram que ele não estava mais rendendo nenhum resultado nas intenções de voto dos eleitores.

Em artigo publicado terça-feira no Observatório da Imprensa, o analista de mídia Cristiano Aguiar Lopes prova com números de uma pesquisa que “houve um esforço coordenado e eficiente dos principais jornais e revistas do país para insuflar a polêmica sobre o tema com vistas a um fim eleitoral mais que óbvio: roubar votos de Dilma entre eleitores conservadores contrários à descriminalização do aborto”.

Os números são impressionantes: a três dias do primeiro turno, no dia 30 de setembro, as principais publicações do país pesquisadas registraram 149 menções sobre o aborto, chegando a 430 no dia 8 de outubro, na primeira semana do segundo turno que foi dominada pelo tema.

“A primeira escalada ocorre pouco antes do primeiro turno e tem como objetivo conquistar os votos de indecisos e de dilmistas não muito convictos. A segunda, bem mais intensa, busca transferir para Serra os votos de um grande contingente de eleitores conservadores _ sobretudo católicos e evangélicos _ contrários à descriminalização do aborto”, conclui Cristiabno Aguiar Liopes.

A pesquisa prova também que não houve “onda verde” nenhuma que tenha provocado o segundo turno. Foi, na verdade, uma “onda religiosa” nas igrejas e nos subterrâneos da internet que beneficiaram a candidata evangélica Marina Silva e levaram a eleição ao segundo turno, usando a ameaça do aborto como instrumento eleitoral.

O Papa foi inconveniente, chegou atrasado na história e entrou de gaiato numa falsa polêmica que até a mídia já tinha esquecido. Deveria se preocupar mais com os casos de pedofilia envolvendo religosos que grassaram nos últimos anos em sua igreja, com a perda de fiéis para as seitas evangélicas e o esvaziamento dos seus templos. Não precisamos dos seus conselhos para saber como deveremos votar no domingo

Be Sociable, Share!

Comentários

Mariana Soares on 28 outubro, 2010 at 17:55 #

Isto é o que se pode chamar de ABSURDO! Em vez de tomar conta da sua propria casa, que não anda sendo exemplo para ninguem (ou será que o Papa acha que abortar é crime e pedofilia, não???), fica dando pitaco na casa alheia…O voto é nosso, de cada brasileiro, e este sim que vai dizer, na urna, o que é bom para gente!!!


Regina on 28 outubro, 2010 at 18:04 #

As lições do “Faca o que eu digo, não o que faço” não podem ser levadas a sério.

Os “Cristãos” daqui e acolá deveriam repassar as “promessas” e, se existe o “ Salvador ”, que venha de chicote na mão!


luiz alfredo motta fontana on 28 outubro, 2010 at 18:07 #

E o “cordeiro” já agradeceu:

Serra não perdeu tempo

Deu no G1:
————————————————–

Serra comentou a declaração do Papa Bento XVI, que afirmou nesta manhã que os bispos têm o dever de emitir julgamento moral “também em matérias políticas”. O candidato disse não ter lido a íntegra do texto do pontífice, mas ficou sabendo do conteúdo do pronunciamento.

“O Papa é um líder espiritual mundial da Igreja Católica, ele tem pleno direito de emitir as suas diretrizes e orientações para os católicos do mundo. Tem plena liberdade de fazê-lo”, comentou Serra. “É um guia espiritual muito importante. E a defesa da vida é algo que merece fazer parte das palavras do papa, além do que, é previsível, além do quê, é bom para o mundo ouvir isso, a defesa da vida”, disse em coletiva após o encontro com prefeitos.
————————————————-

E o Papa tucanou!


Regina on 28 outubro, 2010 at 18:12 #

…e, por que pontuação é importante, reescrevo:

Os “Cristãos”, daqui e acolá, deveriam repassar as “promessas”. Se existe o “ Salvador ”, que venha de chicote na mão!


danilo on 28 outubro, 2010 at 18:19 #

decifrar cabeça de petista é tarefa que nem cientista psiquiatra da NASA consegue realizar.

engraçado é que eram PERMITIDOS e MUITO BEM VINDOS os pitacos sobre eleições, e sempre a favor da esquerda brasileira, quando feitos pela Teologia da Libertação – setor auto-intitulado “progressista” do catolicismo.

sim, eles ainda apoiam Fidel e o paredón cubano. acham até normal fuzilar opositores do regime de Castro.

e eis que agora os petistas querem proibir que outro setor da Igreja também dê seu pitaco no atual momento eleitoral da política tupiniquim.

o comportamento dos petistas quanto a este episódio é o que se pode chamar de obssessiva esquizofrenia ideológica…


Regina on 28 outubro, 2010 at 18:22 #

Por favor, me ajudem a entender: No Brasil não existe separação de Estado e Igreja??????


luiz alfredo motta fontana on 28 outubro, 2010 at 18:28 #

Todas as vênias ao danilo

Uma santa verdade, Lula é fruto das chamadas conunidades de base, abençoado e elevado à dogma.

Quanta culpa!

Grandes pecados!

Todos sob o manto do politicamente correto daqueles tempos!

Tem razão, neste aspecto, o danilo.

Mas… como diria o exorcista de plantão, o mal é assjm, veste modelitos variados.


Regina on 28 outubro, 2010 at 18:33 #

wikilingue.com

Separação Igreja-Estado
A Separação Igreja-Estado é o conceito legal e político pelo qual a instituições do Estado e religiosas (Igreja) se mantém separadas e independentes mutuamente, tendo a cada uma autonomia para tratar os temas relacionados com suas esferas de influência. É uma das medidas pelas quais se procura o estabelecimento de um Estado laico ou aconfesional, bem como parte do processo de secularización de uma sociedade. A separação Igreja-Estado está relacionada com a extensão da liberdade de culto à relação entre o Estado e a Igreja. Ocorre sobretudo aqueles estados com religião de Estado ou oficial que favorecem legal e/ou informalmente uma religião em detrimento das demais por médio do patronato regio ou outras acções similares.
A separação entre Igreja (seja esta anglicana, católica, luterana, presbiteriana) e Estado é um fenómeno que surge a partir do humanismo, durante o Renacimiento. Consolida-se com a Ilustração, por médio da corrente filosófica racionalista, chegando a ser uma política oficial durante a Revolução francesa, a Independência Norte-americana e as revoluções burguesas que desfazem a “aliança entre o trono e o altar”.

Sigam no : http://pt.wikilingue.com/es/Separa%C3%A7%C3%A3o_Igreja-Estado


luiz alfredo motta fontana on 28 outubro, 2010 at 18:35 #

Cara Regina, o problema é determinar os limites do tal estado, cresceu tanto que sonhou ser o outro reino!

Serra, ao que parece, resolveu misturar tudo.


Regina on 28 outubro, 2010 at 18:37 #

O “Circo” pegou fogo, e vamos todos queimar na fogueira!!!!!


Regina on 28 outubro, 2010 at 18:48 #

Igreja e Políticos se igualam: CORRUPTOS E OPORTUNISTAS!


luiz alfredo motta fontana on 28 outubro, 2010 at 18:50 #

Por outro lado

A pobreza de idéias, a ausência de debate político, a insistência em trocar insultos, assemlha o obscurantismo.

Não causa surpresa a presença ruidosa dos caçadores d ebruxas e carimbadores de anátemas. Especialmente, é bom lembrar, nas vetustas redações.

O pensar política e economia virou exercício moralista.

Bom ambiente para ovos de serpente.


luiz alfredo motta fontana on 28 outubro, 2010 at 19:05 #

Extra Extra:

Dilma não deixa por menos.

Informa o blog do Josias:

———————————————–

Dilma Rousseff, outrora a favor da descriminalização do aborto, comentou: “Eu acho que é a posição do papa e tem que ser respeitada…”

“…Encaro que ele tem o direito de manifestar o que ele pensa. É a crença dele e ele está recomendando uma orientação”.

