out
19
Postado em 19-10-2010
Arquivado em (Artigos) por Laura em 19-10-2010 01:52

Foto: Vitor Hugo e eu num brinde à vida!

19 de outubro é uma data que me permite a exceção de publicar algumas linhas, que não passam por edição, linhas que não falam sobre política, cultura, sociedade, amenidades, fatos jornalísticos. Estas linhas poderiam ser uma singela homenagem de uma sobrinha para seu tio, mas são mais, são o registro público, de uma pessoa que acompanha de perto um dos maiores exemplos de coragem e dignidade do jornalismo contemporâneo.  

19 de outubro é o dia de comemorar o aniversário do mentor e editor deste espaço Vitor Hugo Soares.

Falar sobre Vitor Hugo não e tarefa fácil, afinal trata-se de figura exemplar sob o ponto de vista moral e intelectual, pessoa extremamente simples, não chegada a exageros e elogios. Figura humana de enorme sensibilidade, generosidade e solidariedade, sem esquecer é claro tratar-se de homem extremamente elegante no trato com os demais, sobretudo com as pessoas menos favorecidas economicamente. Jornalista reconhecido por seus pares pela retidão e talento. É difícil fazer justiça a este mestre em algumas linhas.

Falar do tio Hugo também não é fácil, o conteúdo, neste caso subjetivo, é mais profundo e emociona a autora, ainda assim registro que o grande jornalista é também o mais amoroso dos tios, o mais gentil e o maior entusiasta de qualquer boa iniciativa.   

Voltando ao Vitor Hugo, editor do BP, parabéns por ser um gigante na sua persistência, responsabilidade e dedicação, em manter firme e independente este espaço de informação e troca de opiniões o que sabemos não é tarefa para muitos.

 Por tudo isto e muito mais merece hoje todas as homenagens dos colaboradores deste blog.

Não poderia deixar de registrar que nesta data também festejamos o grande dia de Márcia Fonseca, moderadora do BP, pessoa igualmente querida e amada por todos que tem a oportunidade de conhecê-la e compartilhar da sua inteligência, carisma e amizade.

Proponho um brinde a estes 2 librianos que escolheram a gentileza e a generosidade como forma de viver e tornam melhor a vida de todos que convivem com eles.

Parabéns a ambos e sucesso na vida afora.

Laura Tonhá, publicitária.

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 19 outubro, 2010 at 4:50 #

Porque hoje é dia de VHS

Grande Vitor, que também é Hugo, e além de tudo Soares, o que traduz um legítimo credor de afagos e reconheceres.

Jornalistas, de teu porte e envergadura não escolhem seu tempo, não determinam marcações no palco do cotidiano, mas expressam, e pintam realidades, quase que imperceptíveis. Destacam evidências, e demarcam o fluxo das águas.

Quem te assoprou, acertou no nome, um ético e incansável relator das mazelas e venturas deste trecho da história. Quem te preparou para vida, esbanjou condimentos tais como: fraterno, ético, sensível, poético e jovial.

A Bahia, teu amor e marca, está em Pauta, revelada e acolhida em tuas laudas, apreciada e compreendida em teu olhar, refletida em tua prosa poétida, em plena harnmonia com o doce som dos atabaques, aqui e acolá.

Porque hoje é VHS

Porque VHS é tradução de fraterno abraço

Por tudo isto

E por estar feliz

Te cumprimento1

Tim Tim!

E neste abraço de amigos, cabe e nos honra, o abraçar Márcia Fonseca, que desta vez não modera, mas amplia a data.


Marco Lino on 19 outubro, 2010 at 9:43 #

Há pessoas que engrandecem o existir humano com suas vidas. Sem elas, o devir seria ainda mais pessimista, mais cinzento. Vida longa aos dois e sucesso nos seus projetos.


