=======================================================================
Sergio Ricardo fala sobre Nara Leão e interpreta “O Nosso Olhar”.

Viu
Quanta coisa linda
Você e eu sentimos
Sob este luar
Dentro do silêncio
Que a noite fazia
Pelo nosso amor

Viu
Como os nossos olhos
Foram se entregando
E se integraram
Na linguagem pura
Que os olhos ditam
Pelo coração

Viu
Como o mundo inteiro
Ficou pequeno
E em nossas mãos
Virou veneno
Que a noite bebeu
Pelo nosso amor

Viu
Como basta pouco
Para amar-se muito
Um luar bonito
Uma noite quieta
E o olhar tão puro
Deste nosso olhar.

BOA NOITE!!!

set
16
Posted on 16-09-2010
Filed Under (Charges) by vitor on 16-09-2010


=============================================================

Humberto – Jornal do Commercio – Recife, PE
Reproduzido no Blogbar do Fontana ( http://fontanablog.blogspot.com/ )

Marcia a Serra na TV:”aqui não tem isso”

==================================================================
“Faz de conta que eu não vim”, diz Serra ao ameaçar deixar entrevista de TV

DEU NO PORTAL COMUNIQUE-SE (Especializado em notícias de bastidores da imprensa)

Da Redação

Irritado, o candidato à Presidência, José Serra (PSDB), se levantou na intenção de deixar o programa Jogo de Poder, da CNT. O político ficou contrariado com as perguntas da jornalista Márcia Peltier, que apresenta o programa.

Márcia questionava Serra sobre a quebra de sigilos de tucanos e pesquisas. Segundo a jornalista, a manobra teria acontecido em 2009, antes do início das candidaturas. Nesse momento, Serra subiu o tom de voz, disse que estava perdendo tempo com a entrevista e que Márcia deveria fazer a pergunta à Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência.

Candidato disse que estava em “montagem”
“Agora nós vamos falar sobre programas”. Neste momento, Serra se levantou e ameaçou sair do estúdio. “Eu não vou dar essa entrevista, você me desculpa”.

A apresentadora insistiu, mas Serra continuou irritado.“Faz de conta que eu não vim”. Quando a apresentadora perguntou o porquê, o político respondeu que o programa “não é um troço sério” e pediu para desligar as câmeras. “Apague a TV pra gente conversar (…) “porque isso aqui está parecendo montado”. “Montado para quem? Aqui não tem isso”, respondeu a apresentadora.

Serra só voltou ao estúdio e terminou a gravação depois de conversar reservadamente com a jornalista e o apresentador Alon Feuerwerker. Quando questionado por outros jornalistas sobre a cena de irritação, Serra negou e disse que estava “com estômago ruim” porque não tinha tomado café da manhã.

De acordo com a assessoria da CNT, as perguntas que incomodaram o candidato serão mantidas e o programa deve ir ao ar nesta quarta-feira (15/9) às 22h50.

(As informações são do Terra )

set
16
Posted on 16-09-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 16-09-2010


=====================================================
De Belmont, na californiana área da baia de San Francisco, Regina Soares, de antena sempre direcionada para a terrinha, dá o toque na área de comentários do Bahia em Pauta, que sobe para a página principal:
” circo tá pegando fogo!!!!! Traz a bandinha pra tocar, Fontana”

E, junto, vêm O Circo de Sidney Miller, com Nara, para alegrar e fazer pensar neste finzinho de tarde de setembro em Salvador.

(Vitor Hugo Soares)

Bahia em Pauta publica abaixo a íntegra da carta de demissão da ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra:

“Excelentíssimo Senhor

Luiz Inácio Lula da Silva

Presidente da República

Nesta

Senhor Presidente,

Nos últimos dias, fui surpreendida por uma série de matérias vinculadas por alguns órgãos da imprensa contendo acusações que envolvem familiares meus e um ex-servidor lotado nesta pasta, tenho respondido uma a uma, buscando esclarecer o que se publica e principalmente a verdade dos fatos, defrontando-me com toda a sorte de afirmações, ilações e mentiras que visam a desacreditar o meu trabalho e atingir o governo ao qual sirvo.

