Lula: no ranking mundial dos melhores

======================================

A revista norte-americana ‘Newsweek’ revela em sua edição desta semana, sua primeira lista dos melhores países do mundo tendo em conta cinco categorias distintas. No topo está um país nórdico, a Finlândia, havendo ainda outros três nóredsicos nas primeiras dez posições

O Brasil é o 48º na lista, atrás de países latinos como Uruguai, México, Argentina e Jamaica, que são os quatro anteriores ao Brasil. O país sul-americano melhor colocado no ranking é o Chile, que aparece em 30º. A pesquisa mostra que o Chile conquistou um score de 69.47 pontos em qualidade de vida, enquanto que o Brasil apenas 47.85 pontos

Além deste ranking dos melhores países, a revista escolheu também os dez líderes mundiais que, diz, se podem admirar. Entre eles está o brasileiro Luis Inácio Lula da Silva, que chega ao fim do seu segundo mandato, e o francês Nicolas Sarkozy, “amado no estrangeiro e odiado em casa”.

A única mulher entre os líderes confiáveis é a Presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirlead, apelidada de “a construtora”. Da lista, curiosamente, não faz parte o presidente dos Estados Unidos,Barack Obama.
“Se nascesse hoje, que país lhe iria proporcionar a melhor oportunidade de viver uma vida saudável, segura, razoavelmente próspera e com capacidade de ascensão?” Foi a esta pergunta que a revista norte-americana Newsweek quis responder no seu primeiro ranking dos melhores países do mundo. A resposta acabou por ser Finlândia, com Portugal aparecendo no 27.º posto, logo atrás da Grécia.

Num trabalho especial, a revista divulgou o resultado de vários meses de trabalho na análise de cinco categorias específicas: educação, saúde, qualidade de vida, dinamismo económico e ambiente político. A média destes indicadores deu a lista final de 100 países, liderada pela Finlândia e com o Burkina Faso no último lugar.

“Há verdades que já sabíamos: os melhores países tendem a ser pequenos, ricos, seguros e frios”, escreve a revista. Mas uma análise mais específica dos dados (possível no site www.newsweek.com) permite examinar um importante número de tendências, quando se comparam países com populações ou rendimentos semelhantes.

Não há dúvida de que os nórdicos dominam nos dez primeiros da lista. Além da Finlândia, em primeiro lugar, surge a Suécia em terceiro, a Noruega em sexto e a Dinamarca em décimo. “Os melhores países do mundo parecem ter isto em comum: evitam a guerra, vivem na escuridão e mantém um estado constante de depressão e produtividade”, indicou o escritor Andrei Codrescu, convidado pela revista a analisar este domínio nórdico.
( Com informações de Newsweek (USA) e Diário de Notícias (Portugal)

Be Sociable, Share!

Comentários

Regina on 19 agosto, 2010 at 20:27 #

Posso estar errada, mas creio que ainda vamos ler as memórias de Lula (sem duvida será um best seller) contando suas experiências nesses 8 anos ao derredor do mundo político e seus pares.


luiz alfredo motta fontana on 19 agosto, 2010 at 21:45 #

Sarkosy e Lula

O francês, busca desesperadamente posar de “estadista”, no modelito elitista, arrogante, mesmo que passe a imagem de um Louis de Funes que perdeu a graça. A preocupação com a imagem é tanta que usa sapatos com palmilhas enormes, em busca de aparentar a estatura de Carla Brunni, esta por sua vez, como boa cúmplice, abdica de saltos e desfila ballerines. Qualquer semelhança com tiranetes da história não é mera coincidência.

Lula, ao contrário, foi tão afagado pelo “politicamente correto” que grassou no Brasil na década de 80, que percebeu, o seu caminho seria, e foi, mais fácil, zombando de todos. Animal político que é, diverte-se reduzindo adversários a meros “escadas” de uma antiga e canhestra troupe.

Perdemos todos, franceses e brasileiros assistem a banda passar.

Talvez, até por tradição, eles encenam tragédias, tendo como principal atração o tal xenofobismo, tão a gosto de Pétain.

Aqui, Lula prefere a chacota no varejo, e a submissão, educada e amestrada, ao sistema financeiro, no atacado.

Resta resistir com um berimbau, duas baguetes e uma sessão nostalgia de Godard.

Onde anda Jean Paul Belmondo?


Regina on 19 agosto, 2010 at 23:25 #

Não sei não, mas minha impressão é que Lula joga como quem não tem nada a perder. Ninguém esperava muito dele e ele usou a arma que desmorona todas as barreiras: a sinceridade despojada de sofisticação, o que lhe cai muito bem. Já pensou se ele fosse dar uma de metido a besta? Ele tem uma arma infalível: o poder de comunicação sem medo de enfrentar quem quer que seja. O Sarcozy é um francês e, portanto, preocupado com a figura, muito embora desfavorecido pela genética prima pelo “finesse”. A França não pode se dar o luxo de ser motivo de chacota o Brasil pode.


uiphtfgi on 15 julho, 2012 at 15:40 #

nao e verdade


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos