jul
13
Posted on 13-07-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 13-07-2010

Charge de Nani: protesto em Brasília

================================

CLAUDIO LEAL

De Brasília

Ainda não acabou a cruzada feminina contra o desenhista Nani, ex-Pasquim. Na manhã desta terça-feira, 13, em Brasília, durante o ato de apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores Agricultura (Contag) à campanha de Dilma Roussef, a vice-presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e secretária de Mulheres da entidade rural, Carmem Soro, atacou o chargista por ter retratado a candidata petista como uma protistuta em referência à montagem do programa de governo com o PMDB.

Carmem expôs sua avaliação sobre a charge: “De forma absolutamente desrespeitosa. Não ofenderam a candidata a presidente, ofenderam todas as mulheres brasileiras… ainda por cima ser comparada… (vacila na hora de falar a palavra delicada) segundo a visão de parte da sociedade brasileira… como uma prostituta!”. Neste momento, Dilma balançou a cabeça afirmativamente e aplaudiu. Também fez uma anotação no papel.

Dando sequência ao ataque a Nani, Carmem disse que “jornalistas como esse não merecem atuar pela auto-estima baixa das mulheres”. No evento, circulou nota de repúdio para ser assinada pelos presentes.

Leia mais em Terra Magazine

http://terramagazine.terra.com.br/interna

jul
13

Tanure: enquanto o JB naufraga…

=======================================

Deu na coluna Radar, assinada pelo jornalista Lauro Jardim na revista VEJA.

50 milhões de reais para Tanure

Às voltas com o fim do Jornal do Brasil na versão impressa, Nelson Tanure está prestes a receber uma bolada de respeito da Petrobras. Em 2003, a estatal foi condenada a pagar cerca de 180 milhões de reais em duas parcelas a um estaleiro do polêmico empresário baiano, por prejuízo na construção de plataformas. A primeira parcela, de 130 milhões de reais, saiu em 2007 e teve boa parte do dinheiro penhorada. Na semana passada, a 32ª Vara Cível do Rio de Janeiro determinou à Petrobras o segundo depósito, de 50 milhões de reais.

jul
13
Posted on 13-07-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 13-07-2010


===========================================================================

MARIA OLÍVIA

Direto de São Paulo

Morreu ontem, 12, no Rio de Janeiro, Paulo Moura (seu nome dispensa qualquer adjetivo). Ele estava internado na Clínica São Vicente desde o último dia 4. O corpo será velado no Teatro Carlos Gomes, localizado no centro do Rio, e a família não divulgou onde o corpo do músico será enterrado. Paulo Moura sofria de linfoma (câncer no sistema linfático).

A história musical do clarinetista, jazzista, chorão, sambista e brasileiro dos bons Paulo Moura é riquissíma. Vale recordar aqui no Bahia em Pauta que ele tocou e foi parceiro dos maiores nomes da músical intrumental do mundo. Acompanhou Dolores Duran, Elis Regina, Rafael Rabelo, Sérgio Mendes, Tom Jobim, Yamandu Costa, Armandinho, Carlos Galhardo, Dizzy Gillespie, Duke Ellington, João Donato, Milton Nascimento, Nivaldo Ornellas, Maysa, Wagner Tiso, Clara Sverner, Joel Nascimento, Waldir Azevedo, Núbia Lafayete, Abel Silva, Zé da Velha e um monte de Músicos, com M maiúsculo mesmo, que este espaço seria pequeno para citá-los.

Paulo Moura nasceu em São José do Rio Preto (SP) e logo cedo se entregou à música, aos 14 anos. Ele transitava com maestria entre o erudito e popular. Tocou na Orquestra de Ary Barroso, com quem viajou para o exterior. Em 1956, criou a primeira orquestra inspirada nas Big Bands americanas para tocar na Rádio Jornal do Brasil e animar bailes. Tocou, e botou muita gente para dançar, durante muito tempo na Gafieira Estudantina, no Rio, e também na Gafieira do Circo Voador, no Arpoador. Seu primeiro disco, êpa!, LP , foi Escolha e Dance com Paulo Moura e sua Orquestra de Dança, daí pra frente, mais discos e participações mais que especiais em dezenas de outros belos trabalhos musicais que encantou, e vai continuar encantando a todos que amam música.

Vale lembrar que em 1959, PM entra, por concurso, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, executando a Primeira Rapsódia de Debussy, classificou-se em primeiro lugar. Ele também participou do belíssimo documentário Brasileirinho, do finlandês Mika Kaurismaki.

Na década de 80, PM gravou Consertão, com Elomar, Artur Moreira Lima e o magnífico Heraldo do Monte ao violão. No ano passado lançou o CD Afrobossanova, com o guitarrista baiano Armandinho. Também no ano passado, tive o prazer e o deleite de participar – ao lada da jornalista baiana Patricia França – na cidade maravilhosa de um ‘Sarau’ no Posto Oito (casa em Ipanema onde se toca música de primeira) comandado por Wagner Tiso, onde Paulo Moura deu uma ‘canja’ inesquecível. Sua última apresentação foi no Copacabana Palace. A gafieira ‘lá em cima’ vai pegar fogo, Paulo Moura foi se juntar a outros bambas da música instrumental do planeta. Amém.