Não posso, não devo e nem quero furtar-me a tarefa de esclarecer todas essas acusações nem posso deixar qualquer dúvida pairando acerca da minha honradez e da seriedade com a qual me porto no serviço público. Nada fiz e permiti que se fizesse ao longo de 30 anos de minha trajetória pública que não tenha sido um estrito cumprimento dos meus deveres. Prova irrefutável dessa minha postura, é que já solicitei à Comissão de Ética a abertura de procedimento para esclarecimento dos fatos aleivosamente contra mim levantados. À Controladoria-Geral da União (CGU), a auditagem dos atos relativos à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), dos Correios e da contratação de parecer jurídico da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), além de solicitar ao Ministério da Justiça a abertura dos procedimentos que se fizerem necessários no âmbito daquela pasta para também esclarecer os citados fatos.

No entanto, mesmo com todas essas medidas por mim adotadas, inclusive com a abertura dos meus sigilos telefônico, bancário e fiscal, a sórdida campanha para desconstituição da minha imagem, do meu trabalho e da minha família continuou implacável. Não apresentam uma única prova sobre minha participação em qualquer dos pretensos atos levianamente questionados, mas mesmo assim estampam, diariamente, manchetes cujo único objetivo é criar e alimentar artificialmente um clima de escândalo. Não conhecem limites.

Senhor presidente, por ter formação cristã, não desejo nem para o pior dos meus inimigos que ele venha a passar por uma campanha de desqualificação como a que se desencadeou contra mim e minha família. As paixões eleitorais não podem justificar esse vale-tudo. Preciso agora de paz e tempo para defender a mim e a minha família, fazendo com que a verdade prevaleça, o que se torna incompatível com a carga de trabalho que tenho a honra de desempenhar na Casa Civil.

Por isso, agradecendo a confiança de vossa excelência ao designar-me para a honrosa função de ministra-chefe da Casa Civil da República, solicito em caráter irrevogável que aceite meu pedido de demissão. Cabe-me daqui por diante a missão de lutar para que a verdade dos fatos seja restabelecida.

Brasília, 16 de setembro de 2010

Erenice Guerra”

set
16
Posted on 16-09-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 16-09-2010

Lula com Erenice:carga jogada ao mar

===================================================================

O escândalo de tráfico de infuência, que vaza por todo lado com revelações cada vez mais surpreendentes e demolidoras, acaba de romper o dique. Erenice Guerra não é mais a ministra-chefe da Casa Civil. A sucessora da candidata do PT, Dilma Rousseff, não resistiu às denúncias de tráfico de influência e lobby envolvendo seu filho, Israel Guerra e pediu demissão nesta quinta-feira, 16. A decisão da agora ex-ministra foi divulgada no começo da tarde desta quinta-feira,através de um comunicado oficial à imprensa lido pelo porta-voz da Presidência.

Em sua edição online, o Estadão informa que a secretária de Articulação e Monitoramento da Casa Civil, Miriam Belchior, deve ser escolhida como a nova ministra. O empresário Rubnei Quicoli afirmou ao Estado nesta quinta-feira que a Casa Civil é palco de lobby e que a empresa do filho da ministra Erenice Guerra cobrou 5% da ERDB do Brasil Ltda. para conseguir um financiamento de R$ 9 bilhões junto ao BNDES. ‘Foi a maior patifaria o que fizeram. Fizeram terrorismo’, disse. A própria ministra, segundo ele, participou de uma reunião no ano passado. O empresário enviou os documentos ao Estado.

Segundo Quicoli, em meio às negociações com os intermediários em Brasília, foi pedido ainda o valor de R$ 5 milhões para ajudar na campanha da presidencial de Dilma Rousseff (PT). ‘Eu disse que não podia por tudo junto numa mala. E que precisava de nota fiscal de uma empresa como prestadora de serviço’, afirmou. O pedido de dinheiro para a campanha, de acordo com Quicoli, foi feito pelo ex-diretor de Operações dos Correios Marco Antonio de Oliveira.

A intermediação do filho de Erenice nesse episódio foi revelada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira. O empresário Rubnei Quicoli contou ao Estado que a EDRB do Brasil Ltda buscava um empréstimo junto ao BNDES para viabilizar um projeto de energia solar que estava parado desde 2002. Consultor da EDRB, Quicoli disse que a Casa Civil deu a orientação para procurarem a Capital Assessoria, empresa em nome de Saulo Guerra, filho de Erenice, mas que é comandada por outro filho da ministra, Israel. Foi feita então a minuta de um contrato, no valor de R$ 240 mil, mais o percentual de 5% sobre os R$ 9 bilhões.

