Waldir Pires:”excluído”

========================================

Em votação de resultado incerto e não sabido, porque realizada a votação em ambiente vedado à imprensa e dispensada a contagem dos votos pela direção partidária, o PT da Bahia escolheu Pinheiro e assim extinguiu a candidatura do ex-governador e ex-ministro Waldir Pires, de 84 anos, sob a principal alegação de que na conjuntura atual o partido deve formar ou consolidar novas lideranças, um entendimento sustentado pelo governador Jaques Wagner e endossado pela quase totalidade da executiva estadual do partido”.
O trecho acima é parte emblemática do artigo no qual jornalista político Ivan de Carvalho analisa na coluna desta segunda-feira, na Tribuna da Bahia, a decisão do PT que escolheu ontem o deputado Walter Pinheiro para a vaga de senador que sobrava na chapa majoritária do governador Jaques Wagner, pré-candidato à reeleição. Bahia em Pauta reproduz.
(VHS)

====================================
OPINIÃO POLÍTICA

Partido é res pública

Ivan da Carvalho

O PT da Bahia escolheu ontem Walter Pinheiro, o mais votado deputado federal do partido em todo o país nas eleições de 2006, ex-líder da bancada do PT na Câmara federal, candidato derrotado a prefeito de Salvador em 2008 e ex-secretário do Planejamento do governo Wagner para candidato a senador.
Em votação de resultado incerto e não sabido, porque realizada a votação em ambiente vedado à imprensa e dispensada a contagem dos votos pela direção partidária, o PT da Bahia escolheu Pinheiro e assim extinguiu a candidatura do ex-governador e ex-ministro Waldir Pires, de 84 anos, sob a principal alegação de que na conjuntura atual o partido deve formar ou consolidar novas lideranças, um entendimento sustentado pelo governador Jaques Wagner e endossado pela quase totalidade da executiva estadual do partido.
Abrindo um parêntesis. Konrad Adenauer foi o primeiro chanceler da República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental) e a governou durante 14 anos, até 1963, quando tinha 87 anos. Foi, durante todo seu período de governo, um dos principais líderes mundiais responsáveis pela barreira erguida na Europa contra o avanço do império totalitário da União Soviética. Um dos políticos mais eficientes do mundo no século XX.
Voltando ao PT, a escolha de Pinheiro e a exclusão de Waldir eram esperadas, devido ao amálgama de forças que se formou, sob evidente estímulo do governador (surpreendeu não comparecendo ao evento), o que certamente determinou a atuação da direção partidária na mesma direção e mesmo a adesão à candidatura de Pinheiro de muitas lideranças que estiveram antes apoiando Waldir Pires e mesmo várias das que tiveram a iniciativa de lançar seu nome. Faltou firmeza ou sobraram interesses pessoais ou de grupos. Durante o processo, Waldir pedira “neutralidade” ao governador, mas seria uma fantasia dizer que foi atendido.
Uma questão estranha a registrar é o fato de ter sido proibida a presença dos jornalistas no encontro petista, criado para substituir a eleição prévia proposta pelos waldiristas e rejeitada pela direção partidária. A imprensa não teve acesso aos discursos e ao “clima” do encontro. Até as informações sobre a forma de votação foram inicialmente desencontradas, esclarecendo-se, depois, que foi feita pela modalidade de “levantamento de crachás”, que não foram contados porque, em evidente maioria, os crachás dos 350 presentes não votaram em Waldir.
Impressiona que o presidente do partido, Jonas Paulo, haja justificado o caráter secreto do encontro como “uma praxe do PT” e comparado a situação à de “uma empresa que faz uma reunião” para decidir assuntos de seu interesse. Ora, empresa é ente de direito privado. Partido, no Brasil, é ente de direito público e, se busca os votos e a confiança do eleitor, não deve estar escondendo dele as decisões, sobretudo quando elas são importantes e miram o eleitorado, caso das candidaturas. Partido político é “res publica”, coisa pública, república. Espera-se que seja republicano, apesar das praxes.
Em tempo. Waldir disse ao governador, na sexta-feira, considerar essencial que houvesse a disputa no encontro para que os delegados tomassem posição. E ontem o ex-governador completou, falando ao blog Política Livre: “Não faria bem ao PT não realizar este momento hoje. Seria uma repetição de coisas do passado que eu não quero ver repetidas”, disse Waldir.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos