====================================================
BOA NOITE
!!!

ago
15
Posted on 15-08-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 15-08-2010

========================================================

DEU NA UOL

Em um vídeo divulgado neste domingo na internet, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pede a mobilização de internautas para ajudar a eleger sua candidata à Presidência, Dilma Rousseff (PT), “a primeira mulher presidente” do país.

No depoimento de pouco mais de um minuto, Lula fala que os internautas são responsáveis pela democratização da informação porque se tornaram formadores de opinião. A mensagem de Lula está disponível no site de Dilma e também no Twitter (microblog).

“O importante é que estamos todos unidos para fazer o Brasil seguir mudando com Dilma. Esse é um momento histórico e vocês fazem parte dele, ajudando a democratizar a informação em nosso país, pois, hoje, cada internauta é um formador de opinião. Por isso, continue contribuindo com fotos e vídeos e sejam protagonistas desse novo cenário onde cada eleitor tem o poder e o direito de informar e ser informado”, disse.

O presidente agradeceu o apoio que recebe nas redes sociais em defesa do seu governo.

ago
15


==================
DEU NA REVISTA

Hora de fisgar os indecisos

O início do horário eleitoral gratuito, na próxima terça-feira, marca o início do último round entre os candidatos. Segundo o Datafolha, 12 milhões de eleitores ainda não têm ideia de como irão votar. E muitos ainda se mostram volúveis. Ou seja, podem trocar de candidato na reta final da eleição

===============================

OPINIÃO/IMPRENSA

Jornalismo 171

Washington de Souza Filho

Fatos diversos têm demonstrado a falta de vínculo entre a realidade e decisões da Justiça brasileira. São freqüentes os acontecimentos, com a participação de criminosos de alta periculosidade, por exemplo, ocorridos depois da concessão de benefícios, baseados na legislação, sem uma cuidadosa avaliação da condição desses acusados. Em relação ao jornalismo, a referência é a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), no ano passado, que decidiu suspender a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão, sob a alegação de inconstitucionalidade,

A história, recente, é bem conhecida, mas vale recordar. A partir de uma ação, movida pelo Sindicato das empresas de rádio e televisão de São Paulo, com base no artigo da constituição brasileira que trata do direito à liberdade de expressão, levantou-se a tese de que a exigência do diploma era uma forma de restrição ao exercício do jornalismo, além do fato da lei que regulamentava a profissão ter sido um ato da Junta Militar, que governava o País em 1969. A argumentação nunca correspondeu aos fatos, assim como a referência ao contexto político sempre representou, na verdade, a usurpação de uma reivindicação histórica dos jornalistas.

A formação ganhou outra conotação, a partir da exigência do diploma. No caso da Bahia, por exemplo, onde o curso de jornalismo foi implantado no fim da década de 50, na UFBA (Universidade Federal da Bahia), muitos profissionais em atuação, diversos deles consagrados, inverteram o caminho percorridos pelos jovens, interessados em uma oportunidade nas redações, e foram buscar a formação.

A formação em jornalismo é indiscutível, sempre dependente de necessárias correções. De um único curso, mantido pela UFBA, a quantidade aumentou para quase duas dezenas em todo o Estado, faz pouco mais de 10 anos. Um complicador, para quem considera a educação uma forma de negócio, interessado apenas no lucro. As dificuldades, porém, na área de educação têm sido enfrentadas.

Um fato, da cobertura policial dos meios de comunicação da Bahia, ocorrido na semana passada, é o elo para a esta consideração sobre a Justiça e as suas decisões. No caso do jornalismo, o seu exercício virou uma terra de ninguém, como é possível verificar o episódio da prisão de um cidadão, dito dono de um site, sob a acusação de extorsão. A existência de uma regulamentação, tentativa em curso no Congresso Nacional, teria impedido a ação de quem, de forma arrogante, disse aos jornalistas não considerá-los como colegas, ainda que usasse a profissão como se ela fosse para o benefício dele.

É natural que ele não tenha nenhuma consideração pelos jornalistas. Ser jornalista pressupõe condições estabelecidas pela formação, através de princípios morais e éticos. Da forma preconizada pelo jornalista Cláudio Abramo, no livro A Regra do Jogo, de que a ética de um jornalista não é diferente da que é exigida de qualquer cidadão, por ser uma condição essencial da atividade de um profissional.

A divulgação sucessiva do fato permitiu diversas denominações ao acusado. Uma delas, utilizada pelo Correio – por certo, para diminuir as sucessivas infelicidades em sua primeira página – sintetiza o que é a atuação dos muitos que se consideram jornalistas, porque pensam que podem ser, apenas por considerar que é uma profissão praticada sem limites.

O jornal usou em uma manchete a expressão “jornalista 171”. De certa forma, bastante acertada. O número é uma referência ao artigo do Código Penal que define o crime de estelionato. Infelizmente, para o jornalismo e a sociedade, para muitos, esta ainda é uma forma de querer ser jornalista, exatamente pela falta de qualquer limite.

Washington de Souza Filho é Jornalista, professor da Faculdade de Comunicação (UFBA), atualmente Coordenador do Colegiado de Graduação.

ago
15
Posted on 15-08-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 15-08-2010

Andrade Neto: seguem investigações

===========================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

A liberdade do proprietário do site Pura Política João Andrade Neto foi adiada pelo juiz Edmundo Lúcio da Cruz, da 9ª Vara Crime. A prisão temporária dele, que vencia hoje, foi prorrogada pelo juiz por mais cinco dias, se estendendo até sexta-feira (20).

Preso na sede da Polinter, última quarta-feira, acusado de extorquir empresários em troca da não publicação de notícias negativas. Andrade Neto foi orientado por seus advogados a não dar declarações à imprensa. A delegada Gabriela Macedo, do Centro de Operações Especiais da Polícia Civil, responsável pelo inquérito, informou que amanhã pela manhã deve ouvir os empresários Carlos Suarez e João Carlos Cavalcanti, que são vítimas das extorsões.

“Aguardo apenas confirmação por parte dos advogados deles. Os depoimentos deles devem ajudar a entender a forma de atuação do Andrade Neto”, disse a delegada que há dois meses vinha investigando o dono do site.

A denúncia contra Andrade Neto chegou à polícia através de um empresário do ramo da educação que disse estar sendo extorquido por ele no valor de R$ 30 mil em troca da não publicação de reportagens. Os documentos apreendidos pela polícia, nas duas salas empresariais pertencentes a Andrade Neto, ainda são analisados pelo setor de inteligência da Secretaria de Segurança.

Ontem, o site Pura Política, que vinha postando notícias diárias sobre a prisão, esteve em manutenção.  A delegada informou que não tinha solicitado à Justiça que o portal saísse do ar.

Em nova rodada de pesquisa de intenção de votos para o governo da Bahia, o instituto Datafolha confirmou a tendência já verificada no levantamento anterior de reeleição do governador Jaques Wagner (PT) no primeiro turno. Com 45%, Wagner cresceu um ponto em relação à pesquisa anterior divulgada pelo mesmo instituto. Em segundo lugar e mantendo a pontuação anterior, vem Paulo Souto(DEM) com 23%.

No Datafolha Geddel Vieria Lima (PMDB) caiu 3 pontos percentuais e apareceu com 10% das intenções de voto. Luiz Bassuma (PV) obteve 1% e os demais candidatos não pontuaram. Votos brancos e nulos alcançaram 5% e os indecisos chegarama 15%. O Datafolha ouviu 1060 pessoas em todo o estado, entre 9 e 12 de agosto.
(IG)

  • Arquivos