De acordo com o empresário, a própria Erenice participou de uma reunião na Casa Civil com os representantes da EDRB em novembro do ano passado. A reunião, segundo ele, foi agendada por Vinicius Castro, ex-assessor da Casa Civil e cuja mãe é sócia da Capital Assessoria. Vinicius pediu demissão no início da semana.

Segundo Rubnei Quicoli, as negociações com a empresa de Israel Guerra foram desfeitas em março sem que o empréstimo do BNDES tivesse sido concedido. Na edição desta semana, a revista Veja mostrou que a Capital Assessoria atuou também no ramo de transporte de carga aérea.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações Estadão/MSN)

set
16
Posted on 16-09-2010
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 16-09-2010


======================================================

“Note-se a preocupação constante com o “controle” da mídia, no programa de governo, ou a contraposição à mídia, na palestra de Dirceu”, adverte o jornalista político Ivan de Carvalho em seu artigo desta quinta-feira na Tribuna da Bahia, que Bahia em Pauta reproduz.
(VHS)

======================================================

OPINIÃO POLÍTICA

O dia seguinte

Ivan de Carvalho

Vale a pena juntar em um mesmo espaço e em uma mesma ocasião três notícias ou acontecimentos diversos, mas que parecem levar água para o mesmo moinho.

1. Em entrevista ao portal de internet Terra, o ex-governador paulista Cláudio Lembo, do PFL, faz sombrias previsões para o que poderíamos chamar de “o dia seguinte” – “The After Day”, lembram do filme? –, no caso, o 4 de outubro. Ele supõe que a partir desse dia não haverá mais partidos políticos no Brasil, mas somente (na prática, é claro, não formalmente) “um movimento social coordenado por Lula”.

Esta seria, se concretizada, uma situação extremamente grave e não existe, na realidade, uma garantia de que não ocorrerá algo na linha prevista por Lembo. Mas o ponto que quero destacar na entrevista dele é o da sua previsão para as condições em que a oposição sairá da eleição: “A oposição terá um resultado mau, muito ruim no pleito, e sai sem voz, sem maior possibilidade de apontar os erros do governo, de ser e fazer oposição. Também por erros da própria oposição”.

Em síntese: uma oposição incapaz de cumprir mesmo minimamente sua função.

2. O assessor especial da Presidência da República para Assuntos de Política Externa, Marco Aurélio Garcia (aquele do top, top, top do caso Francenildo) é o coordenador do programa de governo de Dilma Rousseff. Ontem ele disse que a campanha ainda não decidiu se esse programa será ou não divulgado antes das eleições. Deixou claro que não vê nenhum problema em não ser divulgado.

Mas há problema, sim. Primeiro, a coligação de Dilma registrou no TSE o programa do PT. As reações foram intensas em setores da sociedade e em partidos aliados, sob alegação de que era um programa radical. Então disseram que fora entregue ao TSE somente para cumprir uma burocracia e que seria substituído, o que aconteceu, por outro. Acontece que este outro também foi considerado brabo, especialmente pelo maior aliado do PT e do governo, o PMDB, que exigiu participação na elaboração da “terceira versão”. A segunda manteve a defesa do “controle social da mídia”.

Agora vem o Sargento Garcia (desculpem, isso de Sargento Garcia é lá com o Zorro) e diz que o programa pode não ser revelado aos eleitores antes da eleição. Piada pronta. E o PMDB, o que faz? Tudo indica que nada, o que parece dar certa razão à previsão de Lembo sobre o fim dos partidos.

3. Agora, a palestra que José Dirceu, deputado cassado por causa do Mensalão, ex-presidente nacional do PT e ex-ministro-chefe da Casa Civil de Lula, fez para petroleiros na Bahia esta semana, julgando que não havia jornalistas no recinto. Mas havia. Disse ele: “Quem pode ter poder? Primeiro, o poder econômico. […] As Forças Armadas estão, hoje, profissionalizadas. O poder econômico se aliou com qual poder? Com a mídia. E qual é o poder que pode se contrapor ao poder econômico e ao poder da mídia no Brasil? É o poder político…”. Note-se a preocupação constante com o “controle” da mídia, no programa de governo, ou a contraposição à mídia, na palestra de Dirceu.

