Dirceu e Protógenes na festa de Orlando Silva

====================================================

“Ó o delegado que quis me prender”, anunciou o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, ao avistar o delegado da Polícia Federal , Protógenes Queiroz, entre os convidados da festa de aniversário do ministro dos Esportes, Orlando Silva, que reuniu políticos, empresários e amigos para comemorar seu aniversário de 39 anos, no restaurante Praça São Lourenço, em São Paulo, na noite desta segunda-feira (31).
Com um grupo de jazz, a festa atraiu dirigentes esportivos e personagens fundamentais na engrenagem da Copa 2014. Em 9 de junho, o ministro viajará para a África do Sul, onde vai iniciar conversas preparatórias para o mundial no Brasil.O encontro em que Dirceu e Protógenes (PC do B ), agora candidato a deputado federal por São Paulo, selaram as pazes depois de um período de hostilidade. Presente, o reporter Claudio Leal conta tudo em Terra Magazine e Bahia em Pauta reproduz.

=========================================================

Claudio Leal

O ministro dos Esportes, Orlando Silva Jr., reuniu políticos, empresários e amigos para comemorar seu aniversário de 39 anos, no restaurante Praça São Lourenço, em São Paulo, na noite desta segunda-feira (31). Com um grupo de jazz, a festa atraiu dirigentes esportivos e personagens fundamentais na engrenagem da Copa 2014. Em 9 de junho, o ministro viajará para a África do Sul, onde vai iniciar conversas preparatórias para o mundial no Brasil.
Entre os convidados, o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira; o pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante; o ex-ministro José Dirceu; o pré-candidato do PCdoB ao Senado, Netinho de Paula; o delegado federal Protógenes Queiroz; o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero; a ex-jogadora de basquete Hortência; o tricampeão mundial Rivelino; os presidentes do São Paulo, Juvenal Juvêncio, e do Santos, Luis Álvaro de Oliveira; e o filho do presidente da República, Lulinha.
Às 23h, Orlando Silva agradeceu a celebração, organizada por sua mulher, a atriz Ana Cristina Petta, e lembrou que não será candidato em 2010, acenando apoio para o ex-presidente da UNE Gustavo Petta.
– Quem esqueceu de trazer o presente, não se contranja. Em outubro, vote em Dilma para presidente do Brasil… – brincou.
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu chegou mais tarde ao evento. Antes de sentar-se na mesa do presidente do PT de São Paulo, Edinho Silva, o petista se encontrou com o delegado Protógenes, pré-candidato do PCdoB a deputado federal. Dirceu, que teve o mandato cassado em 2005, foi citado em trechos e diálogos do inquérito da Operação Satiagraha.
– Ó o delegado que quis me prender! – anunciou, alto, Zé Dirceu.
E abraçou-o.
“Você tá em campanha?”, quis saber o ex-ministro. Ambos confidenciaram a maldade das fofocas que envenenaram a relação dos dois no rastro da operação que prendeu o banqueiro do Opportunity, Daniel Dantas, em julho de 2008. “Está tudo acabado”, entreouviu-se, ao selarem as pazes. Protógenes afirmou a Dirceu que as intrigas nasceram dos “adversários do presidente Lula”.
Até as 2h, a festa ainda não havia acabado, como prometeu Orlando Silva. Ao lado da banda de jazz, que a essa altura improvisava com um cantor de hip-hop, ele dançava e recebia os abraços dos retardatários.

Leia mais em Terra Magazine
http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI4461918-EI6578,00.html

Be Sociable, Share!

Comentários

danilo on 2 junho, 2010 at 1:31 #

mas q bela gargalhada estes dois homens impolutos estão dando, hein? será q o delegado Procto-genes cantou pra Zé Mensalão Dirceu “se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão”. ou estarão dando risada de nós cidadãos otários deste país chamado Brasil sil sil sil????


luiz alfredo motta fontana on 2 junho, 2010 at 11:39 #

Caro VHS

E o “Dirty Harry nacional”, o ínclito Protógenes, adota o jeito Nike de ser.

Após sambar no Brahma em companhia de J. Hawilla (Traffic), confraterniza com Teixeira (CBF). Num “revival’ da “CPI da Nike”

Como sempre, nesses casos de emoções explícitas, a grande mídia se ausenta.

Além do Terra e do Bahia em Pauta, destaca-se na cobertura, a sempre atenta Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Aqui Mônica Bergamo:

________________________________

“Olha aqui o delegado que queria me prender!”, exclamou José Dirceu ao ser abordado pelo delegado Protógenes Queiroz no jantar de aniversário do ministro Orlando Silva, do Esporte, anteontem, em SP. Os dois gargalharam, apertaram as mãos e se juntaram num abraço aparentemente fraterno.

Candidato a deputado federal pelo PC do B, o policial circulava na festa tentando se aproximar dos que outrora investigou na Operação Satiagraha, em 2008, cujo alvo principal era o banqueiro Daniel Dantas. A conversa com Dirceu (que teve sua mulher, Evanise, grampeada na devassa comandada por Protógenes) não durou muito tempo.

“Me comportei bem?”, perguntou o petista depois que o delegado se afastou. Para espanto de muitos, entre uma garfada e outra de penne com tomate, disse: “Eu vou ajudar a elegê-lo”.

O “perdão” para valer, no entanto, virá depois, “no dia em que ele [Protógenes] me contar tudo o que aconteceu”. Dirceu diz acreditar que foi investigado de forma ilegal e muito mais abrangente do que a divulgada oficialmente.

Fábio Luís, o Lulinha, filho de Lula, que na época da Satiagraha surgiu no noticiário porque empresas de Dantas teriam tentado se aproximar dele, também conversou com o delegado federal na festa. “Foi um diálogo maravilhoso, emocionante mesmo”, diz Protógenes Queiroz, que sempre negou ter investigado a família do presidente da República. “Fizeram muita fofoca.” Na verdade, afirma, “o presidente estava sendo chantageado”.

“Ele [Fábio] me disse que o pai dele [Lula] me respeita muito e que a família me admira por tudo o que eu já fiz pelo Brasil. O filho do presidente é um perseguido, como eu. Responde a um processo [na Justiça]. Eu respondo a 15!”. Protógenes diz que deu seu telefone e e-mail para Fábio Luís, “para ajudá-lo no que for preciso”.

________________________________

E Protogénes extende suas alianças, Lulinha é benvindo.


gilda on 2 junho, 2010 at 20:08 #

DÁ VONTADE DE SUMIR DESSE PAÍS.È UM FAZ DE CONTA….O DELEGADO QUERIA PALANQUE PARA SE PROJETAR NA POLITICA….AGORA SÃO INTRIGAS….DÁ LICENÇA DELEGADO…VOCÊ SABE QUE O QUE FOI APURADO FOI A VERDADE E SABE BEM QUE O LULINHA ENRIQUECEU DE FORMA VERTIGINOSA….E QUER VOTO? A POPULAÇÃO ESTÁ ATENTA E ESSE PCdoB VIROU UM PARTIDO DE OPORTUNISTAS.


Guilherme Souto on 2 junho, 2010 at 22:46 #

O delegado esta sendo perseguido pela sua própria corporação, e isso não é um absurdo para as pessoas.

E mais, tem gente que analisa os fatos como se as ações contra o “banqueiro bandido” fosse iniciativa de um delegado. É mole?!

Se fosse uma pessoa menos influente, mas ações envolvendo um sujeito como o Dantas?

Pô, gente, vamos acordar?!

Se eu fosse paulista, confirmaria o voto nele.


danilo on 3 junho, 2010 at 14:33 #

patética, essa esquerda brasileira. antigamente, para ela, os “tiras” e os milicos representavam a tirania, a intolerância, a bisbilhotice. hoje a mesma esquerda vive elogiando esse delegado que “bate” em Daniel Dantas e protege Lullinha e a companheirada


Rita on 4 junho, 2010 at 18:32 #

O Delegado perdeu toda sua credibilidade!!! Deu um passo para trás.


Ricardo Peres on 5 junho, 2010 at 19:02 #

O Protógenes está ingressando na política. Não é mais um delegado da PF. Isso signifca que o instrumental de operação muda: na caixa de ferramentas da política a interlocução é a premissa mais importante dentre todas. Portanto, o Protógenes pode e deve, por definição, dialogar e trocar percepções com todos os figurantes da cena.

Isso de forma alguma significa que o norte, a ética e o compromisso do Protógenes se tenha alterado. Ao contrário, ele se fortalece conforme dialoga, adquiri mais conhecimento e detém mais informações sobre as obstruções impostas pela corrupção no Brasil.

Vale lembrar que não se pode fazer política com algemas. Os instrumentos capazes de causar o avanço político tem uma natureza patentemente distinta da natureza da apreensão e das algemas. O Protógenes mostra aptidão, sensatez e sabedoria ao utilizar os dispositivos políticos de forma apropriada. Uma breve reflexão demonstra que a sua atuação recente faz merecer elogios e não desconfiança.

Protógenes será o deputado federal mais brasileiro, mais ético e mais produtivo dentre todos. Dobrem suas apostas!


Jãoo on 2 outubro, 2010 at 20:09 #

Vergonhoso essa relação do Dr. Procotogenes com a quadrilha que se instalou no poder, a propósito acho que eles sempre estiveram juntos nessa sacanagem.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • junho 2010
    S T Q Q S S D
    « maio   jul »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930