Maria Olivia é jornalista

O presidente da Telefônica de Espanha, César Alierta, lembrou nesta terça-feira que a oferta apresentada para comprar a participação da Portugal Telecom (PT) na Vivo brasileira expira na próxima sexta feira. A informação está publicada como uma das principais manchetes do dia na edição online do jornal português Diário de Notícias.

“Volto a reiterar que isto [a oferta] termina dia 16», disse o líder da telefônica.

Alierta, que fez rápidas declarações aos jornalistas em Madrid, num evento de apresentação de uma nova unidade de ‘e-saúde’ da Telefônica, insistiu assim que terminará na sexta feira o prazo para as duas operadoras chegarem a acordo.

«A relação na Brasilcel é entre a Telefônica e a PT que são os dois sócios e mais ninguém tem que interferir», comentou.

O presidente da operadora espanhola disse que o «casamento» na Brasilcel, que controla a Vivo, é entre ambos os grupos “e só assim está”, numa alusão à intervenção do Estado português que usou a sua ‘golden share’ para vetar o negócio.

«Cerca de 75 por cento dos accionistas votaram a favor da nossa proposta e tendo em conta que outras posições não puderam votar significa que 85 por cento dos acionistas teria votado a favor», afirmou, reiterando que a oferta é «impecável».

Alierta escusou-se a fazer comentários sobre as possíveis ações que a Telefônica venha a tomar na sexta feira caso, findo o prazo, não haja um acordo entre as duas empresas.

jul
13
Posted on 13-07-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 13-07-2010


=================================================================
Adeus, com ternura. Bahia em Pauta, que ama a música e seus maiores mestres , chora na partida de Paulo Moura, um gênio !

(VHS)

jul
13
Posted on 13-07-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 13-07-2010

Paulo Moura com Maysa/IG

==========================================================
deu no ig

O músico Paulo Moura morreu no fim da noite de ontem em decorrência de um linfoma, um câncer no sistema linfático. Ele tinha 77 anos e estava internado há nove dias na clínica São Vicente, no Rio de Janeiro.
O corpo será velado das 11h até às 16h nesta quarta-feira no teatro Carlos Gomes, na Praça Tiradentes, Centro do Rio de Janeiro.

Inicialmente, a informação é de que o velório aconteceria hoje (13). A assessoria do teatro não soube dizer o motivo da transferência. Moura morreu no fim da noite desta segunda-feira (12), às 23h30, na clínica São Vicente, na Gávea, zona sul da capital fluminense.

Com mais de meio século de carreira, o saxofonista, clarinetista, compositor, arranjador e maestro era considerado um dos maiores nomes da música brasileira. Transitava com a mesma facilidade pelo popular e erudito e tinha forte ligação com o jazz.

Ele participou do histórico show de Bossa Nova no Carnegie Hall, em 1962, ao lado de Tom Jobim e Sérgio Mendes. Tocou com Elis Regina, Fagner, Milton Nascimento, Ella Fitzgerald, Nat King Cole, entre muitos outros, e lançou mais de 35 CDs solos.

jul
13

Lídice: “sacudimento” por precaução

=============================================================

Visita polêmica de mãe de santo ao comitê de campanha da deputada Lídice da Mata, candidata socialista ao senado na chapa do governador Jaques Wagner (PT), provoca reflexões do colunista político Ivan de Carvalho sobre crenças e a campanha eleitoral em curso, em seu artigo desta terça-feira, na Tribuna da Bahia , que BP reproduz. Confira.
(VHS)

=========================================
OPINIÃO POLÍTICA

Uma visita paradoxal

Ivan de Carvalho

Um dia, o presidente da URSS e secretário geral do PCUS, Mikhail Gorbachev, abandonou as muralhas do Kremlim e apresentou-se ao povo numa das mais famosas praças do mundo, a Praça Vermelha. Levava, suponho, uma pequena expressão pronta na mente, com um propósito imenso. E em meio à conversa com pessoas comuns, mas, para melhor garantia de êxito, em presença de jornalistas, encaixou a expressão inspirada do Alto: “Graças a Deus”. As mudanças que a frase provocou – começando pela instauração da liberdade religiosa – foram tão grandes quanto o espanto que gerou.

Certamente não foram tão grandes as mudanças produzidas e nem o espanto provocado pela visita, na terça-feira passada, de uma importante Mãe de Santo ao comitê da campanha da candidata socialista a senadora na chapa do governador petista Jaques Wagner. Mas há que considerar que não se pode negar nem uma coisa nem outra. Quanto ao espanto, fica por conta da aparente incompatibilidade entre as concepções do Universo da deputada Lídice e do ex-deputado Leonelli e aquilo no que acredita uma Mãe de Santo. Terá sido uma visita aparentemente paradoxal, mas, já dizia o governador Octávio Mangabeira: “Pense em um absurdo. Na Bahia tem precedente”. Acrescento: e é normal.

Além disso, a frase famosa de Gorbachev na Praça Vermelha pareceu um paradoxo muito maior. Ainda mais se considerarmos que, na Bahia, há um estonteante sincretismo religioso que alcança inclusive muitos ateus e até há “ateus, graças a Deus”. Como era Gorbachev.

Voltando à visita da importante Mãe de Santo, ela aconteceu quando a candidata socialista a senadora (companheira de chapa do petista Walter Pinheiro) ainda não sabia das pichações petistas que incluíam Pinheiro (junto com Wagner, Dilma e Lula) e excluíam Lídice da Mata. Mas esta já estava desconfiadíssima (as pichações apenas confirmaram a desconfiança) e terá tido suas razões para acolher a Mãe de Santo e ser grata ao “sacudimento” – na deliciosa terminologia do site Política Livre – que terá levado “novos fluidos” a todos os cantos e recantos do comitê de campanha.

Quando apareceram as pichações, Lídice partiu para o ataque. Ou contra-ataque. Esteve inclusive examinando a possibilidade de renunciar à candidatura a senadora e refluir para disputar um novo mandato de deputada federal. Aliás, esta idéia por si só justificaria uma iniciativa de Domingos Leonelli (num lampejo de premonição) de fazer gestões, como sugere o site Política Livre, junto à respeitada pessoa que fez o “sacudimento” no comitê central de campanha.

Bem, o governador Jaques Wagner entrou no jogo para domar a jabulani, que estava prá lá de desgovernada. E garantiu duas suplentes interessantes para a candidata do PSB a senadora. Uma delas, a mulher do deputado e ex-secretário da Agricultura, Geraldo Simões, do PT e ex-prefeito de Itabuna. A mulher dele é do PT e foi candidata à prefeitura de Itabuna em 2008. Entradas na chapa para envolver o PT com a candidatura de Lídice, porque é exatamente aí que está o nó cego.

Apesar dos acertos ou consertos, Lídice ainda está aborrecida e preocupada, pelo que dizem pessoas muito próximas a ela. E estará – e digo isso apenas porque seria o que eu faria se estivesse em seu lugar – muito atenta a cada lance da campanha, a cada olhar atravessado, ao calor ou à frieza de cada abraço ou aperto de mãos. Com a vantagem dela (em relação à hipótese impossível em que me incluí) de que mulher é mais sensitiva, perdão, intuitiva.

jul
13
Posted on 13-07-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 13-07-2010


======================================
BOA NOITE!!!

Casillas: “minha mãe aprovou”

========================================
O romance entre o goleiro Iker Casillas e a jornalista Sara Carbonero tornou-se um símbolo da conquista do título mundial pela seleção espanhola. Sobretudo por causa do famoso beijo do casal, ao vivo para a televisão, na zona de entrevistas rápidas logo após o jogo com a Holanda no Soccer City de Joanesburgo.

Esse momento, considerado um dos mais altos do Mundial, já teve mais de cinco milhões de acessos no YouTube.

E até os próprios companheiros, no avião, em plena viagem de regresso a Madrid, fizeram questão de homenagear a iniciativa do capitão da selecção espanhola. David Villa, Sérgio Ramos e Pepe Reina cantaram uma adaptação de uma canção do porto-riquenho Elvis Crespo, ouvida pela equipe no ônibus antes dos jogos, a que deram o nome de “Sarita da minha vida”. O trio fez mesmo um comboio entre os bancos do avião sob as gargalhadas de todos, incluindo Casillas e Sara, que viajaram lado a lado.

O beijo já é considerado em Espanha como uma das melhores jogadas do Mundial 2010 e até lhe chamam beijogol. Casillas explicou depois que foi um gesto cheio de “espontaneidade” e revelou um pormenor curioso: “A minha mãe telefonou-me logo a seguir e disse-me que ‘aquele foi o beijo de Espanha. Foste muito corajoso !’.”

O goleiro do Real Madrid acrescentou ainda que, afinal, é uma pessoa “como todas as outras”. “Mostramos a nossa maneira de ser nas nossas manifestações”, sublinhou.

Na hora de fazer a festa, o capitão da seleção espanhola aproveitou ainda para deixar uma crítica a todos os que ligaram o gol sofrido frente à Suíça, ao fato de a sua namorada estar atrás da trave. “Fizeram uma matança, tentaram fazer-nos mal e isso custou-me muito porque não compreendo essa má intenção. Deram-me bofetadas e recebi-as em silêncio. Não quero responder com bofetadas aos que nos fizeram mal”, adiantou Casillas, que não esquece o fato de Sara Carbonero e a própria estação de televisão Telecinco, para a qual trabalha, terem sido duramente criticadas pela Associação da Imprensa de Madrid, cujo presidente – Fernando González Urbaneja – considerou “uma vergonha” a colocação da jornalista atrás da baliza da seleção espanhola. A vitória na final do Mundial acabou por ultrapassar a polêmica e o beijogol selou o maior triunfo do desporto espanhol.

(Deu no Diário de Notícias, de Portugal)

  • Arquivos

  • julho 2010
    S T Q Q S S D
    « jun   ago »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031