Tempestades à vista. Ou, talvez, a paz dos cemitérios.


===========================================================================
Maria Ninguém – Gravada por Brigitte Bardot nos anos 60 e genialmente revisitada por Rita Lee em 1993. Duas mulheres belas, cheias de atitude, talento e defensoras dos direitos animais.(Reproduzido do clip do You Tube).
BOM DIA!!!

(vhs)

set
16


=======================================================

DEU NO PORTAL FLAVOUR ( http://www.portalflavour.com )


Política de Saúde do Homem no dia a dia
Helder Porto

Escrevendo pela primeira vez para o Portal Flavour, ainda me cabe ressaltar a oportunidade de direcionar o meu discurso a um segmento da população ainda pouco prestigiado, o GLS. Começo minha colaboração nesta coluna com muito gosto e empenho, principalmente ao considerar que um dos meus filhos está incluso neste grupo social. Vamos levantar neste espaço temas de curiosidade geral, opinar e informar sobre pontos que normalmente não são considerados em conversas comuns sobre saúde, procurando colaborar com dicas e assuntos diretamente ligados à nossa vida concreta.

Hoje trago um tema pouco discutido e muitas vezes visto de maneira preconceituosa pela maioria das pessoas: a Política de Saúde do Homem. O usual, na sociedade em que vivemos, é direcionar políticas públicas à saúde da criança, da mulher e do idoso, deixando, neste diálogo, uma lacuna enorme nas questões referentes ao sexo masculino na faixa etária dos 18 aos 55 anos.

Por ser urologista, procuro ao máximo esclarecer sobre a importância da quebra do paradigma “homem sinônimo de invencibilidade”. O “senso comum” – certa feita ouvi dizer que é a reflexão dos que têm preguiça de pensar e tirar suas próprias conclusões dos fatos da vida – historicamente atribui ao homem um caráter de invencibilidade social, uma equiparação ao “super-homem”; como se ponto necessário para ser um homem fosse não demonstrar fraqueza.

Talvez venha deste pensamento errôneo muito do preconceito que a sociedade vive com questões relacionadas à sexualidade e à sua diversidade / pluralidade. Existem 5 “tipos” (orientações sexuais) de homens que a saúde pública se preocupa em cuidar hoje, sem lançar um olhar preconceituoso, mas inclusório, sendo: homens que transam com homens, homens que transam com mulheres, homens que transam com ambos os sexos (masculino e feminino), o homem que é transexual e as travestis. É de extrema importância que cuidemos de todos, observando a peculiaridade de cada indivíduo.

O fato é que nenhum ser humano é invencível nem imune às doenças que afetam o corpo. É necessário ampliar o conceito de saúde, sair da ideia de que cuidar da própria saúde é curar doenças apenas. Para se manter saudável é preciso mais do que isso, é preciso se manter bem alimentado (longe dos excessos de açucares, sais, gorduras, álcool e drogas), com uma dieta balanceada e frequentar médicos – como fazem as mulheres e idosos – para exames periódicos.

A manutenção da saúde, com visitas a médicos e exames periódicos, permiO hAo te uma série de benefícios práticos no dia a dia de todo indivíduo. Recomenda-se, por exemplo, que todo pré-adolescente consulte um urologista para avaliação das suas genitálias, pois é comum que haja certos problemas de saúde nesta faixa etária. Outro exame muito importante é o PSA (Antígeno Prostático Específico) que pode sugerir o exame de toque para detecção de tumores ou cânceres na próstata; e deve ser feito pelos homens a partir dos 40 anos.

A título de curiosidade, para se realizar este tipo de exame é necessário estar em abstinência sexual por 48 horas, evitando montar cavalos, motos, bicicletas e estar em jejum por quatro horas. Esses exames aumentam as possibilidades de detecção de cânceres e doenças relativas, o que incide diretamente no crescimento das chances de cura dos problemas detectados.

É necessário que mudemos este paradigma masculino de cuidar de doenças e não da saúde. Aumentar a expectativa de vida e qualidade da mesma são os pontos-chaves que devemos visar nesta mudança de valores. Além das dicas dadas acima, sobre alimentação e visitas periódicas a médicos, devemos observar a necessidade de se ter momentos de lazer, exercícios periódicos compatíveis ao perfil de cada um (gosto versus possibilidades físicas) e tomar sol antes das 09h ou após as 16h.

Vale lembrar que a possibilidade de cura dos cânceres de pênis, testículo, próstata, e do aparelho urinário (ureter, uretra, rins e bexiga) é substancialmente maior quando os diagnósticos são realizados cedo. Procure periodicamente um médico e siga sempre as suas orientações, pois não adianta frequentar médicos e fazer o contrário do que eles prescrevem.

Grande abraço e até breve!
================================================================
Helder Porto é médico graduado pela Escola Baiana de Medicina em 1981, membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia, Ex-Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia Seccional da Bahia, Urologista da Universidade Federal da Bahia, Urologista da Secretaria de Saúde da Bahia e do Hospital São Rafael.

Imagem: Midiacom

DEU NA UOL
============================================================
FERNANDO RODRIGUES

DE BRASÍLIA

Apesar do intenso noticiário das últimas semanas sobre a quebra dos sigilos fiscais de tucanos, a corrida presidencial entrou em fase de alta estabilidade nas taxas de intenção de voto dos principais candidatos.
Segundo pesquisa Datafolha nos dias 13 a 15 deste mês com 11.784 entrevistas em todo o país, a petista tem 51%. Oscilou um ponto percentual para cima em relação ao levantamento anterior, dos dias 8 e 9. A margem de erro máxima é de dois pontos, para mais ou para menos.

Quando se consideram só os votos válidos, os dados apenas aos candidatos (excluindo-se os brancos e os nulos), Dilma vai a 57%.

José Serra (PSDB) ficou exatamente como há uma semana, com 27%. Marina Silva (PV) também repetiu sua taxa de 11%. Em votos válidos, o tucano tem 30%. A verde fica com 12%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou nenhum. Outros 7% se declaram indecisos.

Os demais seis candidatos não pontuaram, segundo o Datafolha -que realizou a pesquisa sob encomenda da Folha e da Rede Globo.

ESCÂNDALO DA RECEITA

O levantamento comprovou que teve impacto mínimo até agora, quase imperceptível, o escândalo da quebra de sigilo de tucanos e da filha de Serra, Veronica.

O Datafolha apurou que 57% dos eleitores tomaram conhecimento do assunto. Mas, apesar de a maioria conhecer o caso, só 12% se consideram bem informados a respeito.

As taxas de maior conhecimento estão entre os mais escolarizados (86%) e os que têm maior renda mensal (84%). Mas esses segmentos são minoritários no eleitorado e não provocaram alterações no quadro geral.

Numa estratificação apenas dos que se declaram mais bem informados, a taxa de intenção de votos de Dilma fica em 46% (contra os 51% no cômputo geral). Serra vai a 33% e Marina oscila para 14%. Ou seja, a soma do tucano com a verde daria 47%, e o cenário seria de um possível segundo turno.

No outro extremo, entretanto, quando são separados apenas os eleitores que nunca ouviram falar do caso da quebra de sigilos fiscais de tucanos, Dilma vai a 53%, Serra desce a 24% e Marina pontua apenas 8%.

A estabilidade do quadro geral apurado pelo Datafolha também aparece em quase todos os segmentos pesquisados pelo instituto.

SEGUNDO TURNO

Na simulação de segundo turno, Dilma venceria com 57%, contra 35% de Serra. Os percentuais eram 56% e 35% há uma semana.

Do ponto de vista geográfico, as únicas variações significativas e além da margem de erro ocorreram no Paraná, no Rio Grande do Sul, em Brasília e em Belo Horizonte.

Dilma perdeu oito pontos em Curitiba (PR) e voltou a ficar atrás de Serra nessa capital. A petista tem 28%, contra 36% do tucano. No Paraná como um todo, ela recuou cinco pontos –mas ainda lidera por 41% a 35%.

A petista também piorou seu desempenho em Brasília, saindo de 51% para 43%, mas continua líder porque Serra está com 21%.

No Rio Grande do Sul e em Belo Horizonte ocorreu o inverso, com Dilma melhorando seu desempenho. Entre os gaúchos, a petista foi de 43% para 45%, e Serra desceu de 38% para 34%.

Na capital mineira, a petista foi de 40% para 44%. Serra oscilou de 23% para 25%.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 30014/2010.

  • Arquivos

  • setembro 2010
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     12345
    6789101112
    13141516171819
    20212223242526
    27282930