Mariana Soares on 19 outubro, 2010 at 9:53 #

Entre lágrimas, alegria e muito orgulho, quero endossar as palavras da nossa querida Laura e do Grande Poeta Fontana! Vocês descreveram, com uma precisão quase cirúrgica, digo quase porque sentimento não é algo que se possa precisar muito bem, esta figura singular e encantadora, que é este meu irmão Hugo!
A sua integridade de caráter é e sempre foi a sua marca registrada, já nasceu, ou pelo menos desde que o conheço, pois cheguei depois dele na familia Soares, sempre foi assim: íntegro, probo e honesto.
O seu talento com as palavras misturada a sua enorme sensibilidade, generosidade e seu olhar compreensível às coisas do mundo resultam nos textos preciosos com que somos brindados quase diariamente neste BP.
Poderia, ainda, ressaltar mais uma infinidade de qualidades sua, meu querido irmão, mas não é necessário, pois todos já o conhecem de sobra e, melhor ainda, usufruem dessa maravilhosa convivência diária.
Hugo, a você eu desejo tudo de melhor que esta vida possa lhe oferecer e mais um pouquinho de tudo o mais que você desejar.
À vocês que fazem o dia a dia desse nosso BP cada vez mais legal e necessário – Laura, Poeta Fontana, Regina, Rosane, Olivia, Claudinho, Marco Lino e Danilo – essa dupla maravilhosa de debatedores – e quem mais chegar, convido a celebrar esta data e abraçar os aniversariantes do dia, e aqui quero também incluir a nossa querida Márcia, mulher de fibra e de muita ternura, envolvendo-os com todo o amor que houver nesta vida.
Feliz Aniversário!!! Tim – Tim!!!


Cida Torneros on 19 outubro, 2010 at 10:50 #

Feliz Aniversário, grande Vitor Hugo! Pessoa especial que aprendi a admirar como profissional e amar como amigo! Saúde, Vitórias, Paz, Carinhos sinceros e Amores verdadeiros! Obrigada por me incluir no rol das suas amizades!!! beijo
Cida Torneros


Chico Bruno on 19 outubro, 2010 at 11:59 #

Para um Seleto exemplar humano nada melhor do que brindar a data com uma dose de Seleta.
Feliz aniversário,
Chico Bruno


Regina on 19 outubro, 2010 at 12:42 #

E, por que o dia e dele e a ele agradecemos esse espaço aberto para nossas opiniões, aqui a minha:

Momentos de Coragem e Ternura

Vitor Hugo, como irmão mais velho, viveu no meu mundo de estórias, povoando as memórias de uma vida e, muitas vezes, como personagem central.

Dois momentos, e foram muitos, creiam, ficaram comigo gravados a fogo e sempre retorno a eles quando passo “a limpo” minha própria historia.

Era eu, “caloura” no ano de 69, na Universidade Federal da Bahia, Escola de Direito, e juntamente com aqueles que tiveram seus nomes publicados nas longas e esperadas listas dos aprovados no vestibular, esperava a abertura da primeira aula. De repente a aula é interrompida e um grupo de “veteranos” invade o recinto e senta-se, misturando-se aos noviços. Reconheci alguns pois dentre eles estava meu irmão, Vitor Hugo, que cursava na mesma escola o ultimo ano e era parte do Diretório dos Estudantes.

Ao passar por mim ele me entregou seus pertences e me pediu calma. Eu não sabia o que pensar, mas senti que o momento exigia cumplicidade e respeito.

Imediatamente depois fomos cercados por um grupo de estranhos que se exibiam como autoridades. Nos advertiram que iriam ler uma lista e, se o nome fosse chamado deveria se retirar. Um a um iam baixando os componentes da tal lista, e nela estava meu irmão. Ficamos sabendo depois que estes seriam levados presos por subversão.

Tinha eu que voltar a casa, com o coração na boca e sem encontrar as palavras, para explicar a nossa mãe o acontecido. Felizmente um de seus colegas se ofereceu de voluntário para a tarefa. Meu irmão crescia no meu conceito e virava herói.

O outro momento, aconteceu quando eu estava me preparando para deixar o país em 74. Tinha eu o costume de cortar (ou melhor, aparar) os longos cabelos de Vitor Hugo, achava aquilo uma forma de me aproximar do então arredio e introvertido personagem que aqueles anos o transformaram. Véspera da viagem, clima tenso na casa dos Soares, ele veio a meu quarto e pediu que cortasse os seus cabelos, já que não sabia quando eu voltaria. Conversa curta, procura de respostas, ele me perguntou se eu estava certa se era mesmo aquilo que eu queria. Nada mais foi dito, mas sei que ele e eu entendemos que há momentos difíceis na vida em que vale a pena ter um irmão.

Regina Soares


Regina on 19 outubro, 2010 at 13:01 #

Correção, mais que necessaria e urgente:
Em vez de “viveu” quero dizer “VIVE”.
Regina Soares


Janio on 19 outubro, 2010 at 15:46 #

Rapaz, parece que foi ontem que eu comentei da coincidência do aniversário do nosso Vitor cair na mesma época em que as caraibeiras do sertão resolvem homenagear os Franciscos (o rio e o santo) com sua floração amarela, compensando os onze meses de catingueiras esturricadas.
A propósito, o aniversariante sabe muito bem o que é acordar neste período do ano numa casa ribeirinha e, ao abrir a janela lateral do quarto de dormir, dar de cara com uma obra de arte em constante mutação de cores e paisagens, aí dependendo do ângulo de onde se olha, do balanço da rede, ou do movimento das horas.
Vitor, meu velho e querido mestre, gostaria de poder te presentear com caixas e mais caixas de flores de tamarindos e umbus cajás, mas, como Glória não há mais, te dou minha eterna gratidão.


Carmela on 19 outubro, 2010 at 15:47 #

Amigo Vitor, receba o meu fraternal abraço nesse dia tão especial. Laura traçou muito bem o seu perfil quando fala de sua postura ética na vida e na profissão, da sua competência e coerência , da maneira gentil como trata a todos, especialmente os mais necessitados, esses são valores que vão se tornado a cada dia mais fora de moda, mas, felizmente, ainda existem pessoas como você que os cultivam.. Parabéns e muitas felicidades.


Carlos Volney on 19 outubro, 2010 at 19:08 #

Também libriano, associo-me a todos que brindam a Vitor Hugo nesta data. Belíssimo o texto de Laura e igualmente tocante o de Fontana. Vitor Hugo é dessas figuras quase raras que fazem a gente refletir e concluir que a vida vale a pena. Pelo menos por ser seu contemporâneo. Abraço forte com votos extensivos a Márcia que aínda não tive o prazer de conhecer pessoalmente.


Jorge, Biga, Let e Clare on 19 outubro, 2010 at 19:26 #

Querido Compadre

Utilizando as suas palavras: “pensamos que não vamos chegar, mas termina que chegamos”, resume o nosso tempo, em que vivemos uma respeitável coleção de anos. Quantos ainda estaremos povoando a superfície do nosso maravilhoso planeta, da minha parte, não sei – acho que não saber é bom. Todavia, por via das dúvidas, devemos estar preparados para viver a vida em sua plenitude pelo máximo de tempo possível. Neste sentido, com todo o nosso coração, enviamos votos – nem petistas e nem pessebistas -, mas de saúde, paz, amor, vigor e muita lucidez para escrever uma porção de coisas agradáveis para a gente ler, como você sabe fazer.

Uma grande beijo.

Jorge, Biga, Let e Clare.


Ivan de Carvalho on 19 outubro, 2010 at 19:50 #

Vitor,
Fico feliz por você existir e desejo que continue existindo para sempre (sou cristão, você sabe).
Não vou me dar o trabalho de dizer as razões de estar feliz com o fato de sua existência. Todas as pessoas que o conhecem já as conhecem também.
Quanto as que não o conhecem, lamento por elas.
Um grande abraço, Ivan
Todos os que o conhecem já sabem.
Um grande abraço


Ivan de Carvalho on 19 outubro, 2010 at 19:56 #

Vitor,
Fico feliz por você existir e desejo que continue existindo para sempre (sou cristão, você sabe).
Não vou me dar o trabalho de dizer as razões de estar feliz com o fato de sua existência. Todas as pessoas que o conhecem já as conhecem também.
Quanto as que não o conhecem, lamento por elas.
Um grande abraço, Ivan


Olivia on 19 outubro, 2010 at 19:57 #

Falar de Vitor Hugo é quase uma covardia, vocês não acham? Ele é tudo de bom e mais um pouquinho. Só peço a Deus que lhe guarde e cuide da sua vida, sim creio em Deus, o Deus dos justos. Saravá!!!


Graça Azevedo on 20 outubro, 2010 at 7:51 #

Meu amigo Vitor
Não pense que eu esqueci a data! Por essas coisas do destino, ou seja lá que nome se dê às coincidencias, vc e minha mãe aniversariam no mesmo dia e este ano é o primeiro que ela não está consoco. E eu não queria passar para vc nenhum sentimento que não fosse de pura alegria.
Felicidades, Vitor, e continue sendo o que vc é porque o mundo só será melhor quando tivermos mais “vitors” por aí.
Um carinhoso abraço extensivo a Margarida, grande companheira na sua jornada.
PS Parabéns para Márcia que ainda não tive o prazer de conhecer.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos