maio
25
Postado em 25-05-2010
Arquivado em (Artigos, Ivan) por vitor em 25-05-2010 11:16


========================================
Em seu artigo desta terça-feira, na Tribuna da Bahia, o jornalista político Ivan de Carvalho escreve sobre as diferenças na maneira de encarar a questão da violência e propor saídas para o problema que se agrava, entre os dois candidatos que lideram as pesquisas da sucessão presidencial. O tucano Serra promete até a criação de um novo ministério, só para tratar da questão. A petista Dilma Rousseff, candidata do PT, já criticou o Ministério da Segurança Pública prometido pelo oposicionista . Bahia em Pauta reproduz o texto. Confira.

(VHS)

==========================================


OPINIÃO POLÍTICA

Segurança, Serra e Dilma

Ivan de Carvalho

1. Recentemente, durante visita à Bahia, o candidato a presidente República da coligação PSDB-DEM-PPS e outros partidos, José Serra, assumiu publicamente o compromisso de, caso seja eleito, criar o Ministério da Segurança Pública e transformar o problema da insegurança na sociedade em uma das prioridades de seu governo. Escolheu a Bahia para o anúncio porque este é um estado em que o avanço da criminalidade, organizada ou não, mas habitualmente violenta, pode ser qualificada sem receio de exagero como alucinante. Último fim de semana, 22 homicídios na RMS, segundo o noticiário policial.

2. Em ocasião pouco posterior, o candidato tucano insistiu no assunto, assinalando o óbvio – que a criminalidade e a violência no Brasil são alimentadas principalmente pelo contrabando de armas e o tráfico de drogas, sendo, portanto, grande a responsabilidade federal, e que sem um envolvimento profundo e decidido da União o problema não será atenuado, muito menos resolvido, mas sim agravado. Deixou claro que é uma obrigação da União assumir, politicamente e com os meios de que dispõe, a liderança da luta contra a insegurança.

3. Lamentavelmente, já durante os oito anos do governo FHC o crime organizado e violento, que inicialmente fincou suas raízes no Rio de Janeiro sob a condescendência ou inação dos governos de Leonel Brizola, passou a expandir-se para outras áreas do território nacional com intensidade, embora em graus diferentes haja se espalhado por todo o país, quebrando os parâmetros anteriores de criminalidade. É claro que a rápida urbanização do país foi um fator fundamental para isto, mas os governantes (sempre com as tradicionais raras e honrosas exceções) não deram a mínima importância para isso nos seus programas de governo. Havia a convicção de que o grau de segurança pública acaba não influindo expressivamente nas eleições e, portanto, pode ser negligenciado.

4. Se já foi assim durante o governo de oito anos de FHC, com Lula vem sendo muito pior. Basta vez os números do começo do governo Lula e os de agora em relação à criminalidade e à violência e observar que o atual presidente foi tão omisso quanto seu antecessor num programa de combate ao crime. E que, assim, este acelerou seu avanço. Lula inventou o Pronasci (Programa Nacional de Segurança com Cidadania), com o qual o leitor deve estar completamente familiarizado e sabedor de tudo que tal programa tem feito pela segurança pública. Perdoem a ironia. Inventou também a Força Nacional de Segurança, uma colcha de retalhos formada por grupos de policiais militares dos Estados, sem treino para isto, deslocados e postos, em emergências, sob comando federal. Uma idéia impressionante.

5. Dilma Rousseff, candidata do PT, já criticou o Ministério da Segurança Pública prometido pelo oposicionista José Serra. E não prometeu nada para compensar. A impressão é a de que pretende deixar tudo como está.

Be Sociable, Share!

Comentários

Marco Lino on 25 Maio, 2010 at 12:56 #

Lula inventa, Serra cria. É impressionante esse nobre baiano, viu? Lula deveria ter feito um acordo nacional com o crime organizado como o fez em São Paulo o José Serra, com o PCC.
O problema do avanço da criminalidade na Bahia será resolvido, caro analista, com o glorioso Geddel – o Moreira César moderno que parte da elite baiana quer empurrar goela abaixo dos baianos. É o nosso general – ou coronel?


danilo on 25 Maio, 2010 at 13:53 #

é muito engraçado ver os lullo-petistas falar nos velhos chavões ultrapassados da esquerda. e tome-lhe “direita, coronel. goela abaixo”;

logo eles q são ALIADOS de Renan Calheiros, Sarney e Collor…


marco lino on 25 Maio, 2010 at 17:37 #

Bom, goela todo mundo tem.
O coronel político persiste da Bahia para cima – a Bahia, alguns diziam, estaria livre deles com a morte do último grande dono da Bahia, mas apareceu um pretendente de peso para ocupar o espaço – em política, diria o velho professor, não existe espaço vazio.
Já os termos direita e esquerda, Danilo, foram seus.
Abs


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos