jun
05
Postado em 05-06-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 05-06-2010 22:26

DEU NO ESTADÃO

O jornalista e consultor Luiz Lanzetta se desligou neste sábado, 05, da campanha da ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata à Presidência da República pelo PT. Reportagem publicada pelo jornal “O Estado de S.Paulo” mostrou que Lanzetta, dono da empresa Lanza Comunicação – responsável pela contratação de jornalistas -, teve encontro com arapongas ligados aos serviços secretos oficiais que produzem ilegalmente dossiês sobre adversários de seus clientes.

Em entrevista na sexta-feira ao “Estado”, Lanzetta confirmou o encontro com os espiões. Neste sábado ele disse que não aceitou a proposta para produzir material contra os tucanos. “Ele me fez uma proposta, eu não aceitei. Nunca mais vi o cara”, afirmou o consultor, referindo-se ao sargento da reserva Idalberto Matias de Araújo, o Dadá. O “Estado” revelou que o espião tem passe valorizado em épocas eleitorais, integrou vários escândalos políticos e esteve na polêmica Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas.

“Não existe contrato de serviço”, completou Lanzetta. “Não existem dossiês.” O consultor disse que a decisão de sair da campanha foi dele mesmo. “Fora da campanha, estou livre para me defender.” A jornalista Helena Chagas, coordenadora do comitê de imprensa de Dilma Rousseff, disse que por volta do meio-dia deste sábado foi informada pela direção do PT de que o consultor havia se desligado da campanha. Lanzetta disse que os últimos 40 dias de trabalho no comitê petista foram “estranhos”.

Questionado sobre as disputas internas na campanha, ele se limitou a dizer que “achava que estava tudo normal, mas não estava”. “Tudo foi estranho, a própria reunião (com arapongas); era uma suspeita atrás da outra.” A estratégia petista foi isolar a crise na figura de Lanzetta, apontado como articulador de uma central de dossiês.

À tarde, o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, afirmou que o jornalista não tem “nenhuma relação” com a campanha de Dilma nem autorização ou recomendação de seu comando para tratar de contratação de arapongas e da fabricação de dossiês contra adversários políticos. Dutra evitou defender o consultor. “Cada um é responsável pelos seus atos. Esse assunto nunca foi discutido conosco. Não existe subordinação dele (Lanzetta) com a campanha. Não há vinculação dele com a campanha. Se ele praticou uma coisa ilegal, as pessoas que se sentiram atingidas que o responsabilizem”, afirmou Dutra. “A empresa dele foi contratada para alocação de mão de obra, de jornalistas. Se ele agiu sozinho, não há nada que a gente possa fazer”, acrescentou o petista

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 6 junho, 2010 at 7:50 #

Caro VHS

Eleições 2010 com esses candidatos, é tradução de campeonato de vilanias.

Atirar a primeira pedra é tarefa impossível.

Veja o artigo de Janio de Freitas:

________________________________

País assiste à flexibilização das fronteiras ideológicas

PT e PSDB, que polarizam disputa, baniram a corrupção do debate

QUEM OBSERVA A SUCESSÃO TEM A IMPRESSÃO DE QUE A POLÍTICA PERDEU NO CAMINHO ALGO ESSENCIAL: RECATO

JOSIAS DE SOUZA
DE BRASÍLIA

Prisioneiros do próprio impudor, PSDB e PT baniram do debate eleitoral de 2010 um tema antes obrigatório: corrupção.
Desapareceu da cena política brasileira a presunção de superioridade moral. As legendas que polarizam a disputa integraram-se à perversão comum a todas as siglas.
Nos últimos 16 anos -dois mandatos de Fernando Henrique e dois de Lula- o brasileiro assistiu a uma notável flexibilização das fronteiras éticas e ideológicas.
A “social-democracia” tucana e o “socialismo” petista provaram-se capazes de ceder a todas as tentações -da maleabilidade nos costumes às alianças esdrúxulas.
Impossível, por exemplo, mencionar o mensalão sem especificar o sobrenome. Há o mensalão do PT, o mensalão do PSDB mineiro, o mensalão do DEM de Brasília.
Na composição das alianças, a integridade dos ovos não vale mais nada. Só importa o proveito da omelete, convertida em tempo de TV.
Os candidatos nem se preocupam em varrer as cascas para baixo do tapete. Acham que não devem nada para o eleitor, muito menos explicações.
A união do impensável com o inacreditável não assusta mais. Até a imprensa trata as coligações com notável indulgência.
Sobre o pano de fundo da decomposição, a ex-militante Dilma Rousseff é uma nova mulher. Dá as mãos a José Sarney, um sobrevivente da ditadura que ela se jacta de ter combatido.
José Serra abraça Orestes Quércia. E esquece que, junto com FHC, Franco Montoro e Mario Covas, deixara o PMDB para não chamar de companheiro quem agora admite como aliado.
O PT de Dilma converte em heróis da resistência políticos incontroversos como Renan Calheiros e Jader Barbalho. O PSDB de Serra silencia.
A reação soaria a pantomima. Renan foi ministro de FHC. Da Justiça! Jader mandou e, sobretudo, desmandou na Sudam e no Senado da era tucana.
Quem observa a sucessão de 2010 tem a impressão de que a política perdeu pelo caminho algo essencial: o recato. Quem se assombra com o já visto não imagina o que está por vir.
Institucionalizou-se a impudência sem culpa. A adesão de ex-puros a ex-inimigos, mais que estratégia, tornou-se comunhão de estilos.
A corrupção virou uma bandeira órfã porque, generalizada, a desfaçatez fez da anomalia algo, por assim dizer, normal. Formou-se um insuperável deficit estético.


Oriana Lopes on 6 junho, 2010 at 15:53 #

TRISTE BRASIL!


Carlos Volney on 7 junho, 2010 at 18:32 #

É ISSO AÍ. RETRATO FIDEDÍGINO DO BRASIL ATUAL A CRÔNICA DE JOSIAS DE SOUZA, QUE O COMENTARISTA LUIZ ALFREDO TROCA POR JANIO DE FREITAS TALVEZ ATÉ PORQUE ESTE TAMBÉM É UM DOS LUMINARES DA IMPRENSA BRASILEIRA, ALÉM DE SER POSSUIDOR DE CARÁTER IRRETOCÁVEL.
BRILHANTÍSSIMA ANÁLISE QUE DESNUDA A FARSA REINANTE. PARA MIM VIROU “BRIGA DE QUADRILHA” A POLÍTICA BRASILEIRA. E ESTOU QUASE CERTO DE QUE AS QUADRILHAS AGRIDEM MENOS A ÉTICA EM SUAS DISPUTAS. PT E PSDB SÃO RIGOROSAMENTE “FARINHA DO MESMO SACO”.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • junho 2010
    S T Q Q S S D
    « maio   jul »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930