jun
21
Postado em 21-06-2010
Arquivado em (Artigos, Eventuais) por vitor em 21-06-2010 19:05


===================================================

Reporter é repórter, onde quer que esteja e em qualquer situação.É assim agora com Bob Fernandes, na cobertura da Copa na Africa do Sul, como sempre na vida profissional :na Radio Jornal do Brasil FM-Salvador, nos anos 70, na sucursal da VEJA-BA, no Jornal do Brasil , na Isto É, na Carta Capital, e agora no comando da revista digital Terra Magazine e na coordenação jornalística da cobertura Eleições 2010 do portal Terra.
Da Africa do Sul, onde cobre a Copa do Mundo, Bob conta os bastidores da feroz briga de poder que envolve a Rede Globo e o técnico Dunga, a prevê a crise que se aproxima cada vez mais da concentração dos pentacampeões mundiais de futerbol e as prováveis consequências disso tudo. Confira.

(Vitor Hugo Soares )
==========================================
DEU NO TERRA MAGAZINE

Bob Fernandes

Direto de Johannesburgo

Soccer City, caminho entre o estádio e as tendas da FIFA que abrigam o Centro de Mídia. Galvão Bueno, Arnaldo Cezar Coelho e o diretor da Central Globo de Esportes, Luiz Fernando Lima conversam, não escondem a irritação e nem se preocupam com quem passa ao lado e ouve. O alvo é o técnico da seleção brasileira, Dunga. Minutos antes, na coletiva pós Brasil x Costa do Marfim o técnico, numa dividida bem a seu estilo, deu na canela do comentarista Alex Escobar, da Globo.
Luiz Fernando Lima lembra as conversas recentes da emissora com Dunga, já na África do Sul:
– Falamos com ele duas vezes e ele não consegue entender que não é “a Globo”, ele está falando para todo o país…
Seguem as observações do grupo, sempre ferinas. Um deles chega a dizer: – …e a única coisa que eu acho que ele aprendeu em quatro anos foi falar ‘conosco’ e não mais ‘com nós’ como sempre fez…
A cena do entrevero de Dunga para com Escobar pode ser vista aqui, no YouTube.
Poucas horas depois, no que pode ser o início de uma escalada, um dos apresentadores do programa, Tadeu Schmidt, da África para o “Fantástico” mandou uma reportagem sobre a rusga. Soou mais a um editorial da emissora.
Essa é, sem dúvida alguma, uma crise a rondar a seleção brasileira. Mas uma crise em tudo diferente das que envolvem a França e a Inglaterra, seleções que vivem crises internas, para dentro do elenco.
Anelka x o técnico Domenech, o capitão Evra contra o preparador físico, Zidane nos bastidores, sacodem a França. Até o presidente Sarkozy já palpitou. (De Carla Bruni ainda não ouvimos nada).
Na Inglaterra, o trivial básico: o ex-capitão Terry, que já derrubou Mourinho e Felipão no Chelsea, agora pôs a boca no trombone, e na mídia, contra o técnico italiano da seleção, Fabio Capello.
A crise que ronda o Brasil é uma crise para fora, que não envolve os jogadores. É uma crise de poder.
De um lado o poderoso sistema Globo, que carregou 300 profissionais para a África do Sul e quer um retorno para tanto. Em outras palavras, deseja o que querem os quase mil profissionais do Brasil que aqui estão: acesso. E quanto mais privilegiado, melhor.
Assim foi, assim é da índole e história da Globo, de emissora que no Brasil tenha a dimensão que ela tem.
O problema é que, na outra ponta, está Dunga, o Schwarzenegger. E como sabemos desde quando ele era o pitbull da seleção amarela, quando divide, o Dunga racha.
Está claro, cada dia mais claro, que secundado por quem ele confia e a quem tem como leais, casos de Jorginho e Taffarel, o técnico Dunga fechou um pacto com seus jogadores. De um lado ele, eles, do outro, o resto. Em especial a mídia e quem mais, dentro ou fora da seleção, não reze integralmente pela mesma cartilha.
Se há fissuras no chamado “grupo” não se sabe; não se sabe mesmo, não existem informações concretas que levem a dizer isso. Estas coisas, que sempre existem em agrupamentos humanos, costumam aparecer, vide França e Inglaterra, quando pintam os fracassos.
No Tempo Dunga na seleção não há fracassos; salvo na Olimpíada da China, quando máquinas se moveram para derrubá-lo. Como não há fracassos, parece evidente que Dunga escolheu um caminho: vencer ou vencer.
Por mais que pareça rudimentar a lógica “ou está comigo ou contra mim”, o técnico da seleção já viveu e apanhou o suficiente para saber o que significa a volta do cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar.
Dunga, que apanhou injustamente entre as Copas de 90 e 94, cuja família teve que suportar o marido, o pai, o filho a carregar por 4 anos a negativa marca da “Era Dunga”, certamente sabe o que alimenta contra si de rancor, de ressentimento, a cada bordoada que distribui.
Ele, que já me admitiu em 2007 não terem cicatrizado ainda as feridas da “Era Dunga”, obviamente sabe que está jogando a cartada mais arriscada de sua vida profissional. A de construir para si mesmo a alternativa “vencer ou vencer”.
Quando se decide por enfrentar a Globo, Dunga sabe que está encurtando seu caminho à frente da seleção brasileira, perca ou ganhe. Dunga sabe quais são e como se movem os interesses para a Copa 2014, e sabe quem maneja boa parte dos cordéis.
Nos idos da Copa América e Olimpíada, eventos que acompanhei, Dunga distribuiu fartamente bordoadas contra o sistema Globo. Durante e depois. Basta consultar os noticiários, capturar o que disse aqui e ali o técnico. São fatos.
Fato é, também, que depois disso tudo um acordo foi costurado. Com a participação do diretor de Comunicação da CBF, Rodrigo Paiva, encontraram-se o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e um dos Marinho da Globo.
Selou-se, então, um acordo de paz, de convivência por conta dos mútuos interesses. Não por acaso duas entrevistas exclusivas ao Jornal Nacional na Copa das Confederações, não por acaso Dunga na bancada do Jornal Nacional depois da convocação para a Copa de agora.
Isso é inegável. São os fatos. Não há como negá-los.
Mas, havia, há um Dunga no meio do caminho. Com a mesma determinação que jogou em 94, que então protegeu Romário de si mesmo e do assédio da mídia, Dunga agora se fecha com seu grupo.
A propósito, Romário, que não é bobo, sentiu o cheiro da crise e nesta terça-feira postou em seu twitter, @Romário11, as seguintes mensagens de apoio ao capitão do Tetra:
– Infelizmente sobrou pro Escobar (ele é gente boa e americano). Mas geral só gosta de bater, então apanhar um pouco faz bem!
– Parceiro “Dunga”, não perca o foco, vamos em frente e faltam 5 jogos!
Ao se fechar tanto, Dunga comete erros. Erros como o de enxergar e tratar a todos, sem distinção, como se fossem adversários, inimigos mesmo, e isso não é uma verdade.
Em algum momento Dunga perceberá, ou algum amigo lhe dirá, que não seria preciso tanto e contra todos. Nesta terça-feira, com a experiência de quem já viveu e enfrentou essa tsunami, Felipão Scolari aconselhou. A todos:
– Pelo bem da Seleção não adianta um dar um soco e o outro revidar, depois um dar um chute e o outro dar um chute também, porque, se não, nunca vão se entender…
Dunga, o Schwarzenegger, decidiu-se por pagar o preço, por queimar as caravelas. A ele e seu grupo só uma coisa importa. Vencer. Ganhar a Copa do Mundo. Custe o que custar.
O velho parceiro Romário, herói do Tetra a quem Dunga tanto deve e vice-versa, também nesta tarde postou em seu twitter:
– A gente já sabe o que vai acontecer. Se o Brasil ganhar é obrigação, se perder não vou querer estar na pele do Dunga…

Be Sociable, Share!

Comentários

Vilma on 22 junho, 2010 at 11:14 #

Vale ressaltar a indisposição de Kaká com Juca Kfouri.


Carmem on 22 junho, 2010 at 13:45 #

Dunga e Leonel de Moura Brizola, dois homens que tiveram coragem de ‘peitar’ a Venus Platinada (Rede Globo). Algo de novo acontece, e viva a Internet que segue ‘bombando’, nada fica imune a ela.


Francisco Cesar on 22 junho, 2010 at 13:52 #

Como disse um reporter da ESPN Brasil agora a tarde: “se dunga abrisse o jogo e desse nome aos bois, acredito as pessoas poderiam compreender melhor o porque das bordoadas que vem soltando por aí e poderia ter um pouco da força de uma população que é levada muito pela opinião da toda poderosa.
Parabéns pelo artigo.


carlos on 22 junho, 2010 at 14:35 #

Infelizmente a Globo que semprfe foi parceira da ditadura militar e prosperou neste periodo acrfedita que o país é um feuda da familia Marinho dale dunga


Mariana Soares on 22 junho, 2010 at 15:35 #

Eu acho que o Dunga está passando um pouco do limite com a imprensa de um modo geral…quem tem razão não precisa gritar, muito menos usar palavrão…Mas não posso negar que ADOREI a bordoada que ele deu no Escobar, esse mauricinho global, metido a entender de futebol (sempre ignora as vitórias do meu Vitória) mas que não acerta uma…Belo texto, Bob! Quanto a Globo, vai ter que engolir Dunga!


luiz alfredo motta fontana on 22 junho, 2010 at 17:48 #

E Dunga encarna Kirk Douglas!

De quem é essa seleção?

CBF?

Nike?

CPI da Nike?

Rede Globo?

Fátima Bernardes?

Enquanto não decidem, Dunga dá o golpe e assume.

Melhor assistir, se possível em HD e 3D.

Imaginem se na Roma antiga, houvesse essa dúvida sobre os donos dos gladiadores?

O Império caíria antes do tempo.

Tal qual na Roma antiga, os jogadores de hoje, também são escravos com privilégios de gladiadores, presos ao passe. esse instituto de submissão que antes encontrava justificativa como proteção do patrimôbnio dos clubes, hoje pertencem aos tais “empresários de sucesso”. Pena que o fisco não preste atenção. Os clubes, por sua vez, apenas esmolam auxílio e denominam esses novos “bárbaros como “parceiros”.

Quanto tempo resistirá Dunga às legiões da Vênus Platinada, tal qual Spartacus redivivo.


Luciano Prado on 22 junho, 2010 at 19:57 #

Dunga escolheu preservar os jogadores do “oba-oba” que a Globo gosta de fazer trazendo perturbação ao elenco. Está correto o treinador em poupar os jogadores e em se concentrar nos jogos e adversários. Copa do Mundo é uma guerra onde os fracos não têm vez. No momento, Dunga é o cara, e todo o Brasil está com ele, porque a Seleção é o país de chuteiras. A Globo que se comporte como todos os profissionais que estão cobrindo o evento.


Gustavo Martinez on 22 junho, 2010 at 21:19 #

Por isso sou fan do Dunga!!
Globo a dona da verdade encontrou alguem de peito!!!
BOA DUNGA!!!!!!


Edneia on 23 junho, 2010 at 2:15 #

Acho que jornalismo, em qualquer veículo, é passar a informação, sem restrição, e deixar o público fazer o seu juízo. Opinar em assuntos como economia, por exemplo, que requer estudo, através de especialista é comunicação útil, porém, matérias como esporte ou cultura são de cunho pessoal. Excetuando as regras, críticar um ou outro é uma forma de conduzir quem ouve, vê ou lê, a não pensar por si. No caso de Dunga, ninguém, conscientemente, faria uma ofensa gratuita, sem antes ter sido ofendido.


Jones on 23 junho, 2010 at 8:37 #

Com essa personalidade do treinador Dunga, se ele não levar o Brasil ao título ninguém mais o faria.
Parabéns Dunga.


Andreia on 23 junho, 2010 at 8:58 #

Sempre gostei do profissional que o Dunga é, vai lá e faz o que tem que ser feito. Nunca foi de alvoroço e exibicionismo. Olhando a trajetória dele como técnico da seleção, não há o que reclamar. Estou com ele até o fim independente do resultado 😉


hilson on 23 junho, 2010 at 9:08 #

ainda que por vias tortas a atitude – radical – de dunga se justifica pelos abusos cometidos pela globo em 30 anos de abuso editorial.


g0 on 23 junho, 2010 at 9:30 #

Que onda, Bob Fernandes.
A crise não ronda a Seleção. Pelo visto, a crise ronda a GRobo! Sem privilégios, a GRobo tem que mudar norte. Os jogadores estão unidas. Kaká, inclusive, mostrou que também tem queixa contra os globais como Juca Kifuri. O mesmo Kifuri que não gosta de Deus, de Jesus Cristo nem de Saci.

Para Dunga o Mata Mata começou antes dos jogos! Vamos em frente Dunga, para o que der e vier!


orlando s. júnior on 23 junho, 2010 at 10:25 #

Mais uma vez a política e o poder querendo interferir e aparecer mais que o esporte!!!! Tentando nos fazer acreditar que o certo é errado, saibam que o Brasil mudou e não aceita mais essas imposições de idéias e ações. Meus parabéns ao Sr. Técnico Dunga, e peço que não esmoreça diante dos hipócritas da globo. eEm tempo: Cala Boca Galvão


XIKÃO DO SUL on 23 junho, 2010 at 19:13 #

Eng. Leonel de Moura BRIZOLA e DUNGA, são as unicas duas pessoas que eu lembre a BATER na rede bobo.Velha acostumada a ter privelágios….agora tá na rua da amargura. Tempos são outros,estamaos no século XXI. Ainda não se deram conta.Reporter em uma coletiva da SELEÇÃO BRASILEIRA com celular sem dar a minima atenção o que dizia o técnico…que vergonha,se é eu expulso este malandro da sala.
TÉCNICO DUNGA SÓ POR ISTO JÁ LEVA O TÍTULO DE CAMPEÃO…..SE TROUXER O CANECO É PURO DETALHE.ESTE FOI O ANTES E O DEPOIS,TODOS PODEMOS DESAFIAR O PODE,SÓ DEPENDE DE NÓS.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • junho 2010
    S T Q Q S S D
    « maio   jul »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930