——————————————–

Agora só com excomunhão!


João Justiniano da Fonseca on 28 outubro, 2010 at 19:09 #

No site indicado acima vocês encontrão em edição eletrônica a novela “As Criancinhas de Deus”. É a minha opinião sobre papa e bispo. Uns viciados aproveitadores da simplicidade e credilidades das pessoas.


MeuPovo on 28 outubro, 2010 at 21:13 #

O Vaticano não resiste a 12 horas sem a guarda suiça. O papado depois de usurpar o trono dos bravos imperadores romanos, iniciaram o maior massacre contra a humanidade. Primeiro contra o conhecimento que enobrece o ser humano e faz bem a saúde física e mental. Segundo, seu macabro ritual e exarcebado fetichismo levaram as nações de mãos atadas aos piores déspotas e tiranos que se tem ciência na história bélicosa européia e por extensão à perversa classe dominante de latinoamérica. Nascedouro das cruzadas, da Inquisição e do nazifascismo, o clube religioso romano, presente do ditador fascista Mussolini é berço da perversa seita anticristo e anticristã.
Odeio exércitos, diz Einstein, são todos eles intrumentos dessa seita que diz representar Deus vivo. Mais dia menos dia, toda aquela riqueza e pompa passarão, por legítimo, à propriedade do Estado italiano, após 2000 mil anos de farsa e impostura.
Viva o povo democrático do mundo!


danilo on 28 outubro, 2010 at 23:15 #

pô, o pessoal tá exaltado. a Igreja não é mais cumpanhêra. será que a tropa de choque do lulopetismo vai invadir o Vaticano???

Mussolini? caraca, Mussolini está vivo, e bem vivo nos governos bolivarianos de latrinoamérica.


Marco Lino on 29 outubro, 2010 at 8:09 #

Como uma religião que nasceu tão bela na periferia da Judéia – hoje estaria entre os palestinos – e dona de um discurso tão transformador que sacolejou os alicerces do terrível Império Romano transformou-se num espantalho tão reacionário? Dará muito “pano para a manga” responder, não? Deixa pra lá.

Mas a Teologia da Libertação foi uma tentativa de retorno a esse início transformador do cristianismo, um retorno às velhas tradições do profetismo judaico, uma síntese do cristianismo do primeiro século – camponês e entre os escravos – com o marxismo do século vinte – proletário e urbano. Ela trouxe novamente o conceito de justiça ao centro das discussões, mas perdeu a luta política. Venceu a ala que flertou com Hitler e Mussolini – representada por João Paulo e pelo atual Papa, que, aliás, continua na mesmíssima posição. Paciência.

Oxalá a Opus Dei fique restrita a alguns lunáticos.


Mariana Soares on 29 outubro, 2010 at 9:02 #

Caro Danilo, a mim, pessoalmente, abomina a idéia da Igreja defender qualquer dos Partidos Políticos de plantão, e pior ainda qualquer dos candidatos ao Palácio do Planalto.
O que eu tenho certeza é que que ela, a Igreja, não deve se prestar a este papel. Isto cabe a nós eleitores brasileiros. Alias, a Igreja e muito menos o Papa não tem moral nenhuma para falar em crime de aborto enquanto não extirpar da sua casa os pedófilos em ocupam muitos salões paroquiais por aí. Isto sem contar, é claro, todos os outros crimes que padres e assemelhados andam cometendo por aí e que todos nós bem conhecemos.
Este é o meu ponto e somente este, até porque defendo com unhas e dentes o direito de todos e de cada um escolher quem melhor lhes parecer para governar este Pais.


Olivia on 29 outubro, 2010 at 12:53 #

Definitivamente,o papa não é pop. Essa turma é totalmente sem limite, nojenta, nazista. Viva Dom Helder, Dom Paulo Arns, Dom Luciano Mendes, Dom Timóteo, Dom Pedro Casadáliga, Dom Tomás Balduíno, Frei Beto… Orgulhos da Igreja realmente católica.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos