jul
12
Postado em 12-07-2010
Arquivado em (Artigos, Ivan) por vitor em 12-07-2010 10:26

Helio Bicudo: “Lula não perdoa ninguém”

=====================================
O jornalista político Ivan de Carvalho comenta em seu artigo desta segunda-feira na Tribuna da Bahia, a polêmica entrevista do advogado Hélio Bicudo ao jornal Estado de S. Paulo. Defensor, na profissão e como político, dos direitos humanos, Bicudo tem 88 anos e foi fundador do PT, partido pelo qual conquistou mandato de deputado federal e de vice-prefeito de São Paulo na gestão de Marta Suplicy . Na entrevista, Helio Bicudo é especialmente duro com o presidente e diz que um modo de Lula ficar mandando no país durante eventual presidência de Dilma passaria longe da gratidão. Confira o texto de Ivan, que BP reproduz.
(VHS )

==========================================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Hélio Bicudo ataca Lula

Ivan de Carvalho

Hélio Bicudo, advogado conceituado, defensor, na profissão e como político, dos direitos humanos. Tem 88 anos e foi fundador do PT, partido pelo qual conquistou mandato de deputado federal e de vice-prefeito de São Paulo na gestão de Marta Suplicy. Foi, sem êxito, candidato a senador por São Paulo e, também sem êxito, a vice-governador desse estado na chapa encabeçada por Luiz Inácio Lula da Silva, no tempo que este perdia eleições. Afastou-se do PT desde o escândalo do Mensalão, em 2005.

Apesar da idade avançada, Hélio Bicudo está atualmente à frente da Fundação Interamericana de Direitos Humanos, tem página no Facebook e escreve de próprio punho as notas que publica no seu Twitter, onde tem 618 seguidores.

Esta, digamos, breve apresentação do jurista e político tem o objetivo de dar ao leitor régua e compasso para dimensionar da maneira mais exata possível as principais partes da entrevista que concedeu ao jornal O Estado de S. Paulo, publicada ontem.

Declaração considerada mais importante e destacada pelo jornal, que a usou para titular a matéria: “Lula quer Dilma Rousseff no poder para continuar mandando no país”. É muito importante a declaração, embora se possa questionar se Dilma, por alguns considerada “arrogante”, deixaria que, estando ela na presidência da República, alguém, mesmo sendo Lula, a governe. Mas não se deve minimizar a gratidão: se um jabuti estiver em cima de uma árvore, pode-se apostar que alguém o colocou lá. Não subiu sozinho. Assim, se Dilma estiver na presidência, pode-se apostar que Lula a colocou lá (ajudado pelo PT, que controla, e por alguns outros “companheiros de viagem” – partidos aliados e muitas organizações sociais de forte viés político, tão bem alimentadas pelo atual governo). Supõe-se que o jabuti seria grato.

Outro modo de Lula ficar mandando no país durante eventual presidência de Dilma passaria longe da gratidão. É que com a popularidade que tem e com o controle que exerce sobre o PT, partido de Dilma, Lula imporia a esta um alto grau de obediência ou a obrigaria a perigosa rebelião, com conseqüências de difícil previsão.

Bem, Hélio Bicudo, que está apoiando publicamente para presidente a candidata do PV, Marina Silva, afirma sobre Lula: “É autoritário. Mira mais o poder pessoal do que os objetivos do PT. Me afastei dele. O eixo desse afastamento foi a sindicância interna feita por mim no PT, que enquadrava Roberto Teixeira, compadre de Lula e ele não perdoa ninguém.”

“Lula não perdoa ninguém”. Não estou dizendo isso. Nem sei mesmo, além de não gostar de julgar, para não ser julgado. Quem prolatou a sentença foi o jurista e político Hélio Bicudo. Se incluo aqui tal sentença é porque estamos tratando de um presidente da República e da pessoa mais popular do Brasil, não estamos tratando de um cidadão comum, sem o enorme poder que o presidente tem de perdoar ou não a tantos.

Hélio Bicudo adverte que o Congresso e o Judiciário estão desmoralizados e sustenta que a alternância de poder é indispensável ao regime democrático. Claro. (E mais importante ainda fica, no caso da Presidência da República, se o Congresso e o Judiciário estão desmoralizados, como analisa Bicudo). Pela alternância, após Franklin Roosevelt, que teve quatro mandatos presidenciais, os americanos proibiram mais de dois mandatos para um presidente. E ex-presidente não pode, nos EUA, candidatar-se a nada.

Be Sociable, Share!

Comentários

marco lino on 12 julho, 2010 at 16:28 #

Só rindo.

Interessante Ivan de Carvalho dizer não gostar de julgar para não ser julgado. Só rindo, pois o que o jornalista político mais faz é julgar. No último artigo, por exmplo, o mesmo Ivan sentenciou que Dilma, a candidata de Lula, era um poste. Legal, Carvalho, muito coerente.

Agora, cá pra nós, a oposição está sem discurso mesmo, hein? Primeiro disse que Lula era o Chávez e tentaria o terceiro mandato. Depois disse que Lula escolheu Dilma para esta perder a eleição e ele voltar triunfal em 2014. Agora, o trololó (para usar um termo serrista) é outro: Lula escolheu Dilma para continuar mandando. Ué, não são os oposicionistas que dizem ser a Dilma uma ditadora, sargento, autoritária, etc?!

Na ausência de discurso, projeto, programa, a oposição apela para a batidíssima “alternância de poder”…. Legal, que tal comerçarmos por São Paulo?

Só rindo.


danilo on 12 julho, 2010 at 18:42 #

ah, Marco Lino, você num toma jeito mesmo. vai dizer que os lullopetistas não pensaram em armar um terveiro mandato pra Lulla? é claro que sim, mas não deu. vai dizer que Lulla não quer se manter no poder através de Dilma? é claro que quer. vai dizer que o PT não nutre simpatias e afinidades com regimes autoritários? claro que sim. vide a proximação com Cuba, Irã, e ditaduras africanas.

e desde quando o PT tinha projeto antes de 2002? o PT dizia que ia fazer tudo diferente e ao chegar ao poder repetiu a política econômica de FHC.

o resto é trololó da tropa do Sargento Tainha. a propósito: o Sargente Tainha vai participar dos debates?


marco lino on 12 julho, 2010 at 20:52 #

Qual o projeto de Serra?! O PSDB prometeu social democracia e liderou um governo ultra liberal tupiniquim-pefelê, que quis vender todos os ativos da nação e terminou quebrando o país três vezes. Perdeu o discurso social e tornou-se o partido das elites raivosas que não querem cotas, bolsas nem a integração latinoamericana. Querem a volta do alinhamento automático com os EUA – mesmo depois que “amigos históricos” destes prometeram respirar ares novos (como a Inglaterra) em sua política externa. Alemanha, China, Rússia e os próprios EUA têm relações comerciais com o Irã, mas o Brasil não pode aproveitar o momento de crise e estreitar suas relações com o Irã pois este é inimigo de Israel e representa um perigo para os negócios dos Civitas, por exemplo. Faça-me uma garapa.

As bases do programa econômico do governo Lula estão lá na “carta aos brasileiros”, anterior, é claro, à instauração do primeiro governo. Dois grupos a condenam: os radicais dos dois lados.

No mais, é preciso desfazer a contradição: Dilma é condescendente ou intolerante? Até o Ivan que não é lá muito sensível sentiu dificuldade com os termos. Vc é mais inteligente.

Quanto ao debate lá com os ruralistas, creio que o PT deveria propor um debate com Serra no MST…


danilo on 13 julho, 2010 at 0:51 #

você parece estar nervoso, Marco Lino. tudo isso que você fala é fruto da sua paixão lullista. você sabe que muito do sucesso do governo Lulla é fruto da estabilidade da moeda promovida por FHC. não queira reescrever a história. Brasil não é formado apenas pelo povão desinformado que fica torcendo pela seleção canarinho.


danilo on 13 julho, 2010 at 0:52 #

sim, e Dilma vai ou não vai comparecer aos debates? se for vai se lenhar, vai ficar claro o seu despreparo.


marco lino on 13 julho, 2010 at 16:19 #

Por que nervoso, meu caro?! Não entendi. Não quero “reescrever” história alguma, mesmo porque esta ainda não foi escrita. Os fatos estão ainda no reinol dos jornalistas.

A propósito, dizem algumas más línguas que tem um jornalista ligado ao Aécio preparando um livro sobre as privatizações da era FHC-Serra. Bomba. Esperemos.

Quanto à paixão por Lula… desde minha adolescência (quando me apaixonava por semana) não sinto essas sensações. Nisso aí estou mais para Aristóteles do que para Platão.

Dilma teria mostrado despreparo se fosse para a arapuca armada lá pelos ruralistas. Quando a oposição iniciou mais essa historinha de despreparo (é antiga, não? Ainda hoje falam dos “micos” do Lula), ficou marcada a cara de tacho do senador Agripino (filhote do Q’Bôa sênior) lá no senado… Dilma não é conciliadora como Lula. Isto pode ser bom.

A maior imagem dos anos de FHC-Serra para mim, sinceramente, não foi o apagão, nem as três idas ao FMI com a sacolinha na mão, mas sim a plataforma P-36 afundando nas águas de Campos. Foi um acidente inesperado…

Abs


danilo on 13 julho, 2010 at 18:06 #

já para mim, a cena mais emblemática do governo Lulla foi aquela acareação entre Zé Dirceu e Roberto Jefferson, na CPI do Mensalão.

Bob Jefferson acusou Zé de falcatrua e em resposta Zé gaguejou e falou fino. literalmente falou fino fino


marco lino on 13 julho, 2010 at 18:33 #

Pois é, nobre Danilo, Bob Jefferson virou icone dos conservadores e hoje é peça importante na engrenagem serrista (a ponto de ter a primazia de dar em primeira mão o nome do vice – o anterior, é claro) – mesmo sem explicar o que fez com os R$ 5.000.000 recebidos pelo partido…

Vamos lá


danilo on 13 julho, 2010 at 20:34 #

Bob Jeff é ícone dos conservadores, mas Zé Sarney é o herói dos “progressistas” do Patropi. êta Brasilzinho de mierda


Marco Lino on 14 julho, 2010 at 8:43 #

Vc sabe que não. É relação de consumo. Questão de sobrevivência. O outro lado tb queria…


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • julho 2010
    S T Q Q S S D
    « jun   ago »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031