ago
02
Postado em 02-08-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 02-08-2010 11:09

Marilia com FHC: frases no ar

=======================================================================
DEU NO BLOG DO NOBLAT

Do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para Marília Gabriela em entrevista dada ao SBT ontem à noite:

* “Em campanha ou você fala para o povo ou não ganha voto”.

* “Em comício você não deve argumentar, mas excitar. Sempre tive dificuldades com isso”.

* “Lula quer borrar o passado, dizer que tudo de bom começou com ele. Como não tem responsabilidade intelectual… Ele vai falando”.

* “A tragédia é que o reconhecimento da História só vem depois que o cidadão morreu. Veja o caso do presidente Juscelino”.

* “O primeiro golpe [para acabar com a pobreza] foi a estabilidade [o Plano Real]”.

* “O aumento real do salário mínimo vem sendo dado mais ou menos desde 1993”.

* “A criação de programas de bolsas [sociais] foi feita no meu governo. Lula juntou todas as bolsas e aumentou-as”.

* “Dilma é uma espécie de candidata fantasma. Tudo o que ela tem [de votos] é de Lula”.

* “Eu só peguei crises financeiras. Lula, não. Eu criei ondas. Ele é um bom surfista”.

* “Na América do Sul já tivemos mais influência. Hoje, Chávez tem mais”.

* “Não faço ofensas pessoais a Lula. Pelo contrário. Só políticas”.

* “Lula já votou em mim para senador e eu nele para presidente [em 1989]”.

* “O zumzumzum que tenho namorada não é verdade”.

– O senhor reconheceu no ano passado um filho [com a jornalista Míriam Dutra]. Como é se relacionar com um filho de 17 anos? – perguntou Gabi.

* “O que me preocupa, principalmente em relação a um filho que mora no exterior, é a questão das drogas”.

(Comentário meu (Noblat): É a primeira vez que o ex-presidente fala de público sobre o filho que teve fora do seu casamento com dona Ruth Cardoso.)

* “Acho ruim você levar a vida olhando para trás [querendo ser o que foi]. Eu olho para frente”.

* “O Brasil vai bem. Poderia ir melhor”.

* “Lula é um fenômeno de popularidade e de mutabilidade. Ele se adapta muito rapidamente às situações”.

Be Sociable, Share!

Comentários

Marco Lino on 2 agosto, 2010 at 12:28 #

Prato cheio para Danilo…


luiz alfredo motta fontana on 2 agosto, 2010 at 14:12 #

Estranho

Ou seria lamentável?

De um lado, Gabriela buscando o passado de sucesso, de outro FHC, o gongórico entediado.

Assinala Noblat:

“(Comentário meu (Noblat): É a primeira vez que o ex-presidente fala de público sobre o filho que teve fora do seu casamento com dona Ruth Cardoso.)”

Aqui o novo, o inusitado, a quebra do tabu.

Poderia ser louvável, mas…

Como fica o filho da aventura nacional, aliás, da travessura na cozinha, o tal filho da empregada doméstica?

Gabriela não sabe?

É este o tabu?

Ou FHC considera reconhecer só digno de “estrangeiros”. Ou seria apenas os globais?

Estranho esse FHC, certa feita querendo dizer que não tinha preconceitos, saiu-se com um frase preconceituosa: – “tenho o pé na cozinha”

Na verdade, ao que parece, levando-se en conta o noticiado timidamente sobre o filho da empregada. tinha além do pé uma parcela da biografia, embora escondida.


danilo on 2 agosto, 2010 at 17:48 #

hehehe

FHC tem seus equívocos, mas neste caso ele está coberto de razão.

quem foi colega dos “esquerdinhas” nos bancos de faculdade lá nos anos 70 – e muito deles hoje incrustados no aparelho do estado lullo-petista, lembra da maneira desabonadora, pra não dizer féladaputice mesmo destes esquerdinhas para com a figura de Juscelino Kubitschek.

à simples menção do nome de JK, os “esquerdinhas” vociferavam hidrófobos babando por sobre a barba de bicho-grilo:

– JK é um entreguista, traidor do Brasil…

alguns deles, eu bem lembro, até vibraram com a morte trágica do presidente bossa nova.

e, hoje, os velhos “esquerdinhas”, atualmente representantes desta nova classe burguesa conservadora elevaram JK a herói da nação brasileira, e que no panteão da História Universal só está abaixo do Deus Lulla, é cllaro…

fique frio, Marco Lino, você vai dizer o contrário, mas a Bahia inteeeeira sabe que você era um destes “esquerdinhas” que sacaneavam JK e que hoje o admiram.

mas a galera sabe que para você, o maior ser humano já surgido neste planeta chama-se Luiz Inácio Lulla da Sillva.

pt saudações


Marco Lino on 3 agosto, 2010 at 0:32 #

Caro Danilo

Não tenho essa idade toda, mas vejo o JK até mais preocupado com o avanço do Brasil que FHC. Mas, como este, ele foi irresponsável com a farra sem compromisso nacional do capital estrangeiro. Aliás, JK, Collor e FHC formam o trio de ouro dos deslumbrados com o capital dos gringos.

Claro que não pouparei o governo Lula, que acendeu uma vela para Deus e outra para o Diabo – lembro de Cristo dizendo: “Não podeis servir a Deus e a Mammon”. Claro tb que ninguém é louco de dizer não a investimento algum, mas há que se distinguir o investimento que entra na produção e aquece a economia do capital especulativo, de curto prazo.

Entretanto, o governo do apedeuta tem uma vertente que pensa o desenvolvimento do Brasil, a indústria nacional, o comércio de cá, a transferência de tecnologia etc. Gosto disso. Essa é a vela de Deus e é isso que, a meu modestíssimo ver, aproxima o momento atual do varguismo. Mantega e Paulo Bernardo mostraram-se à frente de Dirceu e Palocci.

É assim que julgo, Danilo, e não a partir de Lula. Aliás, eu já disse que os lulistas que conheço não citam tanto o Lula como vc… não sei se isso é amor ou ódio… (risos) só evocando o Freud…

FHC, quando não estava em campanha, sempre marcou o Lula como Macunaíma (voltou a falar a mesma coisa agora). Vejo Lula mais como João Grilo, aquele nordestino travesso, esperto. Parece estupidez chamar Lula de burro. Agora mesmo, por exemplo, os tucanos estão trazendo para a campanha temas (Farc, MST, Morales, Irã, Cuba e outros ) que agradam o seu público fechado (1/3 da população) e esquecem que somente com isso não vão nem ao segundo turno. Lula não vacila assim.

Maior humano? Eis alguns: Niemeyer, Sócrates, Platão, Rosa, Agostinho, Marx, Graciliano, Homero, Drummond, Euclides (da Cunha), Moisés (um monte de comuna, não?). E, para fechar a listinha e te deixar mais azedo, amo a generosidade do Engels. O que mais me liga ao Lula não é a política, mas a procedência pobre deste (sim, sei que Lula não é mais pobre). A crítica política é justa e normal, mas quando vejo caírem em cima do Lula por puro preconceito de classe penso que fariam a mesma coisa comigo, pois sou filho do mesmo Brasil miserável que pariu Lula..

Pois é, meu caro, JK está mais para a modernidade de Aécio e FHC. Eu, como um dos últimos dinossauros, estou mais para o trabalhismo de Getúlio e Brizola.

Abraços

Ps: FHC dizer que Lula não tem “responsabilidade intelectual” foi demais, não? Não precisava ter dito isto. Convenhamos, ele já foi mais magnânimo. Aliás, se FHC como intelectual que é (não no sentido que Milton Santos apontou, é claro) pediu para que esquecêssemos o que ele havia escrito, não é o Lula quem vai se preocupar com isso, não?


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos